Jump to content

Azul fará voos domésticos com Airbus A330-200


Recommended Posts

Azul fará voos domésticos com Airbus A330-200
edtazula32020.jpg
A partir de agosto, os clientes da Azul poderão adquirir passagens para voar, em setembro, a bordo do Airbus 330-200, recebido pela aérea em junho, e que deve servir as primeiras rotas internacionais da companhia, em dezembro, com destino aos Estados Unidos. Os voos temporários serão de Campinas para Recife, Manaus, Rio de Janeiro (Galeão) e Brasília, mediante a autorização da Anac – a rota é feita, hoje, a bordo de Embraer 195.

“Escolhemos rotas domésticas de longo curso e com alta demanda de Clientes para iniciar nossas operações com as aeronaves da Airbus. Desta forma, vamos oferecer ainda mais assentos e, consequentemente, transportar um número superior de Clientes entre estes trechos, com conexão em Campinas e a possibilidade de chegar a dezenas de destinos em todo o Brasil”, afirma o diretor de Planejamento e Alianças da Azul, Marcelo Bento.

Uma das frequências diárias e diretas entre Campinas e Recife será operada pelo A330-200 a partir de 1º de setembro. Para a capital do Amazonas, o voo será diário e diurno, entre 21 e 30 de setembro - entre 1º de outubro e 30 de novembro, a operação passa a ser diária e noturna. Entre 7 e 28 de setembro, um voo entre Campinas e Rio de Janeiro (Galeão) será feito pelo A330-200 sempre às sextas-feiras e aos domingos. O trecho Campinas-Brasília será operado apenas em 25 de setembro.
Link to comment
Share on other sites

Que pena que em GRU não vai ter nenhum voo, bem que podiam colocar o A330 no voo GRU-POA-GRU que apartir do mes que contará com o 6º voo diario, seria muito legal ver o A330 da Azul em GRU, mas fico feliz pelo crescimento da Azul, tomara que ao passar do tempo a Azul invista em rotas ainda não exploradas no Brasil através de parceiros da Star Aliance.

 

:)

Link to comment
Share on other sites

Isso é para certificar tripulações. Logo depois as frequências voltam para os E-Jets, pois são altamente custosas se operadas por widebodies.

Link to comment
Share on other sites

VCP-GIG de A332? lecaw XP

 

Me lembra o GIG-GRU que eu fiz num 762 da antiga Varig uma vez XD

 

Enfim, uma pena que não vai operar em GRU, isso facilitaria eu ver ele e tirar fotos dessa maravilha :(

 

Enfim, boa sorte pra Azul e que venham mais A332 ;)

Link to comment
Share on other sites

não vai operarem GRU pq a Azul fica no T4 e haja espaço para um A330 naquele patio, vai pegar 2 vagas de E190 praticamente e imaginem o tempo pra embarcar/desembarcar e maior ou seja ou turn-around!!!.

Link to comment
Share on other sites

VCP-GIG de A332? lecaw XP

 

Me lembra o GIG-GRU que eu fiz num 762 da antiga Varig uma vez XD

 

Enfim, uma pena que não vai operar em GRU, isso facilitaria eu ver ele e tirar fotos dessa maravilha :(

 

Enfim, boa sorte pra Azul e que venham mais A332 ;)

 

Prezados,

 

Para aqueles que viveram, a Varig tinha diariamente os vôos RG 204/205: GIG-BSB-MAO-BSB-GIG, feito com DC-10, obviamente com o padrão da empresa... são tempos que não voltam mais.

 

Enfim... viva os novos tempos. Só me pergunto aonde iremos parar.

 

Grande abraço a todos.

Link to comment
Share on other sites

Qual a configuração? Tem C? Em caso positivo, irão comercializar nos trechos mencionados?

 

 

Sent from my iPhone using Tapatalk

 

Pelo que eu li, tem C e tem F, só não sei como será comercializado.

Link to comment
Share on other sites

O diretor de marketing da Azul, Gianfranco Beting, não descarta a possibilidade de manter o avião em alguma rota doméstica, como Campinas-Manaus, mesmo depois do início da operação internacional.

Link to comment
Share on other sites

O diretor de marketing da Azul, Gianfranco Beting, não descarta a possibilidade de manter o avião em alguma rota doméstica, como Campinas-Manaus, mesmo depois do início da operação internacional.

 

Onde só o porão pagaria a operação fácil fácil!

Link to comment
Share on other sites

 

Onde só o porão pagaria a operação fácil fácil

 

Junta-se ai a fome com a vontade de comer. A carga é forte nos dois aeroportos, então a Azul Cargo ganha um belo upgrade.

Link to comment
Share on other sites

Os aviões ficarão tomando sol o dia todo, então eles vão dar um jeito de colocar em rotas domésticas ou sulamericanas. O problema que são poucas rotas que demandam widebody saindo de VCP.

Só esse VCP-MAO diário já dá uma boa ajuda no fechamento diário da ociosidade desse aparelho, liberando o noturno pra um vôo na Inter.

 

 

Sent from my SM-P601 using Tapatalk 4

Link to comment
Share on other sites

Pra minha grande e agradavel surpresa, acabei de ver pousando (14h55min, horario local) em MAO, o A330 da Azul! surpresa mais que agradavel para uma sexta a tarde.

Link to comment
Share on other sites

 

Prezados,

 

Para aqueles que viveram, a Varig tinha diariamente os vôos RG 204/205: GIG-BSB-MAO-BSB-GIG, feito com DC-10, obviamente com o padrão da empresa... são tempos que não voltam mais.

 

Enfim... viva os novos tempos. Só me pergunto aonde iremos parar.

 

Grande abraço a todos.

 

 

E não esqueçam que a Vasp fazia GRU-REC via SSA com seus A300 até 2004. Eu os vi voar. Só vivia CHEIO.

 

 

Eu sempre defendi que rotas de longas distâncias+alta densidade no Brasil, devido as dimensões do País, usar um WB pra fazer a linha. Um que faz serviço de dois.

Link to comment
Share on other sites

Se não prejudicar os ciclos ok, o melhor mesmo é um GIG/MAO e utilizar a generosa capacidade de carga do A332, algo como a TAM no GRU/MAO.

 

 

Sent from my iPhone using Tapatalk

Link to comment
Share on other sites

Vale lembrar que REC e MAO foram escolhidas como bases a receber o A330 antes mesmo das aeronaves chegarem. No passado a TAM chegou a operar GRU-REC com o A330 com chegada por volta das 12h e saída às 18h. Uma vez que serão 2 aeronaves de 'perdia' em VCP, faz todo o sentido que ambas sejam deslocadas para REC e MAO, uma vez que a empresa continuará em período de adaptação. Vale lembrar que, até o momento, REC é a única base sem data de termino previsto da operação da aeronave.

 

Vale lembrar que o A330 leva o equivalente a 2 E195 mais 36 assentos. Faz todo o sentido para a Azul empregar estas aeronaves no mercado doméstico, além da carga que poderá ser levada no porão.

 

Eu não duvido, se num futuro não muito distante, a Azul venha abrir REC/MAO-FLL. Vale ressaltar que no passado, estas duas bases foram consideradas pela JetBlue para sua entrada no mercado brasileiro:

 

http://forum.contatoradar.com.br/index.php/topic/98025-jetblue-direciona-foco-para-a-america-do-sul-mao-e-rec-estao-nos-planos/

 

Seguindo esse sucesso, o próximo passo é provavelmente olhar além e crescer no mercado latino-americano, rumo ao sul. "Há provavelmente quatro ou cinco mercados-chave nessa região do mundo". O Brasil obviamente é de grande interesse e Manaus e Recife seriam nossas opções, enquanto que o Equador e Venezuela também são possíveis mercados, assim como toda a América Central".

 

(Noticia de fevereiro/13)

 

REC e MAO não foram escolhidas ao acaso.

Link to comment
Share on other sites

 

 

E não esqueçam que a Vasp fazia GRU-REC via SSA com seus A300 até 2004. Eu os vi voar. Só vivia CHEIO.

 

 

Eu sempre defendi que rotas de longas distâncias+alta densidade no Brasil, devido as dimensões do País, usar um WB pra fazer a linha. Um que faz serviço de dois.

Era POA-GRU-SSA-REC.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade