Jump to content

LAN to fly Boeing 787 on Sydney-Santiago route


AF085

Recommended Posts

LAN to fly Boeing 787 on Sydney-Santiago route

 

By David Flynn

  • PUBLISHED 10 NOV, 2014

 

South America's LAN Airlines will begin flying the Boeing 787 between Sydney and Santiago from April 2015, with a stopover in Auckland also providing a quick trans-Tasman dash on the advanced Dreamliner.

However, it's the longer 11 hour flight between Auckland and the Chilean capital where the Boeing 787's jetlag-busting traits such as lower cabin altitude and higher humidity will be most evident.

LAN, which as a member of the Oneworld airline alliance is also a Qantas partner, will upgrade to the Boeing 787-8 from the current fuel-thirsty Airbus A340-300 from April 18th.

"This announcement marks a milestone moment for LAN Airlines in the Asia Pacific region, as well as the next step in our continued effort and commitment to develop our offering and services in this market." said Patricio Aylwin, Managing Director Asia Pacific, LATAM Airlines Group.

LAN's Boeing 787-8 carries a total of 247 travellers, with 30 lie-flat business class seats in a 2-2-2- layout and 217 economy seats ranked 3-3-3.

LAN looks set to be the eight airline to fly the Boeing 787 in Australian skies, following Air India, Air New Zealand, Jetstar, Royal Brunei, Thai and United, while Scoot is slated to begin Boeing 787-9 flights between Australia and Singapore in early 2015.

Etihad will join the Aussie Dreamliner set in June 2015 with its Boeing 787-9 beginning a daily direct Brisbane-Abu Dhabi service.

http://www.ausbt.com.au/lan-to-fly-boeing-787-on-sydney-santiago-route?utm_source=internal&utm_medium=flipper&utm_campaign=home-flipper

Pensei que fosse com o 787-9.

Link to comment
Share on other sites

<p>

LAN to fly Boeing 787 on Sydney-Santiago route

 

By David Flynn

  • PUBLISHED 10 NOV, 2014

South America's LAN Airlines will begin flying the Boeing 787 between Sydney and Santiago from April 2015, with a stopover in Auckland also providing a quick trans-Tasman dash on the advanced Dreamliner.

However, it's the longer 11 hour flight between Auckland and the Chilean capital where the Boeing 787's jetlag-busting traits such as lower cabin altitude and higher humidity will be most evident.

LAN, which as a member of the Oneworld airline alliance is also a Qantas partner, will upgrade to the Boeing 787-8 from the current fuel-thirsty Airbus A340-300 from April 18th.

"This announcement marks a milestone moment for LAN Airlines in the Asia Pacific region, as well as the next step in our continued effort and commitment to develop our offering and services in this market." said Patricio Aylwin, Managing Director Asia Pacific, LATAM Airlines Group.

LAN's Boeing 787-8 carries a total of 247 travellers, with 30 lie-flat business class seats in a 2-2-2- layout and 217 economy seats ranked 3-3-3.

LAN looks set to be the eight airline to fly the Boeing 787 in Australian skies, following Air India, Air New Zealand, Jetstar, Royal Brunei, Thai and United, while Scoot is slated to begin Boeing 787-9 flights between Australia and Singapore in early 2015.

Etihad will join the Aussie Dreamliner set in June 2015 with its Boeing 787-9 beginning a daily direct Brisbane-Abu Dhabi service.

http://www.ausbt.com.au/lan-to-fly-boeing-787-on-sydney-santiago-route?utm_source=internal&utm_medium=flipper&utm_campaign=home-flipper

Pensei que fosse com o 787-9.

Ou seja, poderemos fazer de GRU a SYD de 788?

Link to comment
Share on other sites

Ainda não me sentiria confortável de um bi reator ainda mais 787 nesta rota. Já a fiz de 340 e mesmo assim confesso que sempre há o receio pela falta de alternativo. ETOPS de 330 min acho complicado quando se fala em fogo a bordo....

 

 

Enviado do meu iPad usando Tapatalk

Link to comment
Share on other sites

Ainda não me sentiria confortável de um bi reator ainda mais 787 nesta rota. Já a fiz de 340 e mesmo assim confesso que sempre há o receio pela falta de alternativo. ETOPS de 330 min acho complicado quando se fala em fogo a bordo....

 

 

Enviado do meu iPad usando Tapatalk

 

 

Como tem sido economicamente rotineiro o uso de aeronaves com dois motores para a grande maioria dos voos de longo curso, vale observar que algumas peculiaridades (e estatísticas) envolvem a operação ETOPS. Além disso, há também alguns mitos (ou conceitos equivocados). Um exemplo (que o usuário provavelmente desconhece): há uma referência na aviação, que se baseia em ocorrências a bordo, que no caso de fogo (ou fumaça) na cabine ou nos porões, se não for possível detectar a sua origem, combate-lo e extingui-lo em dois minutos após o seu início, não será mais possível controla-lo. Assim, a opção que resta é fazer um pouso de emergência e evacuar os ocupantes, no solo ou na água, entre 4 a 14 minutos, caso contrário, o fogo irá destruir o avião. E isso independente de quantidade de motores.

Link to comment
Share on other sites

Ainda prefiro a "Queen of the Skies" da Qantas operando a rota.

 

Vou para a Austrália em breve e vou de QF e volto de LA. Que é para descer a lenha nas duas depois.... hahahaha

Link to comment
Share on other sites

 

 

Como tem sido economicamente rotineiro o uso de aeronaves com dois motores para a grande maioria dos voos de longo curso, vale observar que algumas peculiaridades (e estatísticas) envolvem a operação ETOPS. Além disso, há também alguns mitos (ou conceitos equivocados). Um exemplo (que o usuário provavelmente desconhece): há uma referência na aviação, que se baseia em ocorrências a bordo, que no caso de fogo (ou fumaça) na cabine ou nos porões, se não for possível detectar a sua origem, combate-lo e extingui-lo em dois minutos após o seu início, não será mais possível controla-lo. Assim, a opção que resta é fazer um pouso de emergência e evacuar os ocupantes, no solo ou na água, entre 4 a 14 minutos, caso contrário, o fogo irá destruir o avião. E isso independente de quantidade de motores.

concordo, mas quando vc detecta, apaga e descobre que derreteram as baterias? O problema de se voar longas rotas em locais inóspitos é este seja a qtd de motores ou não. A alternativa está às vezes tão longe que não adianta motor, o resto as vezes não seguram até lá.

 

 

Enviado do meu iPad usando Tapatalk

Link to comment
Share on other sites

Ainda prefiro a "Queen of the Skies" da Qantas operando a rota.

 

Vou para a Austrália em breve e vou de QF e volto de LA. Que é para descer a lenha nas duas depois.... hahahaha

 

O produto da QF é superior. Dá uma lida no meu FR: http://forum.contatoradar.com.br/index.php/topic/100554-tamlanqantas-viagem-a-australia-parte-3/?hl=%2Btam+%2Blan+%2Bqantas

 

O link é pra parte 3, tem link no início pras outras duas.

 

Ah, tomara que venha a Air New Zealand...

Link to comment
Share on other sites

LAN Airlines Adds New Boeing 787 Routes in S15

by JL

Update at 0255GMT 12NOV14

 

LAN Airlines from April 2015 is switching operational aircraft on Santiago de Chile – Auckland – Sydneyroute, with the introduction of Boeing 787-8 aircraft from 16APR15 (from SCL. Australia / NZ from 18APR15).

LA801 SCL2250 – 0400+2AKL0600+2 – 0740+2SYD 787 D

LA800 SYD0930 – 1445AKL1615 – 1135SCL 787 D

From the same date, daily Lima – Los Angeles will switch from Boeing 787-8 to the new -9 model, which operates on daily basis. The Configuration of the 787-9 is C30Y279.

LA600 LIM0200 – 0845LAX 789 D

LA601 LAX1345 – 0010+1LIM 789 D

From 19JUL15, LAN Airlines will also introduce 787-9 aircraft on Santiago de Chile – New York JFKroute, replacing -8.

LA532 SCL2215 – 0845+1JFK 789 D

LA533 JFK2000 – 0620+1SCL 789 D

 

http://airlineroute.net/2014/11/12/la-787-apr15/

 

 

Comparando com os horários atuais, mesmo tempo de vôo.

 

Update at 0820GMT 23JUL13

 

LAN Airlines during the month of January 2014 is adding 7th weekly Santiago de Chile – Auckland – Sydney service, with the new flight operates on Mondays from Santiago, Wednesdays from Auckland and Sydney.

LA801 SCL2320 – 0430+2AKL0600+2 – 0740+2SYD 343 D

LA800 SYD0930 – 1445AKL1615 – 1135SCL 343 D

Link to comment
Share on other sites

concordo, mas quando vc detecta, apaga e descobre que derreteram as baterias? O problema de se voar longas rotas em locais inóspitos é este seja a qtd de motores ou não. A alternativa está às vezes tão longe que não adianta motor, o resto as vezes não seguram até lá.

 

 

Enviado do meu iPad usando Tapatalk

 

Discussão interessante. Entre os debates de horários de voo e disponibilidade de assento, cabe tentar esclarecer alguns aspectos que envolvem as operações de longo curso sobre os oceanos.

 

A respeito do que você escreveu, nesse caso o problema é a rota utilizada, não a aeronave. Como comentei, muito do que é feito na aviação tem como base a estatística, quer seja aquela gerada pela indústria como um todo, quer seja do operador, no caso a Lan, de forma isolada.

 

Sim, provavelmente 10 entre 10 passageiros se sentiriam muito mais seguros a bordo de um quadrirreator, do que possivelmente ficar pendurando somente num motor, no cumprimento dos procedimentos ETOPS, contudo, a utilização de bimotores em trechos inóspitos como essa rota entre o Chile e a Austrália será talvez a última barreira a ser derrubada para que aeronaves mais eficientes e rentáveis sejam utilizadas para ligar o planeta. Até aquelas que cruzam o Pólo Norte têm sido feitas diariamente com o B777, por exemplo, com alternados tão longínquos quanto aqueles que cobrem o Pacífico Sul, portanto, esse tipo de rota e seus percalços, que servem de referência para o debate, não são novidades.

 

Vale destacar que é notável a diferença gerada na utilização do 787-9, se compararmos com o B777-200LR, na obtenção de resultados impressionantes na equação entre custo (menores) x (alta) rentabilidade. E note: o 777LR por si só já é uma máquina de fazer dinheiro. E isso tem brilhado os olhos dos administradores das companhias aéreas, e com o A350 não será diferente.

 

Se isso é o melhor, principalmente para o usuário, somente o tempo (ou a história) dirá, mas no momento é o que os fabricantes têm utilizado como armas para abocanhar espaço, caso contrário, ficam para trás ou continuam construindo "fogões de 4 bocas" que poucos andam interessados em adquirir.

Link to comment
Share on other sites

 

O produto da QF é superior. Dá uma lida no meu FR: http://forum.contatoradar.com.br/index.php/topic/100554-tamlanqantas-viagem-a-australia-parte-3/?hl=%2Btam+%2Blan+%2Bqantas

 

O link é pra parte 3, tem link no início pras outras duas.

 

Ah, tomara que venha a Air New Zealand...

 

 

Também torço pela NZ.

 

Vou à Oceania em Dezembro, Fevereiro e Abril.

 

Dezembro QF/LA J

Fevereiro SQ F - A380!

Abril TG F - 747-400!

 

Aproveitarei que estarei na Ásia para dar uma esticada na Austrália e NZ, pois acho que já conheço a Ásia quase toda.

 

Eu conheço a QF, já fiz um SYD-SIN com eles após meu vôo da SQ ter um atraso mecânico eu fui reacomodado na QF. Muito bom o serviço dos comissários, anos luz à frente da LAN - que para mim é uma versão Latam da Iberia no quesito serviço.

Link to comment
Share on other sites

Boa tarde amigos Forenses.

 

Lan escolhe nova rota para o Boeing 787 em abril

h5KRwEP.jpg

 

Boeing 787 da Lan voará de Santiago para Auckland, na Nova Zelândia, e Sydney, na Austrália, a partir de abril (foto: divulgação)

 

Mais uma rota da Lan ganhará, a partir de abril, o novo Boeing 787, aeronave mais moderna da frota do Grupo Latam. O equipamento substituirá o Airbus 340 na rota Santiago-Auckland-Sydney. Assim, a Nova Zelândia e a Austrália passarão a ser os novos destinos da malha da Lan a receber esse modelo de aeronave, com maior eficiência operacional e ambiental. “O Boeing 787 é a aeronave mais moderna da Lan e opera atualmente as rotas mais distantes, nas quais acreditamos ser mais relevante disponibilizar aos passageiros o melhor produto e atendimento possível”, explica o CEO da Lan, Ignacio Cueto.

“Com a aeronave operando a rota Santiago-Auckland-Sydney, os benefícios não se limitam aos nossos passageiros, já que alcançaremos maior eficiência operacional e também ambiental, com redução de 20% nas emissões de CO2", acrescentou. A Lan conta hoje com dez aeronaves do modelo em sua frota, voando de Santiago para Madri, Frankfurt, Nova York, Miami, Los Angeles, Buenos Aires, Cancun e Punta Cana. Ao longo dos próximos anos, a companhia receberá um total de 22 Boeing 787, totalizando 32, em investimento de US$ 4,9 bilhões em 2012.

O Boeing 787 possui certificação da FAA dos Estados Unidos para voar rotas de longa distância. Para que possa operar na rota Santiago – Auckland – Sydney, o avião deve ser autorizado pela autoridade aeronáutica do Chile, e sua operação deve ser aceita pelas autoridades correspondentes na Nova Zelândia e Austrália.

 

Fonte – Panrotas – Publicada em 13/11/2014 10h52

 

Abraços

 

PP-CJC

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade