Jump to content

Aeronaves batem durante pouso em aeroclube de Itápolis


Leonardo PoA

Recommended Posts

Aeronaves batem durante pouso em aeroclube de Itápolis

 

Aviões se chocaram durante uma aula do curso de formação de pilotos. Ninguém ficou ferido.

 

Por G1 Bauru e Marília

12/07/2018 11h11 Atualizado há menos de 1 minuto
reporter-tambarussi-2-.jpg

Aviões trombaram durante pouso no aeroclube de Itápolis (Foto: Repórter Tambarussi/ Divulgação )

Duas aeronaves bateram na manhã desta quinta-feira (12) no aeroclube de Itápolis (SP).

Conforme informações apuradas pela TV TEM e pelo G1, o acidente aconteceu durante uma aula do curso de formação de pilotos.

Segundo Edmir Antonio Gonçalves, prefeito de Itápolis e sócio da escola do aeroclube, os dois aviões estavam pousando ao mesmo tempo e um acabou batendo na traseira do outro.

gileno-rdd-1-.jpg

Incidente em Itápolis aconteceu durante aula do curso de formação de pilotos (Foto: Gileno RDD/ Divulgação )

Pelas imagens, é possível perceber que a cabine e as asas de uma das aeronaves ficou totalmente destruída. Ainda de acordo com a ocorrência, nenhum dos pilotos se feriu.

As operações na pista foram suspensas temporariamente por conta do acidente. O local foi isolado para os trabalhos do Cenipa, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes da Força Aérea Brasileira.

gileno-rdd-2-.jpg

As duas aeronaves estavam pousando no aeroclube de Itápolis (Foto: Gileno RDD/ Divulgação )

https://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/noticia/aeronaves-batem-durante-pouso-em-aeroclube-de-itapolis.ghtml

 

 

Link to comment
Share on other sites

12/07/2018 11:30 - Regional
Duas aeronaves colidem em Aeroclube de Itápolis
Heitor Carvalho

Dois aviões de pequeno porte colidiram na pista de pouso do Aeroclube de Itápolis (105 quilômetros de Bauru), na manhã desta quinta-feira (12). Segundo o Corpo de Bombeiros de Itápolis, que atendeu a ocorrência, o acidente aconteceu por volta de 8h.

Uma das aeronaves era ocupada por duas pessoas, enquanto a outra tinha apenas um ocupante. Ninguém se feriu. O aeroclube de Itápolis não quis se pronunciar sobre o ocorrido.

 

https://www.jcnet.com.br/Regional/2018/07/duas-aeronaves-colidem-em-aeroclube-de-itapolis.html

 

 

***********

 

Tem mais fotos e audios de pessoas que presenciaram o acidente rolando pelos grupos de whatsapp.

 

Link to comment
Share on other sites

Um 'Meu Deus' pela falta de coordenação no aerodromo

 

Um 'Glória a Deus' porque era pra estar todo mundo em situação bem pior pelo acidente.

Link to comment
Share on other sites

É difícil imaginar o que levou duas aeronaves a pousarem uma por cima da outra... Mas olhando as imagens, dá pra tentar imagina a cena.

 

Pelos danos no estabilizador vertical do EJK (1) e na asa do JEA (2), parece que o 1 já estava em solo ou tinha acabado de tocar a pista, quando o 2 pousou por cima, acertando a hélice no estabilizador vertical do 1 (que ficou estraçalhado), nisso o 2 deve ter perdido a sustentação de uma vez e caído por cima da empenagem do 1 causando aquela "dobra" na junção da cauda com a cabine. Em seguida o 2 rolou pra cima da asa direita e parou de ponta cabeça. Resumindo... pt nas duas aeronaves.

 

Como imagino que nenhum dos tripulantes é kamikaze, realmente não devem ter se visto em momento algum da aproximação, e para tal a única forma seria se os dois estivessem aproximando exatamente acima um do outro, o de cima não veria o de baixo por conta do campo de visão e o de baixo não veria o de cima por estar focado na pista e nos obstáculos abaixo... No fim das contas, uma sorte tremenda que somente se tocaram já em solo. Se misturassem as tintas enquanto ainda na final, o saldo negativo poderia ser bem mais do que dois aviões com pt...

 

Obs.: Como de costume nestes casos, já digo antes de mais nada que, tudo que está escrito no meu post acima é baseado em minhas próprias suposições, pode ser sim que o RF mostre uma realidade completamente diferente daqui alguns meses, mas não acho errado tentar entender agora o que houve em uma discussão sadia. Só lembrando também que tomei o cuidado de não atribuir culpa a nenhum dos envolvidos.

Link to comment
Share on other sites

Gente, pra que que serve fonia??? alguém(s) estava mudo e/ou surdo.

 

Ou cego.

 

O piloto da aeronave que vinha na retaguarda do EJK não viu o avião na frente? não conseguiu fazer um julgamento melhor? arremeter no caso.

com duas aeronaves apenas no circuito (o que consta no áudio áudio vazado). A não ser que o cara estava atrás estava em pane ai é outra situação e releva-se alguns pontos. Mas enfim, aguardemos cenas dos próximos capítulos.

Link to comment
Share on other sites

 

Ou cego.

 

O piloto da aeronave que vinha na retaguarda do EJK não viu o avião na frente? não conseguiu fazer um julgamento melhor? arremeter no caso.

com duas aeronaves apenas no circuito (o que consta no áudio áudio vazado). A não ser que o cara estava atrás estava em pane ai é outra situação e releva-se alguns pontos. Mas enfim, aguardemos cenas dos próximos capítulos.

 

Acredito que o principal fator foi a coordenação na fonia, aliás, a falta dela. Mas eu particularmente, diante dos fatos atuais, acho difícil definir quem tá errado ou certo.

 

Já em relação à enxergar e manter contato visual, como eu citei no post anterior, acredito que se em algum momento tivessem se visto, iriam abortar o pouso e se desviar um do outro (depois de tomar baita susto). Além disso, se o JEA estivesse voando na retaguarda do EJK (e mesmo assim não tivesse visto), como as velocidade de final e toque dos aviões é idêntica, eles teriam batido de forma diferente na pista, de nariz contra cauda, e não de barriga sobre a empenagem igual aparenta nas fotos.

 

Ainda acho que eles aproximaram exatamente um sobre o outro, verticalmente, com o JEA acima do EJK.

Link to comment
Share on other sites

Aluno solo, visão de túnel, possivelmente

 

Por isto que acho muito válido fazer os cursos em aeroclubes dentro de TMA congestionada. Tem um ponto ruim, no meu ponto de vista, para os tgl; aqui no SBBI só podiam ter dois aviões de cada vez fazendo

o procedimento na minha época. Primeiro que foi no momento de grandes contratações, tem duas escolas que tornavam o tráfego bem pesado e o número de acft particulares é bem grande.

 

No pesar da balança fico com fazer em TMA de grande movimentação, dá um up no aprendizado.

Link to comment
Share on other sites

onde estava o instrutor do aluno solo?? deveria estar observando seu aluno no circuito de tráfego...

 

Contando as horas , talvez...

Link to comment
Share on other sites

onde estava o instrutor do aluno solo?? deveria estar observando seu aluno no circuito de tráfego...

O instrutor observando o aluno no tráfego iria fazer o que?? Dar um grito para o aluno desviar??
Link to comment
Share on other sites

O instrutor observando o aluno no tráfego iria fazer o que?? Dar um grito para o aluno desviar??

Não conheço o AD em questão.

 

No que eu frequento, INVAs com alunos solo ficam no PO a 15cm do rádio. Exatamente por isso não é necessário gritar.

Link to comment
Share on other sites

O instrutor observando o aluno no tráfego iria fazer o que?? Dar um grito para o aluno desviar??

o inva tem a responsabilidade de observar seu aluno no circuito, e com certeza iria orientar seu aluno a esperar para girar base ou seja lá o que aconteceu pois saberia que tinha avião na final. isso é comum, e deveria ser o padrão.

aluno solo recebe muita orientação do instrutor em solo quando no circuito de tráfego...

Link to comment
Share on other sites

o inva tem a responsabilidade de observar seu aluno no circuito, e com certeza iria orientar seu aluno a esperar para girar base ou seja lá o que aconteceu pois saberia que tinha avião na final. isso é comum, e deveria ser o padrão.

aluno solo recebe muita orientação do instrutor em solo quando no circuito de tráfego...

Discordo totalmente do seu ponto de vista, porque se ele depende desse tipo de orientação então no mínimo ele não tem condições de voar solo, pelo menos na escola que dei instrução, quando os alunos estavam solo, de fato estavam ao menos brifados e treinados para tal julgamentos.

Link to comment
Share on other sites

Discordo totalmente do seu ponto de vista, porque se ele depende desse tipo de orientação então no mínimo ele não tem condições de voar solo, pelo menos na escola que dei instrução, quando os alunos estavam solo, de fato estavam ao menos brifados e treinados para tal julgamentos.

no caso de Itápolis, todos os invas tem um HT Icon disponível para se comunicar com seu aluno...

se o INVA estivesse observando iria sim intervir, ou pelo seu ponto de vista, ele deveria deixar bater né?

Link to comment
Share on other sites

Prezados,

Acredito que o INVA deva acompanhar os alunos no circuito em seus primeiros solos dando instruções pelo radio, caso isso seja necessário. Isso é uma pratica do aeroclube onde voo, pois mesmo que o aluno voe bem, agente nunca sabe o comportamento dele em situação nova (primeiro solo, por exemplo).

Link to comment
Share on other sites

Vcs já pensaram em esperar pela investigação do acidente?

 

Bem, aqui é um fórum. A ideia de um fórum é debater assuntos.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade