Jump to content

Perda da Avianca cresce quase 6 vezes em 2


leelatim

Recommended Posts

 

 

Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link http://www.valor.com.br/empresas/4967606/perda-da-avianca-em-2016-cresce-quase-seis-vezes-em-2016 ou as ferramentas oferecidas na página.

Textos, fotos, artes e vídeos do Valor estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Valor (falecom@valor.com.br). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o Valor faz na qualidade de seu jornalismo.

Link to comment
Share on other sites

O problema atual da Avianca é capital de giro.

 

Ter despesas financeiras de R$ 435 milhões realmente torna dificil buscar o lucro.

Só não entendo de onde vem esse custo pois a empresa reporta somente R$ 53,9 milhões em financiamentos.

Link to comment
Share on other sites

O problema atual da Avianca é capital de giro.

 

Ter despesas financeiras de R$ 435 milhões realmente torna dificil buscar o lucro.

Só não entendo de onde vem esse custo pois a empresa reporta somente R$ 53,9 milhões em financiamentos.

Variação cambial 255.192

Encargos parcelamento de impostos 74.681

Encargos operações de crédito 54.561 (deve ser antecipação de recebíveis - cartões de crédito)

Encargos empréstimos bancários 16.671

Encargos sobre fornecedores em atraso 23.183

IOF 5.953

Outras variações financeiras 4.993

 

Nota explicativa 28 - Despesas financeiras líquidas

 

 

Situação da One está realmente complicada, se não sair essa fusão com a Avianca e o aporte da United. Acredito que já tenha sido liberado alguma coisa, pra estarem se lançando no internacional, apareceu algum dinheiro novo.

Link to comment
Share on other sites

A agenda de crescimento da Avianca Brasil tem um preço. Naturalmente estão assumindo essas perdas contando com algo maior.

Mas quando vai parar de perder, desde que existe, há quase uma década, a Avianca Brasil sempre operou no vermelho, quando vão focar no lucro, afinal a empresa em algum momento precisa dar retorno aos seus sócios

Link to comment
Share on other sites

Mas quando vai parar de perder, desde que existe, há quase uma década, a Avianca Brasil sempre operou no vermelho, quando vão focar no lucro, afinal a empresa em algum momento precisa dar retorno aos seus sócios

Olá Leelatim, do que eu sempre acompanhei de notícias sobre o desempenho das empresas aéreas brasileiras se nao me engano a Avianca (antiga Oceanair) operou no vermelho durante um período que a frota era muito variada ( fokker 50, fokker 100, emb-120) e novamente agora.

 

Houve um tempo que o lucro não era alto mas foi declarado que era possivel operar sem prejuízos.

 

Desta forma acredito que nao foi sempre que a Avianca trabalhou no prejuízo não.

 

Abraços

Link to comment
Share on other sites

Ninguém é otario de ficar transportando milhões de passageiros e kg de carga por via aérea pra não ter vantagens.

Esses resultados são uma foto pequena do que isso envolve.

Nos bastidores, não sabemos quais são as garantias colaterais que são usadas pelos investidores, seus reais interesses de girar o dinheiro e outras cositas mais.

 

Ninguém pega seu dinheirinho e coloca em negócio pra não ter retorno a curto/ médio/ longo prazo. Ainda mais em negócios altamente arriscados ( qualquer hora um avião pode cair e matar centenas de pessoas)

 

Muitas vezes, grandes empresas, servem de plataformas de negócios para viabilizar diversas operações financeiras altamente complexas.

Ex: o investidor utiliza um título público ( nacional ou internacional) para lastrear Operacoes de credito.

Mas dependendo da complexidade do Título, esse pode ter sido adquirido com um valor de face muito abaixo do seu valor cheio.

Resumindo a lógica é diferente, são coisas que poucos têm acesso e de difícil pesquisa em internet.

Muitos desses ativos, apenas tem valor para lastrear plataformas de negócio, e isso no final faz com que para o investidor o retorno seja diferente das demonstrações contábeis.

Não se iludam, nesse meio não tem amador

Link to comment
Share on other sites

O que mais tem é PJ que nunca deu lucro líquido, mas paga aluguel e taxas de juros bem acima do mercado a braços imobiliários e financeiros dos mesmos donos da PJ em questão...

Link to comment
Share on other sites

Ninguém é otario de ficar transportando milhões de passageiros e kg de carga por via aérea pra não ter vantagens.

Esses resultados são uma foto pequena do que isso envolve.

Nos bastidores, não sabemos quais são as garantias colaterais que são usadas pelos investidores, seus reais interesses de girar o dinheiro e outras cositas mais.

 

Ninguém pega seu dinheirinho e coloca em negócio pra não ter retorno a curto/ médio/ longo prazo. Ainda mais em negócios altamente arriscados ( qualquer hora um avião pode cair e matar centenas de pessoas)

 

Muitas vezes, grandes empresas, servem de plataformas de negócios para viabilizar diversas operações financeiras altamente complexas.

Ex: o investidor utiliza um título público ( nacional ou internacional) para lastrear Operacoes de credito.

Mas dependendo da complexidade do Título, esse pode ter sido adquirido com um valor de face muito abaixo do seu valor cheio.

Resumindo a lógica é diferente, são coisas que poucos têm acesso e de difícil pesquisa em internet.

Muitos desses ativos, apenas tem valor para lastrear plataformas de negócio, e isso no final faz com que para o investidor o retorno seja diferente das demonstrações contábeis.

Não se iludam, nesse meio não tem amador

 

Tam "quebrou" a ponto de ser vendida pra chilenos. E continua acumulando prejuízos...

 

Gol vendeu quase metade do Smiles + 11% de participação pra estrangeiras (DL/AF), se afundou em dívidas, precisou cortar 9% da capacidade (4M17 x 4M15) e devolver/vender aviões pra poder voltar a ter lucro nas operações.

 

Azul deu uma alavancada nas operações recentemente devido a venda de participações UA e HNA e agora com o IPO conseguiu reduzir dívida, mas tinha prejuízos acumulados de + R$1.7 bilhões até dez/16.

 

One tem endividamento bancário baixo (por que não tem crédito?) , porém não tem caixa, parcelou impostos e até combustível na BR, precisa de uma solução urgente. Acredito que já tenha tido algum empréstimo, ou capitalização por conta da "fusão" com a AV Holdings. Pra ter resolvido o problema dos A330, e estar investindo no lançamento internacional, tem que ter tido um reforço de caixa considerável. Aguardar pra ver o que resolvem.

Link to comment
Share on other sites

Concordo com 100% de tudo que vc falou

Apenas eu me referi entre a separação entre pessoa física e jurídica nos grandes empreendimentos.

A empresas pode rodar com prejuízo ou até quebrar, não necessariamente isso está sendo igual para os investidores âncoras.

Nem sempre as coisas são o que parecem ser!

Mas para nós mortais, sua análise é a correta e a única que podemos ter acesso

Abc

Link to comment
Share on other sites

Com a nova crise batendo a porta do país e nova disparada do dolar, creio que o momento para expansão internacional da Avianca seja péssimo.

Link to comment
Share on other sites

Como comentei em outro tópico, acho que o Brasil entra em compasso de espera agora. Quem estava planejando investir de novo aqui visando a estabilização da situação econômica do país agora vai esperar para ver o que acontecerá no cenário político, pois isso também vai definir os próximos rumos da nossa economia.

Com investimentos travados, a atividade econômica reduz e consequentemente a demanda por passageiros também.

 

Atualmente Azul e Avianca estão fazendo considerável expansão de oferta de voos, inclusive no internacional, que requer grandes quantidades de capital e é fortemente dependente da cotação do dólar. Pode acabar sendo um revés bem grande para as duas.

 

Latam está num limbo, definindo como vai se posicionar no mercado em termos de produto, restruturando a malha, além de estar sofrendo para fazer boa utilização dos A350, que possuem grande quantidade de assentos. A Qatar está ajudando nesse sentido e, se a crise persistir ou piorar, pode ser que essas aeronaves demorem mais que o previsto a retornar para o Brasil.

 

A GOL vai sofrer com a alta do dólar, pois é, talvez, a que mais perca com variação cambial dentre as cias brasileiras. Pelo lado positivo, é a que está com frota, malha e produto melhor ajustados para uma eventual nova retração da economia.

Link to comment
Share on other sites

e eu achava que só na Avianca dava lucro....

 

acho que esses voos pro EUA vao ser um tiro no pé da Avianca.

Mas os prejuízos da ONE nos últimos anos são bem pequenos, em relação as concorrentes.

 

2013 R$36.5 milhões

2014 R$14.8

2015 R$12.4

2016 R$71.4

Link to comment
Share on other sites

e eu achava que sóna Avianca dava lucro....

 

acho que esses voos pro EUA vao ser um tiro no pé da Avianca.

 

Falaram a mesma coisa da Azul, pois o momento era relativamente parecido, com disparada do dólar e forte queda da demanda EUA. Mas entrar no internacional, introduzir novo equipamento, é investimento pra longo prazo e naturalmente as turbulências políticas foram consideradas no planejamento.

Link to comment
Share on other sites

Mas os prejuízos da ONE nos últimos anos são bem pequenos, em relação as concorrentes.

 

2013 R$36.5 milhões

2014 R$14.8

2015 R$12.4

2016 R$71.4

Realmente em relação ao tamanho dela os prejuízos são relativamente pequenos

Link to comment
Share on other sites

O valores são menores que as concorrentes pq a empresa tambem é muito menor... sair de 12.4 em 2015 para 71.4 em 2016 assusta um pouco... Prejuizo cresceu 575%!

Link to comment
Share on other sites

Em 2016,

 

AD Faturamento líquido R$6.670 (MM), prejuízo líquido R$126, 1,89%

O6 R$2.955 R$71 2,42%

JJ R$14.005 R$651 4,65%

 

G3 R$8.341 lucro líquido R$850 10,19%

Link to comment
Share on other sites

Em 2015, foi um desastre....menos pra ONE.



AD Faturamento líquido R$6.258 (MM), prejuízo líquido R$1.075, 17,18%


O6 R$2.622 R$12 0,47%


JJ R$14.083 R$1.776 12,61%


G3 R$9.236 R$4.461 48,30%

Link to comment
Share on other sites

Em 2016, corrigindo

 

AD Faturamento líquido R$6.670 (MM), prejuízo líquido R$126, 1,89%

O6 R$2.955 R$71 2,42%

JJ R$14.005 R$651 4,65%

 

G3 R$9.070 lucro líquido R$850 9,37%

 

 

JJ = TLA exclui Multiplus, ABSA, LAPSA, etc.

G3 = GLA exclui Smiles

 

AD e O6 não dá pra separar os programas de fidelidade pois são "departamentos" da empresa, não empresas separadas.

Link to comment
Share on other sites

O que mais tem é PJ que nunca deu lucro líquido, mas paga aluguel e taxas de juros bem acima do mercado a braços imobiliários e financeiros dos mesmos donos da PJ em questão...

Tipo RioGaleão tendo prejuízo (49% pagos por nós através da Infraero), mas contratando a Construtora Odebrecht para fazer suas obras de bilhões..

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade