Jump to content

Congonhas terá terminal ampliado e novo estacionamento


A345_Leadership

Recommended Posts

Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2016/04/1759317-aeroporto-de-congonhas-tera-terminal-ampliado-e-novo-estacionamento.shtml ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha faz na qualidade de seu jornalismo. Se precisa copiar trecho de texto da Folha para uso privado, por favor logue-se como assinante ou cadastrado.

 

16100103.jpeg

 

Link to comment
Share on other sites

Li inúmeras vezes a palavra pressão. Isso nem sempre funciona, parece que a Infraero está bolando algo que esqueceu de combinar com os russos. De qualquer forma eu sou a favor, já que a restrição de movimentos foi algo mais político que técnico.

Link to comment
Share on other sites

Curiosidade: há como ampliar a pista de CGH nos moldes de FNC? Ou seria "muito custoso" pros padrões Infraero?

 

Curiosidade: exatamente o que foi feito em FNC?

Link to comment
Share on other sites

Melhor não pessoal...

 

Seria Mais uma obra superfaturada ! Com certeza com asfalto da pior qualidade, ondulações até não poder mais e com grande chance de desabamento.

 

Esse é o padrão brasileiro, portanto, melhor deixar do jeito que está.

Link to comment
Share on other sites

Isso

 

d5ejLBj.jpg

 

Sobre a Washington Luís (ou talvez do outro lado) mas já viu

Na minha concepção a pista não deveria ser ampliada. Esse serviço deveria sim ser feito com uma porção de um lado por cima da W. Luiz, e uma porção por cima do Jabaquara mas ao invés de asfalto, a extensão deveria ser coberta com EMass e funcionar apenas como área de escape em casos de emergência como RTO ou em caso de alguma aeronave varar a pista.
Link to comment
Share on other sites

Se aproximarem a pista auxiliar dos galpões e fizerem com que esta nova pista fosse esticada até o fim(nas duas pontas) isso não seria mais barato e permitiria pousos simultâneos e utilização de ambas pistas?

Link to comment
Share on other sites

Congonhas precisa de uma reestruturação completa; derruba tudo e refaz tudo novo do zero; mas isso só na mão da iniciativa privada!

Pior que tinha um projeto de fazer um novo terminal, do outro lado da pista, outra conficuracao, mas pelo visto vai ser so uma extensao do terminal atual.

 

Agora por que aumentar a capacidade de terminal pra 25 se a capacidade de pista e' 30-35 milhoes ano.

Link to comment
Share on other sites

Congonhas precisa de uma reestruturação completa; derruba tudo e refaz tudo novo do zero; mas isso só na mão da iniciativa privada!

Grande parte do sítio aeroportuario, incluindo alguns hangares, é patrimônio histórico. Não pode ser alterado, derrubado ou ter sua estrutura modificada.

Link to comment
Share on other sites

Maior número de pax sem aumentar a capacidade da pista? Qual a finalidade disso?

Quero crer que o estudo é mais profundo e não foi abordado na reportagem por não ser do interesse do leitor comum.

Abraços.

Link to comment
Share on other sites

Construir igual fizeram em FNC é um tremendo crime na paisagem paulistana, que já não é das melhores. FNC foi liberado por que não havia especificações da ICAO, FAA ou outro orgão a respeito desse tipo de operação, mal tinham modelos de simulações para este tipo de operação.

 

Congonhas, no longo prazo (30 anos) deveria ser desativado. Mas para isso ocorrer serão necessárias diversas obras junto com os outros aeroportos (SBMT, GRU e VCP).

 

GRU: criar a bendita pista doméstica ao norte do aeródromo, ou a opção de destruir os terminais existentes e construir uma nova pista lá, mas seria construir um aeroporto do zero. O custo seria bilionário, na casa dos R$ 30 bi. Para completar, Linhas 2, 13 e 19 chegando em GRU. A L19 deveria ter 4 vias, 2 para o Expresso Aeroporto e 2 para o Metrô convencional. Soma a isso mais uns 20 bi.

 

VCP: construção de um trem expresso (120km/h) saindo do centro até o aeroporto. Custo: uns R$ 5 bi.

 

SBMT: desativação do PAMA (vai para SJK) e atividades que não dependem de estarem na cidade de SP serem convidadas a irem para outros aeroportos (Jundiaí, Bragança e Amarais). O aeroporto seria regional, a pista com PCN maior para permitir aeronaves de até 100 lugares fazerem alguns VDC. Ligação com a Linha 1 via Monorail ou nos moldes do Orlyval.

 

Mas essas coisas nunca serão feitas, pois temos visão tacanha das coisas, o imenso terreno de CGH poderia gerar rendimentos para as 3 esferas de governo na ordem de dezena de bilhões de reais. E assim continuaremos com a nossa falsa visão que muitos aeroportos significam pujança. São Paulo tem 3 aeroportos que mal funcionam como 1.

 

Agora admitindo que mexerão em CGH, que façam a ampliação do terminal descente, que as 10 novas paradas tenham largura para aeronaves mais largas, por que se querem aumentar a operações com o mesmo número de pousos/decolagens, só aumentando a capacidade das aeronaves.

 

E na busca de atrair receitas e diminuir o rombo, não duvido que a Infraero abre operações internacionais em CGH. Aliás na reportagem um especialista sugere isso e a empresa diz que no momento não tem planos.

Link to comment
Share on other sites

Leader, nao precisa aumentar numero de pousos e decolagens, 34 mov. hora, 18 horas por dia, com 150 pax por voo (738 e A320 85% LF) ja passou de 30 milhoes. Primeiro precisa crescer numero de pax, depois as empresas serem mais eficientes.

Link to comment
Share on other sites

Maior número de pax sem aumentar a capacidade da pista? Qual a finalidade disso?

Quero crer que o estudo é mais profundo e não foi abordado na reportagem por não ser do interesse do leitor comum.

Abraços.

 

Talvez evitar tantos embarques e desembarques na remota. Ao menos comigo cerca de 40% das vezes que passo por lá acabo usando a remota e quando chove é de dar raiva.

Link to comment
Share on other sites

Fora que estamos caminhando para o aumento médio do tamanho dos aviões. Verdade seja dita já há alto uso das remotas em diversos horários do dia, para operação de aviões como o 738 e A320 que embarcam mais de 170 pax em hora pico.

 

Se eu fosse a Infraero colocaria um centro de convenções nas instalações da sede. Com a queda dos 1500km e aumento de capilaridade o aeroporto pode fazer diversos eventos de um dia facilitando o deslocamento de todos.

Link to comment
Share on other sites

Grande parte do sítio aeroportuário, incluindo alguns hangares, é patrimônio histórico. Não pode ser alterado, derrubado ou ter sua estrutura modificada.

Entendo; mas;

Entendo, mas, tem coisas que devem ser deixadas pra traz, a área de SBSP é grande o suficiente para receber um terminal totalmente novo e eficiente; é também grande o suficiente para receber uma área destinada a aviação geral esta inclusive com facilidades como RF & PF para voos internacionais.

Um trem expresso ligando SBSP - SBGR - SBKP - SBMT - Jundiaí - Sorocaba - São Jose dos Campos resolveria muita coisa,

Outra opção para aumentar a segurança, seria indenizar e remover as famílias e empresas que estão na curta final da 35 isso ira proporcionar uma area para aumentar o comprimento da pista e deslocar a 17 consequentemente aumentando as RESA.

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Tem de sair aqueles hangares perto do fim do pier e estender o pier virando a "esquina"....

 

Grande parte do sítio aeroportuario, incluindo alguns hangares, é patrimônio histórico. Não pode ser alterado, derrubado ou ter sua estrutura modificada.

 

Maior número de pax sem aumentar a capacidade da pista? Qual a finalidade disso?

Quero crer que o estudo é mais profundo e não foi abordado na reportagem por não ser do interesse do leitor comum.

Abraços.

 

ampliar CGH é menos aumentar a capacidade operacional do aeroporto (mas acho que deva, sim, se explorar um pouco mais a infraestrutura afinal já existente) e sim aumentar a lucratividade só que isso implica desatar muitos nós.

 

o tombamento é o primeiro mas é o menos impeditivo. a preservação da estação de passageiros de 1955 (elementos internos remanescentes e fachada para a av. washington luis) e do pavilhão de autoridades não atrapalha nada.

 

um dos hangares da Gol realmente está incluído no tombamento mas também não é grande problema, o que atrapalha mesmo é todo o restante da estrutura da companhia que ocupa um lugar estratégico e que poderia dar lugar a construção de um terminal completamente novo.

 

mapa+congonhas_1331334082.jpgsubir foto

 

aí começa a complicar: a Infraero estando sujeita à lei de licitação tem muito menos margem pra uma solução negociada, por exemplo, transferir a Gol para a área da Vasp. tudo tem que ser feito com concorrência e sujeito a contestações judiciais variadas. sem falar no vespeiro que já é a própria situação da massa falida da Vasp.

 

por isso não me espantaria se a ampliação do terminal envolvesse basicamente a extensão da sala de embarque, com margem para ampliação do setor de restituição de bagagens para incorporar a atual sala de embarque remoto que seria transferida para uma área nova.

 

como mesmo essa ampliação "menor" deve interferir nas áreas técnicas (hangar da gol e, salvo engano, tem comissaria ali também) próximas àquela "esquina" do pátio de aeronaves onde construíram a nova torre, é possível que tenha havido algum progresso nessa negociação de áreas concedidas e as perspectivas do projeto sejam melhores, um pouco mais ousadas. até porque a viabilidade de negócio depende da ampliação da área comercial dentro do próprio terminal.

 

o nó financeiro pode ser resolvido com essa privatização branca, forma encontrada de garantir dinheiro para a Infraero especificamente, e não para a União, mas acho pouco provável um centro de convenções ou shopping, no sentido estrito. provavelmente a Prefeitura cairia em cima com o impacto de trânsito, e faria bem porque a região não comportaria, mesmo considerando o monstrengo do monotrilho que um dia o Governo há de concluir.

 

já um hotel parece ótima idéia, inclusive incorporando salas de reuniões e áreas comerciais numa escala mais compatível. valeria ouro!

 

voos inter em CGH? eu truco!

 

 

esta solução de outro terminal é ridiculamente inviável. simplesmente não há espaço físico disponível no sítio aeroporturário, teria que partir para enormes desapropriações. sem falar no que seria feito com os hangares da executiva que teriam que ser transferidos sabe-se lá pra onde.

 

a construção de uma pista nova (hipótese 1) também é meio tosca porque se gastaria para diminuir a capacidade nominal do aeroporto, sem ganho de margem de segurança na pista nova, e dificilmente se conseguiria construí-la sem fechar o aeroporto.

Link to comment
Share on other sites

E haja elevador de alto tráfego pra operar um terminal a cinco andares da rua... até porque espaço pra rampas externas de veículos na área da Jurandir demandaria mais desapropriações que as necessárias só pra construção do terminal.

Link to comment
Share on other sites

 

 

 

 

 

 

ampliar CGH é menos aumentar a capacidade operacional do aeroporto (mas acho que deva, sim, se explorar um pouco mais a infraestrutura afinal já existente) e sim aumentar a lucratividade só que isso implica desatar muitos nós.

 

o tombamento é o primeiro mas é o menos impeditivo. a preservação da estação de passageiros de 1955 (elementos internos remanescentes e fachada para a av. washington luis) e do pavilhão de autoridades não atrapalha nada.

 

um dos hangares da Gol realmente está incluído no tombamento mas também não é grande problema, o que atrapalha mesmo é todo o restante da estrutura da companhia que ocupa um lugar estratégico e que poderia dar lugar a construção de um terminal completamente novo.

 

mapa+congonhas_1331334082.jpgsubir foto

 

aí começa a complicar: a Infraero estando sujeita à lei de licitação tem muito menos margem pra uma solução negociada, por exemplo, transferir a Gol para a área da Vasp. tudo tem que ser feito com concorrência e sujeito a contestações judiciais variadas. sem falar no vespeiro que já é a própria situação da massa falida da Vasp.

 

por isso não me espantaria se a ampliação do terminal envolvesse basicamente a extensão da sala de embarque, com margem para ampliação do setor de restituição de bagagens para incorporar a atual sala de embarque remoto que seria transferida para uma área nova.

 

como mesmo essa ampliação "menor" deve interferir nas áreas técnicas (hangar da gol e, salvo engano, tem comissaria ali também) próximas àquela "esquina" do pátio de aeronaves onde construíram a nova torre, é possível que tenha havido algum progresso nessa negociação de áreas concedidas e as perspectivas do projeto sejam melhores, um pouco mais ousadas. até porque a viabilidade de negócio depende da ampliação da área comercial dentro do próprio terminal.

 

o nó financeiro pode ser resolvido com essa privatização branca, forma encontrada de garantir dinheiro para a Infraero especificamente, e não para a União, mas acho pouco provável um centro de convenções ou shopping, no sentido estrito. provavelmente a Prefeitura cairia em cima com o impacto de trânsito, e faria bem porque a região não comportaria, mesmo considerando o monstrengo do monotrilho que um dia o Governo há de concluir.

 

já um hotel parece ótima idéia, inclusive incorporando salas de reuniões e áreas comerciais numa escala mais compatível. valeria ouro!

 

voos inter em CGH? eu truco!

 

 

esta solução de outro terminal é ridiculamente inviável. simplesmente não há espaço físico disponível no sítio aeroporturário, teria que partir para enormes desapropriações. sem falar no que seria feito com os hangares da executiva que teriam que ser transferidos sabe-se lá pra onde.

 

a construção de uma pista nova (hipótese 1) também é meio tosca porque se gastaria para diminuir a capacidade nominal do aeroporto, sem ganho de margem de segurança na pista nova, e dificilmente se conseguiria construí-la sem fechar o aeroporto.

A GOL ja é um problema. Observe o projeto divulgado pela folha de SP e pela Globo hoje nos seus jornais. A ampliacao em L que eles querem fazer, vai derrubar um bom pedaco da GOL e bloquear o acesso ao Hangar hoje tombado

Link to comment
Share on other sites

E haja elevador de alto tráfego pra operar um terminal a cinco andares da rua... até porque espaço pra rampas externas de veículos na área da Jurandir demandaria mais desapropriações que as necessárias só pra construção do terminal.

 

Caros, considerando o alto tráfego de pedestres, capaz do brilhante alcaide MALDDAD mandar a reduzir a velocidade máxima das aeronaves em CGH em 30 km/h.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade