Jump to content

Infraero identifica sobrepreço em obras de Guarulhos e Viracopos


Recommended Posts

A Infraero constatou que as obras de expansão dos aeroportos de Cumbica, em Guarulhos, e Viracopos, em Campinas, custaram R$ 1,316 bilhão a mais que o preço médio do mercado, segundo análise da própria estatal. A auditoria interna investiga possíveis irregularidades em uma série de contratações nos dois aeroportos paulistas, todas elas com o aval da Infraero, que detém 49% de participação.
O TCU já tinha acusado a Infraero de adotar postura omissa nas contratações de obras dos aeroportos concedidos. Ao analisar alguns desses contratos, o tribunal havia alertado que grande parte dos serviços é prestada pelos próprios sócios privados da estatal nas concessionárias. Em cada uma dessas concessões, a Infraero é sócia de grandes empreiteiras, como OAS, em Guarulhos, e Constran (controlada pela UTC), em Viracopos, ambas envolvidas na Operação Lava Jato
Basicamente, o TCU concluiu que cada uma dessas empresas atuou como prestadora de serviço em contratos de obras com suas próprias concessionárias, sem terem suas contratações analisadas de forma efetiva pela Infraero, apesar de a estatal pagar a metade da conta.
A auditoria interna feita pela Infraero, obtida pelo jornal O Estado de S.Paulo, aponta que, no aeroporto de Guarulhos, o conjunto de obras realizadas na fase inicial da concessão, que concentra os grandes projetos de reestruturação do terminal, custou 25% mais do que o preço de mercado. Já as obras no aeroporto de Campinas, como fundações de prédios, construção de pátios e novas pistas, foram 45% mais caras do que deveriam, segundo a auditoria.
Somados os pagamentos realizados nos dois aeroportos, com o aval da Infraero, chega-se a uma conta de R$ 4,975 bilhões, quando o orçamento concluído pela área técnica da estatal chegou a um custo de R$ 3,659 bilhões. Os valores praticados pelas concessionárias só ficaram marginalmente abaixo dos orçados pela consultoria Pini, uma empresa contratada pelas próprias empresas para estimar o preço das obras antes que fossem realizadas.
Em 2016, o TCU alertou a estatal que um total de R$ 4,539 bilhões em negócios diversos feitos com os aeroportos de Guarulhos, Viracopos e também de Brasília indicava preços 39% acima dos valores de referência usados pelo tribunal. A partir dessas constatações, o tribunal deu prazos para que a Infraero fizesse seus próprios levantamentos para apurar irregularidades
Respostas
A Infraero atribui as aprovações de contratos com valores acima dos preços de mercado às decisões da “administração anterio”. O atual presidente, Antônio Claret de Oliveira, assumiu em junho do ano passado. “A Infraero destaca que colabora com todos os processos de fiscalização e que todas as obrigações financeiras cumpridas resultam de projetos e previsões contratuais firmados pela administração anterior, além de serem realizadas no estrito cumprimento da legislação em vigor”, declarou.
A estatal não respondeu por que deixou de realizar o levantamento detalhado de custos antes de as contratações serem aprovadas pelas concessionárias, tampouco informou que mudanças foram feitas para evitar que essas irregularidades ocorram novamente. Não foi esclarecido ainda se a Infraero vê alguma possibilidade de rever alguns desses contratos.
A concessionária GRU Airport, que controla o aeroporto de Guarulhos, não se manifestou. A concessionária Aeroportos Brasil Viracopos (ABV), administradora de Viracopos, afirmou que “desconhece os dados em questão e, portanto, não pode opinar sobre o tema”. A empresa declarou que “vê com estranheza a manifestação, tendo em vista que a Infraero, na qualidade de acionista da companhia, aprovou as contas da mesma em todos os exercícios fiscais desde o início da concessão”.

Fonte: http://correio.rac.com.br/_conteudo/2017/07/campinas_e_rmc/484902-infraero-ve-sobrepreco-em-obras-de-aeroportos.html#

Fonte: http://www.portalcbncampinas.com.br/2017/07/infraero-identifica-sobrepreco-em-obras-de-guarulhos-e-viracopos/
Link to comment
Share on other sites

Aaaaaaaaaaaaaae! A estatal provando do proprio veneno!

 

Antes era o TCU que acusava a estatal de sobre preço em suas obras!

Agora ela minoritária nas concessões reclama que as cias privadas (tendo como acionista as mesmas empreiteiras que elas sempre pagou mais caro) estão com sobre preço!

 

Parabéns a estatal que respira por aparelho seus últimos vergonhosos dias!

Se não fosse por isso, duvido que ela reclamaria algo!

Link to comment
Share on other sites

Fizeram milagre com os aeroportos com tão pouco tempo antes da Copa do Mundo.

Tá aí o preço por terem feito as concessões em

Cima da hora e nas coxas

Link to comment
Share on other sites

O aeroporto de VCP tem um acabamento lamentavel, só olhar para cima e ver os problemas de construção, tudo mal feito e mal acabado.

Link to comment
Share on other sites

O aeroporto de VCP tem um acabamento lamentavel, só olhar para cima e ver os problemas de construção, tudo mal feito e mal acabado.

 

VCP o acabamento do teto esta incompleto. tem uma oarte bem pequena feita, o resto deixaran assim mesmo.... trabalho porco mesmo

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade