Jump to content

Voos de ministros para casa em jatos da FAB aumentam 40% no governo Temer, apesar de decreto


gqueiroz

Recommended Posts

Apesar do decreto que restringe o uso de jatinhos da FAB – a Força Aérea Brasileira, ministros e outras autoridades continuam utilizando as aeronaves para ir e voltar das cidades onde moram. Os motivos alegados vão desde serviço, passando por segurança e até mesmo residência.
Em 2015, um decreto assinado pela presidente Dilma Rousseff proibiu o uso de jatos da FAB para ir e voltar para casa às segundas e sextas-feiras.
Um levantamento feito pela BandNews FM aponta que, entre janeiro e março, os ministros do governo Michel Temer e outras autoridades, como os presidentes da Câmara e do Senado, fizeram 519 voos com jatos da FAB – uma média de quase seis por dia. Desses, 160 foram para o local de domicílio, segundo apurou o repórter Pablo Fernandez.
Em 2016, no mesmo período do governo Dilma Rousseff, foram 458 voos no geral e pelo menos 115 para as cidades de origem. Ou seja, o número de viagens para ir ou voltar de casa cresceu 40% no governo do PMDB.
O presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência, responsável por fiscalizar os atos do Executivo, Mauro Menezes, reconhece que, em alguns casos, as autoridades tentam burlar as regras.
” Uma das questões éticas mais séries em nosso país constitui em coibir a burla à legalidade. Muitas vezes aparecem justificativas indiretas para que o uso se dê de maneira indevida. E as autoridades, no fim das contas, acabem usando para um proveito particular aquilo que é público”, afirma.
Tanto no governo Michel Temer quanto no de Dilma Rousseff as autoridades que mais voaram para casa foram os presidentes da Câmara. Entre janeiro e março de 2016, Eduardo Cunha fez 24 viagens com aviões da FAB – todas com decolagem ou pouso previsto no Rio de Janeiro.
No mesmo período deste ano, Rodrigo Maia voou 54 vezes com os jatinhos – 30 deles para a cidade de origem; também o Rio de Janeiro. O decreto de 2015, no entanto, não atinge os presidentes da Câmara, do Senado e do Supremo Tribunal Federal.
O fundador do site Contas Abertas, que fiscaliza as despesas federais, Gil Castelo Branco, ressalta que o uso de aviões da FAB dificulta o controle de gastos públicos.
“O país tem um 139 bilhões de reais para esse ano, que talvez não consiga nem cumprir. Enquanto isso, vocês levantam e mostram essa mordomia aérea. Ou seja, autoridades rasgando dinheiro público em jatinhos da FAB”, diz.
No governo Michel Temer, depois do presidente da Câmara, aparece o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, que fez 21 viagens – todas partindo ou chegando de Porto Alegre, onde mora. Em nenhum dos casos, ele alegou residência e na maioria das vezes, segurança.
No governo Dilma Rousseff, o segundo que mais utilizou os jatinhos para ir ou voltar do local de domicílio foi o então ministro das Cidades, Gilberto Kassab. Foram 18 viagens de um total de 34 – todas sob a justificativa de serviço.
Ministro da Ciência e Tecnologia no governo Michel Temer, Gilberto Kassab manteve a mesma rotina nos três primeiros meses de 2017. Fez 22 viagens, sendo 14 decolando ou pousando em São Paulo.
Em entrevista ao repórter Pablo Fernandez, o presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência, Mauro Menezes, afirma que o material produzido pela BandNews FM servirá de base para a abertura de um novo processo. As punições previstas vão desde advertência até um pedido de exoneração.
Ainda no governo Michel Temer, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, voou 27 vezes – 18 partindo ou chegando em São Paulo, onde mora. Na sequência aparece o então ministro das Relações Exteriores, José Serra, que fez 25 viagens, sendo 16 para ir ou voltar de casa.
Em nota, a FAB esclarece que a justificativa é dada pela autoridade que solicita os jatinhos, não cabendo à Aeronáutica a apuração das informações.
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, alega que usa os aviões com base nas normas vigentes.
Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha afirma que utiliza os jatos por questão de segurança, o mesmo que o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.
Já o ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab, argumenta que todos os deslocamentos foram feitos para o cumprimento de agendas, mas não as enviou à BandNews FM.
O senador José Serra não foi encontrado.

 

voo-fab.jpg

Fonte: http://www.bandnewsfm.com.br/2017/07/25/voos-de-ministros-para-casa-em-jatos-da-fab-aumentam-40-no-governo-temer-apesar-de-decreto/

Link to comment
Share on other sites

A farra com o dinheiro público continua e, infelizmente, continuará enquanto as mesmas pessoas ocuparem esses cargos.

 

Segurança seria o que? Medo das pessoas atacarem ou os xingarem em aeroportos/voos comerciais? Eles já pararam pra pensar que a péssima imagem que possuem perante o público é culpa deles próprios?

Ou seja, não sabem fazer o próprio trabalho, só pensam em si próprios quando o assunto é política, são corruptos, cheios de esquemas e aí a população passa a odiá-los. Com base nisso resolvem usar jatos da FAB alegando segurança.

 

São covardes, usam jatos da FAB pra continuar sendo do jeito que são e não ter que enfrentar de cara a população que não aguenta mais essa roubalheira.

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

Meus prezados

Ministros terão que devolver valores gastos com jatinhos da FAB

Ressarcimento vai levar em conta os cálculos feitos com base no consumo de combustível e no número de viagens feitas entre janeiro e março

Após reportagem da BandNews FM, a Comissão de Ética Pública da Presidência decide cobrar os ministros do governo Michel Temer (PMDB) para que devolvam os valores gastos com o uso de jatinhos da Força Aérea Brasileira (FAB) para ir e voltar para casa.

O ressarcimento - que será exigido pelos órgãos responsáveis - vai levar em conta os cálculos feitos pela rádio com base no consumo de combustível e no número de viagens realizadas entre janeiro e março.

Entre os ministros que podem ser obrigados a devolver os valores aos cofres públicos estão o da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Fazenda, Henrique Meirelles.

No caso de Padilha, por exemplo, os 21 voos partindo ou chegando de Porto Alegre custaram, só de combustível, R$ 693 mil.

Fonte: Portal BAND via CECOMSAER 2 AGO 2017

Link to comment
Share on other sites

entendam uma coisa: GOLPE É GOLPE, amiguinhos!!!!!

 

Não adianta postar esse tipo de notícia aqui. Logo os moderadores do fórum trancam. Eles têm prazer em fazer isso.

Link to comment
Share on other sites

entendam uma coisa: GOLPE É GOLPE, amiguinhos!!!!!

 

Não adianta postar esse tipo de notícia aqui. Logo os moderadores do fórum trancam. Eles têm prazer em fazer isso.

 

O moderador que costuma trancar tópicos que debandam para uma disputa de comunismo vs capitalismo, esquerda vs direita é tão vermelho quanto você, vide o tópico da maquiagem...

 

E não vamos ser cegos né meu caro, político, independente da bandeira, acha que avião da FAB é farra... não esqueço em 1998, um 707 pra levar o caixão do L.E.M e um 737-200 pro ACM e familia... já postei outras vezes e repito, o cidadão que procura emprego hoje, se mora em SP e acha uma vaga em MAO, a empresa não dá passagem para o cara ir em casa não, politico tinha que ser igual... nada de avião free ou cota de passagem pra ir em casa todo FDS... mas aqui o povo baba o político, chama de excelência e idolatra o resultado é o que nós vemos...

 

Quanto ao GOLPE, bom, até onde eu sei o Presidente Michel Temer, era o vice da Dilma, quando você e mais 54,5 milhões digitaram 13 na urna, a foto e nome dele apareceu junto... logo... eleito pela maioria! \o/ E quem escolheu o Temer foi sua turma vermelha... proporcionando ao PMDB o terceiro vice empossado da história... passarinho que acompanha morcego, dorme de cabeça pra baixo.

 

Mas voltando ao tema... sem ironias, 693 mil de combustível, era mais prático fretar por fora nao rs? Querem andar de Legacy e VC99 pra lá e pra cá... mas no fundo no fundo alem do luxo que o cargo proporciona, politico foge da aviação 121, pois evita o povo, essa turma que só traz problemas a vida deles... esquecem que chegaram lá via o povo.

Link to comment
Share on other sites

 

O moderador que costuma trancar tópicos que debandam para uma disputa de comunismo vs capitalismo, esquerda vs direita é tão vermelho quanto você, vide o tópico da maquiagem...

 

E não vamos ser cegos né meu caro, político, independente da bandeira, acha que avião da FAB é farra... não esqueço em 1998, um 707 pra levar o caixão do L.E.M e um 737-200 pro ACM e familia... já postei outras vezes e repito, o cidadão que procura emprego hoje, se mora em SP e acha uma vaga em MAO, a empresa não dá passagem para o cara ir em casa não, politico tinha que ser igual... nada de avião free ou cota de passagem pra ir em casa todo FDS... mas aqui o povo baba o político, chama de excelência e idolatra o resultado é o que nós vemos...

 

Quanto ao GOLPE, bom, até onde eu sei o Presidente Michel Temer, era o vice da Dilma, quando você e mais 54,5 milhões digitaram 13 na urna, a foto e nome dele apareceu junto... logo... eleito pela maioria! \o/ E quem escolheu o Temer foi sua turma vermelha... proporcionando ao PMDB o terceiro vice empossado da história... passarinho que acompanha morcego, dorme de cabeça pra baixo.

 

Mas voltando ao tema... sem ironias, 693 mil de combustível, era mais prático fretar por fora nao rs? Querem andar de Legacy e VC99 pra lá e pra cá... mas no fundo no fundo alem do luxo que o cargo proporciona, politico foge da aviação 121, pois evita o povo, essa turma que só traz problemas a vida deles... esquecem que chegaram lá via o povo.

 

Meu caro, Temer só está no poder porque o STF fez vista grossa ao processo completamente ilegal do Impeachment, uma vez que não houve crime de responsabilidade e, por isso, houve compra de votos para ser aprovado e depois confirmado. E logo na sequência, depois de uma demora tremenda, o TSE não derrubou a chapa. O impeachment deveria ser anulado ou a chapa deveria ter sido cassada, mas o Poder Judiciário está sustentando essa quadrilha no Poder. Portanto, pára com essa balela de vice porque ninguém pensa no vice quando vai votar, deixa de ser inocente. Na Coreia do Sul, por exemplo, a presidente de lá foi retirada do Poder e logo na sequência teve novas eleições. Isso deveria ter acontecido no Brasil também se o Poder Judiciário fosse rápido e eficiente.

Link to comment
Share on other sites

O uso e abuso de aviões da FAB é somente um dos exemplos da atual situação política.

 

Não importa quem estiver no poder e quem substituir o atual.Não importa a sigla partidária.

Não muda a infindável quantidade de benefícios que a classe política possui. Os que estão no topo da cadeia política (e seus familiares, amigos, conhecidos) sairão beneficiados neste nosso pais injusto e desigual.

 

O que irrita a maior parte dos cidadãos é isso. O país vai mal, mas os políticos estão sempre bem. E ouso dizer que estão cada vez melhor.

Eu não consigo achar uma (ou várias) solução a curto, médio e longo prazo. Também não sou de ficar endeusando seres humanos, uma característica tão presente no geral da sociedade brasileira. Não há um salvador da pátria. Pelo menos não para essa bagunça que virou as autoridades do nosso país.

 

 

Se alguém quiser imaginar um quase mundo utópico para nós (nas questões políticas), segue o link de um livro bem interessante:

 

https://www.amazon.com.br/dp/B06XBPYZ5D - Um país sem excelências e mordomias

http://www.claudiawallin.com.br/a-receita-sueca-para-combater-a-corrupcao/ - A receita sueca para combater a corrupção

Link to comment
Share on other sites

Meus prezados

E quando não é nos jatos da FAB...

Gastança
Festa no Céu

No país que enfrenta o maior déficit público de sua história, deputados federais gastaram R$ 1.457 milhão com fretamento de aeronaves particulares no primeiro semestre deste ano. Mesmo durante o recesso a turma refestelou-se. O saporil que tatuou sua paixão por Temer no ombro, por exemplo, torrou R$ 17 mil em janeiro. O amazonense Átila Lins e o paranaense Fernando Giacobo (que já ganhou 12 vezes na Loteria Esportiva) lideram a lista do período, com R$ 160 mil cada.

Fonte: Ricardo Boechat para revista IstoÉ via JORNAL DO COMMERCIO (PE)/ CECOMSAER 14 AGO 2017

Saporil?

Link to comment
Share on other sites

Falando em gastança, esses dias o Temer foi pra Lucas do Rio Verde-MT para participar da inauguração de uma Usina produtora de Etanol a partir do milho (Usina Privada). Um spotter filmou a comitiva no aeroporto de Sinop-MT.

 

 

 

Ao assistirem o vídeo, dá pra se notar que para essa visita levaram:

A319 Presidencial

EMB-190 do GTE

2 Helicópteros para o deslocamento entre OPS-LVR

1 Caravan da FAB

 

A pergunta que fica: É realmente necessário levar tudo isso para uma visita presidencial? Não é exclusividade do atual governo, nos anteriores também era todo esse aparato.

Lucas do Rio Verde possui um aeroporto pequeno, mas que tem capacidade para jatos particulares. Se fosse pensar em racionalidade, dava pra ir direto em 1 Legacy ou em 1 Learjet que o GTE possui.

Link to comment
Share on other sites

Meus prezados
Ministro braço direito de Temer usa ilegalmente aviões da FAB porque tem medo de ser hostilizado
O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, além de ser alvo da Lava Jato no exercício do cargo, tem driblado as regras para usar aviões da Força Aérea Brasileira em seu retorno para casa, de Brasília, aos finais de semana.
Segundo reportagem de Daniel Carvalho e Gustavo Uribe, da Folha de S.Paulo, publicada neste domingo 20, o ministro dribla o veto para utilização de aeronaves da FAB para se deslocar em fins de semana a Porto Alegre, reduto eleitoral e domicílio familiar.
A autorização para o uso de aviões no retorno para casa foi suspensa em 2015 pela então presidente Dilma Rousseff. Mas Padilha usa como argumento a "segurança": ele tem medo de ser hostilizado em voos e aeroportos comerciais.
Fonte: PLANTAOBRASIL via CECOMSAER 21 AGO 2017

Link to comment
Share on other sites

Alem de corruptos, são covardes... O povo só serve mesmo na época de eleição! Ai rola selfie, beija criança catarrenta e o escambau! Nojo dessa turminha.

Link to comment
Share on other sites

  • 1 month later...

Meus prezados

Políticos fizeram quase 1.800 voos em jatos da FAB em 2017.
Presidente da Câmara, Rodrigo Maia lidera viagens com aeronaves oficiais
Os políticos e autoridades brasileiras, com direito a usar aeronaves da Força Aérea, fizeram 1.794 voos entre janeiro e setembro de 2017, segundo levantamento do R7 com base nos registros de voo da FAB (Força Aérea Brasileira).
Significa dizer que, por mês, as aeronaves oficiais decolaram, em média, 200 vezes para transportar autoridades. São quase sete voos por dia (veja a lista abaixo dos políticos que mais usaram os serviços da FAB).
Este número inclui viagens realizadas por ministros de Estado, presidentes do Supremo Tribunal Federal e da Câmara dos Deputados e pelos comandantes do Exército e da Aeronáutica, além de viagens compartilhadas.
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o ministro da Defesa, Raul Jungmann, e o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, foram os parlamentares que mais utilizaram o serviço.
Maia voou 164 vezes, sendo 56 delas para sua residência, localizada no Rio de Janeiro, enquanto Jungmann e Barbalho voaram 119 e 106 vezes, respectivamente. A maior parte das justificativas de viagens de todos os parlamentares é serviço, exceto a de Maia, que também pode voar para a residência, no Rio de Janeiro.
O decreto 8.432/2015, sancionado pela ex-presidente Dilma Rousseff em 9 de abril de 2015, altera a regra anterior (4.244/2002) para determinar que apenas o vice-presidente da República, presidentes do Senado Federal, da Câmara dos Deputados e do Supremo Tribunal Federal são autorizados a utilizar jatos da FAB (Força Aérea Brasileira) a realizar viagens para os locais de domicílio.
O texto diz: “Fica suspensa a utilização de aeronaves do Comando da Aeronáutica em deslocamento para o local de domicílio, na forma do inciso III do caput do art. 4o do Decreto no 4.244, de 22 de maio de 2002, para as autoridades de que tratam os incisos III e IV do caput do art. 1o desse Decreto”. A suspensão atinge os ministros de Estado e comandantes das Forças Armadas e chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas.
Segundo o decreto de 2002, os parlamentares podem realizar voos utilizando os aviões da FAB por compromissos de trabalho, justificados na planilha de registro de voos como "serviço". Maia, único da reportagem que consta registro de voos para residência, respeita a legislação, já que é presidente da Câmara dos Deputados.
Hoje, existe uma discussão sobre o uso dos voos para finalidades não prescritas na legislação. O fundador da Associação Contas Abertas, Gil Castelo Branco, explica que o Brasil passa por um momento em que os cortes de gastos são uma realidade próxima em todos os setores.
— Se há uma preocupação inclusive com carros oficiais de autoridades, é muito mais do que justo cobrar o rigor da norma que já existe para que autoridade não voem em jatinhos da FAB.
O especialista complementa, no entanto, que quando há desvios de conduta por parte de políticos que desrespeitem as regras, o maior prejuízo se dá segundo o ponto de vista moral.
— O impacto é muito mais sob o ponto de visto ético-moral do que do ponto de vista orçamentário. O país tem um déficit de R$ 159 bilhões. É claro de que há cálculos sobre quanto custa o voo da FAB, mas esta economia de dinheiro não faz nem cócegas no rombo.
A assessoria da FAB informou, em nota, que a solicitação de aviões é feita pelas próprias autoridades e que são executores dos pedidos, isentos da função de fiscalização dos motivos dos voos.
Leia a nota:
“O transporte aéreo de autoridades em aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) segue o estabelecido pelos decretos n° 4.244, de 22 de maio de 2002, e nº 8.432, de 9 de abril de 2015. De acordo com o decreto 4.244, as aeronaves podem ser solicitadas por motivo de segurança e emergência médica, viagens a serviço e deslocamentos para o local de residência permanente.
A justificativa do motivo da viagem é feita pela autoridade quando faz a solicitação da aeronave ao Comando da Aeronáutica. Assim, a autoridade solicitante informa a situação da viagem e a quantidade de pessoas que a acompanharão, não cabendo à Aeronáutica a apuração dessas informações.
O registro de voos está disponível no site da FAB no link: http://www.fab.mil.br/voos. As informações são disponibilizadas no primeiro dia útil subsequente à realização dos voos. Os dados incluem a autoridade solicitante, trajeto, data, horário de decolagem e de pouso, o motivo da solicitação, além da previsão do número de passageiros. Questionamentos sobre informações adicionais devem ser dirigidos às assessorias das respectivas autoridades”.
Outro lado
A assessoria de Rodrigo Maia respondeu, em nota, que “o uso das aeronaves pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, segue estritamente as disposições do Decreto 4244/02. Lembramos que, além de presidente da Câmara, ele exerce a Presidência da República nas ausências do presidente Michel Temer, e alguns deslocamentos são motivados por essa situação”.
Procurado pela reportagem, o presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, Mauro Menezes, não atendeu ao pedido de entrevista.
A reportagem também procurou a assessoria dos parlamentares que mais voaram em 2017. A comunicação do ministro Henrique Meirelles (Fazenda) afirma que as viagens cumprem a agenda de serviços do ministro e que "o uso de aviões da FAB é uma recomendação do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), via decreto, porque o titular da Fazenda trata de temas sensíveis".
A assessoria de Barbalho diz que o uso das aeronaves está baseado no decreto nº 4.244 (22/05/2002) e os compromissos são todos previstos na agenda oficial do ministro. "É importante esclarecer que a atuação do ministério acontece em todo o território nacional. Isso ocorre em função do apoio emergencial em casos de desastre natural, como vendavais, enxurradas, seca e estiagem, entre outros, com a implementação de obras hídricas no Nordeste e ações contínuas de desenvolvimento regional em todo o país, como as Rotas de Integração do Peixe, do Mel e do Cordeiro", diz a nota, complementando que viagens pessoais do ministro são custeadas com recursos próprios.
O Itamaraty disse, em nota, que "as viagens dos Ministros José Serra e Aloysio Nunes em avião da FAB foram feitas nos termos da atual redação do Decreto 4.244/2002. No caso do Ministro Aloysio, a serviço, e no caso do Ministro Serra, a serviço ou por razão médica".
O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações também se posicionou, afirmando que as viagens seguem a legislação brasileira.
As viagens de Kassab "se deram para a realização de diferentes agendas como encontros no escritório regional do ministério localizado na capital paulista, vistoria em obras e atividades com a comunidade científica - como SBPC, ABC e USP, entre outras, e participação em atividades como o Futurecom, evento de destaque do setor de Tecnologia que teve início na última segunda-feira (2). As agendas são registradas pela imprensa, no Portal do Ministério e incluem, por exemplo, o desligamento do sinal analógico de TV em diferentes Estados para a televisão digital, além de mutirões de migração de rádios de AM a FM. Os deslocamentos com apoio da FAB se dão com a presença de dirigentes do Ministério, assessores e autoridades. E as aeronaves da FAB não são, obviamente, o único meio de deslocamento do ministro".
O Ministério da Saúde disse, também em nota, que "o ministro da Saúde, Ricardo Barros, realizou 155 voos para cumprir agendas oficiais em todo o país. Por meio das aeronaves da FAB, foram 85 deslocamentos, o que representa 54% do total". Segundo a assessoria de imprensa, "cabe ressaltar que as viagens realizadas pela FAB foram para diversos compromissos, como inauguração de UPAS, entrega de ambulâncias do SAMU, anúncios de recursos para unidades de saúde, eventos relacionados à gestão da saúde, visita ao atendimento na fronteira com a Venezuela, entre outros. É importante esclarecer, também, que em algumas viagens, o ministro Ricardo Barros dividiu voo com outros ministros, como o do Trabalho e o de Transportes, Portos e Aviação Civil".
O ministério também salientou que o uso de Barros respeita "rigorosamente" a legislação. O Ministério da Defesa não se posicionou até o fechamento da reportagem.
Fonte: Giuliana Saringer Do R7 via CECOMSAER 8 OUT 2017

Link to comment
Share on other sites

uma vez que não houve crime de responsabilidade

ta bem informado esse ai

 

 

 

Portanto, pára com essa balela de vice porque ninguém pensa no vice quando vai votar, deixa de ser inocente.

"balela"? vc não do tipo que assume responsabilidades não né?

 

Na Coreia do Sul, por exemplo, a presidente de lá foi retirada do Poder e logo na sequência teve novas eleições. Isso deveria ter acontecido no Brasil também se o Poder Judiciário fosse rápido e eficiente.

Já ouviu falar em um negocio chamado constituição?

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade