Jump to content

Antonov: fabricante do maior avião do mundo encerra suas atividades


jambock

Recommended Posts

Meus prezados
Fim de uma era

Fabricante do maior avião do mundo encerra suas atividades

Após crise com Rússia na Crimeia, consórcio estatal da Ucrânia absorve Antonov e põe fim a 70 anos de história

antonov-an-225-japan.jpg

A Antonov foi uma das maiores vítimas da crise entre a Ucrânia e a Rússia deflagrada após a anexação da Crimeia por Moscou. As autoridades da Ucrânia confirmaram a liquidação da Antonov Desing Bureau e a fusão de seus principais ativos ao conglomerado estatal Ukroboronprom.

A informação foi confirmada pelo Ministério do Desenvolvimento Econômico da Ucrânia. Segundo o governo, a integração se deve à crise financeira vivenciada pela Antonov. Se no passado a empresa se destacou pelo desenvolvimento e produção de gigantes como o An-22, o An-124 e o An-225, atualmente o fabricante vinha sofrendo com a falta de interesse do mercado por seus produtos.

Focada nos últimos anos em aeronaves de pequeno e médio portes, a Antonov vinha sofrendo uma série de reveses na venda de seus aviões regionais. Cada série conquistou entre 30 e 40 pedidos, em média. Já o cargueiro médio militar An-70, após quase 22 anos de desenvolvimento, não conseguiu obter nenhum pedido por parte das forças armadas da Rússia e da Ucrânia. Além disso, o programa consumiu valores consideráveis durante seu desenvolvimento, que exigiram diversas mudanças no projeto ao longo dos anos. O programa também previa a montagem dos exemplares russos em parceria com a KAPO (Kazan Aircraft Production Association), na planta de Kazan, na Rússia.

Em outubro de 2010, a Antonov e a russa UAC assinaram um acordo para formar uma empresa conjunta focada em marketing, vendas, design e produção de aviões militares, civis e de carga, bem como modificar antigos modelos Antonov. A parceria também foi desfeita com a escalada das tensões entre ambos os países.

Além da Antonov, diversos fabricantes aeroespaciais ucranianos enfrentam o mesmo problema em relação a seus acordos com os russos. As empresas mais afetadas são as localizadas no leste e no sul da Ucrânia, que possuíam diversos acordos de exportação com a Rússia, e também são dependentes de capital russo.

Gigantes com seis motores

A liquidação da Antonov como empresa independente coloca fim não apenas a uma icônica empresa oriunda da era soviética, mas também reduz drasticamente a possibilidade de retomada da produção do An-124. O modelo, que não é produzido há mais de 10 anos, teve algumas unidades modernizadas nos últimos anos. A força aérea russa estudava operar uma versão mais moderna do modelo, mas abandonou os planos devido aos elevados custos de produção e operação. O ministro da defesa da Rússia, Serguêi Shoigu, em recente pronunciamento, afirmou que a força aérea decidiu apenas reparar e modernizar os aviões em serviço, optando por um modelo menor e mais barato. Nas palavras do ministro apenas empresas aéreas dedicadas ao transporte cargueiro de grande porte necessitam de uma aeronave com as capacidades do An-124. “Quem precisa desse tipo do avião são as empresas civis comerciais envolvidas no transporte de cargas volumosas”, afirmou Shoigu.

O único An-225 produzido tem o futuro incerto. O governo ucraniano acredita que o avião ainda deverá ter um mercado cativo nos próximos anos, mas descarta a produção de novos exemplares ou mesmo a finalização do segundo avião.

A Antonov foi fundada há 70 anos se consagrou na produção de aeronaves cargueiras de grande porte, com destaque para os gigantes. Originalmente a sede da companhia estava em Novosibirsk, Rússia, sendo transferida em 1952 para a Kiev, onde permaneceu após o colapso da União Soviética.

Você sabia?
As famosas corcovas do An-225 não são o sistema ancoragem do ônibus espacial soviético Buran, mas, sim, reforços estruturais das enormes asas. Com envergadura de 88,4 metros e área total de 905 m², seu peso, aliado aos seis motores, era equivalente a quase metade do avião.
225011-1_333.png

Fonte:http://aeromagazine.uol.com.br/artigo/u ... z3znf7fqtR

Pô! O "meu" An-70 não mais será fabricado...

Link to comment
Share on other sites

Esclarecimento no site da Antonov:

 

28-01-2016 / Official statement of ANTONOV Company press service

Hereby we are drawing your attention to the fact that information about liquidation of ANTONOV State Company is not true.

The Government of Ukraine took decision on liquidation of the ANTONOV State CONCERN. The CONCERN consisted of three enterprises: ANTONOV State COMPANY, Kharkiv State Aircraft Manufacturing Company (KSAMC) and State enterprise Plant 410 of Civil Aviation. In 2015, aiming to increase efficiency of the aircraft industry, the Government of Ukraine took decision to pass ANTONOV State COMPANY, KSAMC and State enterprise Plant 410 of Civil Aviation (i.e. all three enterprises of ANTONOV CONCERN) under management of UKROBORONPROM State Concern.

At that, ANTONOV State COMPANY continues to work. It performs full cycle of the aircraft creation – from pre−project scientific researches to construction, tests, certification, serial production and after−sale maintenance. As before, the COMPANY’s production is represented under ANTONOV brand.

The official information is published on the site of Ministry of Economic Development and Trade of Ukraine on the NEWS page.

 

http://www.antonov.com/news/439

Link to comment
Share on other sites

Meus prezados

Esclarecimento no site da Antonov:

Official statement of ANTONOV Company press service

Hereby we are drawing your attention to the fact that information about liquidation of ANTONOV State Company is not true.
The Government of Ukraine took decision on liquidation of the ANTONOV State CONCERN. The CONCERN consisted of three enterprises: ANTONOV State COMPANY, Kharkiv State Aircraft Manufacturing Company (KSAMC) and State enterprise Plant 410 of Civil Aviation. In 2015, aiming to increase efficiency of the aircraft industry, the Government of Ukraine took decision to pass ANTONOV State COMPANY, KSAMC and State enterprise Plant 410 of Civil Aviation (i.e. all three enterprises of ANTONOV CONCERN) under management of UKROBORONPROM State Concern.
At that, ANTONOV State COMPANY continues to work. It performs full cycle of the aircraft creation – from pre−project scientific researches to construction, tests, certification, serial production and after−sale maintenance. As before, the COMPANY’s production is represented under ANTONOV brand.
The official information is published on the site of Ministry of Economic Development and Trade of Ukraine on the NEWS page.

Fonte: http://www.antonov.com/news/439

 

Link to comment
Share on other sites

O segundo An225 nunca chegou sequer a ser montado. Está há anos no esqueleto dentro de um hangar em Kiev, snme.

 

Simplesmente não tem mercado. O único em operação já supre todas as necessidades para um avião cargueiro desse porte e ainda assim deve ter um bom tempo ocioso.

Link to comment
Share on other sites

Nunca vi um Antonov pessoalmente e pelas fotos não dá pra perceber o quão grande é.. Já o Beluga é gigante, até pelas fotos dá pra notar. O Antonov é muito maior que o Beluga?

Link to comment
Share on other sites

Nunca vi um Antonov pessoalmente e pelas fotos não dá pra perceber o quão grande é.. Já o Beluga é gigante, até pelas fotos dá pra notar. O Antonov é muito maior que o Beluga?

image_zpsc1a416ef.jpg

Link to comment
Share on other sites

Nunca vi um Antonov pessoalmente e pelas fotos não dá pra perceber o quão grande é.. Já o Beluga é gigante, até pelas fotos dá pra notar. O Antonov é muito maior que o Beluga?

 

Tem uma outra diferença importante entre ambos. O Beluga é feito para carga volumosas, porém com pouco peso. Já o An225 consegue levar cargas volumosas e pesadas.

Link to comment
Share on other sites

  • 3 months later...
Para que é usado o Antonov 225, o maior avião do mundo?
Aeronave russa, que tem 84 m de comprimento e pesa 175 toneladas, é grande o suficiente para transportar 50 carros, sendo também usado para missões humanitárias.

bbc.gif

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/05/para-que-e-usado-o-antonov-225-o-maior-aviao-do-mundo.html

17/05/2016 09h38 - Atualizado em 17/05/2016 09h38
Da BBC
Quando a aterrissagem de um avião de carga atrai 20 mil pessoas, é algo especial.
antonov.jpg
Aeronave russa tem 84 m de comprimento e pesa 175 toneladas (Foto: BBC)

Foi o que ocorreu na cidade australiana de Perth no domingo, quando recebeu o Antonov An-225 Mriya.

Trata-se do maior avião do mundo: mede 84 metros de comprimento, tem 88 metros de envergadura (distância entre a ponta das asas) e pesa 175 toneladas sem carga e combustível. É o único exemplar em atividade.

antonov2.jpg
Antonov An-225 Mriya decola no dia 12 de maio no aeroporto de Vaclav Havel para voo entre Praga e Perth (Foto: David W Cerny/Reuters)

Mercado limitado
Na viagem para a Austrália, o Antonov, que partiu de Praga, na República Tcheca, e fez escalas no Oriente Médio e na Ásia, transportou um gerador de 117 toneladas. Seu compartimento de carga tem capacidade para 50 automóveis.

O interesse pela chegada do avião provocou engarrafamentos em Perth.

Mas quem precisa de um avião tão grande?

O Antonov foi originalmente construído para transportar o Buran, o malfadado ônibus espacial soviético que fez apenas um voo (não-tripulado), em 1988. O que ajuda a explicar também as proporções de seu compartimento de carga: 43 metros de comprimento, 6,4 metros de largura e 4,4m de altura.

"Você não verá essa aeronave com frequência porque o mercado para ela é limitado", diz Laurie Price, especialista da empresa de consultoria aeronáutica Mott MacDonald Aviation.

"A vasta maioria dos tipos de carga aérea (99,5%), pode ser transportada por Boeings 747, mas ainda haverá um mercado de nicho (para o Antonov)".

O Antonov fez seu primeiro voo em 1988 e começou a operar no ano seguinte. Os planos de construir mais unidades foram cancelados pelo fim da União Soviética e o colapso do programa Buran.

A aeronave foi aposentada em 1994, mas voltou a ser usada sete anos mais tarde. Não tem sido usada apenas para fins comerciais e já foi comissionada para operações humanitárias como, por exemplo, o terremoto no Haiti, em 2010, e a tsunami em Fukuoka, no Japão, em 2011.

Com seis turbinas, o An-225 pode carregar até 250 toneladas, uma capacidade de carga muito maior que a de concorrentes como o Boeing 747-800 (140 toneladas) e o Airbus 330 (65).

Mas em uma era marcada pelo aumento na capacidade de navios de carga, não seria mais simples enviar produtos como o supergerador de 117 toneladas pelo mar?

"O custo seria imenso e a operação poderia demorar meses", explica Price.

"Você, provavelmente, teria que remover postes de luz das ruas no porto (para fazer o transporte)".

O An-225 perde em envergadura para o "Spruce Goose", o avião desenhado pelo milionário americano Howard Hughes e que fez um único voo de teste, em 1947.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade