Jump to content

Supremo cria espaço restrito em BSB ao custo anual de R$ 374 mil


jambock

Recommended Posts

Meus prezados
O Supremo criou uma área restrita no aeroporto de Brasília: o Tribunal contrata o espaço com um custo anual de 374 mil reais
sarew-2.jpg

Os ministros não precisam mais percorrer os corredores por onde passam os demais passageiros. (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

O STF (Supremo Tribunal Federal) contratou uma área especial de embarque para os integrantes da Corte no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília. De acordo com o Tribunal, o aluguel da nova área, que é diferente da sala que a Corte tinha anteriormente no terminal de passageiros, ocorreu para garantir a proteção dos ministros. O espaço, que tem um custo anual de R$ 374,6 mil, funciona desde julho do ano passado.
“Toda a questão em torno do uso do embarque no Terminal 2 está relacionado à segurança dos ministros”, explicou a assessoria do Supremo, ao ser procurada. Na sala vip anterior, os ministros eram dispensados da fila do check in, mas se juntavam aos demais passageiros no momento do embarque no portão indicado pela companhia aérea. A nova sala, no Terminal 2, que fica a dois quilômetros do terminal usado por passageiros de voos comerciais, permite que os ministros do STF aguardem pelo momento do embarque em espaço reservado. Eles são levados de van até o local onde está o avião da companhia área. O embarque é feito por escada lateral. Nesse caso, o ministro não precisa mais percorrer os corredores por onde passam os demais passageiros, nem aguardar pela chamada para embarque no saguão em frente ao portão onde está a aeronave.
Os ministros do Supremo ganharam notoriedade nos últimos anos. A exposição que vinha desde o julgamento do mensalão cresceu com a chegada dos casos da Lava-Jato à Corte e alguns ministros passaram a ser hostilizados por militantes. Relator da Lava-Jato, o ministro Edson Fachin revelou em março que havia pedido auxílio da Polícia Federal para investigar ameaças dirigidas a sua família. O relator da Lava-Jato passou a andar com seguranças armados desde então.
“Nos dias atuais, uma das preocupações que tenho não é só com julgamentos, mas também com a segurança de membros de minha família. Tenho tratado deste tema e de ameaças que têm sido dirigidas a membros de minha família”, disse Fachin em entrevista.
Em abril, militantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) vandalizaram o prédio onde a presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, tem um apartamento, em Belo Horizonte (MG). Um dos ministros da Corte disse a reportagem, sob a condição do anonimato, que costuma usar a estrutura do tribunal apenas em viagens de trabalho. Em viagens privadas, ele costuma recorrer ao terminal de embarque com os demais passageiros.
“Quando viajo para compromisso institucional, sigo o protocolo de segurança. Em viagens privadas, uso o terminal de embarque do aeroporto. O ponto é apenas evitar a circulação por dentro do aeroporto. Eu prefiro ir de van para o portão, onde entro na fila de prioridades, por ter cartão fidelidade. Já houve momentos de maior hostilidade, em que se entrava pela escada lateral. Mas é pior”, diz o ministro.
Levantamento da Contas Abertas, realizado a pedido do jornal “O Globo”, mostra que o tribunal já pagou neste ano R$ 148 mil à Inframerica, a administradora do aeroporto, pelo serviço de “fast pass”.
Em nota, o Supremo afirma que a nova área de embarque foi criada depois que o antigo contrato de aluguel da sala de espera do Tribunal, dentro do aeroporto, venceu. O Supremo diz ter tentado se desfazer da sala e assegurar, no entanto, as credenciais de segurança para acesso livre às áreas restritas do aeroporto, o que foi negado.
Fonte: O SUL 7 JUN 2018

Link to comment
Share on other sites

Inframerica deve estar querendo emplacar um terminal de primeira classe em Brasília, pois está a um passo de os mega-empresários ultra-VIPs (os contratantes desse Supremo) e seus despachantes (lobistas) pleitearem usar a área e terem seus diálogos com os ministros facilitado.

Link to comment
Share on other sites

Inframerica deve estar querendo emplacar um terminal de primeira classe em Brasília, pois está a um passo de os mega-empresários ultra-VIPs (os contratantes desse Supremo) e seus despachantes (lobistas) pleitearem usar a área e terem seus diálogos com os ministros facilitado.

Vc chama os empresários de ultra vips, mas é no STF que os processos contra deputados e senadores se arrastam a anos até prescrever!

Link to comment
Share on other sites

Vc chama os empresários de ultra vips, mas é no STF que os processos contra deputados e senadores se arrastam a anos até prescrever!

 

O chamado "engavetamento"?

Link to comment
Share on other sites

É obrigação dos brasileiros de bem vaiar e esculachar essas otoridades sempre que os encontrar numa aeronave. Vão se esconder no banheiro?

Link to comment
Share on other sites

Bem usual no (des)governo... criam um problema (popularidade excessiva de juizes e exposição de midia exagerada) e agora querem resolver a consequência do problema ao invés de resolver o problema em si.

 

Juiz tem que ser imparcial , silencioso e passar o dia no tribunal, não nas tribunas.

Link to comment
Share on other sites

Bem usual no (des)governo... criam um problema (popularidade excessiva de juizes e exposição de midia exagerada) e agora querem resolver a consequência do problema ao invés de resolver o problema em si.

 

Juiz tem que ser imparcial , silencioso e passar o dia no tribunal, não nas tribunas.

 

Saudade do tempo em que não se conhecia ministros do STF.

 

Aliás, eram tão discretos, que muitos nem sabiam de sua existência.

 

Limitavam-se a analisar as leis sob a ótica constitucional e deixavam o legislativo legislar.

Link to comment
Share on other sites

 

Saudade do tempo em que não se conhecia ministros do STF.

 

Aliás, eram tão discretos, que muitos nem sabiam de sua existência.

 

Limitavam-se a analisar as leis sob a ótica constitucional e deixavam o legislativo legislar.

Esta falando dos Estados Unidos ne? Kmkk

Link to comment
Share on other sites

Esta falando dos Estados Unidos ne? Kmkk

Não querendo fazer muito off-topic, mas a suprema corte ganhou notoriedade após o escândalo do mensalão, desde então os brasileiros puderam acompanhar mais a atuação deste poder.

Link to comment
Share on other sites

O chamado "engavetamento"?

Exatamente.

O supremo não leva a maioria dos casos dos políticos para frente, e em troca o legislativo e executivo deixa o legislativo em paz para ter super salários e empregarem a família inteira no estado.

Mas tem gente que acha que inimigo é o empresário malvadão.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade