Jump to content

Voos internacionais em Fortaleza dobraram em 1 ano; o que está acontecendo?...


Recommended Posts

H CM0343 01APR21OCT 1000000 16073H 0125PTYPTY J
H CM0343 06JUN24OCT 0004000 16073H 0125PTYPTY J Nem com a G3 suspendendo os voos pra Flórida.

Link to post
Share on other sites

  • Replies 252
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

Adoro esse ufanismo...rs

O Ceará é um estado pobre, mas limpinho. Não é lá que houve roubo de merenda ou queda na qualidade do ensino. Isso foi noutro estado bem mais rico.

Prezado, o único governo que paga diretamente a uma cia área por parte de sua operação, além do ICMS, é o do estado do Ceará. E serão pelo menos R$60 milhões em 5 anos para o grupo AF/KLM, com autoriz

Capital perde 40% dos voos internacionais desde o início de 2019

Por Carolina Mesquita/Hugo Renan do Nascimento , negocios@verdesmares.Com.Br 23:00 / 05 de Abril de 2019

No começo do ano, o Aeroporto de Fortaleza contava com 40 operações regulares por semana para o exterior. Problemas com companhias aéreas e readequação da malha fizeram com que número caísse para 24 voos semanais

NEGÓCIOS

avianca

avianca

A última baixa entre os voos para o exterior veio da Avianca, que cancelou a rota para Bogotá

FOTO: THIAGO GADELHA

Após a abertura de novos voos internacionais no ano passado, o Aeroporto de Fortaleza tem amargado nos últimos meses uma redução de frequências para o exterior. Atualmente, a Capital possui 24 frequências semanais para nove cidades, uma redução de 40% frente às 40 operações que existiam em janeiro para 11 destinos. Além das que foram canceladas, eram previstas pelo menos outras sete frequências semanais para o exterior que, até o momento, não se concretizaram.

 

Em março deste ano, a Gol suspendeu provisoriamente os 14 voos semanais para a Flórida (7 para Miami e 7 para Orlando) com partidas de Fortaleza. A companhia tomou a decisão depois dos acidentes com o Boeing 737 Max 8, aeronaves que a Gol utilizava nas rotas para os Estados Unidos.

Segundo o secretário do Turismo, Arialdo Pinho, estas frequências devem voltar assim que o problema com a aeronave for resolvido. "Isso deve acontecer nos próximos 60 dias. E esse avião é muito importante para o Estado e também para o consumidor. Ele tem um ótimo custo operacional, que se reflete no preço das passagens", afirmou.

 

Avianca

 

Ainda neste mês, a Avianca encerrou o voo semanal para Bogotá, na Colômbia. A companhia passa por uma recuperação judicial e está cancelando diversas rotas nacionais e internacionais. Para Pinho, a perda já era prevista. "Na segunda-feira, deve começar a negociação para ver quem vai ficar com os aviões, com os slots, etc. Tomadas essas decisões, é que veremos se os voos daqui voltarão e quais. Porque é possível que a Avianca estivesse perdendo dinheiro com algumas rotas e as novas empresas não vão querer".

 

Já a Latam resolveu cancelar os dois voos semanais para Orlando e redirecioná-los para Miami, que passará a ter cinco frequências semanais a partir deste mês. "A Latam tomou a decisão de suspender este serviço em virtude da constante avaliação de suas malhas aéreas para melhor atender a demanda, as condições de mercado e o contexto econômico", comunicou a empresa.

 

Inicialmente, a Copa Airlines tinha em Fortaleza dois voos semanais para a Cidade do Panamá, mas, na baixa temporada, a companhia optou por operar com um voo. "A Copa Airlines reafirma seu comprometimento com o melhor atendimento e afirma que está sempre revisando suas rotas para ajustar a demanda e sua operação. Nesse contexto, a segunda frequência está prevista para voltar a operar em junho e ela já se encontra aberta para venda", informou em nota.

 

A Condor e a Cabo Verde Airlines também reduziram suas operações. A primeira contava com dois voos semanais para Frankfurt, que foi reduzido para um. Já a Cabo Verde Airlines tinha a previsão de operar três vezes por semana para a Ilha do Sal.

 

Sem concretização

 

As negociações para o voo entre Fortaleza e Madri são as mais avançadas. Esta operação deve ser iniciada no fim de 2019, porém, oficialmente, a Air Europa não confirma as frequências para Fortaleza.

 

Pinho disse que o contrato já está pronto e deve ser assinado na semana que vem. O lançamento, segundo ele, ocorre até maio.

Em agosto do ano passado, o secretário disse que a companhia aérea Norwegian Air UK considerava a rota Londres-Fortaleza uma "prioridade". Segundo o titular, as negociações deram uma "freada" porque o Aeroporto Pinto Martins passa por obras. Ele também afirmou que vai retomar as conversas a partir do segundo semestre deste ano. "Além disso, o País estava na expectativa desse novo Governo e ainda estamos sem saber o que vai acontecer, se vai acontecer, de modo que os investidores ficam receosos", acrescentou ele.

 

Ainda no primeiro semestre de 2018, a Royal Air Maroc (RAM) informou que pretendia operar, em breve, uma rota direta entre Casablanca, no Marrocos, e Fortaleza. O secretário do Turismo por diversas vezes afirmou que não tinha negociação entre o Estado e a companhia, mas que ia procurar os representantes da empresas para conversar a respeito. O voo também nunca se concretizou.

 

A Gol Linhas Aéreas anunciou que aumentaria os voos de Fortaleza para Argentina há quase um ano. Nos planos, a companhia disse que operaria quatro vezes por semana entre a Capital e Buenos Aires e uma vez semanal para Rosário e Córdoba. A expectativa é que os voos iniciassem no segundo semestre do ano passado. O incremento nunca ocorreu. A Gol informou, ainda no ano passado, que a demanda ainda incipiente não justificava as operações.

 

Por diversas vezes, o governador Camilo Santana afirmou que Fortaleza teria, até o fim de 2018, 60 voos internacionais por semana. "Encerramos 2018 com 42. A projeção é que até o final deste Governo nós cheguemos a esse número. Ele confundiu", disse o secretário. Procurada pela reportagem, a Fraport não comentou a redução de voos até o fechamento desta edição.

arte

arte

Novas promessas para o turismo

 

Apesar dos revezes de projetos anteriores, o titular da Secretaria do Turismo do Estado, Arialdo Pinho está investindo para que a Latam faça a rota São Paulo-Cariri. "Para tentar amenizar essas perdas, estamos em contato com a Latam. Eles se mostraram bem receptivos e em 15 dias devem apresentar um parecer".

 

Sobre a internacionalização de Jericoacoara, Pinho admite ainda ter um longo caminho pela frente. Mas adianta que a intenção é ter primeiramente um compartilhamento de voos para a América Latina. "Buenos Aires, na Argentina, e Santiago, no Chile, são os dois mercados que teriam mais força para sustentar uma rota como essa. Mas ainda não temos nada concretizado".

 

Além disso, o Estado tem atraído olhares de redes hoteleiras. "Temos um lista de oito empresas interessadas: Vila Galé, Club Med, InterContinental. Mas estamos de mãos atadas esperando a finalização do Zoneamento Ecológico Econômico (ZEE), previsto para agosto".

  • Like 1
Link to post
Share on other sites

Brasil é uma gangorra....

Verdade. Mas neste e outros casos, são crescimentos inflados por benefícios fiscais e a atração de passageiros de outras cidades para alimentar o “Hub”. Não há crescimento efetivo de O&D com mais turistas estrangeiros a este destino, mais negócios ou mais Brasileiros desta região viajando. É artificial. Só se sustenta se a engrenagem estiver bem azeitada com todas as variáveis funcionando em sintonia. Não é o caso no momento.

  • Like 3
Link to post
Share on other sites

- Gol suspendeu os voos para os EUA devido ao problema do MAX

 

- Avianca cancelou o voo para BOG por conta de sua situação atual

 

- Latam alterou os voos de MCO para MIA por ser hub da AA

 

- Condor já planejava desde o meio do ano passado colocar 2 voos semanais e depois reduzir para um

 

- Copa reduziu de 2x para 1x por conta da superoferta para os EUA na região como um todo

 

- Argentina foi deixada de lado por conta da crise por lá, preferiram centralizar em BSB para distribuir para o NE, assim como fazem em VCP, CNF e GRU. Essas cidades estão no caminho do NE.

 

- TACV nem se fala, se queimou há muito tempo no mercado com os cancelamentos e atrasos recorrentes

 

- Air Europa já está aprovado no SIROS para começar no início de novembro

 

- Norwegian em negociações para voar para FOR e GRU

 

-----------------

 

Não vejo nada de alarmante nisso, e a matéria quer passar pelo título que FOR perdeu esses voos porque não teve demanda, e como sempre vão na onda e comentam que o O&D não cresceu, etc, etc... Prato cheio para alguns.

 

Quando as obras terminarem, aí sim haverá mais e mais incrementos, principalmente no doméstico.

  • Like 1
Link to post
Share on other sites

O Brasil é uma gangorra...não é só FOR.

 

Internacional em GRU 12M17 13.980mil 12M18 14.888mil +6,5%

2M17 2.312 2M18 2.511 +8,6%

2M18 2.511 2M19 2.562 +2,0%

  • Like 1
Link to post
Share on other sites

Com certeza não é só FOR.

 

 

GIG dezembro 1.328.893 -12,6%

12M18 15.005.304 -7,6¨%

Inter 4.515.959 +5,1% +218 mil

Dom 10.489.345 -12,2% -1.5 milhões

Link to post
Share on other sites

O que vejo é que muitos acham que o mercado internacional é engessado, que se há 350 passageiros one-way entre Porto Alegre e Stutgart já pode ter voos entre as duas cidades.

 

Mercado internacional é delicado, não basta a conjuntura interna, tem que considerar as dos vizinhos, e nem todo mundo viaja para o exterior, principalmente porque o mercado majoritário no exterior do Brasil está entre 8 a 10 horas de voos.

 

E quando há uma crise ou excesso de concorrência quem sente mais são os mercados secundários. Eles têm instabilidade maior que GRU ou GIG. Vejam como BSB bombava anos atrás, com voos para CDG, MCO, ATL, BOG e LIM, e hoje restrito no arroz-com-feijão EZE-MIA-LIS. Ou Campinas com a AA e Copa. A lógica das operadores é "GRU é o último caso, depois do GIG", e mesmo assim houve corte em Cumbica.

 

Portanto é natural este ajuste de oferta em FOR ou qualquer outra praça, o mercado está se ajustando a realidade do momento, se melhorar aumenta. No caso de Fortaleza é mais acentuado devido ao grounding do MAX. E comparam com ano passado, mas quem não lembra como era o NE há 10-13 anos atrás, os internacionais eram para Lisboa e alguns para o Cone Sul com escalas em GRU.

 

Segundo o secretário do Turismo, Arialdo Pinho, estas frequências devem voltar assim que o problema com a aeronave for resolvido. "Isso deve acontecer nos próximos 60 dias. E esse avião é muito importante para o Estado e também para o consumidor. Ele tem um ótimo custo operacional, que se reflete no preço das passagens", afirmou.

Ele é engenheiro da Boeing ou da FAA?

Link to post
Share on other sites

A Airfrance opera lá com um A340, mas a partir do dia 02/12 vai mudar o equipamento. Uns dizem que vai ser um A350, outros dizem que vai ser um A330. Alguém sabe?

Link to post
Share on other sites

A Airfrance opera lá com um A340, mas a partir do dia 02/12 vai mudar o equipamento. Uns dizem que vai ser um A350, outros dizem que vai ser um A330. Alguém sabe?

 

Ainda não tem previsão de troca de equipamento em FOR.

Link to post
Share on other sites

 

Ainda não tem previsão de troca de equipamento em FOR.

 

Quem atende o Airfrance em FOR é o funcionário da KLM, e ele me disse que em 02/12 o A340 vai sair, só não sabe qual vai ser o substituto. Mas dezembro tá longe, pode mudar muita coisa.

Edited by MRN
Link to post
Share on other sites

 

Quem atende o Airfrance em FOR é o funcionário da KLM, e ele me disse que em 02/12 o A340 vai sair, só não sabe qual vai ser o substituto. Mas dezembro tá longe, pode mudar muita coisa.

 

Pelo que eu soube, seria já em junho. Sem dúvidas seria o 772.

 

Agora se for dezembro, há chance maior de ser o A350.

Link to post
Share on other sites

A entrega do primeiro 359 está prevista para setembro, até lá devem divulgar a(s) primeira(s) rota(s). Por enquanto, o 343 continua atendendo FOR até mar20.

Link to post
Share on other sites

 

Pelo que eu soube, seria já em junho. Sem dúvidas seria o 772.

 

Agora se for dezembro, há chance maior de ser o A350.

772 com a cabine BEST?

 

Acho muito avião para FOR.

 

Acredito na manutenção do A343 ou no máximo o A332....

  • Like 1
Link to post
Share on other sites

772 com a cabine BEST?

 

Acho muito avião para FOR.

 

Acredito na manutenção do A343 ou no máximo o A332....

 

Vai achando.

 

Vai ter 772 ou A359, ache ruim ou não.

Link to post
Share on other sites

AF configura os 772 (e os 77W) conforme a demanda, tem 280, 312 e 316 assentos. Reduz J e aumenta Y.

Edited by TheJoker
  • Like 1
Link to post
Share on other sites

 

Vai ter 772 ou A359, ache ruim ou não.

 

Rolou um e-mail informando que seria A350. Depois rolou outro e-mail mudando pra 777. Um dos dois vai ser, mas acho que só no fim do ano mesmo...

Link to post
Share on other sites

Bom, se VAI ter então conta para gente qual será e quando....

 

Achei isso, na Aeroflap: https://www.aeroflap.com.br/mesmo-aumentando-oferta-air-france-klm-espera-taxa-de-ocupacao-excelente-em-voos-para-fortaleza/

 

"Mais um aumento de oferta deve ocorrer até o fim de 2019, com a entrada do Airbus A350 na rota entre Fortaleza e Paris."

Link to post
Share on other sites

 

"Mais um aumento de oferta deve ocorrer até o fim de 2019, com a entrada do Airbus A350 na rota entre Fortaleza e Paris."

 

O metar da hora é que vai ser o 777. Vamos aguardar...

Link to post
Share on other sites

Vão deixar a rota premium (GRU) com 777 de 20 anos e colocar avião zerado na rota recém inaugurada?

A rota de GRU é premium para a AF, inclusive com first. Alguém poderia esclarecer se os novos 350 e 777 também tem essa configuração?

Link to post
Share on other sites

Bom, se VAI ter então conta para gente qual será e quando....

 

Daqui para o ano que vem vai ter, pessoas da empresa já estão falando, e eu também ouvi falar, mas a data era outra.

 

Enfim, não importa a data, o que importa é que vai ter aeronave maior para FOR sim, goste ou não.

 

E só pra provar que você falou besteira, mal deve saber que o 772 da AF tem config de 312pax, enquanto o A332 tem config de apenas 208pax, com 40 assentos na executiva.

 

O A340 da Joon tem 278 assentos, um incremento para 312 assentos não seria lá essas coisas. O incômodo é porque um 777 tem mais status que um A340, nada mais..

 

Vão deixar a rota premium (GRU) com 777 de 20 anos e colocar avião zerado na rota recém inaugurada?

 

Sinceramente, nem sei se o A350 virá mais, é mais provável que coloquem o 772 mesmo. Era certeza que viria se continuassem com a Joon, agora não sei.

 

De qualquer modo, já da pra ver que uma notícia dessas incomoda muito, principalmente se colocarem uma aeronave nova numa rota para FOR, enquanto GRU e GIG vão continuar com aeronaves "antigas".

 

Queria muito mesmo que isso se realizasse, isso ter suicídio coletivo aqui por parte dessa turma que apareceu incomodada aqui no thread, além dos que curtiram os comentários idiotas, principalmente um aí que até hoje se doi porque a AF saiu de BSB e foi para FOR e já está com 7 voos semanais em menos de um ano.

 

 

A rota de GRU é premium para a AF, inclusive com first. Alguém poderia esclarecer se os novos 350 e 777 também tem essa configuração?

 

Não sei de "novos" 777..

 

Já li em algum canto há um tempo atrás que esses A350s da Joon viriam com mais assentos em econômica, mas também com uma quantidade considerável de assentos na executiva e premium economy, bem parecido com a proporção do A340 da Joon que voa para FOR, hoje, mas claro, com mais assentos por ser uma aeronave maior.

  • Like 1
Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.



×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade