Jump to content

Família é retirada de voo por se recusar a ceder poltrona


Delta Wing

Recommended Posts

Acho que Delta e United estão em campanha para mudar o perfil da aviação americana.

Parece que o objetivo é substituir todos os wideboddy por businesjets. http://veja.abril.com.br/economia/familia-e-retirada-de-voo-por-se-recusar-a-ceder-poltrona/ Família é retirada de voo por se recusar a ceder poltrona Pais também foram ameaçados de prisão e por se negarem a ceder poltrona do filho para outro passageiro após overbooking

Por Da redação
access_time4 maio 2017, 15h01 - Atualizado em 4 maio 2017, 15h03
more_horiz
aviao-delta-air-lines-20070718-02-origin

A companhia Delta acabou por retirar a família do voo após o pai se negar a entregar o assento (David McNew/Getty Images/VEJA)

Mesmo após a polêmica retirada à força de um passageiro do voo da United Airlines, as companhias aéreas não aprenderam a lição.

Dessa vez, uma família que viajava do Havaí para Los Angeles, nos EUA, foiretirada de um avião da Delta Airlines, após os pais se negarem a ceder o assento de um dos filhos para outro passageiro. Eles ainda foram ameaçados de prisão e de serem separados dos filhos.

Em um vídeo divulgado pela internet, o homem diz que comprou a passagem para um filho de 18 anos, mas decidiu colocá-lo em outro voo mais cedo. Por isso, ele queria usar o assento para que o outro filho, de apenas dois anos, pudesse ficar mais confortável.

O próprio site da empresa aconselha que os pais comprem assentos separados para os pequenos e usem cadeirinhas especiais, segundo a People.

Os funcionários da companhia, porém, afirmaram que isso não seria possível, já que a empresa havia vendido mais passagens que assentos (o chamado overbooking) e precisariam do banco para acomodar outro passageiro.

Segundo a People, a funcionária da Delta afirmou que, caso os pais não cedessem o lugar, “o homem e sua esposa iriam para a cadeia e os separariam de seus filhos”. De acordo com a publicação, os pais acabaram cedendo e pagando cerca de US$ 2 mil para outro voo no dia seguinte.

A Delta pediu desculpas em nota pelo ocorrido e afirmou ainda que a companhia iria apurar o caso com os envolvidos para “entender melhor o que aconteceu”.

Link to comment
Share on other sites

Caso bem diferente do que a própria manchete da entender.

 

Não sei como funciona contratualmente, mas na prática, passageiro não fez check-in ou não embarcou: Poltrona está vaga à disposição da companhia, ovbk, lista de espera etc.

 

Se quiser quiser poltrona extra seja pra inf ou até pax obeso reserva assento ou faz a solicitação correspondente.

 

Mas engraçado perceber como os americanos aparentemente, perderam a paciência com esse card de que qualquer divergência no solo se chama polícia. Sei que desobediência as ordens da tripulação risco a segurança de voo, ok? Apenas constatei visto as últimas notícias.

 

Não sei se sobra paciência dos tripulantes brasileiros ou falta paciência nos gringos.

 

Provavelmente os dois! Hahahaha

Link to comment
Share on other sites

Notícia tendenciosa, tentando culpar a companhia a todo custo. É o que o usuário falou aí em cima, nos EUA funcionam assim, o passageiro não fez check in e eles "perderam" o assento. A discussão que cabe é se a companhia se excedeu, porque pelo que eu entendi, depois da confusão a família aceitou ficar sem o assento, mas foram retirados do voo mesmo assim.

Link to comment
Share on other sites

 

Segundo a People, a funcionária da Delta afirmou que, caso os pais não cedessem o lugar, “o homem e sua esposa iriam para a cadeia e os separariam de seus filhos”. De acordo com a publicação, os pais acabaram cedendo e pagando cerca de US$ 2 mil para outro voo no dia seguinte.

 

Não dá pra saber o que de fato aconteceu, mas tenho certeza que um pai escutar isso de uma outra pessoa, perde a cabeça facilmente. Faltou bom senso nesse sentido da funcionária.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade