Jump to content

Aeroparque sem vôos internacionais


Renatosilva

Recommended Posts

El Aeroparque Jorge Newbery dejará de operar desde el año próximo los vuelos regionales, que serán trasladados en su totalidad a Ezeiza.

Segue o link da noticia completa:

https://www.ieco.clarin.com/ieco/economia/aeroparque-dejara-operar-vuelos-regionales-partir-2018_0_SyXfOYcVZ.html

 

Link to comment
Share on other sites

  • Replies 50
  • Created
  • Last Reply

Deve haver muita confusão de passageiros trocarem os aeroportos na hora de embarcar.

 

A Aerolíneas Argentinas, por exemplo, tem operado diariamente EZE-SSA-AEP. Deveriam servir a rota em apenas um dos aeroportos.

Link to comment
Share on other sites

Deve haver muita confusão de passageiros trocarem os aeroportos na hora de embarcar.

 

A Aerolíneas Argentinas, por exemplo, tem operado diariamente EZE-SSA-AEP. Deveriam servir a rota em apenas um dos aeroportos.

Seria muito melhor p EZE. Deveriam deixar no AEP alguns poucos voos p GRU, MVD e SCL focados exlcusivamente no público corporativo e a preços mais altos logicamente.

Link to comment
Share on other sites

Uma pena, o AEP é uma mão na roda para quem precisa ir a Buenos Aires. Em 15-25min se chega a bairros como Centro, Recoleta e Palermo.

 

Certamente houve um lobby forte para que as novas cias aéreas que estão surgindo na Argentina tenham possibilidade de operar nesse aeroporto.

Link to comment
Share on other sites

É o mais lógico: voos nacionais no Aeroparque e os internacionais e conexões nacionais em Ezeiza.

 

É como deveria ser Guarulhos e Congonhas.

Link to comment
Share on other sites

Quem perde com isso é a Skyteam que perde a capilaridade da Aerolineas no AEP.

 

As demais acabam ficando alinhadas - E perdem os passageiros... embarcar no EZE significa um translado bem mais longo.

 

Mas vai ajudar Buenos Aires a ter finalmente um grande aeroporto.

Link to comment
Share on other sites

É o mais lógico: voos nacionais no Aeroparque e os internacionais e conexões nacionais em Ezeiza.

 

É como deveria ser Guarulhos e Congonhas.

E qual a diferença disso que você falou para CGH e GRU?

Link to comment
Share on other sites

Isso foi lobby das novatas.

 

Sai, no entanto, uma vencedora inesperada, a Air New Zealand. É capaz que, finalmente, o feed capenga seja corrigido.

Link to comment
Share on other sites

Quem perde com isso é a Skyteam que perde a capilaridade da Aerolineas no AEP.

 

As demais acabam ficando alinhadas - E perdem os passageiros... embarcar no EZE significa um translado bem mais longo.

 

Mas vai ajudar Buenos Aires a ter finalmente um grande aeroporto.

 

Mais cedo ou mais tarde teria que acontecer.

 

O futuro do crescimento do tráfego em BsAs está EZE e não no AEP.

 

Contudo seria interessante matner alguns vôos pontuais para MVD, SCL e talvez GRU, em horários selecionados no AEP para atender ao público corporativo.

Link to comment
Share on other sites

E qual a diferença disso que você falou para CGH e GRU?

 

Eu já acho um voo mais longo que CGH-BSB exagero para CGH.

Link to comment
Share on other sites

 

Eu já acho um voo mais longo que CGH-BSB exagero para CGH

 

Ainda bem que o mercado não pensa como vossa senhoria.

 

Já deu uma olhada nos dados de ocupação dos voos CGH-N/NE da gol? É assombroso.

Link to comment
Share on other sites

 

Ainda bem que o mercado não pensa como vossa senhoria.

 

Já deu uma olhada nos dados de ocupação dos voos CGH-N/NE da gol? É assombroso.

 

Vossa excelência, eu quero dizer que acho que a estrutura e o perfil de Congonhas deveriam ser para voos curtos e passageiros executivos. É um aeroporto limitado, tanto em termos de terminal quanto de taxiways, pista etc.. Era assim antes de 1990 quando a TAM e depois a Rio-Sul começaram voos mais longos de jato a partir dele. Agora, há horários que CGH é um formigueiro, trânsito de acesso travado, longas esperas para pousar e decolar etc. Nunca falei, pois seria absurdo, que os voos N/NE teriam baixa ocupação.

 

Em momento algum quis denegrir o Norte ou o Nordeste. Aliás, qualquer coisa que se fala do Nordeste, Norte, Rio etc. que possa soar um pouco negativo já é uma choradeira. Mas se falam mal do Sul, tem que ficar quieto, somos "ricos europeus opressores"...

 

Enfim... Qualquer voo para o Norte ou Nordeste vai ter grande aproveitamento independente se for CGH ou GRU, são grandes destino turísticos e cada vez mais executivo e há muita gente de lá que vive em São Paulo.

Link to comment
Share on other sites

Essa imagem retrata bem a situação de AEP. Além disso, o espaço aéreo de Buenos Aires já está ficando saturado, devido sua ineficiência e imagino que em pouco tempo terão que reformulá-lo, tal como fizeram no Brasil em 2014.

Basta saber se EZE não vai ser um gargalo ao receber todo esse tráfego do aeroporto central.

 

 

uf29bH7.jpg

 

https://www.facebook.com/1432025263788152/photos/a.1509705972686747.1073741829.1432025263788152/1875202979470376/?type=3&permPage=1

Link to comment
Share on other sites

 

Vossa excelência, eu quero dizer que acho que a estrutura e o perfil de Congonhas deveriam ser para voos curtos e passageiros executivos. É um aeroporto limitado, tanto em termos de terminal quanto de taxiways, pista etc.. Era assim antes de 1990 quando a TAM e depois a Rio-Sul começaram voos mais longos de jato a partir dele. Agora, há horários que CGH é um formigueiro, trânsito de acesso travado, longas esperas para pousar e decolar etc. Nunca falei, pois seria absurdo, que os voos N/NE teriam baixa ocupação.

 

Em momento algum quis denegrir o Norte ou o Nordeste. Aliás, qualquer coisa que se fala do Nordeste, Norte, Rio etc. que possa soar um pouco negativo já é uma choradeira. Mas se falam mal do Sul, tem que ficar quieto, somos "ricos europeus opressores"...

 

Enfim... Qualquer voo para o Norte ou Nordeste vai ter grande aproveitamento independente se for CGH ou GRU, são grandes destino turísticos e cada vez mais executivo e há muita gente de lá que vive em São Paulo.

 

Ao fazer isso você vai subutilizar enormemente CGH ou então vai obrigar as empresas a colocar voos que vão bater lata para certos destinos somente para não perder os slots. O aeroporto está lá e não vai acabar. Criar restrições que nem havia antigamente de 1500km são desnecessárias. O aeroporto deve ter os voos que o mercado demanda. Se há demanda suficiente para voos para o N e NE saindo de CGH e o aeroporto comporta, por que não colocar?

Link to comment
Share on other sites

 

Mais cedo ou mais tarde teria que acontecer.

 

O futuro do crescimento do tráfego em BsAs está EZE e não no AEP.

 

Contudo seria interessante matner alguns vôos pontuais para MVD, SCL e talvez GRU, em horários selecionados no AEP para atender ao público corporativo.

 

Neo,

Tem que ver o futuro econômico de Buenos Aires.

Penso que para a metrópole não é conveniente ter AEP com essa função.

 

Buenos Aires perdeu 3 anos onde poderia ter sido mais relevante no mercado regional.

O foco tem que ser o que é bom para eles, não para o publico corporativo. Veja, os viajantes a negócios irão de qualquer jeito como vão a São Paulo, não importa o aeroporto. Mas as conexões internacionais se perdem pela baixa capilaridade regional que EZE hoje tem. Como o Coiote frisou,, isso vai apoiar as cias da Oceania e vai também ser ótimo para um potencial DXB-EZE pois coloca MVD e outros (até POA) na rota direta de conexões.

 

AEP não ajudaria a Argentina nisso.

Link to comment
Share on other sites

Há alguns meses a GOL tentou transferir alguns GRU-EZE e NAT/FOR/REC/SSA/BPS-EZE pro AEP também.

 

Teve a solicitação negada. Agora entendemos o motivo.

Link to comment
Share on other sites

mania do estado querer intervir nos negocios privados. O aeroparque funciona bem da forma que esta. Os mesmos destinos que chegam no AEP tambem chegam no EZE, ou seja não é questao de falta de voos e movimento em EZE.

 

ou seja a unica explicação e o lobby das companias novatas. quem perde somos nos viajantes. ja usei os dois aeroportos e muito mais pratico e facil chegar no Aeroparque.

 

quero ver se a aerolinas vai reforçar as conexoēs regionais no EZE.

Link to comment
Share on other sites

A abertura de AEP lá atrás foi uma estratégia para fazer a Aerolíneas ganhar market share das concorrentes estrangeiras no Cone Sul.

 

Isso deixou de ser relevante agora, ainda mais porque a estratégia não teve esse sucesso todo.

 

Outro propósito era deixar AEP mais congestionada para ter argumento para negar o crescimento da LAN Argentina.

 

Isso também não está mais na pauta.

 

mania do estado querer intervir nos negocios privados. O aeroparque funciona bem da forma que esta. Os mesmos destinos que chegam no AEP tambem chegam no EZE, ou seja não é questao de falta de voos e movimento em EZE.

 

ou seja a unica explicação e o lobby das companias novatas. quem perde somos nos viajantes. ja usei os dois aeroportos e muito mais pratico e facil chegar no Aeroparque.

 

quero ver se a aerolinas vai reforçar as conexoēs regionais no EZE.

O interessante vai ser ver o desenvolvimento de voos de cidade secundárias para fora da Argentina.

 

Isso vai ser mais relevante do que conexões em EZE.

Link to comment
Share on other sites

AEP nem sala vip tem.

Eu penso que é um aeroporto pequeno, incapaz de gerir o tráfego que tem.

 

Cresceu demais, e ficou ruim. Me lembra o aeroporto de Phuket.

Link to comment
Share on other sites

Tem rumores de que a AA2000 deixaria de gerir o aeroporto de EZE e outra concessionária entraria no lugar. Não se se concretará.

Se vão fazer essa transferência, seria bom ter um EZE mais descente. Demolir e refazer aquele setor antigo de embarque que acho que fizeram para o mundial de 78, que compreende também aquele setor de desembarque pequeno e antiquado e fazer um hall de check-in adicional como está previsto em projeto.
Um setor com pontes de embarque para voos domésticos penso que também seria muito bem vindo, já que a AR possui entre 5 a 7 partidas domésticas diárias em EZE que conectam seus voos de longa distancia pela manhã e à noite e que esse número tende a aumentar com o crescimento do mercado e com essa transferência.

Link to comment
Share on other sites

Aeroparque é pequeno demais pro que faz hoje mas vai ficar enorme se virar doméstico porque vai se restringir a O/D entre BsAs e o resto do país, um mercado bem restrito comparativamente.

 

mudar toda a malha aérea do país, enfraquecer o aeroporto de preferência do público corporativo do subcontinente inteiro, pra alimentar dois voos pra oceania? é sério isso?

 

da mesma forma, EZE vai ficar pequeno pra esse movimento todo; se a idéia é reforçar o "hub" (?) long-haul, isso pode ser feito sem mexer nos voos internacionais regionais, que é um mercado diferente, deixando-os em AEP, e com ajustes pontuais na malha das próprias companhias.

 

mas eles provavelmente têm dados que justifiquem a mudança, e não somente a idéia de abrir espaço pras novas companhias que estão pipocando por lá (metade não vai durar 5 anos, anotem!) minando justamente o nicho mais atrativo do mercado argentino.

 

e AEP é um aeroporto até razoável pra quem voa de Aerolíneas - não sei se já mudaram a política de negar pontes de embarque à LATAM, que ficava confinada à parte notavelmente mais precária do aeroporto.

 

considerando ser um aeroporto central, e portanto restrito, acho que ele não fica atrás de Linate, por exemplo. e estar a quinze minutos de Palermo ou do Centro, por exemplo, é um luxo.

Link to comment
Share on other sites

Aeroparque é pequeno demais pro que faz hoje mas vai ficar enorme se virar doméstico porque vai se restringir a O/D entre BsAs e o resto do país, um mercado bem restrito comparativamente.

 

mudar toda a malha aérea do país, enfraquecer o aeroporto de preferência do público corporativo do subcontinente inteiro, pra alimentar dois voos pra oceania? é sério isso?

 

da mesma forma, EZE vai ficar pequeno pra esse movimento todo; se a idéia é reforçar o "hub" (?) long-haul, isso pode ser feito sem mexer nos voos internacionais regionais, que é um mercado diferente, deixando-os em AEP, e com ajustes pontuais na malha das próprias companhias.

 

mas eles provavelmente têm dados que justifiquem a mudança, e não somente a idéia de abrir espaço pras novas companhias que estão pipocando por lá (metade não vai durar 5 anos, anotem!) minando justamente o nicho mais atrativo do mercado argentino.

 

e AEP é um aeroporto até razoável pra quem voa de Aerolíneas - não sei se já mudaram a política de negar pontes de embarque à LATAM, que ficava confinada à parte notavelmente mais precária do aeroporto.

 

considerando ser um aeroporto central, e portanto restrito, acho que ele não fica atrás de Linate, por exemplo. e estar a quinze minutos de Palermo ou do Centro, por exemplo, é um luxo.

Foi limarem a Cristina do poder, a Latam começou a parar nas pontes de embarque.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.


×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade