Jump to content

Empresa WWA pede ao Estado a gestão do aeroporto de Sorocaba.


juliodias

Recommended Posts

A World Way Aviation (WWA), empresa do Grupo GWI Real Estate, pediu na semana passada ao governo do Estado a concessão do aeroporto Bertran Luiz Leupolz, em Sorocaba, disposta a trabalhar o potencial da aviação executiva existente na cidade. A companhia encaminhou ao Palácio dos Bandeirantes Manifestação de Interesse Privado, também conhecido em linguagem própria como Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), com o objetivo de ampliar, explorar e fazer a manutenção da infraestrutura aeroportuária ali instalada.

 

Não foram revelados detalhes do procedimento, como o aporte de recursos que a interessada fará. Em nota, a Secretaria de Governo confirmou que recebeu, a 27 de abril, por meio da Plataforma Digital de Parcerias, a proposta da empresa GWI Empreendimentos Imobiliários AS, que tem como objetivo a concessão dos serviços públicos para ampliação, exploração e manutenção da infraestrutura aeroportuária do Aeroporto Estadual de Sorocaba ""Bertram Luiz Leupolz"". Agora serão realizadas todas as etapas definidas no decreto estadual 61.371/2015, que regulamenta a matéria. Se a proposta for aprovada, será realizado o aprofundamento dos estudos e elaboração da modelagem do projeto.

 

Inovações

 

A WWA entende que o aeroporto reúnes condições amplamente favoráveis de se tornar, com investimento, expertise e gestão, o primeiro hub (expressão em inglês que designa o espaço utilizado por uma companhia aérea como ponto de conexão para transferir seus passageiros para o destino pretendido) da aviação executiva, gerando riqueza e desenvolvimento à região.

 

Há dois anos a companhia investiu R$ 40 milhões na construção dentro do aeroporto local daquele que é considerado o maior hangar da América do Sul. São nove mil metros quadrados de área distribuídos em dois galpões que podem hangarar até vinte aeronaves. A transferência da gestão do aeroporto à iniciativa privada não implicaria no fim dos projetos voltados à aviação comercial. "São situações que não se excluem", disse a CEO do GWI Gropu, Ana Recart.

 

O modelo abre caminho para a solução de gargalos estruturais que até hoje esperam para serem sanados. O principal deles é a internacionalização do aeroporto. A WWA espera incorporar essa característica ao equipamento para que daqui possam ser operados voos com destino ao exterior, nos moldes do que hoje acontece apenas com as unidades aeroportuárias gerenciadas pela Infraero.

 

Também serão realizados investimentos na melhoria do aeroporto, de modo a torná-lo mais eficiente. O balizamento da pista, a conclusão das obras da torre de controle e outros serviços necessários estão entre as prioridades que a futura gestora quer ver colocadas em prática.

 

O impacto na cadeia produtiva, porém, é o maior dos benefícios visados. "São muitos os fatores que os aeroportos agregam ao desenvolvimento da cidade e da região onde estão localizados", diz Augusto Nunes, executivo da WWA. Ele cita o exemplo de Nova Iorque, nos Estados Unidos, onde além do JFK operam outros dois aeroportos.

 

Polo

 

Principal polo de manutenção aeronáutica do país, Sorocaba também é referência na aviação executiva. Aqui funcionam bases de importantes empresas do setor, como a Embraer. A vocação do aeroporto local nesse segmento está consolidada, mas ainda depende de alguns ajustes.

 

A WWA tem planos de realizar um fórum que reuniria especialistas, empresários e representantes de todas as frentes para debater o conceito e apontar alternativas para aproveitamento do potencial aqui existente. "Trata-se de um mercado altamente promissor e em franca expansão", comentou Augusto Nunes.

 

Mesmo com a crise econômica, o setor ainda esboça resistência e força para superar desafios. O Brasil possui atualmente a segunda maior frota de aviação geral do mundo, com 15,2 mil unidades, atrás apenas dos Estados Unidos. Considerando apenas jatos, o país é o terceiro maior mercado mundial.

 

Grupo GWI atua em segmentos comercial, logístico e industrial

 

 

 

O Grupo GWI, que controla a WWA, possui mais de 22 anos de experiência em gestão de ativos mobiliários e imobiliários no Brasil. Por meio da sua gestora independente de ativos, administra atualmente uma carteira com cerca de R$ 400 milhões. Quanto aos negócios imobiliários, com a GWI Real Estate, criada em 2006, detém mais de 2 milhões de metros quadrados de propriedade, todos no Estado de São Paulo, com valor de mercado acima de R$ 1 bilhão.

Em termos de realizações, a GWI Real Estate já desenvolveu mais de 1 milhão de metros quadrados de projetos nos segmentos de shopping center, comercial, logístico e industrial. Entre outros empreendimentos, o GWI construiu e colocou em operação o primeiro parque industrial da Apple (Iphone e Ipad), por meio da Foxconn, no Brasil, e o primeiro e único shopping center de Diadema, importante catalisador de desenvolvimento sócio-economico da região do grande ABCD Paulista.

Aviação executiva

A World-Way Aviation trouxe ao mercado um novo conceito de infraestrutura e atendimento à aviação executiva. Construído para ser o maior hangar de FBO no Brasil, a companhia está atendendo às mais altas exigências e expectativas do crescente mercado de aviação executiva. A escolha por Sorocaba como sede do hangar teve motivação estratégica.

Cada área específica da estrutura foi meticulosamente estudada, a fim de mitigar ao máximo os riscos das operações diárias de "ground handling" criando, ao mesmo tempo, um ambiente de FBO auto-suficiente, combinando uma variedade de comodidades no local e garantindo atendimentos eficientes e tranquilos para chegadas e partidas de aeronaves.

Com conceito diferenciado, o hangar oferece um moderno espaço VIP para passageiros, sala de planejamento de voo em um lounge exclusivo para tripulação, suítes para descanso e pernoites, além de uma gama diversificada de soluções para aviação e serviços de concierge. (J.A.R.)

 

Fonte:http://www.jornalcruzeiro.com.br/materia/787058/empresa-wwa-pede-ao-estado-a-gestao-do-aeroporto-de-sorocaba

Link to comment
Share on other sites

  • 9 months later...

A World Way Aviation (WWA), empresa do Grupo GWI Real Estate, pediu na semana passada ao governo do Estado a concessão do aeroporto Bertran Luiz Leupolz, em Sorocaba, disposta a trabalhar o potencial da aviação executiva existente na cidade.

...

 

Também serão realizados investimentos na melhoria do aeroporto, de modo a torná-lo mais eficiente. O balizamento da pista, a conclusão das obras da torre de controle e outros serviços necessários estão entre as prioridades que a futura gestora quer ver colocadas em prática.

...

 

Fonte:http://www.jornalcruzeiro.com.br/materia/787058/empresa-wwa-pede-ao-estado-a-gestao-do-aeroporto-de-sorocaba

Prezado juliodias

Sobre a falta da torre de controle em Sorocaba, o Daesp informou que "a primeira etapa das obras foi entregue em junho de 2017 e realizada com investimentos de mais de R$ 13,8 milhões do Governo do Estado de São Paulo. Já a segunda etapa, na qual serão instalados os equipamentos de navegação, está em processo de licitação. A implantação será realizada em convênio com o Governo Federal, por meio da Secretaria da Aviação Civil (SAC). Os investimentos estão previstos em R$ 8,2 milhões".

Fonte: G1 via CECOMSAER 3 MAR 2018

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade