Jump to content

Congresso dos EUA tenta impedir espaço cada vez menor para os passageiros


jambock

Recommended Posts

Meus prezados

Congresso dos EUA tenta impedir espaço cada vez menor para os passageiros
A Administração Federal de Aviação (FAA) está sendo requerida a estabelecer novos requisitos mínimos para assentos em aviões sob a legislação a ser considerada no Congresso americano ainda nesta semana, segundo informações da Time. A norma possivelmente daria uma folga para os espaços entre os assentos cada vez mais apertados das aeronaves.
default.jpg

O Congresso enfrenta um prazo até 30 de setembro para manter os programas da FAA em execução. O Senado também precisará aprovar a lei nesta semana ou ambas as casas terão de acatar a uma extensão de curto prazo.

O espaço entre as fileiras – medido de um ponto do assento até o mesmo na fila seguinte – vem diminuindo há anos, à medida que as aéreas apertam cada vez mais os lugares em seus aviões. Antigamente, era comum um espaço de 86 a 89 centímetros e hoje algumas aeronaves apresentam menos de 76 centímetros.

Ainda de acordo com a revista americana, os legisladores também incluíram várias provisões para responder às preocupações sobre o aumento dos ruídos causados pelos novos trajetos de voo. O projeto de lei exigiria que a FAA estudasse os possíveis impactos na saúde.

Fonte: https://ti.me/2xCrRhd via portal PANROTAS 25 set 2018

Link to post
Share on other sites

  • Replies 69
  • Created
  • Last Reply

Bom, tem que padronizar. Há pitchs que são desumanos, principalmente se considerar países europeus e EUA, onde a média de altura é maior.

 

Essa sanha de reduzir CASK a toda custa não pode afetar a saúde dos passageiros e até mesmo do ponto de vista da segurança, em uma evacuação.

Link to post
Share on other sites

Bom, tem que padronizar. Há pitchs que são desumanos, principalmente se considerar países europeus e EUA, onde a média de altura é maior.

 

Essa sanha de reduzir CASK a toda custa não pode afetar a saúde dos passageiros e até mesmo do ponto de vista da segurança, em uma evacuação.

 

Minha impressão vendo de fora, absoluto leigo que sou, é que os testes de evacuação conduzidos têm muito pouco a ver com o mundo real. Acho que se os testes fossem mais realistas nem precisariam de lei para padronizar os pitchs, o próprio fracasso no teste já resolveria o assunto. Faz sentido isso ou é realmente só impressão minha?

Link to post
Share on other sites

Talvez as passagens dobrassem de valor pra corrigir o corte de assentos... não existe mágica.

Claro, o que muitos CEOs não entendem é que a aviação não vai conseguir ser uma commodity acessível. Os carros indianos são os mais baratos do mundo, mas veja se seguem normas de segurança? Outro exemplo é o celular chinês de marca desconhecida.

 

Há 20 anos que um A330 faz menos por pessoa/litro que um carro. Não vejo muito afinco em reduzir pitch nos trens de alta velocidade. E olha que trens estao no mesmo rol da aviação de negócios não lucrativos.

Link to post
Share on other sites

Saiu uma reportagem sobre isso na The Economist, em que dizia que isso poderia ter o efeito contrário ao desejado. Segundo a publicação, o pitch mínimo a ser adotado viria a ser 28" (o mesmo da Spirit), porém AA, DL e UA poderiam interpretar como um pitch padrão e reduzir os atuais 30"/31" para 28".

 

Outro ponto foi que o passageiro que escolhe voar Spirit ou Allegiant sabem o produto que estão adquirindo e mesmo assim decide voar por elas. No caso, se o pitch fosse padronizado em 30", as duas empresas teriam que diminuir o número de assentos e consequente subir o valor das tarifas.

Link to post
Share on other sites

Eu sou contra qualquer medida do governo interferindo em modelo de negócios das cias aéreas.

 

É apertado, desconfortável? É!
Alguém te obrigou a voar por essa cia? Não

Existem outras opções com mais conforto? Sim!

 

Ou seja, é o próprio passageiro que quer voar mais barato abrindo mão do conforto.

 

Tudo que essa decisão vai fazer no fim das contas é prejudicar o próprio consumidor, ao invés de protegê-lo.

Link to post
Share on other sites

Eu sou TOTALMENTE a favor. É necessário impor limites. O ESTADO tem que agir nessas horas e não deixar o "mercado" fazer o que quiser.

Link to post
Share on other sites

Eu sou TOTALMENTE a favor. É necessário impor limites. O ESTADO tem que agir nessas horas e não deixar o "mercado" fazer o que quiser.

Isso aí, devemos pedir para as passagens serem reguladas pelo Estado também, #foradesregulamentaçãodospreços

Link to post
Share on other sites

Eu sou TOTALMENTE a favor. É necessário impor limites. O ESTADO tem que agir nessas horas e não deixar o "mercado" fazer o que quiser.

Vc está falando sério? É de cuba ou Venezuela?

Tem opções, no mercado doméstico , e principalmente inter.

Pague mais e terá um assento com maior espaço.

Link to post
Share on other sites

 

Minha impressão vendo de fora, absoluto leigo que sou, é que os testes de evacuação conduzidos têm muito pouco a ver com o mundo real. Acho que se os testes fossem mais realistas nem precisariam de lei para padronizar os pitchs, o próprio fracasso no teste já resolveria o assunto. Faz sentido isso ou é realmente só impressão minha?

A sua lógica faz sentido....Mas na prática...ainda que consideramos que os testes de evacuação são de fato feitos em condições ideais(até pq e.meio difícil simular o desespero de uma situacao real) o pitch mínimo para cumprir os requisitos nunca chegaria numa medida razoavel de conforto....ou teríamos como padrão o pitch das saídas de emergência...O que é inexequível.

Por outro lado Acidentes recentes em que evacuação foi necessaria como o do Asiana em SFO ou da US Arways no Hudson...Não demonstraram provlemas na saída dos passageiros.

 

Em outras palavras...O pitch atual nao um problema para evacuação..e não é por aí que está difícil equação será resolvida.

 

Abraços.

Link to post
Share on other sites

Eu sou contra qualquer medida do governo interferindo em modelo de negócios das cias aéreas.

 

É apertado, desconfortável? É!

Alguém te obrigou a voar por essa cia? Não

Existem outras opções com mais conforto? Sim!

 

Ou seja, é o próprio passageiro que quer voar mais barato abrindo mão do conforto.

 

Tudo que essa decisão vai fazer no fim das contas é prejudicar o próprio consumidor, ao invés de protegê-lo.

Leirbag, também concordo com menos regulações do Estado, mas estamos em um contexto em que há poucos players e tem rotas que só tem uma operadora.

 

Por outro lado, tem a questão que o Mayday apontou: um pitch mínimo poderia acabar com as ULCCs. Talvez a solução seja dar um prazo para adaptação ou até mesmo criar incentivos como os selos que a ANAC (!) criou.

 

Mas ao mesmo tempo é a deixa para a A4A exigir que retirem a burocracia estatal no setor. Se querem impor algo, então vao ter que ceder em outro ponto.

Link to post
Share on other sites

O valor minimo seria 68cm ou 26' pelo que encontrei. Pra que entre em vigor, todas as aeronaves tem de ser re-homologadas e muitas delas seriam reprovadas nos testes de evacuação.

 

E ai, como faz? Gasta-se uma pequena fortura pra retrofitar as aeronaves, fazer mudanças pra adicionar saídas de emergência e ficar dentro do prazo de evacuação estabelecido pelo FAA... enfim, caso eu esteja errado com os números, por favor me atualizem.

Link to post
Share on other sites

Vc está falando sério? É de cuba ou Venezuela?

Tem opções, no mercado doméstico , e principalmente inter.

Pague mais e terá um assento com maior espaço.

 

VOCÊ está falando sério ou é piada ?

Cuba ? Venezuela ?

 

Você conhece a palavra PADRÃO ? REGRAS ? REGULAMENTOS? CONSUMIDOR ?

 

Se você acha bonito se espremer na poltrona, problema seu. Eu não quero isso. Para tudo deve haver um limite, uma regulação e não deixar as empresas fazerem o que quiserem.

 

Qual a dificuldade de se entender isso ? Qualquer coisa que se fale agora é motivo de vir com papinho histérico de Cuba ou Venezuela ? Vá lá para Washington então para dizer na cara dos Congressistas Norte-Americanos que eles são "bolivarianos". Faça-me o favor!

 

Tudo agora é na base do PAGUE MAIS ? Eu não quero pagar mais caramba ! Chega de "pagar mais". Pago a passagem e quero viajar sem ter que me espremer porque a cia aérea decidiu que esse é o padrão dela. O ESTADO tem que agir quando as empresas e empresários passam dos limites (ou APERTAM os limites).

 

 

A gente tem opção com a bagagem né ?? Opção de pagar CARO para despachar em todas as empresas. Uma sobe o preço e ESTRANHAMENTE todas aumentam em seguida.

 

Viva ao "LIVRE MERCADO".

Link to post
Share on other sites

Está cada vez mais chegando as viagens em pé!!! Quem quiser viajar sentado que pague mais!!!

O passageiro é que o errado por querer viajar sentado. Absurdo querer uma coisa dessas.

 

"Pague mais e viaje sentado, ué?"

Link to post
Share on other sites

Houve um tempo em que o pitch era maravilhoso, reclinio

esplendoroso, serviço de bordo magnífico, mas quem voava? Qual era o preço de um bilhete de avião no Brasil?

 

A regulação do Estado, nesse caso, deve ser restringida a questões de segurança, é dizer, atestar a possibilidade de evacuar a aeronave no tempo exigido.

 

Exigir um espaço mínimo entre as poltronas terá apenas um resultado: aumentar o preço das passagens. Com esse aumento, haverá redução ou corte de destinos e, ainda, o afastamento de muitas pessoas do transporte aéreo.

Link to post
Share on other sites

Agora como ficam as questões de saúde especialmente em vôos longos, onde o espaço apertado pode provocar trombose, problema que vem se agravando? Eu depois de ter um episódio, sempre viajo de meia de compressão na economica, pois o espaço não permite uma boa circulação sanguínea. Ao mesmo tempo, em regra pagar a business e inviável. Deve haver alguma regulamentação, baseada nas questões médicas que devem dizer qual o espaco mínimo para preservar a saúde do passageiro

Link to post
Share on other sites

Agora como ficam as questões de saúde especialmente em vôos longos, onde o espaço apertado pode provocar trombose, problema que vem se agravando? Eu depois de ter um episódio, sempre viajo de meia de compressão na economica, pois o espaço não permite uma boa circulação sanguínea. Ao mesmo tempo, em regra pagar a business e inviável. Deve haver alguma regulamentação, baseada nas questões médicas que devem dizer qual o espaco mínimo para preservar a saúde do passageiro

 

Acredito que estes planos são para voos mais curtos, de 01h a 02hs

Link to post
Share on other sites

Houve um tempo em que o pitch era maravilhoso, reclinio

esplendoroso, serviço de bordo magnífico, mas quem voava? Qual era o preço de um bilhete de avião no Brasil?

 

A regulação do Estado, nesse caso, deve ser restringida a questões de segurança, é dizer, atestar a possibilidade de evacuar a aeronave no tempo exigido.

 

Exigir um espaço mínimo entre as poltronas terá apenas um resultado: aumentar o preço das passagens. Com esse aumento, haverá redução ou corte de destinos e, ainda, o afastamento de muitas pessoas do transporte aéreo.

 

É o outro lado da moeda, lembro de um voo de SBPA - SBSP e conexão para SBRF com umas duas ou três paradas paradas pela VARIG lá por volta dos meados dos anos 70.

Um conforto absurdo, almoço on board da hora, tudo lindo; mas meu pai na época diretor da Sadia sentiu a puada no bolso para irmos em quatro para lá.

Inviável hoje.

Link to post
Share on other sites

Quando eu era adolecente nos anos 90, em Curitiba, 300 Reais era considerado tipo uma mega-promo numa passagem para SP.

 

E a experiência não tinha nada de muito maravilhodo não.

 

Povo não lembra como voar era caro.

Link to post
Share on other sites

Se queremos reduzir e "popularizar" a aviação, então por que não aumentamos a carga horária dos tripulantes e diminuímos os números de comissários, como foi feito no A319, de 4 para 3? Isso aumentaria a produtividade e reduziria os custos. Abriríamos da segurança com esta vontade de baixar o cask? A mesma lógica da saúde, ter uma ergonomia mínima,

 

Duas horas é até razoável, mas a aviação pretende padronizar as aeronaves, acabando com as subfrotas. O mesmo MAX que fará ponte-aerea de 45 minutos é o mesmo que fará BSB-CUN de 7 horas.

 

E tivemos uma "evolução" das poltronas também. Antes eram espessas e desengonçadas. Hoje pode dizer que 6 fileiras destas poltronas ocupam um espaço que tinha 5 fileiras.

Link to post
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.




×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade