Jump to content
Sign in to follow this  
Léo Almeida

Voos internacionais em Fortaleza dobraram em 1 ano; o que está acontecendo?...

Recommended Posts

Daí conseguem fazer o Nordeste com um aviao, certo?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Daí conseguem fazer o Nordeste com um aviao, certo?

SSA fica com qtas freq por semana?

Edited by boulosandre

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ficará assim?

  • MAD-SSA 3x
  • MAD-REC 2x
  • MAD-FOR 2x
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu não contaria com isso não... 3 freq de REC tá rodando bem, e mesmo assim ela não é temporária, é sazonal. SÓ que a UX pode tornar lá year round pela ocupação que vem tendo...

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu não contaria com isso não... 3 freq de REC tá rodando bem, e mesmo assim ela não é temporária, é sazonal. SÓ que a UX pode tornar lá year round pela ocupação que vem tendo...

 

Bem, bem não tá. 5M19 LF médio ida+volta 73,9% 12M18 74,0%

SSA 78,4% 81,4%

GRU 85,6% 86,4%

 

 

Vendo no site da UX, só tem o 3º voo (sex) nos dias 27/12, 03/01/20. Volta a ficar 3 vps (seg/sex/sab) a partir de 03/04/20. Interessante isso, sazonal na alta da Europa, o interesse é levar brasileiros, não trazer europeus.

 

Em 2018 entraram por REC 56.584 europeus: 16.168 alemães, 9.823 italianos, 9.613 portugueses, 6.522 franceses e 4.590 espanhóis, representam 82,6% do total.

UX desembarcou 21.418 pagos, se todos os espanhóis viessem por ela, só 21,4%.

DE 14.108

CV 4.959 -206 pax de cabo verde

IG 912

TP 97.365

5K 181

Total 138.737 vs 56.584 europeus 40,7%, brasileiros 59,3%. Já FOR tem +70% de europeus.

Edited by TheJoker
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mais uma empresa voando com imposto zerado e assento vazio pago pelo governo do Estado? Vamos ver ate onde o o erário consegue bancar esse dumping;

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Bem, bem não tá. 5M19 LF médio ida+volta 73,9% 12M18 74,0%

SSA 78,4% 81,4%

GRU 85,6% 86,4%

 

 

Vendo no site da UX, só tem o 3º voo (sex) nos dias 27/12, 03/01/20. Volta a ficar 3 vps (seg/sex/sab) a partir de 03/04/20. Interessante isso, sazonal na alta da Europa, o interesse é levar brasileiros, não trazer europeus.

 

Em 2018 entraram por REC 56.584 europeus: 16.168 alemães, 9.823 italianos, 9.613 portugueses, 6.522 franceses e 4.590 espanhóis, representam 82,6% do total.

UX desembarcou 21.418 pagos, se todos os espanhóis viessem por ela, só 21,4%.

DE 14.108

CV 4.959 -206 pax de cabo verde

IG 912

TP 97.365

5K 181

Total 138.737 vs 56.584 europeus 40,7%, brasileiros 59,3%. Já FOR tem +70% de europeus.

 

Concordo

Sinceramente nao entendo esta " estrategia da AE ", nao faz o menor sentido manter esta rota pra REC quanto mais incrementar ou manter year round.

 

 

Faria muito mais sentido aumentar na Bahia no sazonal e jogar com for FOR e manter a distribuicao via SSA ou FOR via interline, para todo o NE inclusive REC, e ate captar parte do SE de forma que o PAX possa partir das 2 pontas.

Ainda liberava mais espaco no voo de GRU

 

O desempenho desta rota REC - MAD pela caracteristica, muito ruim, ainda mais que eles pretendem montar uma area no Brasil faz cada vez menos sentido.

Edited by BLUE - SBKP -
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Concordo

Sinceramente nao entendo esta " estrategia da AE ", nao faz o menor sentido manter esta rota pra REC quanto mais incrementar ou manter year round.

 

 

Faria muito mais sentido aumentar na Bahia no sazonal e jogar com for FOR e manter a distribuicao via SSA ou FOR via interline, para todo o NE inclusive REC, e ate captar parte do SE de forma que o PAX possa partir das 2 pontas.

Ainda liberava mais espaco no voo de GRU

 

O desempenho desta rota REC - MAD pela caracteristica, muito ruim, ainda mais que eles pretendem montar uma area no Brasil faz cada vez menos sentido.

Em pouco mais de um ano, o LF em REC cresceu 5 pontos percentuais, enquanto reduziu em 5 pontos percentuais em SSA. A terceira frequência manteve o crescimento, já que a rota começou com média inferior a 70% de LF.

 

Tem outro problema: os LFs em FOR estão em queda desde o início desse ano. Qual a vantagem de deixar uma base em constante maturação, pra arriscar em outra? Deixa abrir e ficar nas três. Teve essa mesma conversa de deixar a base rec com a Copa e a empresa continuou com as melhores ocupações lá e as outras bases, que começaram com aeronaves maiores, migraram pra menores.

 

Por fim, usando dessa sua lógica, mudaríamos a Aigle Azur pra Guarulhos, já que as ocupações em Campinas são na casa dos 70%?

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mais uma empresa voando com imposto zerado e assento vazio pago pelo governo do Estado? Vamos ver ate onde o o erário consegue bancar esse dumping;

 

Dos voos da Gol para EZE, MVD e SCL voce se esquece na hora de falar.

 

Acho eh graca as noticias dizendo que os voos da AEA estao bons por ai. Ja estava bom mesmo de cortar essa terceira frequencia.

 

Enquanto isso, continuem sonhando com um voozinho para Paris.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites


Número de passageiros internacionais sobe 108% no Aeroporto de Fortaleza


Com o resultado, a movimentação internacional em Fortaleza é a quinta maior do país.


Por G1 CE

22/06/2019 16h17 Atualizado há 3 horas


aeroporto-fortaleza-thiago-gadelha.jpg

Considerando também os passageiros de voos domésticos, a movimentação cresceu 19,8% no terminal de Fortaleza. — Foto: Thiago Gadelha


O Aeroporto Internacional de Fortaleza registrou um aumento de 108,3% na movimentação de passageiros internacionais nos primeiros cinco meses deste ano. De janeiro a maio, passaram pelo terminal cearense 226.275 viajantes com destino ou origem no exterior, enquanto que em igual período de 2018 foram 108.597 pessoas. Os dados são da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).


Com o resultado, a movimentação internacional em Fortaleza é a quinta maior do país, atrás apenas de Guarulhos (SP), Galeão (RJ), Campinas (SP) e Brasília (DF). Uma das principais razões para o crescimento foi o aumento de voos ao exterior, com a inclusão de Paris e Amsterdã. Além disso, a Capital segue na liderança do Nordeste, à frente de Recife (204,5 mil) e Salvador (183,3 mil).


Considerando também os passageiros de voos domésticos, a movimentação cresceu 19,8%, passando de 2.389.705 pessoas de janeiro a maio de 2018, para 2.863.105 em igual período deste ano. O incremento dos voos da Gol e Latam, que possuem isenção fiscal no querosene de aviação, ajudou e melhorar o desempenho do Fortaleza Airport.


Interior e litoral


Já o Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes, em Juazeiro do Norte, no sul do Estado, acabou registrando redução de 4,45% no movimento de passageiros de janeiro a maio, em decorrência da saída da Avianca, que era responsável por 60% das operações do terminal do Cariri.


Nos primeiros cinco meses de 2018 passaram pelo aeroporto 217.954 passageiros, enquanto que de janeiro a maio de 2019 esse número caiu para 208.243. Apesar do resultado negativo, Juazeiro do Norte tem ampliado a oferta de voos com a Azul e Gol.


Ainda segundo a Anac, o Aeroporto Regional Comandante Ariston Pessoa, na região de Jericoacoara, no litoral norte do Ceará, registrou elevação de 39,5% na movimentação de passageiros. Os dados da pesquisa mostram que o terminal recebeu de janeiro a maio deste ano, mais de 43,6 mil viajantes, enquanto que em igual período de 2018, foram pouco mais de 31 mil passageiros.





Share this post


Link to post
Share on other sites

Acho eh graca as noticias dizendo que os voos da AEA estao bons por ai. Ja estava bom mesmo de cortar essa terceira frequencia.

Corta em setembro e volta a 2x.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Corta em setembro e volta a 2x.

 

E eh o correto mesmo.

 

Essa ocupacao do voo da AEA em REC nao eh nada boa para 2x semanais. Nao que o aviao va sair zerado ou desempenho va ser pessimo (ate por ser Nordeste e ter potencial turistico), mas so conseguiram esse voo para la depois tanto pertubarem os caras. Ate parece que nao houve acordo nenhum com o governo de la, assim como outros voos, so para dizer que minha cidade tem voo pra todo canto e eh super conectada. A diferenca eh que Fortaleza tem um potencial maior, e os voos para CDG e AMS mostram isso. Para MAD nao deve ser diferente, naturalmente deve "tirar" mais da TAP.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Dos voos da Gol para EZE, MVD e SCL voce se esquece na hora de falar.

 

Acho eh graca as noticias dizendo que os voos da AEA estao bons por ai. Ja estava bom mesmo de cortar essa terceira frequencia.

 

Enquanto isso, continuem sonhando com um voozinho para Paris.

Voos com incentivo de ICMS existem em quase todos os estados, inclusive São Paulo. Porém pagamento da assento vazio só existe no Ceará.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Dos voos da Gol para EZE, MVD e SCL voce se esquece na hora de falar.

 

Acho eh graca as noticias dizendo que os voos da AEA estao bons por ai. Ja estava bom mesmo de cortar essa terceira frequencia.

 

Enquanto isso, continuem sonhando com um voozinho para Paris.

Voos com incentivo de ICMS existem em quase todos os estados, inclusive São Paulo. Porém pagamento da assento vazio só existe no Ceará.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

E eh o correto mesmo.
Essa ocupacao do voo da AEA em REC nao eh nada boa para 2x semanais. Nao que o aviao va sair zerado ou desempenho va ser pessimo (ate por ser Nordeste e ter potencial turistico), mas so conseguiram esse voo para la depois tanto pertubarem os caras. Ate parece que nao houve acordo nenhum com o governo de la, assim como outros voos, so para dizer que minha cidade tem voo pra todo canto e eh super conectada. A diferenca eh que Fortaleza tem um potencial maior, e os voos para CDG e AMS mostram isso. Para MAD nao deve ser diferente, naturalmente deve "tirar" mais da TAP.

 

Prezado, o único governo que paga diretamente a uma cia área por parte de sua operação, além do ICMS, é o do estado do Ceará. E serão pelo menos R$60 milhões em 5 anos para o grupo AF/KLM, com autorização dada por lei de até R$100mi, sendo R$20mi por ano. (Lei 16.580/18)

 

Dessa forma, dificilmente FOR não seria considerada para abertura de frequências do grupo, e também por outros interessados nessa "farra" bancada pelos contribuintes, e isso num estado com um dos percentuais de população em condição de pobreza mais altos do Brasil.

Edited by piloto
  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites

Srs,

Alguns post´s apagador por provocações pessoais.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Será que os turistas europeus injetarão pelo menos metade desse valor na economia cearense?

Pobre contribuinte brasileiro. Financia Copa do Mundo, carros oficiais para autoridades federais, estatuais e municipais dos 3 poderes, auxílio moradia para juízes e promotores, shows de artistas consagrados, ditaduras mundo afora e, agora, até voos internacionais.

 

 

 

 

Prezado, o único governo que paga diretamente a uma cia área por parte de sua operação, além do ICMS, é o do estado do Ceará. E serão pelo menos R$60 milhões em 5 anos para o grupo AF/KLM, com autorização dada por lei de até R$100mi, sendo R$20mi por ano. (Lei 16.580/18)

 

Dessa forma, dificilmente FOR não seria considerada para abertura de frequências do grupo, e também por outros interessados nessa "farra" bancada pelos contribuintes, e isso num estado com um dos percentuais de população em condição de pobreza mais altos do Brasil.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

(In)felizmente o Brasil está fora dos principais eixos econômicos e aéreos do mundo, mas se estivesse este subsídio do governo do Ceará ia dar o que falar na OMC, são U$$ 15 milhões de subsídios em 5 anos e não somos uma não rica como Abu Dhabi ou com dinheiro sobrando como a China.

 

Fora os estados que abriram mão de ICMS para ter mais voos, como São Paulo, onde o populismo prevaleceu sobre a lógica. Que é alto o ICMS em SP é verdade, mas mesmo assim atrai voos, estado não está em uma bonança econômica e tem receitas que são atreladas - no caso paulista - ao ICMS, como os repasses para USP, UNICAMP e UNESP.

 

Em um exercício de imaginação, se todos os estados padronizarem suas taxas, será que teremos muito destes voos no Brasil todo?

 

Sobre a estratégia da Air Europa, eu acho péssima. Ela não é predominante em X, Y ou Z, a única lógica plausível é atrelar aos pacotes vendidos. Acho o modelo da Air France-KLM melhor em que há sincronização com os voos da Gol. Talvez seja o motivo da AEA ter voos pulverizados: a ausência de uma parceira local, que pode ser resolvida com a Globalia.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pelo que está na lei, R$20 milhões/ano é pra dividir pelas 3 empresas (G3/AF/KL).

 

https://belt.al.ce.gov.br/index.php/legislacao-do-ceara/organizacao-tematica/orcamento-financas-e-tributacao/item/6331-lei-n-16-580-de-19-06-18-d-o-20-06-18

 

É só uma hipótese,

20.000.000,00 / 365 dias = R$54.794,52 dia, se for dividir por 2 já que AF+KL têm uma operação diária, R$27.397,26 / R$2.200,00 (USD570 uma ida e volta bem baratinha) = 12.5 assentos/dia vs 272 assentos = 4,6%

G3 R$27.397,26 / R$740,00 (tarifa média x2 no 1º trim com impostos) = 37 assentos/dia vs 1.101* = 3,4%

 

G3 oferta de assentos embarque FOR 5M18 419.421

5M19 585.702 +166.281 / 151 dias = *1.101 assentos/dia foi o incremento médio da G3

 

 

Em resultados práticos, o EBIT da G3 no 1T19, na comparação anual piorou 16%, de R$602,8 caiu pra R$506,2 milhões (RPK +6,4% LF +1.1pp), então o HUB de FOR pode ter sido bom, mas por enquanto não resolveu os problemas da G3.

 

Torcer para que o +SP, que envolve a maior parte das operações, tenha +impacto nos resultados financeiros de G3 e JJ.

Edited by TheJoker

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pelo que está na lei, R$20 milhões/ano é pra dividir pelas 3 empresas (G3/AF/KL).

 

https://belt.al.ce.gov.br/index.php/legislacao-do-ceara/organizacao-tematica/orcamento-financas-e-tributacao/item/6331-lei-n-16-580-de-19-06-18-d-o-20-06-18

 

É só uma hipótese,

20.000.000,00 / 365 dias = R$54.794,52 dia, se for dividir por 2 já que AF+KL têm uma operação diária, R$27.397,26 / R$2.200,00 (USD570 uma ida e volta bem baratinha) = 12.5 assentos/dia vs 272 assentos = 4,6%

G3 R$27.397,26 / R$740,00 (tarifa média x2 no 1º trim com impostos) = 37 assentos/dia vs 1.101* = 3,4%

 

G3 oferta de assentos embarque FOR 5M18 419.421

5M19 585.702 +166.281 / 151 dias = *1.101 assentos/dia foi o incremento médio da G3

 

 

Em resultados práticos, o EBIT da G3 no 1T19, na comparação anual piorou 16%, de R$602,8 caiu pra R$506,2 milhões (RPK +6,4% LF +1.1pp), então o HUB de FOR pode ter sido bom, mas por enquanto não resolveu os problemas da G3.

 

Torcer para que o +SP, que envolve a maior parte das operações, tenha +impacto nos resultados financeiros de G3 e JJ.

Joker, sua conta está errada. Não há porque dividir entre as duas, já que a AF (3vps) e KL (4vps) têm juntas 1 voo diário. Logo, teríamos algo perto de 10% da capacidade do avião suprida pela subvenção. O que é uma ajuda e tanto, pois ocupações na casa de 70% significa ocupações nominais na casa dos 80%, o que torna o voo mais fácil de ser rentável. Muito embora as ocupações médias do grupo no primeiro ano serem excelentes.

 

Por fim, as subvenções são para voos internacionais e não doméstico. Logo, vão somente para a dupla. A Gol fica com a isenção fiscal total, diferente da Latam que, além da isenção do ICMS, também tem as subvenções fiscais.

 

No mais, termino minha participação aqui, tendo em vista que todos sabem minha posição contrária a zerar imposto e subvencionar operações privadas, em meio ao caos econômico e social de nossos entes federativos.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Joker, sua conta está errada. Não há porque dividir entre as duas, já que a AF (3vps) e KL (4vps) têm juntas 1 voo diário. Logo, teríamos algo perto de 10% da capacidade do avião suprida pela subvenção. O que é uma ajuda e tanto, pois ocupações na casa de 70% significa ocupações nominais na casa dos 80%, o que torna o voo mais fácil de ser rentável. Muito embora as ocupações médias do grupo no primeiro ano serem excelentes.

 

Por fim, as subvenções são para voos internacionais e não doméstico. Logo, vão somente para a dupla. A Gol fica com a isenção fiscal total, diferente da Latam que, além da isenção do ICMS, também tem as subvenções fiscais.

 

No mais, termino minha participação aqui, tendo em vista que todos sabem minha posição contrária a zerar imposto e subvencionar operações privadas, em meio ao caos econômico e social de nossos entes federativos.

 

Vc. leu a lei? é pra empresas estrangeiras, que operem com WB pelo menos 5 vps, mas está vinculado ao hub doméstico com pelo 50 operações diárias (no caso da G3), e estabelece que pelo menos 2 voos diários desses 50, sejam para JDO.

 

Ou seja, é um pacotão pra aliança G3/AF/KL, claro que a G3 leva a parte dela.

 

Art. 2º A subvenção de que cuida o art. 1º desta Lei poderá ser concedida a empresas que, individualmente ou através de pessoas jurídicas que integrem um mesmo grupo econômico formalmente reconhecido ou, ainda, por meio de aliança comercial devidamente comprovada, procedam à implantação de, pelo menos, 5 (cinco) novas operações de voo semanais internacionais de carga e passageiros, a partir de 1º de janeiro de 2018, tendo como origem, conexão, ou destino aeroporto localizado no Estado do Ceará.

 

II – os voos semanais internacionais sejam operados com aeronaves de corredor duplo (widebody);

III – as operações de voos internacionais implantadas sejam vinculadas a um Centro Internacional de Conexões de Voos – HUB, com, pelo menos, 50 (cinquenta) voos diários com interligação nacional, considerada a totalidade de chegadas no aeroporto cearense respectivo.

IV – pelo menos 2 (dois) voos diários, entre os 50 (cinquenta) supracitados poderão contemplar o Aeroporto Regional do Cariri (Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes em Juazeiro do Norte).

Edited by TheJoker

Share this post


Link to post
Share on other sites

E como disse, é só uma hipótese dividir por 2. Pode ser por ASK, RPK, passageiros embarcados, faturamento, etc. Deve ter um contrato/acordo entre elas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fora os estados que abriram mão de ICMS para ter mais voos, como São Paulo, onde o populismo prevaleceu sobre a lógica. Que é alto o ICMS em SP é verdade, mas mesmo assim atrai voos, estado não está em uma bonança econômica e tem receitas que são atreladas - no caso paulista - ao ICMS, como os repasses para USP, UNICAMP e UNESP.

 

.

Engano seu. Foi a decisão mais acertada do governo atual. Esta reducao, já muito aguardada, irá dinamizar e criar novos voos e atrair mais turistas e negócios pro estado de SP gerando assim muito mais impostos e receitas pro nosso estado. Pena que a maior parte destes impostos vai para Brasília e de lá escorre pelo ralo simplesmente desaparecendo,mas aí é outra história.

 

Estas universidades gastam quase a totalidade de suas receitas com pessoal... Quanto mais da, mais elas gastam...o famoso poço sem fundo. E ainda assim são as 2 melhores do Brasil e das 5 melhores da AL. Mas podem e devem melhorar muito, com uma boa gestão, o que anda faltando por lá.

Edited by boulosandre

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade