Jump to content

Turquia TRJet 328 / 628: presente e futuro


Recommended Posts

Fonte: http://www.ainonline.com/aviation-news/air-transport/2015-10-14/pratt-canada-joins-328jet-upgrade-program

 

Pratt Canada Joins 328Jet Upgrade Program

 

Turkey’s TRJet announced an agreement on plans to use Pratt & Whitney Canada (P&WC) to upgrade and supply PW306B engines for its planned line of regional jets based on the Dornier 328Jet.

 

The memorandum of understanding involves Sierra Nevada Corporation’s (SNC) German-based subsidiary 328 Support Services GmbH (328), the current type certificate holder and a major partner in TRJet’s 328 aircraft production.

 

“The collaboration between TRJet and P&WC, a world-leader in the design, manufacture and service of aircraft engines, illustrates the proven technology and aviation expertise behind the 328 and 628 aircraft series,” said Cem Ugur, an executive officer for TRJet.

 

Plans call for work on the PW306B for the TRJet 32-passenger 328 aircraft series to start at P&WC’s Longueuil, Quebec facility next year, launching a production schedule that calls for production and flight of the first TRJ328 by 2019. Meanwhile, TRJet expects work to get underway on a turboprop engine for the T328 aircraft.

 

The companies plan to start design activities to coincide with development of the new 628 aircraft series—a so-called clean sheet design and the Republic of Turkey’s first domestically-designed passenger airplane. TRJet has scheduled the first 628 series airplane to fly in 2023, in honor of Turkey’s centennial.

 

The Dornier 328 has gained certification in 85 nations around the world and continues to operate in countries including the U.S., Switzerland, Germany, U.K. and Denmark. “Extensive market studies show that these aircraft are not only needed for Turkey’s domestic market, but there are growing regional and international demands where the sub-50-seat market is underserved,” said Dave Jackson, managing director of 328 Support Services.SNC anticipates securing licensed production of such aircraft for sale in the U.S., including sales to the U.S. government.

 

 

Link to comment
Share on other sites

Meus prezados

Sierra Nevada Unveils Plans to Build Dornier 328 in Turkey
mhsd328.jpg?itok=DaA0l_5Q&timestamp=1432
German charter company MHS Aviation flies five Dornier 328s in Europe. (Photo: Flickr: Creative Commons (BY-SA) by Aleem Yousaf)
Sierra Nevada Corporation (SNC) has signed a memorandum of understanding with the Turkish Ministry of Transport, Maritime Affairs & Communications to build the now out-of-production Dornier 328 aircraft in Turkey.SNC's plans, announced on May 27, call for the U.S. company to design an upgrade to the 328Jet and turboprop version and to collaborate with Turkish engineers to produce the country’s first domestically-built passenger aircraft. The design of what SNC calls a new high-tech product, the 628 aircraft series, would start at the same time as production of the 328 series. The 628 jet and turboprop models would carry roughly double the 32-passenger seating capacity of the 328s.
Based in Sparks, Nevada, privately held SNC plans to collaborate with Savunma Teknolojileri Mühendislik ve Ticaret (STM) on the project on an upgrade of the existing Dornier 328, marketed under the name TRJ328 for the jet version and T328 for the turboprop version. SNC subsidiaries 328 Support Services GmbH, 3S CertificationLLC and 3S Engineering LLC would support SNC in the aircraft’s manufacture and serial production, including helping to establish a European Aviation Safety Agency (EASA)-approved 21G aircraft production facility in Turkey.
SNC acquired Dornier 328 type-certificate holder 328 Support Services in February. Headquartered in London and basing its main operations at Oberpfaffenhofen Airport, near Munich, Germany, 328 Support Services performs full supplemental type certificates (STCs) and “build-and-certify solutions” for customers such as Airbus, Lufthansa and Turkish Technic. It also owns the type certificate and intellectual property (IP) rights for design, manufacture, maintenance and certification of the 200 existing Dornier 328 turboprop and jet aircraft.
“This project is a natural progression for SNC and our subsidiaries as we continue to capitalize on our decades of extensive experience in aircraft design modifications and our innovative, agile ability to create value for our customers,” said SNC president Eren Ozmen. “We also possess a unique capability to expedite obtaining the required certifications for numerous markets based on the D328’s proven technology and our aviation certification expertise.”
Fonte: Gregory Polek para AINonline
Já que não é possível fabricar o Brasília (30 pax) para a aviação regional brasileira, quem sabe alguma aérea, realmente regional, se interessa por este Dornier 328 (32 pax), não?

Bem que a Sierra Nevada poderia vir fabricar este avião no Brasil...

 

Link to comment
Share on other sites

ricardoferreomodelismo diz:

Com os atuais custos de petróleo, mesmo a versão turbojato se tornou uma opção atrativa ...

 

Talvez, no mundo o custo do petróleo tenha baixado. Aqui, no Brasil, as aéreas continuam reclamando do seu elevado prêço.

Link to comment
Share on other sites

Talvez, no mundo o custo do petróleo tenha baixado. Aqui, no Brasil, as aéreas continuam reclamando do seu elevado prêço.

Graças a quem votou nessa analfabeta. E esse que votaram acreditam que tá tudo ótimo. Uhumm

Link to comment
Share on other sites

 

ricardoferreomodelismo diz:

Com os atuais custos de petróleo, mesmo a versão turbojato se tornou uma opção atrativa ...

 

Talvez, no mundo o custo do petróleo tenha baixado. Aqui, no Brasil, as aéreas continuam reclamando do seu elevado preço.

 

 

Em nenhum momento pensei no Brasil quando fiz meu comentário.

 

Já perceberam que aqui estamos sempre na contramão do mundo ???

 

Com uma política econômica desastrada do último governo e com o atual cenário político onde o que importa é o "vou me dar bem", não podemos esperar nada melhor para a saúde financeira do país para os próximos cinco anos pelo menos.

 

Quando o preço dos combustíveis estava em alta no mundo e represado no Brasil (que explica em parte o desastre econômico que vivemos atualmente), a proporção Dólar / Real abaixo do que o necessário segundo os economistas (outro ingrediente do desastre econômico atual), as cias. aéreas cobravam absurdos US$ 1.500 para um bilhete para Miami, por exemplo.

 

Nadaram de braçada no mar calmo.

 

Agora com o mar revolto, pedem corda para o governo para não se afogarem.

 

E vendem os mesmos bilhetes de US$ 1.500 por meros US$ 300.

Mas cobram no filé-mignon da ponte-aérea preços absurdos de alto e comparados a viagens internacionais de longo curso.

 

Lei da oferta e da procura ?

Não.

 

Vamos combinar: matemática confusa essa dos nossos agentes de yields das cias. aéreas !!!

Link to comment
Share on other sites

Ricardo, vc é de longe uma pessoa sensata e muito conhecedora do setor, pelo que acompanho nos posts gerais aqui, mas agora, perdoa-me, vc foi um pouco tolo, 309 dólares não paga a ida, quanto mais a volta, entenda, o que eles querem e minimizar prejuízo, não há a menos chance de dar lucro operação Miami hoje em dia!!!! 1500 dólares e sim um valor real!!!! A questão é que passagem aérea é um produto perecível, difícil de

Ser tangível, de baixa percepção do usuário, isso pq elenco faz mais uso da penha ou Itapemirim, para ir de poa ao Rj, por isso tudo parece caro, só que o negócio aéreo e caro por si só!!! Combustível, manutenções, treinamentos, avião, pessoas, tudo é muito dinheiro, riscos elevados, margens ridículas, o problema é que a passagem e cara para ao passageiro e barata para a empresa!!!!

Link to comment
Share on other sites

Ricardo, vc é de longe uma pessoa sensata e muito conhecedora do setor, pelo que acompanho nos posts gerais aqui, mas agora, perdoa-me, vc foi um pouco tolo, 309 dólares não paga a ida, quanto mais a volta, entenda, o que eles querem e minimizar prejuízo, não há a menos chance de dar lucro operação Miami hoje em dia!!!! 1500 dólares e sim um valor real!!!!

 

Nobre HudA3, claro que sei disso !!!

 

Trabalho na área e sei bem como esses números são compostos.

 

O que você não me entendeu foi que eu disse que quando a maré está boa as cias. aéreas cobram o que querem. E quando o mar é revolto, tentam minimizar seus prejuízos cobrando preços abaixo do yield e pedindo socorro ao governo para minimizarem seu prejuízo com a operação.

 

Na contra mão, abusam de onde podem tirar melhor proveito para tentarem equilibrar a receita.

Lei da oferta e da procura mal interpretada ? Talvez ...

 

Lucro e prejuízo são inerentes a toda operação comercial independentemente da atividade fim.

 

A economia não é uma linha reta constante e momentos de boa maré ou mar revolto são movimentos cíclicos e se alternam de tempos em tempos.

 

E deve haver percepção da livre iniciativa para se preparar para ambas as situações independente de apoio governamental.

É apenas uma questão de governança.

 

Acabei de dizer em outro tópico: como disse a Sra. Dama de Ferro, Margareth Thatcher, "não existe dinheiro público, o que existe é o dinheiro do contribuinte" !!!

 

 

Combustível, manutenções, treinamentos, avião, pessoas, tudo é muito dinheiro, riscos elevados, margens ridículas, o problema é que a passagem e cara para ao passageiro e barata para a empresa!!!!

 

Frase de Sir Richard Banson quando uma repórter lhe perguntou como ele havia se tornado um MILIONÁRIO:

 

"Antes eu era um BILIONÁRIO, aí abri uma empresa aérea ..."

Link to comment
Share on other sites

  • 2 years later...

Meus prezados
Turquia encerra programa local de produção dos jatos TRJ628 e TRJ 328

Turkish-aircrafts.jpg
Concepções do TRJ628 e TRJ328
Por Burak Ege Bekdil

 

ANKARA, Turquia – A Turquia encerrou um programa de vários bilhões de dólares para a produção autóctone de um jato regional com duplo uso civil e militar.
Autoridades de compras confirmam que o programa foi abortado depois que uma série de análises provaram que perdeu sua “viabilidade econômica”.
“Os custos e as projeções de vendas não foram encorajadores”, disse um funcionário familiarizado com o programa.
Em 2015, o governo turco comprometeu-se a comprar 50 aeronaves TRJet que seriam baseadas nas aeronaves Dornier 328 e 628.
O programa previa a eventual produção de quatro modelos da aeronave – um jato (TRJ328) e um turboélice (TR328) com 32 assentos e um jato (TRJ628) e um turboélice (TR628) com 60 a 70 assentos.
A Esen System Integration, a afiliada turca da Sierra Nevada Corporation, empresa que teria desenvolvido e construído o TRJet, visava vender apenas 500 a 1.000 aeronaves TRJ328. Números de vendas similares foram projetados para o TRJ628.
A Turquia adquiriu direitos de propriedade intelectual para o Dornier 328 e Dornier 628 da Sierra Nevada, que mais tarde assinou um memorando de entendimento com a STM, uma empresa de tecnologias de defesa controlada pelo estado, de Ankara, para o trabalho conjunto no programa de jatos regionais.
As fontes da indústria dizem que o término do programa TRJet é uma má notícia para a indústria local como um todo.
“O programa criaria negócios para centenas de empresas turcas de todos os tamanhos”, disse um executivo da empresa aeroespacial.
Em uma declaração de 30 de outubro, o empreendimento TRJet da Sierra Nevada disse: “Nós não fomos notificados oficialmente pelas autoridades [turcas] sobre qualquer cancelamento do programa”.
No início de 2016, funcionários do governo disseram que um contrato final seria assinado com a Sierra Nevada “este ano”. Desde então, eles permaneceram em silêncio sobre o assunto.

Fonte: Defense News via site Poder Aéreo 30 OUT 2017

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade