Jump to content

Ampliação do aeroporto JK levará até sete anos para conclusão


jambock

Recommended Posts

Em 2016, eram 3 unidades BSB, Caldas e Itapema, todas com o VCI investindo:

 

As the first Hard Rock Hotel in Brazil, Hard Rock Hotel Brasilia is slated to be part of the tourism expansion of Brasilia Juscelino Kubitschek International Airport. The 400-room hotel, developed in conjunction with VCI Holding, will complement the Inframerica airport expansion and provide its more than 19.5 million annual passengers with an upscale retreat in close proximity to the destination. Other hotel features include a sprawling pool and deck, over 17,000 square feet of event space, a signature restaurant, rooftop entertainment lounge, and a spa and fitness centre.

Further south, Hard Rock Hotel Caldas Novas will be considered the largest hydrothermal resort in the world. It will boast 303 rooms, six thermal pools including a kids area, three restaurants, a helipad and a nightclub.

Lastly, located off the waters of southern Brazil, Hard Rock International will transform the current Plaza Itapema Resort & Spa into the 175-room Hard Rock Hotel Itapema. Featuring beachfront views and a pristine location, the hotel is slated for completion in 2017.

 

http://www.travelweek.ca/news/hard-rock-international-debut-3-new-hotels-brazil/

 

 

Sorry, mas houve mudança de planos.

Link to comment
Share on other sites

  • Replies 266
  • Created
  • Last Reply
DEZ. 26, 2017 - 10:44
ILHA DO SOL

Hard Rock lançará resort em represa da região de Londrina

A rede Hard Rock, conhecida pelos restaurantes decorados com instrumentos musicais, anunciou que vai abrir dois resorts no Brasil, um deles na Ilha do Sol, localidade em uma represa na região de Londrina. A outra unidade será na Praia de Lagoinhas, a 80 quilômetros de Fortaleza, no Ceará. As obras já estão em andamento e foram confirmadas por Samuel Sicchierolli, presidente do fundo brasileiro VCI, que captou R$ 300 milhões com emissão de debêntures (títulos de dívida) para dar o pontapé inicial ao negócio do Hard Rock no país. As duas unidades devem ser inauguradas até 2020.

Tanto na Ilha do Sol como na Praia de Lagoinhas, o fundo adquiriu empreendimentos que passavam por dificuldades para terminar as obras, revelou Sicchierolli. Um terceiro empreendimento, em Caldas Novas (GO), será construído do zero.

Embora o investimento nos resorts seja do fundo brasileiro, a Hard Rock fará a gestão dos hotéis. A ideia é garantir um padrão global. Segundo Sicchierolli, uma das dificuldades para colocar em pé a parceria com a rede americana foi justamente a padronização dos quartos e áreas comuns, o que exigiu adaptações nas unidades que já estavam em construção.



O contrato com a Hard Rock vai representar um "salto" para o fundo VCI no mercado hoteleiro. Até agora, o único projeto que o investidor havia montado é o Tryp by Wyndham, que opera dentro do Aeroporto Internacional de Guarulhos e não faz mais parte do portfólio do fundo. O objetivo, segundo Sicchierolli, é iniciar as vendas dos projetos dos resorts da Hard Rock entre maio e junho de 2018.

Planos de expansão

A chegada ao Brasil faz parte de um plano de rápida expansão da operação de hotéis e resorts da Hard Rock - nos países onde a lei permite, o grupo também abre cassinos anexos aos projetos de hospedagem.

Segundo o vice-presidente de desenvolvimento da Hard Rock Resorts, Todd Hricko, a empresa tem hoje 26 projetos em operação e fechou 35 novos contratos para novas unidades ao longo dos últimos três anos.

O objetivo da Hard Rock, explica Hricko, é chegar a cem hotéis e resorts sob contrato até 2020. Por isso, ele diz que existe espaço para a Hard Rock abrir mais resorts no Brasil tanto com o próprio VCI - que já tem um quarto projeto em gestação, em Natal (RN) - quanto com outros investidores.

Segundo fontes do setor, o início da operação por Lagoinhas, Caldas Novas e Ilha do Sol mostra que, pelo menos nesses três projetos, a Hard Rock Resorts está apostando que o poder de atração da marca ajude a alavancar destinos que hoje ainda são relativamente desconhecidos, como Lagoinhas, ou têm importância regional, como Caldas Novas e Ilha do Sol. Uma fonte do setor classifica os destinos como secundários, sem o poder de atração do Rio de Janeiro ou de capitais do Nordeste.
Agência Estado
Link to comment
Share on other sites

Há há há se o poderoso GJP acabou de quebrar o contrato com a Sheraton na Bahia vocês acham MESMO que teremos um Hard Rock em BSB ? Existem ao menos seis projetos hoteleiros em áreas nobres por falta de dinheiro na cidade, com incorporadoras de peso!

E quem vai se hospedar num Hard Rock tendo um Ibis ao lado ?

Link to comment
Share on other sites

Há há há se o poderoso GJP acabou de quebrar o contrato com a Sheraton na Bahia vocês acham MESMO que teremos um Hard Rock em BSB ? Existem ao menos seis projetos hoteleiros em áreas nobres por falta de dinheiro na cidade, com incorporadoras de peso!

E quem vai se hospedar num Hard Rock tendo um Ibis ao lado ?

Aí que você se engana. E por falar nisso, quais são essas seis projetos de hotéis em áreas nobres por falta de dinheiro na cidade? Eu sei que estão parados por falta de dinheiro RESIDENCIAIS COM SERVIÇOS disfarçados de hotéis. Esses sim. Agora no caso dos hotéis no Aeroporto, serão 100% hotéis. Agora cite, quantos hotéis 100% Brasília tem? Tirando os tradicionais que hoje em são minoria, o resto se enquadra como FLATS.

Link to comment
Share on other sites

Em 2016, eram 3 unidades BSB, Caldas e Itapema, todas com o VCI investindo:

 

As the first Hard Rock Hotel in Brazil, Hard Rock Hotel Brasilia is slated to be part of the tourism expansion of Brasilia Juscelino Kubitschek International Airport. The 400-room hotel, developed in conjunction with VCI Holding, will complement the Inframerica airport expansion and provide its more than 19.5 million annual passengers with an upscale retreat in close proximity to the destination. Other hotel features include a sprawling pool and deck, over 17,000 square feet of event space, a signature restaurant, rooftop entertainment lounge, and a spa and fitness centre.

Further south, Hard Rock Hotel Caldas Novas will be considered the largest hydrothermal resort in the world. It will boast 303 rooms, six thermal pools including a kids area, three restaurants, a helipad and a nightclub.

Lastly, located off the waters of southern Brazil, Hard Rock International will transform the current Plaza Itapema Resort & Spa into the 175-room Hard Rock Hotel Itapema. Featuring beachfront views and a pristine location, the hotel is slated for completion in 2017.

 

http://www.travelweek.ca/news/hard-rock-international-debut-3-new-hotels-brazil/

 

 

Sorry, mas houve mudança de planos.

 

Isso que você está alegando o financiamento do hotel é claro. Mas o contrato da HRH está devidamente assinado e o proprietário do hotel e nada menos do que a Inframerica. Tanto, que estou sabendo os hotéis Wyndham Grand e Tryp, esses sim, foram cancelados, inclusive eu mostrei aqui a algum tempo, como irá ficar o Terminal JK com sua nova configuração, inclusive já estou sabendo que outra rede internacional assumiu o lugar deles. O interessante de tudo, que os hotéis Ibis e Ibis Budget é de outro investidor e não da VCI.

Link to comment
Share on other sites

site:http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/12/1946100-grupo-hard-rock-fecha-acordo-com-fundo-para-abrir-tres-hoteis-no-brasil.shtml

 

Há alguns anos, o VCI anunciou investimentos na construção de hotéis nos arredores de Viracopos e Brasília, negócios não vingaram. "Assinamos o projeto, fizemos captação mas não conseguimos alocar recursos devido a problemas nas concessões".

 

Olha não é isso que estou sabendo na bolsa de valores, eles sequer lançaram os fundos, e se lançaram, aonde foram parar o dinheiro? Estranha a resposta que deram. E olha que acompanho a bolsa de valores de São Paulo, e na época, nada saiu do papel. E alguns anos, foi em Outubro/2015, quando participei de um evento no Senado Federal, aonde pela primeira vez, a Inframerica expôs os projetos. Na verdade, se for o que eu estou pensando, eles queriam lançar um prédio residencial com bandeira Hard Rock Hotel, muito comum em outros países, por isso o nome RESORT.

Link to comment
Share on other sites

Uma besteira ter um hotel temático em rock em BSB.

Seria besteira ter uma gigantesca LEROY MERLIN em CONGONHAS, reduzindo a capacidade operacional do aeroporto? O Argumento é idêntico ao que formulou para o hotel em Brasília.

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

É sério que alguns compram roupas Aramis enquanto esperam um voo ou outro, a ponto de sustentar a operação de uma lojas dessas dentro dessa área restrita do terminal?

Link to comment
Share on other sites

O conector para o Pier Sul tinha uma área livre grande e ociosa, nada me incomoda a exploração comercial.

Por outro lado, lojinhas com passagem apertada como a Dufry na entrada pós controle de segurança são bem inconvenientes.

Link to comment
Share on other sites

Ano 2016

 

Receitas Brutas BSB GRU

Tarifárias 149.231 40,3% 969.639 51,5%

Não tarifárias 220.647 59,6% 911.354 48,5%

Outras 545 0,1%

 

Total 370.423 1.880.993

 

PAX 17.947 36.596

 

Receita média

Tarifas R$8,32 R$26,50

Comercial R$12,28 R$24,90

Total R$20,60 R$51,40

 

GIG e GRU têm o mesmo perfil: 1/3 pax internacionais, pagam tarifa mais alta, percentual de conexão baixo +/- 20%, gasto por pax praticamente idênticos.

Saiu daí a coisa pega, alto percentual de conexão BSB e VCP +45%, pagam R$8,00 de tarifa de embarque. BSB tem pouca carga e tem pouca área comercial, porque os pax em transito não tem tempo pra consumir.

A Inframerica e até ABV pensaram em construir um shopping no lado terra, pra ver se conseguem melhorar o faturamento, com funcionários e locais.

 

http://ri.gru.com.br/conteudo_pt.asp?idioma=0&conta=28&tipo=54595

 

https://www.bsb.aero/br/o-aeroporto/governanca-corporativa/contrato-e-demonstrativo/

Link to comment
Share on other sites

É sério que alguns compram roupas Aramis enquanto esperam um voo ou outro, a ponto de sustentar a operação de uma lojas dessas dentro dessa área restrita do terminal?

Isto não é nada comparado a uma loja Dudalina escondida na parte de embarque internacional, pós imigração, no gigante aeroporto de.... Viru-Viru !!!!

Link to comment
Share on other sites

isso deve ser loja própria da marca pra garantir território, valorizar a marca.

 

Realmente é difícil de acreditar que dê rentabilidade.

 

eu tbm não me incomodo com lojas, mas esse tipo de comercio não me agrada. Se fosse algo voltado a conveniência do passageiro, turismo e etc acharia normal.

Link to comment
Share on other sites

isso deve ser loja própria da marca pra garantir território, valorizar a marca.

 

É exatamente isso. A loja serve como ferramenta de marketing, afinal aeroportos e a aviação ainda são associados ao glamour de antigamente.

 

---------------

 

Ontem fiquei ##### da vida. Vindo de CGH em voo da Latam o avião para em uma remota no final do pier sul para nosso desembarque, sendo que naquele momento havia apenas um finger ocupado na área destinada a Latam. (Fora ter que descer a bagagem de 3 crianças e 1 idosa que não estavam conseguindo e o comissário alegou que não estava autorizado a auxiliar)

 

Estou até agora tentando entender o motivo, o voo chegou no horário programado e o movimento no aeroporto naquela hora era praticamente nulo.

Link to comment
Share on other sites

Ter loja em certos lugares é questão de propaganda, não de fazer dinheiro.

 

Ou vcs acham que maioria das lojas da 5ª avenida em NY ou da Champs Elysées dão dinheiro pra mantê-las?

Link to comment
Share on other sites

Ter loja em certos lugares é questão de propaganda, não de fazer dinheiro.

 

Ou vcs acham que maioria das lojas da 5ª avenida em NY ou da Champs Elysées dão dinheiro pra mantê-las?

Para ficar no Brasil, veja que a maioria das marcas luxuosas possuem 2 lojas próximas em 2 dos 3 shoppings de luxo de SP (JK, Iguatemi e Cidade Jardim). O PIB do Brasil passa por algum destes shoppings (de SP e outros estados) e isto traz uma grande visibilidade para estas marcas. Quem não é visto não é lembrado.

Link to comment
Share on other sites

Será que lojas dessas não estariam envolvidas em lavagem de dinheiro? Pois a matemática não fecha: valor cobrado pelas suas áreas ocupadas versus baixo faturamento.

Link to comment
Share on other sites

Será que lojas dessas não estariam envolvidas em lavagem de dinheiro? Pois a matemática não fecha: valor cobrado pelas suas áreas ocupadas versus baixo faturamento.

Então anexa o faturamento da loja que abriu há 5 dias e o valor cobrado pelo ponto que você CERTAMENTE tem aí e manda pro MP.

 

Hahahahhaa brincadeiras à parte mas o pessoal viaja loooonge.

 

Marketing geralmente tem orçamento bem gordo no varejo pra lojas outdoor desse tipo, gente. Não surtem.

Link to comment
Share on other sites

A título de exemplo, na época da falênica da VARIG, foi dito que a loja dela na Champs Elysées jamais se sustentou, era mais um símbolo de status ter um letreiro ali.

Link to comment
Share on other sites

Me lembro de em minhas viagens de moleque com meus pais ir ler jornais Brasileiros nas lojas da VRG na Champs, na 5a Avenida, em Milao, Miami....iamos mais no final tarde antes de fechar a loja para pegarmos o jornal "fresquinho" do dia anterior. rs! Ah, bons tempos.

Link to comment
Share on other sites

Correu um "fake news" ou "boato" como queiram falar, que no dia 15/01 iriam anunciar algo a respeito da expansão, pelo visto, foi notícia falsa. E pelo visto, tudo que fora apresentado até os dias atuais, só eram DELÍRIO da CONCESSIONÁRIA.

Link to comment
Share on other sites

Correu um "fake news" ou "boato" como queiram falar, que no dia 15/01 iriam anunciar algo a respeito da expansão, pelo visto, foi notícia falsa. E pelo visto, tudo que fora apresentado até os dias atuais, só eram DELÍRIO da CONCESSIONÁRIA.

 

O anuncio seria em conjunto com a GOL sobre as operações para os EUA .... porém a GOL fez a divulgação sem a Inframerica.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.


×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade