Jump to content

Prejuízo da TAP agrava-se para 90 milhões de euros no primeiro semestre


TheJoker

Recommended Posts

28/09/18

 

A TAP registou um prejuízo de 90 milhões de euros no primeiro semestre, que compara com 54 milhões negativos do período homólogo, o que é atribuído em parte ao aumento do preço dos combustíveis, anunciou hoje a companhia aérea.

 

O primeiro semestre da companhia foi desafiador em função do forte aumento do preço dos combustíveis (mais 36%), pela volatilidade nas moedas dos principais mercados da TAP e por irregularidades operacionais. Gastos não-recorrentes totalizaram 40 milhões de euros e tal impacto negativo contribuiu para um resultado operacional de 47 milhões de euros negativos (face a um resultado operacional de 43 milhões de euros negativos em igual período do ano anterior)", referiu a TAP, em comunicado.

Sem estes itens não-recorrentes, "o resultado operacional teria sido 7 milhões de euros negativos (face a um resultado operacional recorrente de 59 milhões de euros negativos no primeiro semestre do ano anterior) e o prejuízo líquido teria sido 58 milhões de euros (face a prejuízo líquido de 67 milhões de euros em igual período de 2017) ", esclareceu a TAP.

As vendas aumentaram 18%, sendo que a empresa destaca "os mercados português, brasileiro e norte-americano que, no conjunto, cresceram aproximadamente 15% e representaram 56% do total das vendas da TAP. Outros mercados que também apresentaram evoluções muito positivas face ao período homólogo do ano anterior foram a Áustria (44%), a Alemanha (42%), o Reino Unido (28%) e Espanha (19%) ". A TAP não divulgou os valores destas vendas.

A companhia aérea salientou ainda que conseguiu um "avanço significativo" na reestruturação da TAP Manutenção e Engenharia Brasil "com redução total de aproximadamente 1.000 colaboradores, o que representa praticamente metade do quadro de funcionários da subsidiária no início deste processo", referiu o mesmo comunicado.

"Ao ajustar a capacidade da operação à procura atingiu-se uma elevada utilização que, juntamente com uma nova política comercial e diversas iniciativas de corte de custos, permitiram à subsidiária registar um lucro operacional, excluindo custos com reestruturação, de aproximadamente um milhão de euros", salientou a TAP.

A empresa fechou ainda "acordos salariais com a maioria das classes profissionais da companhia, que também se traduziram em aumentos salariais importantes, garantindo a paz social para os próximos cinco anos".

A TAP acredita que o segundo semestre será mais forte, tendo em conta "a contratação e formação de mais pilotos e tripulantes de cabina, bem como alterações à estrutura de planeamento de escalas e medidas para incrementar a pontualidade". A empresa irá ainda receber novos aviões, "nomeadamente o novo A330neo, do qual a TAP será a primeira operadora mundial e que permitirá à companhia lançar mais novas rotas em breve", salientou a TAP.

 

https://www.noticiasaominuto.com/economia/1089958/prejuizo-da-tap-agrava-se-para-90-milhoes-de-euros-no-primeiro-semestre

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

Depois de um giro de uns 15 dias por Portugal, minha visão sobre o problema da TAP

 

1) Deveriam esquecer a linha Porto-Lisboa - os trens empurraram as tarifas para valores que não fazem sentido economico (EUR 33)

 

2) A malha doméstica tem que ser de fato revista, talvez até em acordos com a CP que poderiam fazer a função de feed em OPO e LIS. Deveriam ficar as rotas regionais ou mais longas (como Porto-Faro, Porto-Madeira, Lisboa-Madeira)

 

3) Continuar no rumo do exterior - incrementar ainda mais a malha da America do Sul

 

4) Terminar a otimização da TAP M&E

Link to comment
Share on other sites

Depois de um giro de uns 15 dias por Portugal, minha visão sobre o problema da TAP

 

1) Deveriam esquecer a linha Porto-Lisboa - os trens empurraram as tarifas para valores que não fazem sentido economico (EUR 33)

 

2) A malha doméstica tem que ser de fato revista, talvez até em acordos com a CP que poderiam fazer a função de feed em OPO e LIS. Deveriam ficar as rotas regionais ou mais longas (como Porto-Faro, Porto-Madeira, Lisboa-Madeira)

 

3) Continuar no rumo do exterior - incrementar ainda mais a malha da America do Sul

 

4) Terminar a otimização da TAP M&E

 

Apresentação (13/09) do Antonoaldo na Assembléia da República: https://www.tapairportugal.com/pt/-/media/Institucional/PDFs/20180913TAPEstrategiadeCrescimento.pdf

 

Tirando EZE, não tem nada de novo (destinos) pro Brasil.

 

As europeias funcionam como as americanas e australianas. O mercado doméstico e regional/internacional NB é o mais lucrativo.

 

 

TAP transportou 1,48 milhões de passageiros em Setembro

 

A TAP continua a crescer fortemente em todos os indicadores de tráfego, atingindo em setembro um total de 1,48 milhões de passageiros transportados. No acumulado dos primeiros nove meses de 2018, a Companhia já ultrapassou a marca dos 12 milhões de passageiros, continuando a bater recordes sucessivos na sua atividade principal. Uma marca que já superou os 11,7 milhões de passageiros transportados pela Companhia em todo o ano de 2016.

Com este registo, a TAP transportou até ao final de setembro quase um milhão e meio de passageiros a mais do que no período homólogo de 2017.

A taxa de ocupação dos lugares oferecidos foi de 82,3 por cento em Setembro, em linha com a média de 82,4 por cento registada de janeiro a setembro do ano corrente.

As rotas entre Lisboa e Porto, Madeira e Paris são as três em que a TAP mais passageiros transportou em setembro, num total de mais de 191 mil passageiros.

Também na Carga, a TAP teve em setembro um mês de crescimento. A companhia transportou 6 813 toneladas de carga e correio, o que representa um aumento de 8,5 por cento face ao período homólogo de 2017.

 

 

https://www.tapairportugal.com/pt/media/comunicados-de-imprensa/Press-Release-704

Link to comment
Share on other sites

E olha que eles criaram a tal taxa de combustível para mitigar o aumento do óleo. Não serve como desculpa.

 

A TAP ME já foi e segundo eles vai melhorar o balanço já no curto prazo.

Link to comment
Share on other sites

E olha que eles criaram a tal taxa de combustível para mitigar o aumento do óleo. Não serve como desculpa.

 

A TAP ME já foi e segundo eles vai melhorar o balanço já no curto prazo.

Como assim a TapMe já foi, o da Gig tb foi fechada? Achei que apenas Poa tivesse suas operações encerradas

Link to comment
Share on other sites

 

Apresentação (13/09) do Antonoaldo na Assembléia da República: https://www.tapairportugal.com/pt/-/media/Institucional/PDFs/20180913TAPEstrategiadeCrescimento.pdf

 

Tirando EZE, não tem nada de novo (destinos) pro Brasil.

 

As europeias funcionam como as americanas e australianas. O mercado doméstico e regional/internacional NB é o mais lucrativo.

 

 

TAP transportou 1,48 milhões de passageiros em Setembro

 

A TAP continua a crescer fortemente em todos os indicadores de tráfego, atingindo em setembro um total de 1,48 milhões de passageiros transportados. No acumulado dos primeiros nove meses de 2018, a Companhia já ultrapassou a marca dos 12 milhões de passageiros, continuando a bater recordes sucessivos na sua atividade principal. Uma marca que já superou os 11,7 milhões de passageiros transportados pela Companhia em todo o ano de 2016.

Com este registo, a TAP transportou até ao final de setembro quase um milhão e meio de passageiros a mais do que no período homólogo de 2017.

A taxa de ocupação dos lugares oferecidos foi de 82,3 por cento em Setembro, em linha com a média de 82,4 por cento registada de janeiro a setembro do ano corrente.

As rotas entre Lisboa e Porto, Madeira e Paris são as três em que a TAP mais passageiros transportou em setembro, num total de mais de 191 mil passageiros.

Também na Carga, a TAP teve em setembro um mês de crescimento. A companhia transportou 6 813 toneladas de carga e correio, o que representa um aumento de 8,5 por cento face ao período homólogo de 2017.

 

 

https://www.tapairportugal.com/pt/media/comunicados-de-imprensa/Press-Release-704

 

Eu sei que em numero de passageiros, LIS-OPO é impressionante, mas em rentabilidade duvido que seja.

Não roda.....

 

Rio - Sao Paulo não compete com trem - estão a 400Km uma da outra e as tarifas são interessantes.

Lisoba - Porto tem concorrência forte de trem de boa velocidade (160-180km/h) - estão a menos de 400km uma da outra e as tarifas não são isso tudo. Para a proxima segunda as 7h20 da manha voce consegue por EUR 110,00 na TAP hoje

 

Na terça consegue por EUR 80

Em uns 10-15 dias voce passa a conseguir por EUR 35

 

Por isso digo que o doméstico não tende a ser tudo isso. E Portugal tende a ter menos movimento por seu tamanho (e dos mercados que atende prioritariamente) que uma British, Air France, Lufthansa ou KLM em suas rotas européias.

 

Concordo com a expansão ultramar e Européia, acho que a saida é essa. LIS-IST, LIS-DOH, LIS-DXB...

Vi muito turista asiático por Portugal, e acho que a TAP deve mesmo mirar até na Asia. Eu diria que Bangkok seria uma boa aposta considerando a capilaridade na América do Sul e até mesmo América do Norte (Costa Atlantica).

Link to comment
Share on other sites

um pergunta mais da área administtrativa e financeira do que técnica:

 

por que eempresas como a TAP e as cias brasileiras tem tantos prejuízos mesmo quando seus aviões estãoo sempre cheios ou pelo menos com bom aproveitamento, na faixa de 80%?

 

alguém poderia desenvolver o tema?

Link to comment
Share on other sites

um pergunta mais da área administtrativa e financeira do que técnica:

 

por que eempresas como a TAP e as cias brasileiras tem tantos prejuízos mesmo quando seus aviões estãoo sempre cheios ou pelo menos com bom aproveitamento, na faixa de 80%?

 

alguém poderia desenvolver o tema?

 

Produtividade que implica em custos maiores, impostos, volatividade do cambio, margens operacionais muito estreitas.... isso implica em não ter capacidade de absorver alterações bruscas no preço de combustível/cambio, muito menos repassar o aumento de custos para as tarifas.

Link to comment
Share on other sites

 

Produtividade que implica em custos maiores, impostos, volatividade do cambio, margens operacionais muito estreitas.... isso implica em não ter capacidade de absorver alterações bruscas no preço de combustível/cambio, muito menos repassar o aumento de custos para as tarifas.

 

Adicionando...

Alem disso, a competição faz com que você enfrente quem tem custo 10, 20% menor - é muita variavek mesmo para lidar - e isso numa industria que vende 30, 40, 50% das passagens de forma antecipada, sem saber o preço efetivo.

 

Por isso elas deveriam buscar eficiência a todo momento (embarcar mais passageiros com o mesmo staff em terra, usar maquinas para check-in, alugar espaços cada vez menores nos aeroportos, pernoitar aeronave onde for mais barato, abastecer onde o imposto é menor..... Mas nem sempre conseguem fazer.

Link to comment
Share on other sites

https://investor.ryanair.com/wp-content/uploads/2018/07/Ryanair-Q1-FY19-Results.pdf

 

FR (Ryanair) 2º trim. 2018 x 2º trim2017 (milhões de euros)

Receita total 2,078.9 1,910.3 +8,8%

PAX milhões 37.6 35.6 +7,4%

receita média/pax 55.3 euros 53.7 +3,0% (passagem+auxiliares)

Despesa total 1,708.4 1,450.1 +17,8%

. combustível 630.9 513.0 +23,0%

Lucro líquido 309.2 397.1 -22,1%

margem líquida 14,9% 20,8% -5.9pp

LF 96%

 

FR não divulga ASK/RPK.

Receita total média/PAX = 55.3 x 4,2944 (euro médio abr-jun18) = R$237,48

Receita total média/Assento = 237,48 x 0,96 = R$227,98

Desp. total média/PAX = 45.4 x 4,2944 = R$194,97

Desp. total média/ Assento = 194,97 x 0,96 = R$187,17

 

G3 2º trim. 2018 x 2º trim. 2017 (milhões de R$)

Receita total 2.353,8 2.159,4 +9,0%

PAX milhões 7.6 7.3 +4,1%

receita média/pax 311,39 297,40 +4,7%

Despesa total 2.311,2 2.137,1 +8,1%

. combustível 792,7 629,7 +25,9%

EBIT 42,8 22,7

margem operac. 1,8% 1,1%

Prejuízo líquido 1.326,0 477,7

LF 78,1% 77,9%

 

Receita total média/PAX = R$309,26 x 0,781 = Receita total média/assento = R$241,53 +5,9% do que a FR

Desp. total média/PAX = R$303,67 x 0,781 = Desp. total média/assento = R$237,17 +26,7% do que a FR

 

 

http://ri.voegol.com.br/download_arquivos.asp?id_arquivo=4F4B7751-0787-4502-84B2-1CD0FE38275E

 

LF baixo = menos pax pra dividir as despesas = passagens +caras.

Link to comment
Share on other sites

no tópico sobre a Gol faturando em dólar o Kakinoff fala que pra Gol entrar numa nova rota tem que ser cidade onde o aproveitamento seja no mínimo 70%, então subentende-se que com essa ocupação se tem o equilíbrio financeiro, e as empresas tem todas elas em torno de 80% de ocupação, e ainda assim dão prejuízo atrás de prejuízo, é essa matemática que eu nunca consigo entender...

Link to comment
Share on other sites

no tópico sobre a Gol faturando em dólar o Kakinoff fala que pra Gol entrar numa nova rota tem que ser cidade onde o aproveitamento seja no mínimo 70%, então subentende-se que com essa ocupação se tem o equilíbrio financeiro, e as empresas tem todas elas em torno de 80% de ocupação, e ainda assim dão prejuízo atrás de prejuízo, é essa matemática que eu nunca consigo entender...

71,2% breakeven 6M18, é o mínimo pra zerar as despesas operacionais. Mas ainda tem os juros e a variação cambial da dívida, e imposto de renda.

Link to comment
Share on other sites

então esse raciocínio de dizer que 70% está bom para iniciar um vôo está errado, concorda? afinal não adianta nada um vôo zerer os custos operacionais se não cobrirá os outros custos administrativos/financeiros da empresa, concorda comigo?

Link to comment
Share on other sites

então esse raciocínio de dizer que 70% está bom para iniciar um vôo está errado, concorda? afinal não adianta nada um vôo zerer os custos operacionais se não cobrirá os outros custos administrativos/financeiros da empresa, concorda comigo?

Todo novo negócio leva um tempo de maturação. Uma nova rota com 70% é aceitável desde que as rotas já estabelecidas estejam cobrindo todos os custos, gerando lucros.

Link to comment
Share on other sites

então esse raciocínio de dizer que 70% está bom para iniciar um vôo está errado, concorda? afinal não adianta nada um vôo zerer os custos operacionais se não cobrirá os outros custos administrativos/financeiros da empresa, concorda comigo?

Tem algo que chama atratividade. Uma rota pode leva até 18 meses para atingir o break-even, acredito que hoje eles tentam trazer isso para 12 meses ou até 6 meses.

 

A empresa começa voando X, vão surgindo propagandas, boca-a-boca, pessoal vai conhecendo, etc.

 

Mas voltando ao tópico a TP não tem números transparentes, não dá pra saber o yield e comparar com as concorrentes.

Só saberemos quando e, se, abrir o capital.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade