Jump to content

Itaipu testa primeiro avião elétrico tripulado da América Latina


jambock

Recommended Posts

Meus prezados:
Em sequencia a:
http://forum.contatoradar.com.br/index.php/topic/31255-um-novo-aviao-fabricado-em-sao-jose/?hl=sora
http://forum.contatoradar.com.br/index.php/topic/41593-sora-o-mais-novo-aviao-100-brasileiro/?hl=sora
Itaipu testa primeiro avião elétrico tripulado da América Latina
Técnicos e engenheiros do Programa Veículo Elétrico (VE), da Itaipu Binacional, e da empresa ACS Aviation, de São José dos Campos (SP), começaram, nesta semana, em Foz do Iguaçu (PR), a fase de pré-comissionamento do primeiro avião elétrico tripulado da América Latina.
O protótipo, que tem como base o modelo esportivo acrobático ACS-100 SORA, para duas pessoas, chegou sexta-feira (22) ao Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Montagem de Veículos Movidos a Eletricidade (CPDM-VE) da binacional. O modelo com propulsão elétrica é denominado SORA-e.

O presidente da ACS, engenheiro Alexandre Zaramella, e o diretor de desenvolvimento, engenheiro Conrado Almeida, estão na cidade nesta semana acompanhando o início dos trabalhos.

“Esse estágio é importante para o projeto porque é o momento em que fazemos os principais ensaios de solo. Depois, será feita a certificação do modelo com os órgãos competentes e, finalmente, o voo inaugural”, afirmou o coordenador brasileiro do Programa VE, Celso Novais.

Segundo ele, a expectativa é realizar o primeiro voo com SORA-e entre outubro e novembro deste ano, em local ainda a ser definido – Foz do Iguaçu ou São José dos Campos.

Novais acrescentou que o cronograma inicial divulgado pelo Programa VE, no ano passado, para o início dos testes com o avião elétrico, teve de ser alterado devido as dificuldades logísticas. Para ser transportado até Foz do Iguaçu, o modelo precisou ser dividido no ponto entre o cone da cauda e a fuselagem.

“Foi um trabalho complexo, que requereu uma reengenharia do projeto, para que não perdêssemos as características estruturais da aeronave”, afirmou.

Sobre a aeronave

Com 8 metros de envergadura (de uma ponta a outra da asa) e 650 quilos de peso total, o SORA-e terá autonomia de uma hora de voo e velocidade máxima de 340 km/h.
O modelo vai carregar um motor elétrico duplo, fabricado na Eslovênia, com potência máxima de 140 kW, e um conjunto com seis packs de baterias, contendo 16 células cada um. A estrutura é feita com fibra de carbono e o painel terá tela com tecnologia touch screen.

Zaramella explicou que o modelo chegou a Foz do Iguaçu com praticamente 90% do trabalho concluído. “Toda a parte estrutural está pronta e o motor, instalado. Faltam as baterias e a hélice. Esta última virá dos Estados Unidos, fabricada especialmente para o modelo.”

O executivo salientou que a transformação do modelo a combustão em elétrico demandou uma série de estudos e adaptações, incluindo modificações na asa para melhorar a aerodinâmica.

“A dificuldade neste projeto é que estamos desenvolvendo algo totalmente novo na área da aeronáutica. No futuro, todo esse trabalho, o histórico, as anotações técnicas, servirão como base para a certificação de outros veículos aéreos elétricos”, comentou.
Parceria com Itaipu

Zaramella explicou que o ACS-100 SORA começou a ser desenvolvido pela empresa em 2006 e voou pela primeira vez dois anos depois, sempre com motor a combustão.

De acordo com o executivo, a parceria com Itaipu para desenvolver o SORA-e pretende posicionar a empresa no atual cenário internacional, especialmente da Europa e dos Estados Unidos.

“A nossa visão é que no futuro os meios de transporte, inclusive aéreos, vão migrar para a motorização elétrica. Por isso, todas as grandes empresas [do setor], tais como Airbus, Boeing e Embraer já estão desenvolvendo ou pesquisando aviões elétricos”, comentou.

Já para o Programa VE, o interesse com a parceria é o domínio da tecnologia de materiais compostos, usados no setor aeronáutico – e que são fundamentais para a redução do peso dos protótipos. “A redução do peso levará a uma melhora significativa na autonomia dos veículos elétricos”, comentou Novais.
Fonte: Portal H2FOZ (Foz do Iguaçu-PR) via CECOMSAER 28 ago 2014

Esse é o modelo da aeronave da qual o SORA-e é derivado. Tem paraquedas balístico! Creio que só mudou a motorização.
71_feira.jpg
Creio que se derem um reforço no trem de pouso, ele poderá ser um sério candidato a substituição do Neiva T-25 Universal, mesmo com motor convencional. O que acham?

Link to comment
Share on other sites

Alguem tem ideia do preço da hora de voo do avião eletrico?

 

Além disto deve ser um voo "de planador" pelo silencio do motor.

 

Isto pode ser uma tendência, hoje em dia há cada vez mais aeromodelos eletricos.

Link to comment
Share on other sites

Alguem tem ideia do preço da hora de voo do avião eletrico?

 

Além disto deve ser um voo "de planador" pelo silencio do motor.

 

Isto pode ser uma tendência, hoje em dia há cada vez mais aeromodelos eletricos.

 

 

Que tal um avião Brushless?

hehehehe

10348622_667291419984732_646993894966954

http://www.evektor.cz/en/sportstar-epos.aspx

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade