Jump to content

Concessionária deverá construir segunda pista no Pinto Martins


jambock

Recommended Posts

Meus prezados

Concessionária deverá construir segunda pista

A construção da segunda pista para pousos e decolagens de aeronaves no Aeroporto Pinto Martins ficará sob a responsabilidade da empresa vencedora da concessão do equipamento segundo o governador Camilo Santana (PT). Ele diz que ocorreram tratativas com os ministros da Defesa (Jaques Wagner) e da Casa Civil (Aloizio Mercadante).
“A pista não vai ser uma exigência imediata, mas em médio e longo prazo. O desenho (projeto) precisa estar definida tecnicamente no plano de concessões do Governo Federal. Quero autorização da cessão da área para ser incorporada pela Infraero”, afirmou. Na última segunda-feira, os secretários do Turismo (Arialdo Pinho) e da Secretaria de Infraestrutura (André Facó) estiveram reunidos com representantes da Aeronáutica para apresentar proposta de projeto que contempla a construção da segunda pista do aeroporto de Fortaleza na Base Aérea. “O Comando recebeu a comitiva do Governo do Ceará, que apresentou proposta para ampliação do aeroporto utilizando área militar. O projeto será analisado”, destacou em nota a Aeronáutica.
Questionado sobre a rentabilidade para o Estado na arrecadação dos equipamentos que podem entrar no pacote de concessões estadual, Camilo diz aguardará a conclusão do estudo. “A partir desse diagnóstico, poderei falar dos ganhos obtidos para o povo cearense”.
Fonte: jornal O POVO (CE) via CECOMSAER 7 AGO 2015

 

Link to comment
Share on other sites

Mais interessante não seria criar taxiways, pátio e terminal?

 

Uma pista bem aproveitada, com eficiência, garantiria movimento pro aeródromo por anos a fio até ser de fato necessária uma 2a pista.

Link to comment
Share on other sites

Rapaz...

 

Eu aposto minhas fichas em FOR pro HUB da Latam. Agora se o HUB for pra outro estado, duvido que essa segunda pista saia...

Link to comment
Share on other sites

Mais interessante não seria criar taxiways, pátio e terminal?

 

Uma pista bem aproveitada, com eficiência, garantiria movimento pro aeródromo por anos a fio até ser de fato necessária uma 2a pista.

 

Eu concordo com seu pensamento.

Sou leigo no assunto, mas ao meu ver várias saídas rápidas ao longo da pista otimizariam, e muito, a utilização da mesma...

Link to comment
Share on other sites

O bacana desta noticia: mais uma promessa de cunho politico,

Fortaleza é um dos aeroportos mais bem situados em relação a cidade, uma nova pista demanda obras incríveis de desapropriação, se quiserem fazer a coisa do modo certo.

Link to comment
Share on other sites

Isso tudo será alvo dos projetos da concessão. Eles é que vão apontar se existe ou não a viabilidade técnica e econômica de se construir uma segunda pista.

Link to comment
Share on other sites

O forista ruifo postou umas simulações no SSC com o uso do Google Earth e com diferentes cenários (inclusive com a demolição do TPS atual):

 

sbfz-ventos.jpg

 

 

shot0910.jpg

 

 

proposta-plano-diretor-reforma-aeroporto

Link to comment
Share on other sites

a 1ª imagem anula a segunda... o tal "terminal da TAM" ficaria no fim dessa 2ª pista...

 

respeite o vento também....

 

e a 3ª, é um sonho muito bonito... e vai ficar nisso... mudar o terminal de passageiros pra BR 116? No way.

 

 

o que ninguém fala: aquele "pedaço de bairro colado no pé do muro" (equivale a 25% do Vila União) era pra ter sido removido ANTES da construção do Terminal atual. O projeto original do Pinto Martins previa uma ampliação (grande) do terminal antigo - hoje TAG - antes da construção do aeroporto novo. Mas aí chegou o Tasso e......

 

então, se não falar em desapropriação, nem pista perpendicular sai...

Link to comment
Share on other sites

Colegas, como é a região ao sul da pista de FOR em termos de topografia?

 

Olhando no Maps é possível construir uma pista de 1.800m para operações domésticas. Haveriam desapropriações, mas nem tantas quanto se imagina. Entretanto ali há um bosque e um rio cruza, sendo necessárias ações para mitigação ambiental.

 

O trecho que falo é mais ou menos no eixo da Rua Amsterdã:

https://www.google.com.br/maps/place/R.+Amsterd%C3%A3,+1231+-+Dias+Macedo,+Fortaleza+-+CE/@-3.7885742,-38.5228265,15z/data=!4m2!3m1!1s0x7c74ee263ac370b:0xec718773d3ad99f?hl=en

Link to comment
Share on other sites

O que ninguém fala: aquele "pedaço de bairro colado no pé do muro" (equivale a 25% do Vila União) era pra ter sido removido ANTES da construção do Terminal atual. O projeto original do Pinto Martins previa uma ampliação (grande) do terminal antigo - hoje TAG - antes da construção do aeroporto novo. Mas aí chegou o Tasso e......

 

então, se não falar em desapropriação, nem pista perpendicular sai...

 

Esse é o problema de diversos aeroportos em nosso país. O terreno para ampliações existia, mas aí uma pessoa resolve fazer 1 barraco, aí mais outros fazem também. Um vereador promete levar asfalto, luz e água encanada e então vira um novo bairro... Aí 20 anos depois a população sai protestar que não conseguem dormir por causa do barulho, que respira querosene, que tem medo de algum acidente, pedindo a retirada do aeroporto do local...

Link to comment
Share on other sites

Colegas, como é a região ao sul da pista de FOR em termos de topografia?

 

Olhando no Maps é possível construir uma pista de 1.800m para operações domésticas. Haveriam desapropriações, mas nem tantas quanto se imagina. Entretanto ali há um bosque e um rio cruza, sendo necessárias ações para mitigação ambiental.

 

O trecho que falo é mais ou menos no eixo da Rua Amsterdã:

https://www.google.com.br/maps/place/R.+Amsterd%C3%A3,+1231+-+Dias+Macedo,+Fortaleza+-+CE/@-3.7885742,-38.5228265,15z/data=!4m2!3m1!1s0x7c74ee263ac370b:0xec718773d3ad99f?hl=en

 

pra mim, não tem pra onde correr... "passei a régua no Maps" e o jeito é perpendicular à pista atual... vai dar pra uma pista de 1800/1850m só.... a cabeceira, inclusive, ficaria "praticamente" uma continuação da Rua Mal Bittencourt (como eu conheço e 'adoro odiar' o Dias Macedo, hehe)

 

 

 

Esse é o problema de diversos aeroportos em nosso país. O terreno para ampliações existia, mas aí uma pessoa resolve fazer 1 barraco, aí mais outros fazem também. Um vereador promete levar asfalto, luz e água encanada e então vira um novo bairro... Aí 20 anos depois a população sai protestar que não conseguem dormir por causa do barulho, que respira querosene, que tem medo de algum acidente, pedindo a retirada do aeroporto do local...

 

ironia das ironias, o terreno da lateral da Lagoa do Opaia continua - em grande parte - atrelado à BAFZ. Muita gente aí só tinha posse e ficou por isso. Nem do usucapião foram atrás...só se falou em tirá-los daí uma vez, quando ocorreram algumas denúncias de que moradores estavam pulando o muro do aero antigo...

 

nunca deu (nem dará) em nada. Repito: essa área da Lagoa do Opaia nunca era pra ter sido ocupada.. Ali inclusive era um belíssimo brejal...

 

Sem contar a linha da RFFSA que passa dentro do sítio aeroportuário....

 

a linha fica... faz parte do VLT Parangaba - Mucuripe... além disso, a franja de terreno após a linha férrea (pro Norte), será aproveitada...

 

http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/cidade/prefeitura-abrira-rua-na-area-do-aeroporto-1.1357172

 

vão juntar a Rua Pedro Medeiros com o início da Barão de Sobral (conhecida como 3 Marias).. pra quem vai p/ Av dos Expedicionários no horário de pico, uma mão na roda, pq a Aquiles Boris, ninguém merece..

Link to comment
Share on other sites

Meus prezados

Aeronáutica dá sinal positivo para 2ª pista

Para a construção, é preciso que a Base Aérea de Fortaleza ceda uma parte da sua área

O comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, sinalizou positivamente com a cessão de parte da Base Aérea do Fortaleza para uso do governo do Estado do Ceará. A área é essencial para que o governo "alce voo" nos planos de construção de uma nova pista de pouso e decolagens no Aeroporto Internacional Pinto Martins, condição essencial para continuar na disputa pela atração de um centro de conexão de voos nacionais e internacionais (hub) da TAM, em Fortaleza.

"Não temos nenhum interesse em atrapalhar os interesses do Estado do Ceará. Reconhecemos a importância que a aviação tem para o turismo do Estado", declarou o Brigadeiro ao governador, ao dar o sinal verde para que parte da área seja utilizada pelo Estado.

Segundo a fonte da informação, a Aeronáutica teria solicitado contrapartidas em troca da área a ser cedida, o que poderá ser a construção de melhorias nas instalações atuais da base aérea, em Fortaleza. Contactada, a assessoria de imprensa da Aeronáutica confirma que o comando da pasta estuda o projeto de uso do terreno para construção de uma nova pista para o aeroporto Pinto Martins.

Dúvidas

Apesar da determinação do governador e da boa vontade do brigadeiro, muitos questionamentos e dúvidas técnicas e operacionais pairam sobre o projeto, que ainda não foi divulgado. Uma fonte da Infraero consultada pelo Diário do Nordeste avalia que, sem uma parte do terreno da Base Aérea, não há como se construir um segunda pista, já que é praticamente impossível, por questões de espaço físico, a construção de mais uma pista paralela a existente atualmente.

O técnico da Infraero explica que a Lagoa do Opaia e o grande número de residências habitacionais existentes em área invadida da União, no bairro da Vila União, em região colada às extremidades Oeste do aeroporto, pode inviabilizar a construção de uma nova pista, no sentido Leste-Oeste, já que exigiriam despesas elevadas com desapropriações e até aterro de parte da lagoa, gerando danos ambientais.

Sendo assim, explica a técnica da Infraero, a nova pista teria que ser perpendicular a atual, no sentido Norte-Sul, o mesmo do terreno da Base Aérea. Já para um experiente piloto da Força Aérea Brasileira (FAB) esta alternativa pode até ser viável espacialmente, mas operacionalmente, não. Ele explica que, em Fortaleza, em função da posição e força dos ventos, as aeronaves devem decolar e pousar no sentido leste-oeste.

"Aqui em Fortaleza, uma pista no sentido Norte-Sul, perpendicular a atual, seria inviável, devido os ventos predominantes leste-oeste e fortes", declarou o piloto. Para ele, porém, é possível a construção de uma nova pista paralela a atual pista de taxiamento do Pinto Martins.

Para tanto, esclarece, ela teria que ser construída na área do terminal antigo de passageiros, onde hoje operam terminais de taxi aéreos, além de que a área invadida no Vila União teria de ser desapropriada. "A nova pista terá um custo social, mas Fortaleza precisa dela", defende, lembrando dos benefícios que um hub aéreo traria para a economia da cidade e do Estado.

Zona de proteção

Tanto o técnico da Infraero, quanto o piloto da FAB reconhecem, no entanto, que há outras barreiras que precisam ser observadas, como a existência de prédios e antenas de telecomunicações próximas ao aeródromo, que dificultam pousos e decolagens. "Muitos prédios e antenas estão na zona de proteção", alerta, ressaltando que se houver uma decisão política coletiva todos os impeditivos existentes podem ser superados.

Ele cita, inclusive, que as pistas não necessariamente precisam estar equidistantes 750 metros, uma da outra, bastando que pousos e decolagens não ocorram simultaneamente, mas com espaços de minutos apenas. "Nem Guarulhos (aeroporto) opera simultaneamente", frisa o piloto. Ele alerta, no entanto, para a necessidade de construção de uma pista com cerca de 3.000 metros de extensão, para que possa receber grandes aviões com lotação de passageiros e de carga máximas, e garantir maior viabilidade econômica.

Fonte: Carlos Eugênio para Jornal DIÁRIO DO NORDESTE via CECOMSAER 13 AGO 2015

Link to comment
Share on other sites

Quanta viagem.....esse pessoal está achando que LAJJ é DL e FOR vai virar um mini ATL.

 

Jan/15 teve o maior movimento 6.255 (pousos+decolagens) 202/dia ou 8,4/hora. Teoricamente essa pista comporta 30/h, 720/dia, 3,5x.

 

VCP/BSB que tem as maiores taxas de crescimento estão em 2 a 3% ano. Se FOR crescer a 6% precisaria de 21 anos pra atingir a capacidade da pista.

Link to comment
Share on other sites

FOR não precisa de segunda pista para operação simultânea nem daqui 20 anos, mas não podemos deixar pra pensar nisso qnd estourar, mas essa segunda pista visa ser um backup para qnd a principal estiver em mnt ou ocorrer algum acidente ao estilo que ocorreu em vcp com o centurion.

Link to comment
Share on other sites

A maioria dos aeroportos brasileiros só tem uma pista e ninguém nunca se preocupou com isso de ter taxiway capaz de funcionar como pista alternativa.

 

inclusive lembro de ter ouvido tempos atrás que a taxiway antiga poderia servir de alternativa.

 

essa coisa da segunda pista é decorrência das discussões do famigerado HUB, pois a TAM teria listado entre as vantagens de Natal a possibilidade de construção de uma segunda pista (!), o que seria importante menos pela questão da capacidade e sim pelo aspecto do back up em caso de fechamento de pista.

 

a questão é que o Governo do Ceará vem se esforçando em prometer tudo e qualquer coisa que julgue colocar Fortaleza em vantagem, sem avaliar minimamente a viabilidade do que propõe. pra mim, isso joga contra, mas enfim.

 

a segunda pista, como dito pelo piloto mencionado na reportagem acima, tem contra si o vento e também o cone de aproximação que ao norte se espalha por uma área de densidade habitacional considerável e com avançada verticalização.

Link to comment
Share on other sites

Se construírem uma pista com componente de vento predominante de 15kt de través é melhor suspender o CREA da pessoa que projetar isso.

 

Além disso, construir uma pista nova que tenha menos de 2000m é jogar dinheiro no lixo hoje em dia.

Link to comment
Share on other sites

Isto tudo não basta de um jogo de cena de ambos os lados onde provavelmente não irá virar nada. De um lado a Latam oferece 10 mil empregos, do outro políticos oferecem aeroportos com várias pistas, terminais exclusivos, isenção de impostos... Tudo muito bonito no fantástico mundo de Oz... Não no país do PIB negativo, do real desvalorizado em 40%, da lava-jato....

Link to comment
Share on other sites

Isto tudo não basta de um jogo de cena de ambos os lados onde provavelmente não irá virar nada. De um lado a Latam oferece 10 mil empregos, do outro políticos oferecem aeroportos com várias pistas, terminais exclusivos, isenção de impostos... Tudo muito bonito no fantástico mundo de Oz... Não no país do PIB negativo, do real desvalorizado em 40%, da lava-jato....

 

Nossa pessimismo hein. A crise não passa não? vamos fazer o que? parar de investir, de comprar, vamos pedir axilo? vender o país?

 

Como diria o velho sábio jamaicano.

 

Tudo na vida passa, até a uva passa! hahahahaha

 

Sério agora.

 

Como já disseram ai não existe a minima necessidade de se fazer uma segunda pista em fortaleza. Passa logo pra iniciativa privada que ela vai maximizar a operação do aeroporto, vai saber e pagar mto bem para construir outros terminais e transformar a bela cidade de fortaleza em hub no nordeste.

 

Tem sido assim nos aeros privatizados e não tem porque ser diferente em Fortal.

Link to comment
Share on other sites

Nossa pessimismo hein. A crise não passa não? vamos fazer o que? parar de investir, de comprar, vamos pedir axilo? vender o país?

 

Como diria o velho sábio jamaicano.

 

Tudo na vida passa, até a uva passa! hahahahaha

 

Sério agora.

 

Como já disseram ai não existe a minima necessidade de se fazer uma segunda pista em fortaleza. Passa logo pra iniciativa privada que ela vai maximizar a operação do aeroporto, vai saber e pagar mto bem para construir outros terminais e transformar a bela cidade de fortaleza em hub no nordeste.

 

Tem sido assim nos aeros privatizados e não tem porque ser diferente em Fortal.

Alice? É vc? Dois hubs internacionais da mesma empresa no Brasil? Espero estar vivo para ver isso...

Link to comment
Share on other sites

Bom,

 

Concordo com a análise de alguns colegas ai. As promessas e a "falação" midiática sempre prevalecem nessas horas. Pra variar, no Brasil, as coisas funcionam da maneira inversa, onde se passam anos prometendo coisas para dar mídia, ou usar em campanha, mas que raramente saem do papel.

 

Vou repetir o que falei no tópico da aviação regional, se quiserem atrair uma empresa, ou todo um setor, primeiro ofereçam as condições. Iniciem as obras, comecem a entregar uma estrutura compatível para uma cidade como Fortaleza ou qualquer outra para que as empresas e negócios venham em conjunto.

 

Quando as coisas são feitas ao contrário, sem análise, sem estudo e sem projeto, dá no que mais vemos espalhados no país, obras inacabadas, rios de dinheiro jogado fora, populações mal atendidas e a gente sempre preso nessa marcha do país do futuro que não chega nunca.

 

Abraços

Link to comment
Share on other sites

O forista ruifo postou umas simulações no SSC com o uso do Google Earth e com diferentes cenários (inclusive com a demolição do TPS atual):

 

sbfz-ventos.jpg

 

 

shot0910.jpg

 

 

proposta-plano-diretor-reforma-aeroporto

 

 

Aqui outra brincadeira (que acho que é das menos funcionais...):

 

 

shot0933.jpg

 

 

 

 

O que o Gov do CE deveria fazer é acelerar o projeto (já em estudo) para um segundo sítio aeroportuário na RMF. Isso sim. Algumas das notícias a respeito disso:

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade