Jump to content

Neeleman e Aerolíneas?


F-BVFA

Recommended Posts

Segundo o Relatório Reservado, que é tido no meio corporativo quase como um veículo de fofocas empresariais, David Neeleman é "candidatíssimo" para a compra da Aerolíneas Argentinas caso o governo Macri leve a frente o processo de privatização da companhia.

 

Nem Neeleman nem a Azul comentaram sobre o assunto.

Link to comment
Share on other sites

ele vai comprar o mundo daqui a pouco kkk

Link to comment
Share on other sites

Ele quer comprar dor de cabeça?

Não bastasse a chatice da TAP hahaha

Link to comment
Share on other sites

Só q os Argentinos nao fazem papel de gado como o Brasileiro a hora que ele chegar com o papinho de melhor emprego de seu vida, baixar salarios e etc...

Link to comment
Share on other sites

Só q os Argentinos nao fazem papel de gado como o Brasileiro a hora que ele chegar com o papinho de melhor emprego de seu vida, baixar salarios e etc...

Exatamente KTR, aqui impera a alienação pró patrão, o medíocre acha q puxando o saco do chefe significa ser ele um dia.

Link to comment
Share on other sites

Com a troca de comando na presidência da Argentina e com o atual momento da maior companhia aérea do país, o mais novo governo Mauricio Macri pode decidir em breve se levará, ou não, o processo de privatização da Aerolíneas Argentinas à frente. E com isso, entre os possíveis candidatos, pode pintar um nome que já é bem conhecido da indústria mundial de aviação por suas estratégias, fundação, aquisições e investidas em grandes companhias aéreas: o empresário David Neeleman.

De acordo com o Relatório Reservado, visto no meio corporativo como um veículo de assuntos empresariais exclusivos, Neeleman é considerado “candidatíssimo” para a compra da Aerolíneas Argentinas, isto caso o governo Macri leve a frente o processo de privatização. Até o momento, nem Neeleman, nem a Aerolíneas Argentinas comentaram sobre o assunto.

Fonte: mercado e eventos

 

Link to comment
Share on other sites

Depois da Jetblue, Azul+Tap+Aerolineas?

 

Como empresas, acho difícil.

 

Como investimentos de "fundos abutres", pode ser (comprando quando valor é 5% e vendido quando é 10% representa lucro de 100%).

Link to comment
Share on other sites

VCP ganharia muito com isto pois a AR poderia finalmente deslocar algumas de suas frequencias para aquele aeroporto ligando os hubs principais de ambas as cias.

Link to comment
Share on other sites

Ainda nao entendi esse fetiche de comprar empresas endividadas e a beira da falência.

 

Os americanos fazem muito isto. Compram uma empresa ( de qualquer segmento ), investem, reformam,

potencializam, otimizam, etc e com o passar do tempo colhem os lucros.

 

Tem um programa interessante na net chamado O Sócio, da para ter uma visão de como funciona isto.

Link to comment
Share on other sites

Os americanos fazem muito isto. Compram uma empresa ( de qualquer segmento ), investem, reformam,

potencializam, otimizam, etc e com o passar do tempo colhem os lucros.

 

Tem um programa interessante na net chamado O Sócio, da para ter uma visão de como funciona isto.

Eu ia mencionar esse programa! "O Sócio", se eu não me engano passa no History.

Link to comment
Share on other sites

Numa futura privatização eu chutaria uns 3 nomes sem contar o Neeleman com a AD para uma futura compra da AA

1°latam

2°avianca (se bem que esta em tratativa de comprar a macair)

3°Copa airlines

antigamente falavam da Gol mas creio ser muito improvavel.

tirando essas aí algum grupo de investidores ao um Canhedão da vida dos hermanos kkk

Link to comment
Share on other sites

Numa futura privatização eu chutaria uns 3 nomes sem contar o Neeleman com a AD para uma futura compra da AA

1°latam

2°avianca (se bem que esta em tratativa de comprar a macair)

3°Copa airlines

antigamente falavam da Gol mas creio ser muito improvavel.

tirando essas aí algum grupo de investidores ao um Canhedão da vida dos hermanos kkk

 

eles já tiveram um "Canhedo".. chamava grupo Marsans... acho que eles também não sabiam o que estavam fazendo e - da mesma forma - contavam com a "simpatia" do gobierno vigente à época... deu no que deu.

Link to comment
Share on other sites

Ainda nao entendi esse fetiche de comprar empresas endividadas e a beira da falência.

 

Resposta:

 

 

Como investimentos de "fundos abutres", pode ser (comprando quando valor é 5% e vendido quando é 10% representa lucro de 100%).

 

Foi o que fizeram com a dívida soberana da Argentina. Quando os títulos valiam nada, compraram pagando nada. Entraram na justiça e impediram a reestruturação. No final, ao impedir o deságio maior da reestruturação, ganharam uma fortuna.

 

Exemplo (números apenas ilustrativos): compraram a 10% e ao impedir o deságio maior, receberam 90%. De 10 para 90 dá um ganho de 80. 80 sobre 10 = 800% de ganho.

Link to comment
Share on other sites

Numa futura privatização eu chutaria uns 3 nomes sem contar o Neeleman com a AD para uma futura compra da AA

1°latam

2°avianca (se bem que esta em tratativa de comprar a macair)

3°Copa airlines

antigamente falavam da Gol mas creio ser muito improvavel.

tirando essas aí algum grupo de investidores ao um Canhedão da vida dos hermanos kkk

 

LATAM já tem filial na Argentina, Avianca já comprou a MacairJet. Chutaria a Delta, talvez até em parceria com a Air France/KLM, daria uma boa sinergia com as "futuras donas" e com a Gol, que também possui participação dessas duas empresas. Outra hipótese distante é a de surgir uma Etihad da vida, como surgiu na Alitalia.

Link to comment
Share on other sites

Ninguém sério vai comprar a Aerolíneas Argentinas sem a situação laboral estiver resolvida (entenda-se demissões e até mesmo a integração AR/AU).

 

O Maurício Macri tem que andar com cuidado, pois se vende a AR ele dá munição aos kirchneristas e oposição. Argentino é muito nacionalista e se alguém comprar e dizer que vai cancelar rotas internas de integração regional, vai arranjar dor de cabeça.

 

Investidor (normal ou abutre/ativista) gosta de comprar empresa que o governo já fez a limpa (estilo as privatizações do FHC nos anos 90), que tenha segurança jurídica - que não é o caso da Argentina e que tenha carta branca do governo para as reformas.

 

AR teoricamente é uma empresa com muito potencial e quem for comprar pode mudar o panorama da aviação na América do Sul.

 

- LATAM eu não vejo possibilidade, basta os pepinos da Tam (parte mais por causa da situação do país do que a empresa), vão preferir usar a 4M para crescer organicamente;

- Para Avianca seria diminuir a distância com a LATAM. Sinergias interessantes entre AV-O6-AR. A ONE pode usar a AR para Europa, algo como EZE-GRU-CDG. Mas Eframovich já fechou com a Macair, e ele tem experiência em retirar empresas aéreas do atoleiro (Avianca);

- Copa Airlines, não faz o perfil dela. A Copa Colômbia é exceção;

- Gol, seria uma união perfeita, mas duas com problemas financeiros? No mesmo esquema da ONE, a Gol poderia usar a AR para voar à Europa, mas concentrando no GIG, enquanto GRU poderia ser dividido em AEP com a AR e EZE com a G3. E criaria uma terceira força na região;

- Azul (entenda-se Neeleman)? Ele quer ser a Swissair brasileira?

 

Fora da região vejo poucos grupos interessados, talvez a Delta Airlines, mas no moldes da parceria com a Gol.

Link to comment
Share on other sites

Para a ARG tornar-se interessante para qualquer empresa no mundo, precisariam reduzir suas dívidas em, pelo menos, uns 60% e ter garantias do governo de que o montante da compra seria usado em retono na saúde financeira da empresa. Basicamente, seria como a polêmica venda da TransBrasil, reestrutura a empresa, vende por $1.00 simbólico com o dinheiro da venda sendo usado para a saúde financeira da empresa. A ARG é uma empresa que não vale a pena.

Link to comment
Share on other sites

No meu entendimento a ARG deveria deixar de existir, após isto ter regras claras e incentivo a aviação na Argentina.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade