Jump to content

Azul deve cancelar algumas rotas


PP-FAB

Recommended Posts

A Azul, terceira maior companhia aérea do país, ameaça fechar algumas rotas nos próximos meses. Depois de ter sido adiado o plano do governo que concedia incentivos a empresas que operassem voos regionais, a Azul refez as contas para saber quais de seus mais de 100 destinos dão prejuízo. Na lista negra da companhia estão 20 rotas, sendo que a maior parte delas está concentrada nos estados do Amazonas e do Pará. Há também outras cidades em que a Azul não ganha dinheiro, como as mineiras Araxá e Uberaba. A companhia deverá fechar de cinco a sete rotas. Em dezembro, a Azul entrou com um pedido de registro de uma oferta de ações nas bolsas de São Paulo e Nova York. Procurada, a empresa não comentou porque estava em período de silêncio.

 

Fonte: Exame

Link to comment
Share on other sites

Eu fico imaginando como a TRIP se sustentava se praticamente todos os destinos deficitários eram os operados por ela.

Operava de 42, e por muito tempo os 42-300. A Azul so quer o 72....

Link to comment
Share on other sites

Bem, as tarifas na TRIP eram caras e precisam ser caras para atender o interior do Amazonas.
Total desbravou o interior do Amazonas a Trip foi e comprou, se reestruturou com a bela linha que tinha no interior do Amazonas.

Ali é/era um pote de ouro, foi ali que a Trip ressurgiu, agora o porque a Azul está fazendo isso, aí não entendo.
Como não ter lucro em vôos que você pode cobrar a tarifa que for que vai ter gente, porque além de um simples transporte existe a necessidade da rapidez deste transporte.

Link to comment
Share on other sites

Bem, as tarifas na TRIP eram caras e precisam ser caras para atender o interior do Amazonas.

Total desbravou o interior do Amazonas a Trip foi e comprou, se reestruturou com a bela linha que tinha no interior do Amazonas.

Ali é/era um pote de ouro, foi ali que a Trip ressurgiu, agora o porque a Azul está fazendo isso, aí não entendo.

Como não ter lucro em vôos que você pode cobrar a tarifa que for que vai ter gente, porque além de um simples transporte existe a necessidade da rapidez deste transporte.

 

Calma lá... a operação no interior do ESTADO do Amazonas, foi desbravada pela TRIP, a TOTAL não voava Tefé, Tabatinga, Santa Isabel, etc... quando a TOTAL foi comprada pela TRIP, o que foi herdado foi famoso PLU/MAO (via todas cidades que via pela frente) e a malha de MG é claro, onde a TRIP era incipiente.

 

Mas fica uma pergunta, qual a vantagem da compra da TRIP pela Azul? Se podemos citar alguns fatos:

 

- Desativou várias bases em MG, AM, PA.

- Desmontou a malha da TRIP

- Fez de PLU de um HUB para um mero aeroporto para ir a VCP/GRU

- Devolveu mais de 40 aviões não? 9 E175 + 13 ATR72-500 + 9 ATR42-500 + 10 ATR42-300.

- Herdou processos trabalhistas e dívidas

- Pagou multas por rompimento de contrato (revista de bordo, serviço de bordo da TRIP que tinha acabado de ser lançado)

 

Até o material humano em nível de diretoria e gerência, praticamente não sobrou ninguém! Se tem gente que ficou em boa posição na Azul ou era ex-VARIG (na Manutenção principalmente) ou foi gente que foi realocada em outras posições e por enquanto estão se mantendo. Houve casos em aeroportos onde sairam TODOS, do auxiliar de bagagem ao gerente de aeroporto. Recentemente Marcelo Brandão, cabeça do PEX que fez o atendimento da TRIP valer alguma coisa, saiu da empresa também... sem falar na turma do PB... se alguem pegar o ultimo organograma da TRIP e procurar os nomes dentro do da Azul, eu duvido que achem 10 pessoas.

 

Enfim, qual foi a vantagem? Herdar slots em CNF, SDU, GRU, PLU e meia dúzia de ATR600 e uns E190 despadronizados do padrão Azul? o hangar em PLU já recebeu ameaça velada do presidente que se os funcionários reclamarem sobre salários é mais barato fechar o hangar e levar tudo para a TAP POA/GIG. Outras vantagens como isenções de ICMS poderiam ser conquistadas sem as compras

 

Há quem diga que o Governo PRESSIONOU a fusão pois uma das duas quebraria... mas jamais saberemos como teria sido essa história de forma diferente.

Link to comment
Share on other sites

Ex-Trip sempre olha a fusão como ruim quando na verdade a sinergia entre as duas tornou a empresa relevante no mercado; separadas ambas entrariam em competição ferrenha com a chegada de ATRs da encomenda da Azul...sofreriam as duas e TAM e GOL continuariam na liderança sem maiores ameaças.

Ganhar slots em todos os aeroportos citados foi relevante sim, incomodou e muito a concorrencia quando a Azul retirou de GRU 15-20 voos de ATR 42 e 72 e os transformou em 51 (tods de jato excessao a PLU) para destinos nacionais em menos de 2 anos, ficou maior que a TAM no SDU em numero de slots, tornou o HUB de CNF algo muito forte. Eu duvido da história de pressão governamental e acredito que a fusão foi boa. (Tirando as demissoes)

Sobre os ATR 500 a idéia e a padronização somado ao fato de ser uma frota mais antiga e logovmais problematica.

Sobre os ATR menores, na Trip eram um excelente negócio pois era uma outra realidade de dolar e custos, somando ainda o custo da Empresa em opera-los por ser maior (Observem,que empresa tem deste wide a um ATR sendo operado pela empresa mãe?) O custo empresa torna os aviões menores mais caros,por isso regionais como a antiga Trip e as atuais MAP,Sete se beneficiam deles pois a estrutura de custo tende a ser menor.

Link to comment
Share on other sites

Eu obviamente preferia Azul e Trip operando separadamente.

 

Mas o fato é que a Trip estava mal das pernas, senão fosse a Azul seria a Tam que não duvido nada que só usaria os slots dos grandes aeroportos e acabava com o resto como fez com a Pantanal (parece absurdo, mas em se tratando de planejamento da Tam, não duvido nada).

 

E não tínhamos outra possibilidade, pois quando os americanos tentaram investir na TRIP, ficaram restritos a participação de 20%. Ou seja sobrou para Azul e Tam mesmo.

 

Se a Trip estivesse sozinha até hoje, a situação estaria critica com a concorrência da Azul. Ou sejá, senão pode com seu inimigo, junte-se a ele.

 

Na historia, o que a Azul mais ganhou foi musculatura em GRU (uma operação e terminal quase independente em GRU), e aumentou participação em SDU e CNF.

Link to comment
Share on other sites

Devolveu isso tudo já? Segundo o Air Fleets a AD ainda tem em sua frota 03 E175, 08 ATR42 e 15 ATR72-500.

 

Ela tá com 12 - 72-500, 10 voando, 6 - 42-500, 4 voando e 12 E-190 todos voando... Os E-175 não estão na malha mais.

Link to comment
Share on other sites

 

Calma lá... a operação no interior do ESTADO do Amazonas, foi desbravada pela TRIP, a TOTAL não voava Tefé, Tabatinga, Santa Isabel, etc... quando a TOTAL foi comprada pela TRIP, o que foi herdado foi famoso PLU/MAO (via todas cidades que via pela frente) e a malha de MG é claro, onde a TRIP era incipiente.

 

Mas fica uma pergunta, qual a vantagem da compra da TRIP pela Azul? Se podemos citar alguns fatos:

 

- Desativou várias bases em MG, AM, PA.

- Desmontou a malha da TRIP

- Fez de PLU de um HUB para um mero aeroporto para ir a VCP/GRU

- Devolveu mais de 40 aviões não? 9 E175 + 13 ATR72-500 + 9 ATR42-500 + 10 ATR42-300.

- Herdou processos trabalhistas e dívidas

- Pagou multas por rompimento de contrato (revista de bordo, serviço de bordo da TRIP que tinha acabado de ser lançado)

 

Até o material humano em nível de diretoria e gerência, praticamente não sobrou ninguém! Se tem gente que ficou em boa posição na Azul ou era ex-VARIG (na Manutenção principalmente) ou foi gente que foi realocada em outras posições e por enquanto estão se mantendo. Houve casos em aeroportos onde sairam TODOS, do auxiliar de bagagem ao gerente de aeroporto. Recentemente Marcelo Brandão, cabeça do PEX que fez o atendimento da TRIP valer alguma coisa, saiu da empresa também... sem falar na turma do PB... se alguem pegar o ultimo organograma da TRIP e procurar os nomes dentro do da Azul, eu duvido que achem 10 pessoas.

 

Enfim, qual foi a vantagem? Herdar slots em CNF, SDU, GRU, PLU e meia dúzia de ATR600 e uns E190 despadronizados do padrão Azul? o hangar em PLU já recebeu ameaça velada do presidente que se os funcionários reclamarem sobre salários é mais barato fechar o hangar e levar tudo para a TAP POA/GIG. Outras vantagens como isenções de ICMS poderiam ser conquistadas sem as compras

 

Há quem diga que o Governo PRESSIONOU a fusão pois uma das duas quebraria... mas jamais saberemos como teria sido essa história de forma diferente.

Eu ia responder... Mas o colega falou primeiro, o que o GB afirmou em palestra recente:

 

Palavras do Panda: "A fusão com a Trip foi boa pra Azul porque a TAM não levou."

 

Por ai, e cada vez mais usando esse Tapatalk

Link to comment
Share on other sites

Devolveu isso tudo já? Segundo o Air Fleets a AD ainda tem em sua frota 03 E175, 08 ATR42 e 15 ATR72-500.

 

Então, os E175 estão encostados e não voam, dos ATR42-500 pararam já TTK, TKG, TKH, parados e devolvidos, o resto está marcado para ir pra rua... dos 72-500 PTL, PTM que eu saiba já entraram em processo de devolução... e assim será feito com todos demais, na verdade eu englobei tudo que a Azul descartará que é da trip.

 

Eu obviamente preferia Azul e Trip operando separadamente.

 

Mas o fato é que a Trip estava mal das pernas, senão fosse a Azul seria a Tam que não duvido nada que só usaria os slots dos grandes aeroportos e acabava com o resto como fez com a Pantanal (parece absurdo, mas em se tratando de planejamento da Tam, não duvido nada).

 

E não tínhamos outra possibilidade, pois quando os americanos tentaram investir na TRIP, ficaram restritos a participação de 20%. Ou seja sobrou para Azul e Tam mesmo.

 

Se a Trip estivesse sozinha até hoje, a situação estaria critica com a concorrência da Azul. Ou sejá, senão pode com seu inimigo, junte-se a ele.

 

Na historia, o que a Azul mais ganhou foi musculatura em GRU (uma operação e terminal quase independente em GRU), e aumentou participação em SDU e CNF.

 

A TAM iria comprar 31% apenas, não passaria disso, a Trip estava num cenário negativo e para isso iria implementar algumas ações (as quais não posso dizer aqui) que daria uma melhora significativa, o PB estava desenhando várias coisas quando todos foram surpreendidos com o Zezinho vendendo a empresa.

Link to comment
Share on other sites

 

Então, os E175 estão encostados e não voam, dos ATR42-500 pararam já TTK, TKG, TKH, parados e devolvidos, o resto está marcado para ir pra rua... dos 72-500 PTL, PTM que eu saiba já entraram em processo de devolução... e assim será feito com todos demais, na verdade eu englobei tudo que a Azul descartará que é da trip.

 

 

A TAM iria comprar 31% apenas, não passaria disso, a Trip estava num cenário negativo e para isso iria implementar algumas ações (as quais não posso dizer aqui) que daria uma melhora significativa, o PB estava desenhando várias coisas quando todos foram surpreendidos com o Zezinho vendendo a empresa.

Pois é...pelo visto esqueceram de avisar o "Zezinho" desse planejamento.

 

Enfim, vida longa as 5 maiores empresas no Brasil e que elas sao se comam mais entre si.

 

Se for para alguem comprar, que seja investimento de fora.

Link to comment
Share on other sites

Pois é...pelo visto esqueceram de avisar o "Zezinho" desse planejamento.

 

Enfim, vida longa as 5 maiores empresas no Brasil e que elas sao se comam mais entre si.

 

Se for para alguem comprar, que seja investimento de fora.

 

Sempre haverá compra, sempre haverá dono vendendo sem sequer avisar os VP da empresa, sempre haverá quebra, é o mundo dos negócios!

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade