Jump to content

Efromovich pujaría en venta de aerolínea TAP


leelatim

Recommended Posts

Efromovich pujaría en venta de aerolínea TAP

 

La empresa cuenta con una plantilla de 5.000 personas y una flota de 77 aviones.

 

Por: ECONOMÍA Y NEGOCIOS | 9:46 p.m. | 13 de abril de 2015 TAP transportó en el 2014 a unos 11,4 millones de pasajeros a 88 destinos.

Foto: Archivo / EL TIEMPO

TAP transportó en el 2014 a unos 11,4 millones de pasajeros a 88 destinos.

El empresario brasileño Germán Efromovich, dueño a través del Grupo Synergy de Avianca y otras aerolíneas, es uno de los candidatos a quedarse con la compañía TAP, que será privatizada en mayo por la estatal portuguesa Parpública.

 

Efromovich, que también tiene las nacionalidades colombianas y polaca, se disputaría el control de TAP con David Neeleman, propietario de la compañía Azul, y la empresa Gol, de Brasil, y que igualmente son consideradas favoritas en la privatización, cuyo valor se estima en unos 1.200 millones de euros.

 

El diario ´Expresso´, de Portugal, dice que la valoración de TAP arroja 1.200 millones de euros, por lo que la ganancia para el Estado con la venta, sería cero pues tiene deudas y compromisos por ese valor.

 

Con base de datos recogidos entre dos de los interesados, el diario agrega que este año la aerolínea tendría un flujo de caja operativo de 250 millones de euros, al cual si le suma un múltiplo -valor en el mercado por encima sobre el cual se pagan empresas similares, que está entre 4 y 5 veces- de 4,8 y la prima de control arroja dicho avalúo.

 

El grupo TAP, que incluye la aerolínea, una unidad de manutención e ingeniería de Brasil y una firma de gestión de carga y equipajes, registró pérdidas en 2014 de 85,1 millones de euros, casi 80 millones más que en 2013.

 

Según la agencia Efe, en un informe divulgado el fin de semana, la planta brasileña, una de las unidades responsables por las pérdidas crónicas del grupo TAP, redujo, no obstante, los números rojos en un 45 por ciento, tras un plan de reestructuración.

 

En total, la deuda del conglomerado portugués se situó estable respecto al 2013, en 1.060 millones de euros, pero requiere otras coberturas.

 

Sin embargo, tras la privatización el Estado mantendrá una opción de 34 por ciento de la aerolínea que podrá enajenar durante los dos años siguientes, en tanto que los trabajadores podrán comprar el 5 por ciento.

 

Entonces, la participación de TAP que pasaría al sector privado sería 61 por ciento y el comprador pagaría 732 millones de euros por controlarla.

 

Otros candidatos para quedarse con la aerolínea son la española Air Europa (a través de su matriz Globalia) y el empresario portugués Miguel Pais do Amaral.

 

En anteriores procesos, el último en 2012, hubo varios inversionistas que accedieron al cuarto de datos de la empresa, pero al final solo surgió la de Synergy.

 

"No fue posible asegurar los medios financieros que garantizarían el aumento de la capital y la refinanciación de la empresa, y por tanto permitir así confirmar el éxito de la operación", explicó la entonces secretaria de Estado del Tesoro, María Albuquerque, para justificar el aplazamiento de la privatización.

 

Aunque las normas de la Unión Europea impiden que compañías aéreas no miembros posean más del 49 por ciento de la empresa lusa, Azul y Gol resolverían el problema con un socio comunitario que participe en la puja, mientras que Efromovich no tendría inconvenientes.

 

TAP transportó en el 2014 a unos 11,4 millones de pasajeros a 88 destinos en África, Europa y América. En julio del año anterior inauguró el vuelo directo Lisboa-Bogotá.

 

La aerolínea, que opera desde 1945, cuenta con una plantilla de 5.000 personas y una flota de 77 aviones.

Link to comment
Share on other sites

TAP "desesperada" afasta comprador

 

Situação financeira difícil leva dono da Avianca a recuar. A situação financeira "desesperada" da TAP, para a qual alertou João Cantiga Esteves, presidente da comissão de privatização da transportadora aérea, afastou Germán Efromovich, dono da colombiana Avianca, que exprimiu o desejo de adquirir 66% do capital da companhia, avança esta quarta-feira o site colombiano Reportur.co. A Avianca confirmou, por meio do diretor, Fabio Villegas Ramírez, que nem a companhia, nem nenhuma das suas subsidiárias, estão interessadas na compra da Transportadora Aérea Portuguesa.

 

A empresa que vier a comprar a TAP deverá desembolsar cerca de 1.200 milhões de euros, o valor estipulado pela companhia, que conta com uma frota de 77 aviões e cerca de cinco mil funcionários. Air Europa também recusa Também a Air Europa, companhia aérea detida pelo grupo espanhol Globalia, desistiu de comprar a TAP, devido à elevada dívida da transportadora portuguesa e à impossibilidade de geri-la com "critérios privados". A dívida do Grupo TAP, que inclui a companhia aérea, uma unidade de manutenção e engenharia no Brasil e uma empresa de gestão de carga e bagagens, atingiu os 1.060 milhões de euros em 2014, um valor estável em relação ao ano anterior. O presidente da Globalia, Juan José Hidalgo, citado esta quarta-feira pela agência espanhola Efe, disse que o grupo "desistiu" da ideia de adquirir a TAP, acrescentando o motivo: "Não se pode comprar uma empresa com tanto endividamento que não se possa sanear".

 

Com a saída do colombiano-polaco Efromovich e do espanhol Hidalgo da lista de interesados na compra da TAP, figuram ainda David Neeleman, dono da companhia Azul e da empresa brasileira Gol, Miguel Pais do Amaral e ainda três gestoras de fundos de capital privado, como a norte-americana Apollo Global Management. Não deixe de nos seguir no Facebook. TAGS TAPEfromovichcompraAviancaColômbia COMENTÁRIOS 9 PARTILHAR 1614 TWEET 0 ENVIAR IMPRIMIR

 

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/economia/detalhe/efromovich_desiste_da_tap.html

Link to comment
Share on other sites

Acho engraçado que adoram falar que Azul e Gol ainda seguem na disputa pela compra, mesmo depois de todos terem desistido.....queria entender onde alguém , digo dos empresários destas empresas, falou que querem a TAP, a Gol como sabemos, está se recuperando de uma crise e ainda está longe de chegar ao lucro, imagine então comprar uma empresa tão problemática sem ter a casa em ordem, já a Azul, com seu aliado , o BNDES em crise, não terá como arcar uma compra destas se sequer consegue emitir ações por não ter como apresentar um plano " lucrativo" para seus acionistas, de onde compraria a complicada TAP?

Link to comment
Share on other sites

se os portugueses fossem espertos venderiam para o Lap Chan ou á esses outros estrangeiros ou a esse pessoal miguel pais e barros que não sei qual é a area deles, lembram o caso varig? na época o F Pinto estava lá teve uma parcela de culpa da FRB, mas a historia era outra era outro tempo, mas disseram que Frank Lorenzo da United estava de olho na TP alguém sabe? fora investidores o Frank lorenzo até esses tempos estava de olho nela e por acaso se a TAP quebrar quais empresas em portugal sobram? o caso TP parece com algum no brasil que vivemos ou já vivemos?vasp,transbrasil,varig enfim temo que esse video abaixo será a TAP no futuro já que os portugueses morrem de amores por ela

 

 

Link to comment
Share on other sites

Pode preparar o caixão...

Agora vi que dessa UTI que se encontra a TAP ela esta cada vez mas com o pé na cova, eu vi um comentário de um português criticando o governo de lá mesmo falando do governo ter deixado 2 bancos públicos de Portugal quebrar e o povo português paga a conta até hoje.

Link to comment
Share on other sites

É aquela velha estória que sempre falávamos, de tanto esnobar os pretendentes, a TAP ficará sozinha no altar.

 

Exato! A Air Europa já disse em alto e bom tom que não quer mais nem de graça! :nao:

Link to comment
Share on other sites

Acho que a Iberia e a Air Europa, bem como a Ryanair vão invadir Portugal se a TAP quebrar, daqui para a Europa,vai ser a oportunidade da Latam e Azul de entrar nesse mercado, afinal, hj 50% do faturamento da TAP vem dos voos oriundos do Brasil

Link to comment
Share on other sites

ECONOMIA

 

TAP. Globalia de fora, Avianca salta, Efromovich continua dentro

 

15.04.20150

 

FOTO NUNO FOX

A Avianca, controlada por Germán Efromovich, voltou a dizer que não está interessada na TAP. Mas Efromovich ele próprio continua interessado... sem certezas, porém, de que entregará uma proposta. A Globalia formalizou hoje que não vai concorrer, como o Expresso já noticiara.

 

MARGARIDA FIÚZA

A Avianca não vai avançar com uma proposta para ficar com a TAP, noticiou hoje o site colombiano Reportur.co. Fabio Villegas Ramírez, diretor da companhia aérea, garante que nem a companhia, nem nenhuma das suas subsidiárias, estão interessadas na compra da TAP.

 

 

 

O discurso não é novo e já em março a companhia dizia o mesmo: "Nós tínhamos interesse lá atrás, mas hoje a empresa é outra e não temos interesse", afirmou na altura José Efromovich, irmão de Germán e presidente da Avianca. Também no anterior processo, três meses antes de entregar aquela que acabou por ser a única proposta para comprar a TAP, a Avianca anunciou estar fora da corrida à privatização da TAP.

 

Ao mesmo tempo, porém, Germán Efromovich, dono do grupo Synergy (que detém a Avianca), manteve-se interessado e a trabalhar numa eventual proposta.

 

Fonte próxima do empresário nega que a decisão de não avançar esteja tomada. Em declarações ao Expresso, admite, porém, que o "entusiasmo está a diminuir", porque há uma dívida "significativa" que deverá vencer no verão, já depois da decisão do Governo (adjudicação) mas ainda antes de o comprador tomar posse. "Isso e as questões sociais (ameaça de greve por parte dos pilotos) estão a causar grande desconforto, havendo neste momento mais dúvidas do que certezas", afirma.

 

A decisão final de Efromovich, se avança ou não avança com proposta, deverá ser tomada muito em cima do dia 15 de maio (data limite para a entrega de propostas).

 

A negação da Avianca, de resto, é semelhante à da Azul, também cotada em Bolsa e que tem estado em mãos com um processo de oferta pública inicial (IPO). A companhia aérea brasileira tem consecutivamente negado o interesse em participar na privatização da TAP e, também neste caso, é o próprio acionista (David Neeleman) que está a olhar para o processo.

 

Globalia desiste

 

Para já, apenas os espanhóis da Globalia, donos da companhia Air Europa, desistiram oficialmente de entrar na corrida pela compra da TAP. Em declarações à imprensa espanhola, Juan José Hidalgo, presidente do grupo, justificou a decisão com o elevado endividamento da transportadora aérea portuguesa.

A Air Europa chegou a mostrar vontade em entrar na corrida, mas conforme o Expresso noticiara em março, não assinou o acordo de confidencialidade para obter mais informações sobre o processo de privatização.

Link to comment
Share on other sites

Efromovich mantém-se na corrida pela TAP

Está em Lisboa para negociar, SIC

 

Presstur 07-05-2015 (13h48)German Efromovich, que em 2012 foi o único candidato à privatização da TAP, ‘mostrou’ que se mantém na corrida à privatização da companhia portuguesa, desembarcando em Lisboa para negociações com o Governo português, segundo noticia hoje a SIC, avançando que esta tarde deverá reunir-se com o secretário de Estado dos Transportes.

A notícia avança que Efromovich, porém, ainda avalia se apresentará ou não nova proposta de compra da TAP e refere que “recentemente” o ‘patrão’ do Synergy Group, sediado no Rio de Janeiro e cujo o principal activo na aviação é o grupo Avianca, tinha ‘reclamado’ da exigência do caderno de encargos da privatização de não poder despedir, acrescentando que é limitadora “de uma proposta aliciante”.

Fontes do mercado disseram ao PressTUR que ao contrário da sua primeira tentativa de compra da TAP, que se gorou por o Governo português ter considerado que não respeitou as garantias previstas no caderno de encargos, German Efromovich, em lugar de uma assessoria mediática apostou numa estratégia de lobby com um conhecido comentador de televisão.

A notícia da SIC diz que o ‘patrão’ do Synergy Group vai permanecer em Lisboa até Sábado para encontros não só com o Governo como, também, com responsáveis da TAP.

 

 

http://presstur.com/site/news.asp?news=50581

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Já já terá o mesmo fim da Varig.......

 

Uma pena e ao mesmo uma oportunidade para LATAM, Azul......

 

O mercado Brasil Portugal é uma mina de ouro !!!!

Realmente tem um pessoal que vai para Portugal visitar o país, mas a TAP tem um grande número de pax que usam a cia. para conectar-se com o resto da Europa...

Link to comment
Share on other sites

Efromovich mantém-se na corrida pela TAP

Está em Lisboa para negociar, SIC

 

Presstur 07-05-2015 (13h48)German Efromovich, que em 2012 foi o único candidato à privatização da TAP, ‘mostrou’ que se mantém na corrida à privatização da companhia portuguesa, desembarcando em Lisboa para negociações com o Governo português, segundo noticia hoje a SIC, avançando que esta tarde deverá reunir-se com o secretário de Estado dos Transportes.

A notícia avança que Efromovich, porém, ainda avalia se apresentará ou não nova proposta de compra da TAP e refere que “recentemente” o ‘patrão’ do Synergy Group, sediado no Rio de Janeiro e cujo o principal activo na aviação é o grupo Avianca, tinha ‘reclamado’ da exigência do caderno de encargos da privatização de não poder despedir, acrescentando que é limitadora “de uma proposta aliciante”.

Fontes do mercado disseram ao PressTUR que ao contrário da sua primeira tentativa de compra da TAP, que se gorou por o Governo português ter considerado que não respeitou as garantias previstas no caderno de encargos, German Efromovich, em lugar de uma assessoria mediática apostou numa estratégia de lobby com um conhecido comentador de televisão.

A notícia da SIC diz que o ‘patrão’ do Synergy Group vai permanecer em Lisboa até Sábado para encontros não só com o Governo como, também, com responsáveis da TAP.

 

 

http://presstur.com/site/news.asp?news=50581

 

 

 

Não entendo essas noticias primeiro a avianca e Efromovich nega comprar ela depois vem uma noticia dessa que ele desembarcou em portugal para comprar la??

Link to comment
Share on other sites

Não entendo essas noticias primeiro a avianca e Efromovich nega comprar ela depois vem uma noticia dessa que ele desembarcou em portugal para comprar la??

A Avianca não quer comprar e sim o German Efromovich. A AVA teria restrições por ser uma empresa fora da UE e não é prioridade dela fazer tal investimento. Com o GE e sua cidadania polonesa, ele pode adquirir 100% da empresa, sanear e depois integrar informalmente com a Avianca.

Link to comment
Share on other sites

Sabe que esse ano, há uns dois ou três meses o tópico das aeronaves da Avianca começou a ter um burburinho sobre a chegada dos A330 e depois desapareceu novamente, ficou para depois, atrasaram, postergaram, sei lá. Lembro que pensei se o GE não poderia estar se preparando novamente para tentar comprar a TAP.

 

A TAP com a Avianca Brasil se complementariam, vocês não acham? Mas a lutar contra tem todo esse imbróglio dos sindicatos, as dívidas da TAP, o receio do mercado nacional....

Link to comment
Share on other sites

Meu, os portugueses também não dão o braço a torcer. O novo dono deveria ter liberdade total para fazer o que fosse necessário, mantendo como unicas exigências a manutenção da marca e hub de Lisboa. A curto prazo poderiam ocorrer demissões em massa, porém a longo prazo e com a empresa saneada e crescendo, os ganhos seriam bem maiores...

Link to comment
Share on other sites

A Avianca não quer comprar e sim o German Efromovich. A AVA teria restrições por ser uma empresa fora da UE e não é prioridade dela fazer tal investimento. Com o GE e sua cidadania polonesa, ele pode adquirir 100% da empresa, sanear e depois integrar informalmente com a Avianca.

Entendi agora

Link to comment
Share on other sites

Sabe que esse ano, há uns dois ou três meses o tópico das aeronaves da Avianca começou a ter um burburinho sobre a chegada dos A330 e depois desapareceu novamente, ficou para depois, atrasaram, postergaram, sei lá. Lembro que pensei se o GE não poderia estar se preparando novamente para tentar comprar a TAP.

 

A TAP com a Avianca Brasil se complementariam, vocês não acham? Mas a lutar contra tem todo esse imbróglio dos sindicatos, as dívidas da TAP, o receio do mercado nacional....

A ONE e TAP se complementam, e muito.

 

Mas sobre o A330. Apenas um devaneio, as diversas postergações de A330 pax para a ONE será por que não estão esperando o resultado de quem vai comprar a TAP? A TAP precisa mais de widebodies que a ONE e, através da Synergy, o GE pode realocar os A330 novos e os ociosos da AVA/TAI na TP, aliviando a malha e diminuindo o custo dos leasings.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade