Jump to content

De Fortaleza para Dubai ou Abu Dhabi


EdilsonCarlos

Recommended Posts

EMIRATES


FORTALEZA-DUBAI


O secretário Elpídio Nogueira está negociando a instalação de uma rota aérea entre Fortaleza-Dubai ou Fortaleza-Abu Dhabi. No próximo dia dois de junho haverá uma reunião com representantes da Emirates e o escritório Balhmann, que ajuda na negociação. Fortaleza analisa a possibilidade de oferecer à Emirates isenção fiscal e redução dos preços dos combustíveis. Outra vantagem para a Emirates: o tempo de vôo para o Brasil seria reduzido em duas horas, gerando uma economia de combustível de 33%.

http://www.opovo.com.br/app/colunas/opovoeconomia/2015/05/19/notopovoeconomia,3440111/prefeitura-avalia-projeto-com-tuneis-para-praca-portugal.shtml


opinem...

Link to comment
Share on other sites

(B0495/2015)

PERÍODO: 03/06/15 09:30 A 12/06/15 13:30 JUN 03 04 06 07 08 09 10 11 0930-1430 JUN 05 12 0930-1330

DIST DECLARADAS RWY 13/31 MODIFICADAS PARA

 

TORA TODA ASDA LDA

RWY 13 1800M 1800M 1800M 1800M

RWY 31 1800M 1800M 1800M 1800M

)

 

Sem mais!

Link to comment
Share on other sites

Porque não vai atrás de IB, AV, AR...

 

Se ele acha que essas empresas se atraem por economia de tempo ou combustível está tremendamente enganado.

 

Ambas ficam em um país onde o combustível é praticamente grátis e essas empresas têm muitos destinos com vôos de mais de 12h de viagem.

 

É querer vender areia no Saara.

Link to comment
Share on other sites

Como voo sozinho de fato: acho que não se sustentaria mas como escala de um voo para LIM ou BOG, por exemplo, não acho a idéia ruim desde que, é claro, haja 5a liberdade de FOR para LIM/BOG.

Link to comment
Share on other sites

Bom, ele está fazendo o trabalho dele: buscar investimentos. Mas por falta de conhecimento ou estudos governamentais, ele pagará mico.

 

Como voo sozinho de fato: acho que não se sustentaria mas como escala de um voo para LIM ou BOG, por exemplo, não acho a idéia ruim desde que, é claro, haja 5a liberdade de FOR para LIM/BOG.

Mesmo com quinta liberdade não voariam. As empresas prefeririam fazer XXX-BOG-LIM ou XXX-BSB-LIM.

Link to comment
Share on other sites

Bom, ele está fazendo o trabalho dele: buscar investimentos. Mas por falta de conhecimento ou estudos governamentais, ele pagará mico.

 

Mesmo com quinta liberdade não voariam. As empresas prefeririam fazer XXX-BOG-LIM ou XXX-BSB-LIM.

 

Acho que tudo depende do tamanho do pacote. Certamente o O&D de BSB é maior e as conexões melhores mas se FOR oferecer um custo mais baixo pode compensar. E LIM-FOR-DXB teria pouco desvio assim como SCL-BSB-DXB, por exemplo.

 

Eu não acho que FOR-DXB saia, só não acho um desparate completo desde que associado a outro destino mais forte.

Link to comment
Share on other sites

Ambas ficam em um país onde o combustível é praticamente grátis e essas empresas têm muitos destinos com vôos de mais de 12h de viagem.

 

http://centreforaviation.com/analysis/unit-cost-analysis-of-emirates-iag--virgin-about-learning-from-a-new-model-not-unpicking-it-147262

 

Fuel. Emirates has a 16% fuel cost per ATK advantage versus the average of IAG and Virgin. Contrary to what some observers still claim, this does not reflect any clandestine price discount provided to Emirates arising from its domicile in an oil-rich region (a claim that conveniently ignores the fact that the emirate of Dubai is actually not an oil producer).

In fact, a simple calculation involving the division of annual fuel costs by volume of jet fuel consumed (taking figures from the respective annual reports) shows that Emirates paid USD1,064 per tonne for fuel and IAG paid USD1,060 per tonne in FY2012-2013. Emirates’ advantage in fuel cost per ATK comes from the greater fuel efficiency of its fleet, which have a larger number of seats and modern engines.

 

Combustível. A Emirates tem uma vantagem de 16% no custo do combustível por ATK [Available Tonne Kilometer, Quilômetro-Tonelada Disponível] em relação à média da IAG e Virgin. Ao contrário do que alguns observadores ainda alegam, isso não reflete nenhum desconto clandestino oferecido à Emirates devido ao seu domicílio numa região rica em petróleo (uma alegação que convenientemente ignora o fato que o emirado de Dubai na verdade não é um produtor de petróleo).

 

De fato, um cálculo simples envolvendo a divisão do custo anual de combustíveis pelo volume de combustível de jato consumido (a partir dos dados dos respectivos relatórios anuais) mostra que a Emirates pagou US$1.064 por tonelada de combustível e a IAG pagou US$1.060 por tonelada no ano fiscal 2012-2013. A vantagem da Emirates no custo de combustível por ATK tem origem na maior eficiência da sua frota, que tem um maior número de assentos e motores modernos.

 

Link to comment
Share on other sites

esse é o jeito errado de justificar a presença de um "emissário" governamental em outro país..

 

mas nem me surpreende.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade