Jump to content

TAM tem prejuízo de USD14,978 milhões no 1º Trimestre de 2015


Leirbag

Recommended Posts

15/05/2015 às 10h31

 

TAM deixa lucro pra prejuízo de US$14,978 milhões no 1º trimestre

 

SÃO PAULO - A TAM registrou um prejuízo líquido de US$14,978 milhões no primeiro trimestre deste ano ante um lucro líquido de US$28,094 em igual período do ano passado, conforme balanço publicado pela Latam, controladora da aérea brasileira e da chilena LAN, na SEC, a comissão de valores mobiliários dos Estados Unidos.

 

Consta do documento que a TAM teve, entre janeiro e março de 2015, receita de US$1,332 bilhão, queda de 19,9%% ante um ano antes.

 

Ainda conforme o balanço da Latam arquivado na SEC, a TAM S.A e sua subsidiárias somavam em 31 de Março ativos de US$6,011 bilhões, passivos de US$5,182 bilhões US$749,694 milhões de patrimônio. Um ano antes, esses itens estavam, respectivamente, em US$6,817 bilhões, US$5,809 bilhões e US$912,634 milhões.

 

Esses números integram o balanço da Latam na demonstração das posições financeiras e o patrimônio líquido reportado correspondente ao capital próprio atribuível aos acionistas da controladora, não incluindo juros de não controladores.

 

A Latam informe que, em 2014, a controladora fez um aporte de US$250 milhões na TAM.

 

No primeiro trimestre de 2015, a TAM teve receita com passageiros de no valor de US$1,214 bilhão, 18% a menos que um ano antes. No mesmo período, a receita da LAN com passageiros cedeu 3,9% a US$1,128 bilhão.

 

No total, a Latam teve US$2,693 bilhões em receitas com passageiros, queda de 12,9% ante um ano antes.

 

Separando as receitas por região geográfica, a Latam teve entre janeiro e março deste ano no Brasil uma fatia de 39,6% do faturamento recorrente, ante 41,4% um ano antes.

 

Fonte: http://www.valor.com.br/empresas/4051436/tam-deixa-lucro-para-prejuizo-de-us-14978-milhoes-no-1

Link to comment
Share on other sites

Preocupante essa queda na receita da TAM de quase 20%.

 

Provavelmente sinal do preço lá embaixo no mercado internacional.

Link to comment
Share on other sites

Sem câmbio, TAM lucraria de R$ 40 milhões a R$ 50 milhões no trimestre

 

SÃO PAULO - A TAM teria encerrado o primeiro trimestre deste ano com um lucro líquido entre R$ 40 milhões e R$ 50 milhões não fosse pelas perdas contábeis provocadas pela desvalorização do real ante o dólar, disse ao Valor o vice-presidente de finanças e gestão da companhia, Daniel Levy.

 

“O grande vilão foi mesmo o dólar. Tivemos a infelicidade de começar o ano com o dólar a R$ 2,65 e encerrar o trimestre a quase R$ 3,20. Isso provocou uma perda sem efeito caixa de R$ 587,2 milhões”, afirmou o executivo. “Excluindo a variação cambial, haveria um lucro líquido bastante sólido.”

 

A Latam registrou entre janeiro e março um prejuízo líquido de US$ 40 milhões (ou R$ 114,7 milhões), comparado a um prejuízo líquido de US$ 41 milhões (R$ 118,6 milhões) um ano antes.

 

Essas perdas foram infladas pela variação cambial de US$ 205 milhões, sem efeito caixa, reconhecida principalmente pela TAM em função da desvalorização de 20% do real no trimestre.

 

Já a TAM registrou um prejuízo líquido de US$ 14,978 milhões no primeiro trimestre deste ano ante um lucro líquido de US$ 28,094 milhões em igual período do ano passado, conforme balanço publicado pela Latam, controladora da aérea brasileira e da chilena LAN, na SEC, a comissão de valores mobiliários dos Estados Unidos.

 

A TAM teve entre janeiro e março de 2015 receita de US$ 1,332 bilhão, queda de 19,9% ante um ano antes.

 

Ainda conforme o balanço da Latam arquivado na SEC, a TAM S.A. e suas subsidiárias somavam em 31 de março ativos de US$ 6,011 bilhões, passivos de US$ 5,182 bilhões e US$ 749,694 milhões de patrimônio. Um ano antes, esses itens estavam respectivamente em US$ 6,817 bilhões, US$ 5,809 bilhões e US$ 912,634 milhões.

 

Fonte: http://www.valor.com.br/empresas/4051750/sem-cambio-tam-lucraria-de-r-40-milhoes-r-50-milhoes-no-trimestre

Link to comment
Share on other sites

Comparando com a Gol, o prejuízo foi bem menor no trimestre. alguem sabe explicar o porque?

 

A TAM sofre muito menos com a variação cambial que a GOL. Basicamente por dois motivos:

 

- Receita em dólar significativamente maior que a GOL

- Boa parte dos custos em dólar da empresa foram transferidos pra holding no Chile

Link to comment
Share on other sites

Apesar da Tam ter sofrido menos com o câmbio mesmo assim é preocupante observar que houve queda de quase 20% no faturamento, mesmo assim a holding como um todo dobrou o lucro operacional, ações em NY já com mais de 8% de alta no fim do dia

Link to comment
Share on other sites

Complementando o que postei acima, observem como a TAM tem bem menos exposição à variação cambial que a GOL e a tendência é ficar cada vez menos suscetível a isso com a transferência de custos em dólar para a holding.

 

Exposição da Latam ao real é de US$600 milhões

 

SÃO PAULO - A exposição da Latam à variação do real no balanço da brasileira TAM encerrou o trimestre na casa dos US$600 milhões, ante uma exposição de US$4 bilhões no ano de fusão, em 2012, disse a diretora financeira de relações com investidores, Gisela Escobar.

 

Segundo a executiva, essa exposição seguirá caindo até US$300 milhões até o fim do ano.

 

A Latam, dona da TAM e da LAN, registrou um prejuízo líquido de US$40 milhões no primeiro trimestre, comparado a um prejuízo de US$41 milhões um ano antes. As perdas não operacionais incluem um prejuízo com variação cambial de US$205 milhões (R$587,2 milhões), sem efeito caixa, reconhecimento principalmente pela TAM em função da desvalorização de 20% do real no trimestre.

 

Por isso, a companhia vem buscando mitigar a perda cambial por meio da redução consistente da exposição do balanço patrimonial da TAM ao real.

 

Fonte: http://www.valor.com.br/empresas/4051682/exposicao-da-latam-ao-real-e-de-us-600-milhoes

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade