Jump to content

Avianca e United planejam criação de Joint Venture que envolve Brasil


GILMARM

Recommended Posts

Avianca e United planejam criação de Joint Venture que envolve Brasil

América do Sul e América do Norte ficarão ainda mais conectadas nos próximos meses. Avianca e United Airlines planejam a criação de uma Joint Venture com duração de 10 anos, acordo que deve contribuir com centenas de milhões de Dólares norte-americanos em sinergia. A proposta de parceria ainda incluiria a irmã Avianca Brazil na jogada. Agora, é esperar o tempo passar, já que o conselho administrativo da Avianca tem de oito a 10 semanas para votar a proposta.

Para o diretor executivo da Avianca, Hernan Rincon, as duas companhias, que anunciaram parcerias estratégicas sem maiores detalhes no mês de fevereiro, ganharão com a JV. “As negociações com a United estão indo bem. Estamos na casa dos 35% de acordo finalizado, e ainda temos cerca de nove encontros nas próximas semanas para debater tudo isto”, disse. “Agora, é cerca de 10 semanas até finalizarmos e termos um acordo que precisa ser aprovado”, completou.

O acordo de Joint Venture cobriria as rotas operadas por United e Avianca entre EUA e América Latina, permitindo que as duas companhias coordenem seus horários e malhas aéreas, trazendo benefícios de conectividade e conforto aos passageiros. “A maior parte do processo de aprovação acontecerá nos Estados Unidos, por tão rigoroso que é este processo”, disse o diretor da Avianca. Ele ainda lembrou que a JV também precisa ter aprovação de países que a Avianca opera domésticamente as suas subsidiárias, como é o caso do Brasil.

Link da fonte: http://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/avianca-e-united-planejam-criacao-de-joint-venture-por-10-anos-saiba-mais/

Link to comment
Share on other sites

Fico abismado em como as cias. demoram pra fazer o óbvio.. seria de se imaginar que no ingresso das Aviancas na Star, esse tipo de coordenação de malha já tivesse sido costurado..

Link to comment
Share on other sites

Fico abismado em como as cias. demoram pra fazer o óbvio.. seria de se imaginar que no ingresso das Aviancas na Star, esse tipo de coordenação de malha já tivesse sido costurado..

.

 

Concordo. Então GRU-EUA ficarão com 5 freq diárias na Star Alliance, melhor que antes mas ainda cerca de metade da oferta da Oneworld - Latam/AA (+- 10 freq diárias).

Link to comment
Share on other sites

Fico abismado em como as cias. demoram pra fazer o óbvio.. seria de se imaginar que no ingresso das Aviancas na Star, esse tipo de coordenação de malha já tivesse sido costurado..

 

O problema é que não é tão óbvio para os acionistas....

O grupo Kingston entrou em litígio com o Sinergy por conta dentre outras coisa do acordo com a United.

Como pelo acordo de acionistas, dificilmente o grupo Sinergy seria bem sucedido, a saída é criar uma "join-venture" ou seja uma terceira empresa, sem a cessão de patrimõnio, ações ou a incorporação de uma pela outra... apenas coordenando ou "alugando" as aeronaves das duas cias...

De qualquer forma a disputa deve acabar na justiça...

Os órgãos de defesa da concorrência, via de regra, também aprovam mais fácil uma join venture que um fusão ou incorporação.

 

Enfim, aguardemos cenas dos próximos capítulos...

 

Abraços

Link to comment
Share on other sites

Sim, mas qual a dificuldade em sincronizar as malhas em Bogotá, Guarulhos, Houston e Newark?

A Gol faz isso tão bem em GRU e GIG com a SkyTeam..

Link to comment
Share on other sites

Sim, mas qual a dificuldade em sincronizar as malhas em Bogotá, Guarulhos, Houston e Newark?

 

Faltaram Chicago e Washington DC.

Link to comment
Share on other sites

Sim, mas qual a dificuldade em sincronizar as malhas em Bogotá, Guarulhos, Houston e Newark?

A Gol faz isso tão bem em GRU e GIG com a SkyTeam..

 

Nenhuma, o problema é que neste caso os acordos com a United, envolvendo empréstimos e acusações feita pela Kingsland de favorecimento pessoal do grupo Sinergy, virou um problema judicial.

O engraçado é que a Kingsland afirma que o acordo com a Delta seria mais vantajoso e que no Brasil, Azul e Gol,representariam mais sinergias que a própria Avianca Brasil...kkkk

 

Enfim o problema operacional neste caso é o de menos...

Link to comment
Share on other sites

Parece que o Germán tem direito de compra sobre as ações do sócio - o contrário não é verdadeiro. Nesse caso, ele compra e acaba a discussão por falta de objeto.

Link to comment
Share on other sites

  • 4 weeks later...

Flórida é o maior mercado BR-US, e a UA não opera. Com a AV, a UA vai poder vender Flórida sem operar, o mesmo pros destinos que a UA opera e a AV não.

Link to comment
Share on other sites

Sim, mas qual a dificuldade em sincronizar as malhas em Bogotá, Guarulhos, Houston e Newark?

A Gol faz isso tão bem em GRU e GIG com a SkyTeam..

 

Este é um processo que pode levar meses, Darlan.

Sincronia de malhas falando de 20, 30 voos, significa ter times que teriam que operar tais voos ao mesmo tempo. É bem legal do ponto de vista de cliente e para falarmos de boca cheia, mas do ponto de vista econômico, para a cia aérea, significa ter uma equipe muito maior para atender a todo mundo ao mesmo tempo.

 

A Gol pode se dar a esse luxo por ter muitas saidas em GRU e GIG.

 

Operar em banco com peso na conexão internacional significa que você vai ter uma sazonalidade ou pico forte no check-in, outro pico no embarque, e outro no desembarque. Significa ter uma equipe maior para poder fazer tudo isso bem feito.

 

Ainda não vejo a Avianca fazendo isso.

 

E não dá pra comparar com a UA nos hubs dela nos Estados Unidos. Alguns deles tem mais do que 400 voos diários da empresa... fica fácil coordenar 30 a 40 partidas.O time não vai ficar ocioso o resto do dia.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade