Jump to content

Avião cargueiro faz pouso forçado no Aeroporto Internacional de Brasília


Recommended Posts

Avião cargueiro faz pouso forçado no Aeroporto Internacional de Brasília

Informações preliminares apontam que a aeronave precisou jogar combustível fora por estar acima do peso

 

20160307140606458310e.jpg

Segundo a Força Aérea Brasileira (FAB) o avião declarou emergência por ter apresentado problema no trem de pouso

 

Um cargueiro modelo DC-10 da companhia venezuelana Solar fez um pouso forçado no Aeroporto Internacional de Brasília por volta das 12h desta segunda-feira (7/3). Segundo a Força Aérea Brasileira (FAB) o avião declarou emergência por ter apresentado problema no trem de pouso.

Informações preliminares apontam que a aeronave precisou queimar combustível fora por estar acima do peso. Por isso o carguiero teve que ficar dando voltas em Brasília. A aterrissagem foi realizada sem acidente e feridos.

No momento chove muito no local e alguns passageiros relatam atrasos e cancelamento nos voos.
Link to comment
Share on other sites

Avião cargueiro faz pouso de emergência no aeroporto do DF Piloto comunicou problemas técnicos antes de aterrissagem, diz FAB.

Voo partiu de Caracas com destino a Brasília; ninguém ficou ferido.

 

aviao.jpg

 

 

Um avião cargueiro da companhia aérea venezuelana Solar teve de fazer um pouso de emergência no Aeroporto de Brasília na manhã desta segunda-feira (7). De acordo com a Força Aérea Brasileira (FAB), o piloto comunicou à torre de controle "problemas técnicos" e pediu autorização para pousar, por volta das 11h45. A FAB não informou que tipo de problema afetou o avião.

Uma imagem obtida pelo G1 mostra que os flaps (equipamento na asa que serve para aumentar o atrito com o vento, causando a desaceleração do avião) não estavam abertos pouco antes do pouso. Inicialmente, o órgão havia informado que havia sete tripulantes a bordo, mas depois disse que o número não estava confirmado. Ninguém ficou ferido.

O voo vinha de Caracas, capital da Venezuela, e tinha como destino final Brasília. Após o pouso, a aeronave teve de ficar parada na pista para passar por avaliação.

De acordo com a Inframerica, consórcio que administra o aeroporto, os bombeiros do terminal ficaram de prontidão no momento da aterrisagem. Não houve atrasos em pousos e decolagens por conta do incidente. Procurada, a companhia Solar não se manifestou até a publicação desta reportagem.

 

 

http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2016/03/aviao-cargueiro-faz-pouso-de-emergencia-em-aeroporto-do-df.html

Link to comment
Share on other sites

Nossa... Mais duas pérolas da imprensa.... Se ele tinha BSB como destino, Pq teve que "queimar combustível fora por estar acima do peso"...?!?!?!?!?!?

Link to comment
Share on other sites

Nossa... Mais duas pérolas da imprensa.... Se ele tinha BSB como destino, Pq teve que "queimar combustível fora por estar acima do peso"...?!?!?!?!?!?

Ah porque a noticia tava muito sem graça né...sem feridos nem nada...tinham que achar alguma coisa...

Link to comment
Share on other sites

Nossa... Mais duas pérolas da imprensa.... Se ele tinha BSB como destino, Pq teve que "queimar combustível fora por estar acima do peso"...?!?!?!?!?!?

 

Talvez não seja tão pérola assim, uma vez em CWB um 747-200 cargueiro, não me lembro a companhia, chegou acima do peso e teve que fazer umas 3 ou 4 orbitas sobre a cidade, não havia problema mecânico, apenas excesso de peso. Fato saiu até na imprensa, pois diversas pessoas ligaram para o corpo de bombeiros assustadas pelo 747 passando baixo e bastante ruidoso como é o 747-200 por várias vezes sobre a cidade.

Pessoal de CWB, me ajudem a lembrar qual companhia era esse 747-200!

 

 

 

Abraços

Link to comment
Share on other sites

E se o problema tiver sido nos flapes mesmo, é interessante consumir combustível sim. Voltando à formula da sustentação:

 

sustentação = 1/2 * (densidade do ar) * (coeficiente de sustentação da asa) * (superfície alar) * (velocidade em relação ao ar)^2

 

No pouso o objetivo é reduzir ao máximo a velocidade para minimizar a distância de frenagem. Com os flapes fora de serviço, o coeficiente de sustentação cai brutalmente em relação ao de um avião com flapes operacionais. Não sei que tipo de flapes o DC-10 usa, mas eventualmente a área da asa também aumenta. Não tem como mudar a densidade do ar, portanto a única maneira de diminuir a velocidade é diminuir a sustentação necessária. E para isso, bora queimar combustível já que a sustentação deve equilibrar o peso.

 

Outro ponto a favor de queimar combustível, essa diminuição no peso do avião é proporcional à economia de energia na freagem. A energia a ser dissipada na frenagem é essencialmente cinética, e

 

(Energia cinética) = 1/2 * massa * velocidade^2.

 

Uma velocidade de aproximação maior tem bastante impacto na energia cinética a ser dissipada, portanto qualquer diminuição na massa do avião é bem vinda.

 

Não sou piloto, mas por curiosidade, algum manual prescreve esse procedimento de alijar em caso de panes nos flapes?

 

Enfim... por mim, o erro da imprensa é dizer que os flapes estão aí para aumentar o atrito do ar com o avião. É antes para aumentar a sustentação. O arrasto adicional é só um efeito colateral indesejado em si.

Link to comment
Share on other sites

Só uma dúvida: Esse voo cargueiro entre BSB e CCS é regular?

 

Creio que não, se for é operado com outra aeronave pois não me lembro de ver/ouvir DC-10 operando aqui.

Link to comment
Share on other sites

Posted · Hidden by Bonotto, March 8, 2016 - então vá para outro forum
Hidden by Bonotto, March 8, 2016 - então vá para outro forum

Imprecionante: primeiro se critica a imprensa, depois se discute o assunto em questão...

Tem muito jornalista neste fórum de aviação

Link to comment
Posted · Hidden by Bonotto, March 8, 2016 - resp. post apagado
Hidden by Bonotto, March 8, 2016 - resp. post apagado

Imprecionante: primeiro se critica a imprensa, depois se discute o assunto em questão...

Tem muito jornalista neste fórum de aviação

Eu já não vi nada de impreSSionante nas críticas à reportagem, que na quase totalidade das vezes são escritas por gente sem noção e que só geram pânico e puro sensacionalismo nas pessoas.

Link to comment

Talvez não seja tão pérola assim, uma vez em CWB um 747-200 cargueiro, não me lembro a companhia, chegou acima do peso e teve que fazer umas 3 ou 4 orbitas sobre a cidade, não havia problema mecânico, apenas excesso de peso. Fato saiu até na imprensa, pois diversas pessoas ligaram para o corpo de bombeiros assustadas pelo 747 passando baixo e bastante ruidoso como é o 747-200 por várias vezes sobre a cidade.

Pessoal de CWB, me ajudem a lembrar qual companhia era esse 747-200!

 

 

 

Abraços

Eu já ouvi essa história, parece que era um 747 da Kalitta Air.

Link to comment
Share on other sites

Pera aí? Foi trem ou flap????

 

"Uma imagem obtida pelo G1 mostra que os flaps (equipamento na asa que serve para aumentar o atrito com o vento, causando a desaceleração do avião) não estavam abertos pouco antes do pouso."

 

Se isso não é uma "pérola", não sei mais o que seria uma....

 

Imprensa sensacionalista....

 

Sem mais....

 

Abs

Link to comment
Share on other sites

Pera aí? Foi trem ou flap????

 

"Uma imagem obtida pelo G1 mostra que os flaps (equipamento na asa que serve para aumentar o atrito com o vento, causando a desaceleração do avião) não estavam abertos pouco antes do pouso."

 

Se isso não é uma "pérola", não sei mais o que seria uma....

 

Imprensa sensacionalista....

 

Sem mais....

 

Abs

na foto da matéria dá para ver claramente os conjuntos de trens de pouso totalmente estendidos, mas os flaps não.

Link to comment
Share on other sites

na foto da matéria dá para ver claramente os conjuntos de trens de pouso totalmente estendidos, mas os flaps não.

Roadster, sei que você é piloto, então não tenho nem conhecimento para ensinar o padre a rezar a missa :-) , mas para os demais leigos, como eu, segue imagem de um DC-10 com os flaps "arriados":

 

http://img11.deviantart.net/4261/i/2011/233/7/d/fedex_dc_10_landing_by_shelbs2-d47en7m.jpg

Link to comment
Share on other sites

Posted · Hidden by Bonotto, March 8, 2016 - tocando fogo
Hidden by Bonotto, March 8, 2016 - tocando fogo

Daqui a pouco vão exigir que portais leigos escrevam suas notícias sobre aviação de acordo com os padrões do AV Herald, não esquecendo do METAR, TAF, descrição da STAR, frequências sintonizadas, cópia do plano de voo, check-list...

 

Se essa foto foi real, os flaps parecem quase que totalmente recolhidos. Para os entendidos em DC10, dá muita diferença na velocidade final?

Link to comment

 

Creio que não, se for é operado com outra aeronave pois não me lembro de ver/ouvir DC-10 operando aqui.

Não sendo regular, o que será que esse passarinho trouxe da Venezuela para cá ou vai levar para lá? Sei lá, só curioso...

Link to comment
Share on other sites

Incident: Solar Cargo DC10 at Brasilia on Mar 7th 2016, flaps up landing

By Simon Hradecky, created Tuesday, Mar 8th 2016 14:15Z, last updated Tuesday, Mar 8th 2016 14:15Z

 

A Solar Cargo McDonnell Douglas DC-10 freighter, registration YV524T performing a freight flight from Caracas (Venezuela) to Brasilia,DF (Brazil) with 7 crew, was on approach to Brasilia when the crew could not extend the flaps, aborted the approach and entered a hold to work the related checklists. The crew was unable to get the flaps to move and performed a flaps up landing on runway 11L at a higher than normal speed. The aircraft rolled out safely, stopped on the runway with a number of tyres deflating and was checked by emergency services before being towed to the apron.

ATC Brasilia reported that the aircraft likely experienced a bird strike during departure from Caracas against the slats of the aircraft, which went unnoticed by the crew. Only when the crew attempted to extend the flaps on approach to Brasilia the malfunction became apparent forcing the crew to perform a flaps up landing at high speed. Due to energy needed to be absorbed by the brakes a number of brakes overheated causing a number of tyres to deflate.

 

Fonte: http://avherald.com/h?article=49516591&opt=0

Link to comment
Share on other sites

Eu não costumo comentar muito esse assunto, pois aqui é um fórum de aviação não é para ficar corrigindo erros de imprensa, mas já que não há mais nada a acrescentar sobre o caso do DC-10, vou comentar parte de imprensa, eu entendo o seguinte, nenhum jornalista é obrigado a saber tecnicamente nenhum assunto certo? Certo, então não escreva em sua reportagem aquilo que não se sabe.

 

Pois a função do jornalista/jornalismo é informar a população com informações corretas e precisas, deu uma descrição do flap totalmente errada, passou uma informação errada aos seus leitores. Sei que o jornalista sofre aquela pressão de dar a primeira notícia a todo custo, mas isso não justifica, que ele faça sua rede de contatos, para quando envolver situações deste tipo, um telefonema pode sanar todas suas dúvidas.

 

Uma simples busca na internet também, ficaria sabendo para que serve os flapes, mas não adianta também entrar no primeiro site e já publicar, pesquisar um pouquinho para ter certeza daquilo que vai publicar é o trabalho de um bom jornalista.

 

No mais penso só o seguinte, no assunto que possuímos conhecimento vemos pérolas em cima de pérolas, imagino naqueles assuntos que desconhecemos, imagino cada sapo que nós engolimos diariamente e nem estamos sabendo.

 

 

 

Abraços

Link to comment
Share on other sites

Posted · Hidden by Bonotto, March 8, 2016 - resp. post apagado
Hidden by Bonotto, March 8, 2016 - resp. post apagado

Daqui a pouco vão exigir que portais leigos escrevam suas notícias sobre aviação de acordo com os padrões do AV Herald, não esquecendo do METAR, TAF, descrição da STAR, frequências sintonizadas, cópia do plano de voo, check-list...

 

Se essa foto foi real, os flaps parecem quase que totalmente recolhidos. Para os entendidos em DC10, dá muita diferença na velocidade final?

Basta não DRAMATIZAR e já está bom demais a informação, agora falar de feridos, citar atrito de flap e outras baboseiras é só para dramatizar e dar contornos de tragédia ao assunto.

Link to comment

Eu não costumo comentar muito esse assunto, pois aqui é um fórum de aviação não é para ficar corrigindo erros de imprensa, mas já que não há mais nada a acrescentar sobre o caso do DC-10, vou comentar parte de imprensa, eu entendo o seguinte, nenhum jornalista é obrigado a saber tecnicamente nenhum assunto certo? Certo, então não escreva em sua reportagem aquilo que não se sabe.

 

Pois a função do jornalista/jornalismo é informar a população com informações corretas e precisas, deu uma descrição do flap totalmente errada, passou uma informação errada aos seus leitores. Sei que o jornalista sofre aquela pressão de dar a primeira notícia a todo custo, mas isso não justifica, que ele faça sua rede de contatos, para quando envolver situações deste tipo, um telefonema pode sanar todas suas dúvidas.

 

Uma simples busca na internet também, ficaria sabendo para que serve os flapes, mas não adianta também entrar no primeiro site e já publicar, pesquisar um pouquinho para ter certeza daquilo que vai publicar é o trabalho de um bom jornalista.

 

No mais penso só o seguinte, no assunto que possuímos conhecimento vemos pérolas em cima de pérolas, imagino naqueles assuntos que desconhecemos, imagino cada sapo que nós engolimos diariamente e nem estamos sabendo.

 

 

 

Abraços

Perfeito....

 

 

Aquela foto da aeronave em aproximação já demonstrava pela atitude da aeronave que era um problema de flap... O DC-10 vem pra pouso com o nariz bem mais alto..

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade