Jump to content

Irã quer comprar 50 aviões da Embraer em negociações com governo brasileiro


747-8 Victor

Recommended Posts

BRASÍLIA (Reuters) - O governo iraniano tem interesse em comprar 50 aviões da fabricante brasileira Embraer EMBR3.SA e mais de 100 mil táxis a gás de montadoras brasileiras, informou à Reuters uma fonte do Palácio do Planalto nesta segunda-feira.


O governo do Irã também quer comprar ônibus e caminhões brasileiros, em um pacote de negócios que começou a ser tratado em outubro, quando o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto, foi ao Irã com uma comitiva de 30 empresários. A negociação teve sequência há duas semanas, em um encontro entre a presidente Dilma Rousseff e o embaixador do Irã no Brasil, Mohammad Ali Ghanezadeh Ezabadi.


Na semana passada, Monteiro afirmou em entrevista à Reuters que o Brasil pretende triplicar o comércio com o Irã nos próximos três anos, especialmente na área de alimentos, proteínas e transportes, e considera aceitar o uso de outras moedas nas transações em vez do dólar, como o euro, para evitar barreiras financeiras. A meta é alcançar uma corrente comercial de 5 bilhões de dólares nesse período.


A compra de aviões da Embraer já está em negociação. O Irã precisa repor toda a frota de aviação, depois de anos de embargo em que foi impedido de fazer importações. Depois de fechar um negócio de 114 Airbus, o país precisa também repor a frota de aviação regional.


Além disso, o país precisa repor toda a frota de táxis, caminhões e ônibus do país. Inicialmente, a fonte havia informado que seriam 60 mil táxis, mas depois retificou o número para mais de 100 mil.


De acordo com a fonte palaciana, estão sendo negociados ainda acordos nas áreas de nanotecnologia, microbiologia e aeroespacial. Há, ainda, a possibilidade de investimentos iranianos na compra de refinarias no Brasil.



Link - Reuters


Link to comment
Share on other sites

Só se os americanos deixarem e com certeza levarem uma caixinha nisso tudo, não abriram o Irã p que outros países lucrem c isso. Mas vai ser um mercado interessante p pilotos expatriados.

Link to comment
Share on other sites

Quero só ver o congresso americano liberando algum avião da Embraer, com motor PW...

 

Só lembrar que o AMX, ops, A-1 não foi vendido para los hermanos por ter motor inglês RR Spey...

 

Essas coisas são muito complexas, não é só o Brasil e o Irã quererem.

Mas torço pra que sim, que dê certo, e que venha um belo contrato. Afinal a Airbus já está sorrindo depois da encomenda dos aiatolás....

Link to comment
Share on other sites

Tenho a mesma visão, se a Airbus vendeu um baita leque de aeronaves pro Irã não há nada para impedir a negociação. A não ser que o governo americano queira sacanear o Brasil (mas isso não acontece).

 

Vai ver eles querem trocar os F100 da Iran Air que já estão a muito tempo em operação por lá.

Link to comment
Share on other sites

Não será compra e sim arrendamento, acho que querem modernizar imediatamente a frota iraniana:

 

Irã encomenda 50 aviões da Embraer
Da AFP
O Irã, que pretende modernizar a sua frota de aviões, encomendou 50 aeronaves do grupo brasileiro Embraer, terceira maior fabricante de aeronaves comerciais do mundo depois da Boeing e da Airbus, informou nesta terça-feira um porta-voz do governo iraniano.
Como outras encomendas feitas desde a suspensão das sanções internacionais em janeiro sob o Acordo nuclear iraniano com as grandes potências, trata-se de um contrato de arrendamento, de acordo com o porta-voz Mohammad Bagher Nobakht.
"O governo não vai gastar seus recursos limitados em coisas como a compra de aviões", acrescentou, citado pela agência Mizan (ligada ao Poder Judiciário iraniano).
O Irã já anunciou a compra de 40 aeronaves ao grupo francês ATR, líder mundial em aeronaves turboélice e assinou um contrato para a compra de 118 aeronaves Airbus para serem entregues nos próximos quatro anos.
A encomenda junto ao Airbus inclui 73 aeronaves de fuselagem larga e 45 de corredor único (longo e médio alcance) por um montante de 10 a 11 bilhões de dólares, de acordo com o vice-ministro dos Transportes, Asghar Fakhrieh Kashan.
Trata-se igualmente de um contrato de arrendamento, de acordo com o porta-voz do governo.
Cerca de 85% do financiamento virá da Airbus e bancos europeus, declarou por sua parte Farhad Parvaresh, o presidente da Iran Air.
A indústria aérea no Irã esteve sujeita a um embargo dos Estados Unidos desde 1995, que impedia os fabricantes ocidentais de vender equipamentos e peças de reposição para empresas iranianas, acabando com parte de sua frota.
A frota iraniana tem atualmente 140 aeronaves em operação, cuja idade média é de cerca de 20 anos.
O chefe da aviação civil iraniana havia indicado em meados de abril que o Irã precisaria de 400 a 500 aviões na próxima década.
Link to comment
Share on other sites

 

[...] encomendou 50 aeronaves [...]

 

 

Já está certa a negociação? E onde vão encontrar 50 E-Jets no mercado dando sopa? Os ERJ tem bastante no deserto.

Link to comment
Share on other sites

 

Já está certa a negociação? E onde vão encontrar 50 E-Jets no mercado dando sopa? Os ERJ tem bastante no deserto.

Não são 50 aeronaves pra "amanhã" vide os Airbus que serão entregue ao longo de 4 anos...

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

 

Não será compra e sim arrendamento, acho que querem modernizar imediatamente a frota iraniana:

 

Irã encomenda 50 aviões da Embraer
Da AFP
O Irã, que pretende modernizar a sua frota de aviões, encomendou 50 aeronaves do grupo brasileiro Embraer, terceira maior fabricante de aeronaves comerciais do mundo depois da Boeing e da Airbus, informou nesta terça-feira um porta-voz do governo iraniano.
Como outras encomendas feitas desde a suspensão das sanções internacionais em janeiro sob o Acordo nuclear iraniano com as grandes potências, trata-se de um contrato de arrendamento, de acordo com o porta-voz Mohammad Bagher Nobakht.
"O governo não vai gastar seus recursos limitados em coisas como a compra de aviões", acrescentou, citado pela agência Mizan (ligada ao Poder Judiciário iraniano).
O Irã já anunciou a compra de 40 aeronaves ao grupo francês ATR, líder mundial em aeronaves turboélice e assinou um contrato para a compra de 118 aeronaves Airbus para serem entregues nos próximos quatro anos.
A encomenda junto ao Airbus inclui 73 aeronaves de fuselagem larga e 45 de corredor único (longo e médio alcance) por um montante de 10 a 11 bilhões de dólares, de acordo com o vice-ministro dos Transportes, Asghar Fakhrieh Kashan.
Trata-se igualmente de um contrato de arrendamento, de acordo com o porta-voz do governo.
Cerca de 85% do financiamento virá da Airbus e bancos europeus, declarou por sua parte Farhad Parvaresh, o presidente da Iran Air.
A indústria aérea no Irã esteve sujeita a um embargo dos Estados Unidos desde 1995, que impedia os fabricantes ocidentais de vender equipamentos e peças de reposição para empresas iranianas, acabando com parte de sua frota.
A frota iraniana tem atualmente 140 aeronaves em operação, cuja idade média é de cerca de 20 anos.
O chefe da aviação civil iraniana havia indicado em meados de abril que o Irã precisaria de 400 a 500 aviões na próxima década.

 

 

Cheguei do Irã mês passado, é urgente a renovação (e ampliação) da frota. Apesar de ser lindo ver A300 fazendo voo de 40 minutos, Mad-Dogs cantando nas decolagens e alguns raros 727 ainda desfilando, sabemos o custo disto.

 

É muita gente voando, o país tem um mercado interno muito forte, roda muito dinheiro lá dentro. Depois que a gente desliga a CNN e vai lá conhecer, dá pra entender melhor.

 

O "novo" Irã é a nova onda de todos os mercados, todo mundo querendo uma fatia do bolo. 80% das barreiras econômicas já foram liquidadas (inclusive com o "inimigo" yankee), quem desembarca no IKA já dá de cara com um Ibis e um Novotel novíssimos.

 

Um país sensacional, recomendo.

Link to comment
Share on other sites

Pois é, eu ja tive a oportunidade de ver alguns documentários e reportagens sobre a pujante economia Iraniana, na verdade eles até se parecem um pouco com o povo brasileiro. No nosso imaginário há muitas mitologias disseminadas que não correspondem com a verdade. Lógico, que o modo de governança lá é diferente, o Líder Supremo é de certo modo quem dá a palavra final, mas isso é da Cultura deles. Nós temos que começar a desmistificar certas imagens do oriente, sobretudo o que eles tem a nos oferecer para o comércio. Tem muito dinheiro e querem comprar. Além de tudo é um país belíssimo. Que essas vendas se concretizem, e o Brasil venda muita coisa ao Iran, afinal de contas estamos precisando muito.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade