Jump to content

TAP prevê transformar 150 mil escalas em estadas no próximo ano


Jorge 747

Recommended Posts

O novo programa Portugal Stopover vai permitir escalas de 24 a 72 horas em Lisboa ou Porto para passageiros de longo curso da TAP. Além de não pagarem mais pela viagem, os turistas vão ter acesso a descontos e experiências.

David Neeleman e Fernando Pinto chegaram de tuk tuk. O relógio marcava as 17:36 na Praça do Comércio, em Lisboa.

Já lá estavam figuras bem reconhecidas do sector do turismo, à sua espera: o sócio Humberto Pedrosa, a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, ou o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, por exemplo. E muitos hoteleiros.

Porquê? Para apresentar um novo programa que vai permitir aos passageiros de voos de longo curso da TAP fazerem uma escala de 24 a 72 horas em Lisboa ou Porto. Antes de seguirem para outro destino e sem terem de pagar mais por isso. No fundo, transformar escalas em estadas.

 

 

Portugal Stopover: assim se chama a iniciativa que conseguiu reunir em "tempo recorde" 150 entidades – como hotéis, restaurantes e empresas de animação turística – em torno de um objectivo comum: promover o sector.

Além da escala gratuita, existirão hotéis a preços exclusivos e experiências turísticas gratuitas. Tudo à distância de um site criado para o efeito. Os visitantes poderão ainda, quando estiverem no terreno, acompanhar a sua experiência lusitana por uma aplicação.

A TAP admite que tem os turistas norte-americanos como prioridade também nesta iniciativa. "É o momento certo para conquistar este mercado", afirmou o presidente Fernando Pinto.

Até porque se prevê que 27 milhões de norte-americanos visitem a Europa no próximo ano. "Uma grande fatia vai chegar às nossas terras", acredita o gestor.

"Se perguntarem nos Estados Unidos se conhecem Portugal, dizem que não. Mas querem conhecer. Antes, era muito difícil chegar aqui", contou o accionista da TAP, David Neeleman, à entrada. E lembrou o "bom acordo" conquistado com o Governo português após a renegociação da privatização.

O Portugal Stopover tem ainda o Brasil na mira, tendo em conta a meta de colocar o território nacional como um pólo aglutinador num "eixo atlântico" entre Europa, América e África. Em 2017 esperam-se 150 mil turistas adicionais devido a esta iniciativa. A partir do ano seguinte, o número deverá duplicar.

Fernando Pinto não quis revelar os valores de investimentos envolvidos mas falou no retorno: 150 milhões de euros para a economia nacional nos próximos três anos.


A capacidade de reunir mais de uma centena de parceiros numa fase inicial do projecto foi sendo destacada ao longo da apresentação do Portugal Spotover. "Se há erro que não podemos cometer é achar que, por tudo estar a correr bem, não devemos fazer nada", lembrou Fernando Medina. O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, sublinhou a vertente da inovação e completou a ideia: "Este é um exemplo da forma como queremos trabalhar o turismo".

Às 18:45, os parceiros foram chamados para assinar o manifesto em que assenta o projecto. Foram precisos cinco minutos para que o documento fosse lido na totalidade e assinado. Aí a TAP resumiu a cerimónia num ecrã: "trazemos o mundo para conhecer Portugal".

Tomara obtenham êxito. Portugal é um país lindíssimo.
Link to comment
Share on other sites

Vi que agora no sítio da TAP há um modo de reservar automaticamente com essa parada. Mas desde muito tempo sei que é possível reservá-la utilizando a opção "múltiplos destinos", sendo a primeira parada gratuita e a segunda por US$100, porque sempre que vou a Portugal, utilizo-as. Será que agora a parada será restrita a no máximo três noites?

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade