Jump to content

Homem é preso ao atirar em drone de US$ 1,8 mil que voava sobre sua casa


jambock

Recommended Posts

Meus prezados

Homem é preso ao atirar em drone de US$ 1,8 mil que voava sobre sua casa

"Eles podem estar olhando as garotas, olhando coisas para roubar", disse. Homem planeja processar donos do drone por invasão de privacidade.

Um norte-americano foi preso após derrubar a tiros de espingarda um drone de US$ 1,8 mil que sobrevoava sua casa. O caso aconteceu na tarde de domingo (26) em Louisville, no Kentucky (EUA).

William Merideth, de 47 anos, ficou incomodado quando um veículo aéreo não tripulado (vant) de seis hélices começou a voar sobre a sua casa e a de seu vizinho, dando rasantes sobre os telhados, ele afirmou ao canal de TV "WDRB".

Segundo Merideth, a máquina voava a 3 metros do solo em seu quintal.

"Eu fui para dentro, peguei minha espingarda e disse: "Não vou fazer nada a não ser que ele esteja diretamente sobre minha propriedade", disse.

"Depois de coisa de um minuto, ele veio. Estava pairando sobre o teto da minha propriedade, e eu o derrubei do céu. Eu não atirei em uma rodovia, eu não atirei contra as cercas dos meus vizinhos, eu atirei diretamente para o céu", disse.

Segundo os donos do drone, ouvidos pela TV, eles estavam tirando fotos da casa de um amigo. Uma vizinha afirmou que o vant também passou pelo seu quintal, onde sua filha de 16 anos estava na piscina tomando sol.

"Eles podem estar olhando as garotas, olhando coisas para roubar, sabe. É uma invasão de privacidade", disse Merideth.

Os responsáveis pelo drone afirmaram que o equipamento custa US$ 1,8 mil.

Eles tentaram argumentar com Merideth, mas foram orientados a se afastar. Caso contrário, outro tiro seria dado. A essa altura, o drone já não estava no ar.

Chamada para resolver o problema, a polícia prendeu Merideth em sua casa e o indiciou por dano em primeiro grau e por expor pessoas a risco injustificado em primeiro grau. O homem foi fichado no mesmo dia e solto na segunda (27).

Fora da cadeia, ele reclamou do tratamento da polícia, que não apreendeu o drone para análise e deixou que o cartão de memória fosse levado pelos donos. Além disso, os agentes não fizeram maiores questionamentos, segundo Merideth.

"Sabe, quando você está na sua propriedade, com uma cerca de 1,8 metro, você tem a expectativa de ter privacidade. Nós não sabemos se ele estava procurando algo para roubar", afirmou.

"Para mim, isso foi o mesmo que invasão. Eu acredito que há regras que precisam ser colocadas em prática e a situação precisa ser tratada da melhor forma, porque todo mundo com quem eu conversei, incluindo a polícia, me disse que eles teriam feito a mesma coisa", afirmou o homem.

Merideth afirmou ainda que planeja processar os donos do drones que, em contrapartida, também deverão entrar com uma ação na Justiça para serem ressarcidos pelos danos.

Fonte: Portal G1 via CECOMSAER 01 AGO 2015

Link to comment
Share on other sites

Ta mais que certo..... têm de descer o dedo no gatilho e levar ao chão.....

Não quero um equipamento bisbilhotando minha familia em sua intimidade......

Caso estivessem com a intencao de tirar foto, filmar uma propriedade para algum fim, bastasse contatar os vizinhos e avisar para não criar problemas....

Link to comment
Share on other sites

Para acertar ao drone certamente estava muito baixo mesmo pois se estivesse alto seria um alvo bastante dificil de acertar.

Link to comment
Share on other sites

Eu acredito que um pedaço do espaço sob a minha casa é minha "propriedade": não que eu seja dono do céu, mas que a minha privacidade seja resguardada. Concordo com o que o camarada fez: deviam ter pedido autorização antes.

Como não tenho espingarda em casa, vou de estilingue (bodoque), pedra, goiaba, cordinha para enroscar na hélice, bambu, etc...

Link to comment
Share on other sites

Faz falta uma regulamentação que se adeque à realidade dos drones. Se fôssemos nos basear nas regras brasileiras sobre o espaço aéreo (para aeronaves tripuladas...), "ninguém poderá opor-se, em razão de direito de propriedade na superfície, ao sobrevoo de aeronave, sempre que este se realize de acordo com as normas vigentes" (Artigo 16 do CBA). Mas pelas normas vigentes, "o voo VFR não será efetuado sobre cidades, povoados, lugares habitados ou sobre grupos de pessoas ao ar livre, em altura inferior a 300 m (1000 pés) acima do mais alto obstáculo existente num raio de 600 m em torno da aeronave" (parágrafo 5.1.2 da ICA 100-12). Inaplicável para os drones...

Link to comment
Share on other sites

Entendo que a questão aí nem é caso de regulamentação de uso de drones e tal. É invasão de privacidade, não importando o meio utilizado.

 

São inúmeros os casos de drones parando em frente a janelas de prédios. Difícil entender como é que se culpa a vítima do ocorrido.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade