Jump to content

Vinci Airports promete novos voos e companhias internacionais em Salvador


Diego Airways

Recommended Posts

VINCI AIRPORTS PROMETE NOVOS VOOS E COMPANHIAS INTERNACIONAIS EM SALVADOR


05092014_aeroporto_salvador_820.jpg



Com 36 aeroportos espalhados por sete países, a VINCI Airports continua com sua volúpia de expansão pelo mundo. O Aeroporto Internacional de Salvador foi uma das últimas aquisições do grupo, que terá mais de 157 milhões de passageiros embarcados por todos os seus aeroportos em 2017. A ideia da VINCI é ampliar a malha aérea nacional e internacional de Salvador pela próxima década, com parcerias e estratégias criadas junto às companhias aéreas e aeroportos parceiros.

Nesta sexta-feira (09), durante o almoço oficial da BNTM 2017, Álvaro Leite, da VINCI Airports, aproveitou a oportunidade para apresentar às autoridades, buyers e suppliers que participam do evento, os projetos que a concessionária têm para uma das portas de entrada mais importantes do Nordeste. Estamos investindo no Brasil porque faz parte dos diversos projetos que temos pela América do Sul, além de considerar um país importante para nossa estratégia global. A Bahia tem um potencial enorme, embora saibamos que tem muito trabalho a fazer. O que posso dizer é: naturalmente as low-costs internacionais vão entrar no Brasil e quem sabe por Salvador, disse.

Com um crescimento de 10% de tráfego em âmbito global, a VINCI Airports tem estratégias para fazer o Aeroporto de Salvador crescer. Vamos criar oportunidades em rotas que atualmente não são servidas, explorar os hubs que tiveram problemas durante a crise e fazer um aeroporto maior e com uma infraestrutura aprimorada. Temos uma série de operações que iremos desenvolver, entre elas oportunidades reais de voos para Miami, Chile, Colômbia, entre outros aeroportos da América do Sul, consideradas fundamentais para o desenvolvimento do aeroporto. Teremos uma rede complexa e completa para os próximos 10 anos a partir da capital baiana.

http://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/vinci-airport-promete-novos-voos-e-companhias-internacionais-em-salvador-saiba-mais/
Link to comment
Share on other sites

A Bahia tem muito potencial e Salvador sendo sua capital, não é diferente!

A Vinci por ser francesa, quem sabe a operadora traga um CDG-SSA pela AF, já que a cia irá abrir sua terceira base no Brasil.

Fora que SSA tem potencial para outros internacionais! Vamos aguardar as novidades! Sucesso à SSA e a BA!

Link to comment
Share on other sites

E aquele parceria com a Passaredo não rolou pelo jeito...

 

Se aquela ideia desse certo, com a Passaredo ou com outra, seria bom demais para reforçar a malha interna da Bahia. Se a Abaeté fosse mais agressiva, poderia ser uma oportunidade.

Mas tem tantos SEs... rs.

Link to comment
Share on other sites

A Bahia tem muito potencial e Salvador sendo sua capital, não é diferente!

A Vinci por ser francesa, quem sabe a operadora traga um CDG-SSA pela AF, já que a cia irá abrir sua terceira base no Brasil.

Fora que SSA tem potencial para outros internacionais! Vamos aguardar as novidades! Sucesso à SSA e a BA!

Verdade, Heavens. O potencial é enorme, só falta investir nele!

 

GRU, VCP, BSB, etc prometeram tanta coisa....

A Vinci não está nem em GRU, nem em VCP, nem em BSB.

 

Tudo depende dos incentivos que forem oferecidos.

Exato, Lipe. Estão engajados na atração de novos voos, com certeza os incentivos fiscais vão rolar solto para atraírem novidades.

Link to comment
Share on other sites

VINCI AIRPORTS SE APRESENTA AOS BAIANOS NA FEIRA DE TURISMO


VINCI.jpg



Participantes da Brazil National Tourism Mart (BNTM) tiveram oportunidade de conhecer, na sexta-feira (9), a experiência da Vinci Airports, empresa concessionária que fará a gestão do aeroporto de Salvador a partir do mês de julho. A explanação foi incluída na programação da feira internacional, que acontece no Bahia Fiesta Hotel.

O gerente de projetos da Vinci Airports, Álvaro Leite, apresentou a lista de aeroportos geridos pela empresa francesa, responsável pela administração 35 equipamentos em países como Estados Unidos, Portugal, França, Chile e Japão. Dentre as conquistas obtidas pela Vinci estão 224 novas rotas criadas em 2016 nos aeroportos que administra.

Na Bahia, a Vinci quer intensificar a atração de novos voos, principalmente da Europa, América do Sul e Estados Unidos. Queremos trazer mais turistas para o Estado, afirmou o executivo, exaltando a vocação da Bahia para a atividade turística.

A apresentação foi realizada a convite do secretário do Turismo da Bahia, José Alves, que aproveitou o ambiente de negócios da BNTM para falar também das ações empreendidas pelo Governo do Estado para o avanço do turismo. Alves citou a recente redução da alíquota do ICMS do querosene de aviação de 18% para 12%, a fim de incrementar o turismo e a malha aérea baiana.

http://www.jornaldeturismo.tur.br/brasil/78503-vinci-airports-se-apresenta-aos-baianos-na-feira-de-turismo
Link to comment
Share on other sites

Verdade, Heavens. O potencial é enorme, só falta investir nele!

 

 

A Vinci não está nem em GRU, nem em VCP, nem em BSB.

 

 

Exato, Lipe. Estão engajados na atração de novos voos, com certeza os incentivos fiscais vão rolar solto para atraírem novidades.

GRU, VCP, GIG, etc, todos com Enorme potencial, promessas de grandes terminais, hotéis, shoppings, hangares, terminais de carga, etc, etc, e cadê o aumento de voos? é nesse sentido....mas se a galera se contenta com uma empresa estrangeira a mais, ou alguns voos por semana a mais, tá valendo.

Link to comment
Share on other sites

GRU, VCP, GIG, etc, todos com Enorme potencial, promessas de grandes terminais, hotéis, shoppings, hangares, terminais de carga, etc, etc, e cadê o aumento de voos? é nesse sentido....mas se a galera se contenta com uma empresa estrangeira a mais, ou alguns voos por semana a mais, tá valendo.

A Bahia e a Vinci não têm nada a ver com o que foi prometido e não cumprido em GRU, VCP, GIG. A nossa realidade é outra, já começando pela ausência total da Infraero. Tudo está sendo planejado e será executado de acordo à realidade econômica do país, não tem nada de mirabolante, de 20 bilhões de Dólares que só ficará no papel.

Link to comment
Share on other sites

FRAPORT E VINCI

 

Aeroportos: Fortaleza e Salvador no radar do BNB

 

A alemã Fraport, futura operadora do Aeroporto de Fortaleza, colocou o BTG Pactual para conversar com a banca brasileira. Pública e estatal. Mas pelo retorno que deu o time do BTG, as chances de o Banco do Nordeste de ser o agente financeiro das operações da empresa no Ceará parecem ter ganhado altitude. Pelo menos este é o sentimento do presidente Marcos Holanda. O BNB tem os cerca de R$ 700 milhões que os alemães pleiteiam na praça. Aliás, de início, cerca de R$ 500 milhões. O caixa do FNE infraestrutura está bem abastecido tem R$ 11 bilhões. O otimismo do Banco não é só no Ceará. Na Bahia idem. Lá, o cardápio é outro. Saem joelhos e chucrutes, entram os queijos e vinhos. A francesa Vinci Airports foi quem arrematou o Aeroporto Luís Eduardo Magalhães. É a mesma que já opera o Aeroporto de Lisboa. Quem assessora os franceses é o compatriota BNP Paribas. As conversas também têm fluído.

 

http://mobile.opovo.com.br/jornal/colunas/verticalsa/2017/06/maior-predio-da-cidade-sob-analise-e-criticas.html

Link to comment
Share on other sites

 

VINCI AIRPORTS PROMETE

Olha, se ela só prometer que vai tirar de SSA o título de pior aeroporto do brasil, graças a estatal, já está ótimo!

 

GRU, VCP, GIG, etc, todos com Enorme potencial, promessas de grandes terminais, hotéis, shoppings, hangares, terminais de carga, etc, etc, e cadê o aumento de voos? é nesse sentido....mas se a galera se contenta com uma empresa estrangeira a mais, ou alguns voos por semana a mais, tá valendo.

#####, maior crise da história do país e vc vai jogar na conta das concessionárias?

Link to comment
Share on other sites

Olha o povo daqui sonha demais, se nem GRU e GIG passaram livres da crise e ainda sofre com as consequências desta. Não foi no GIG o megaprojeto de aeroporto e o que foi feito até agora?

Link to comment
Share on other sites

GRU, VCP, GIG, etc, todos com Enorme potencial, promessas de grandes terminais, hotéis, shoppings, hangares, terminais de carga, etc, etc, e cadê o aumento de voos? é nesse sentido....mas se a galera se contenta com uma empresa estrangeira a mais, ou alguns voos por semana a mais, tá valendo.

 

Os projetos dos aeroportos não são necessariamente os projetos das cias aéreas.

 

Mas os incentivos de aeroportos de fato ajudam as cias aéreas a planejar operações ou operações adicionais em alguns aeroportos.

 

Nenhum aeroporto Brasileiro tem masterplan transformador, pelo simples fato de que não existe um modelo inexplorado no Brasil que seja capaz de dobrar ou triplicar movimento, e a posição geográfica da maioria dos aeroportos não permite nada diferente do que já se faz.

 

Agora, alguns tem sim capacidade de criar 30 a 50% de incremento ao longo de 5 anos.

Link to comment
Share on other sites

 

 

#####, maior crise da história do país e vc vai jogar na conta das concessionárias?

 

2011/12 não havia crise no Brasil, só a internacional (a da marolinha!), e Gol e Tam juntas tiveram prejuízos de R$1 bi (2011) e R$3bi (2012). Como o setor aéreo, e os aeroportos que vivem em função das aéreas, pode crescer com tanto prejuízo?

Deu no que deu....

 

A galera aqui acha que é só construir/reformar aeroporto que empresas aéreas e passageiros vão vir igual abelhas procurando mel.

 

SGA não tem Infraero, custou uma merreca pra construir, a outorga foi de somente R$170 milhões (2011). NAT está a meio caminho Am.Sul-Europa, EUA-Africa, tem infra hoteleira, tinha a promessa e potencial de virar um aeroporto industrial/cargueiro, e quantos voos internacionais e nacionais conseguiu depois de inaugurado?

 

Desde a criação, o consórcio acumula R$547 milhões de prejuízo.

 

http://www.natal.aero/pdf/demonstrativo-financeiro-2016.pdf

 

Matéria de 2014: http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/seremos-uma-cidade-aeroportuaria/280964

Link to comment
Share on other sites

E agora com a possível privatização dos aeroportos da Infraero, a LTM tem a desculpa perfeita pra empurrar o Hub do Nordeste ainda mais pra frente. Tem que esperar REC ser privatizado, mas pode ser SLZ, THE, BEL, JPA...todos com grande potencial.

Link to comment
Share on other sites

A Bahia tem muito potencial e Salvador sendo sua capital, não é diferente!

A Vinci por ser francesa, quem sabe a operadora traga um CDG-SSA pela AF, já que a cia irá abrir sua terceira base no Brasil.

Fora que SSA tem potencial para outros internacionais! Vamos aguardar as novidades! Sucesso à SSA e a BA!

 

Melhor ainda seria se viessem BCN com a LEVEL...

Link to comment
Share on other sites

A Bahia tem muito potencial e Salvador sendo sua capital, não é diferente!

A Vinci por ser francesa, quem sabe a operadora traga um CDG-SSA pela AF, já que a cia irá abrir sua terceira base no Brasil.

Fora que SSA tem potencial para outros internacionais! Vamos aguardar as novidades! Sucesso à SSA e a BA!

 

Nacionalidade da concessionária não influi muito. Se fosse o caso já teriamos a SQ no GIG, a LX em CNF e etc.

 

Concessionária não é time de futebol nem santo milagreiro. Antes de trazer operador novo tem que arrumar a casa. Esse discurso de "vamos fazer e acontecer" é a coisa mais normal do mundo. Torço muito para a Vinci dar jeito em SSA e trazer o tráfego que o aeroporto consegue suportar. Mas vamos devagar com o andor.

Link to comment
Share on other sites

Olha, se ela só prometer que vai tirar de SSA o título de pior aeroporto do brasil, graças a estatal, já está ótimo!

Fui muito criticado por falar isso em um tópico a respeito de outro ranking parecido, mas vou falar novamente...

 

O aeroporto de Salvador não foi eleito o pior do Brasil. Ele foi aquele que recebeu as piores avaliações dos seus respectivos passageiros.

 

Para que fosse possível fazer essa afirmação com base nesse critério, seria necessário que todos os passageiros avaliassem todos os aeroportos, mas, como sabemos, isso é inviável.

 

O aeroporto da capital baiana tem vários problemas, mas não acho que seja o pior do Brasil.

 

Link to comment
Share on other sites

Achei FLN e SLZ bem piores do que SSA. VIX há 8 anos quando fui também era pior. AJU bem bizarro tb.

 

A dor de cabeça da Vinci não tá em reformar o terminal, mas em ampliá-lo e resolver o problema de pátio, pista, dunas etc., o que não tá diretamente ligado a essa pesquisa meia-boca.

Link to comment
Share on other sites

Curitiba é considerado o melhor, e é da Infraero... De fato não se pode usar somente esse parâmetro como régua...

 

Curitiba comparável com Confins, Brasília e Guarulhos (T3) está longe de ser bom.

 

Perto do que estava, ficou melhor e mais confortável.

 

Falando como tripulante, a pista 15/33 é uma bela porcaria.

Link to comment
Share on other sites

Nacionalidade da concessionária não influi muito. Se fosse o caso já teriamos a SQ no GIG, a LX em CNF e etc.

 

Concessionária não é time de futebol nem santo milagreiro. Antes de trazer operador novo tem que arrumar a casa. Esse discurso de "vamos fazer e acontecer" é a coisa mais normal do mundo. Torço muito para a Vinci dar jeito em SSA e trazer o tráfego que o aeroporto consegue suportar. Mas vamos devagar com o andor.

Engraçado que o discurso da nacionalidade é válido para justificar voos chineses no GIG, como afirmaram nos casos da Beijing Capital Airlines na PEK-LIS prolongar até o Brasil e da China Southern Airlines planejando Brasil e Argentina.

 

A probabilidade de SSA ter um voo francês é infinitamente maior do que o GIG ter um voo da Singapore ou de CNF ter um voo da Swiss. Tanto que SSA disputa com REC/FOR um novo voo da Air France - Boost. Se a Vinci conseguir o voo, ótimo! Se a Air France decidir por uma das outras duas, a Vinci vai atrás de uma low-cost francesa, como XL Airways, Air Caraïbes ou Corsair. Estão em mente que EUA, França e Chile serão as três prioridades.

 

Mas, como você disse, primeiro vão arrumar a casa. E o masterplan está fantástico!

 

 

Fui muito criticado por falar isso em um tópico a respeito de outro ranking parecido, mas vou falar novamente...

 

O aeroporto de Salvador não foi eleito o pior do Brasil. Ele foi aquele que recebeu as piores avaliações dos seus respectivos passageiros.

 

Para que fosse possível fazer essa afirmação com base nesse critério, seria necessário que todos os passageiros avaliassem todos os aeroportos, mas, como sabemos, isso é inviável.

 

O aeroporto da capital baiana tem vários problemas, mas não acho que seja o pior do Brasil.

Concordo plenamente! SSA tem inúmeros problemas pela omissão e negligência da Infraero por anos, mas daí ser o pior aeroporto de todo o Brasil é um tanto exagerado. Poderiam afunilar mais esse discurso, como "o pior entre os que sediaram a Copa de 2014", ou algo próximo disso.

Link to comment
Share on other sites

Engraçado que o discurso da nacionalidade é válido para justificar voos chineses no GIG, como afirmaram nos casos da Beijing Capital Airlines na PEK-LIS prolongar até o Brasil e da China Southern Airlines planejando Brasil e Argentina.

 

A probabilidade de SSA ter um voo francês é infinitamente maior do que o GIG ter um voo da Singapore ou de CNF ter um voo da Swiss. Tanto que SSA disputa com REC/FOR um novo voo da Air France - Boost. Se a Vinci conseguir o voo, ótimo! Se a Air France decidir por uma das outras duas, a Vinci vai atrás de uma low-cost francesa, como XL Airways, Air Caraïbes ou Corsair. Estão em mente que EUA, França e Chile serão as três prioridades.

 

Mas, como você disse, primeiro vão arrumar a casa. E o masterplan está fantástico!

 

 

 

Diego nesse caso você está comparando bananas com maças. O caso da HNA no GIG não é pelo fato de ela ser chinesa e sim por ela ser um conglomerado que possui algumas companhias aéreas. É um pouco diferente.

 

Seria como se a Vinci fosse controladora da Air France. Ai concordaria com você que seria mais facil mesmo a AF partir para SSA.

 

O caso da China Southern, pelo menos da minha parte, nunca foi relacionado a HNA. É pelo simples fato de que o GIG não tem voos para o México e é carente de voos pra Asia além de contar com várias empresas chinesas com sedes regionais lá sendo algumas enormes como a State Grid e a Sinopec. Ou seja: um voo da China com escala no Mexico atende perfeitamente a uma demanda reprimida. Reiterando: a HNA está fora dessa equação.

 

Mas a verdade é: a Vinci precisa arrumar a casa. SSA está precisando e muito. Com a casa arrumada fica mais facil dar incentivos para novos operadores e trazer novos voos internacionais que sabemos que Salvador suporta.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade