Jump to content

Embraer lança os jatos executivos Praetor 500 e 600.


Ozires

Recommended Posts

Reposicionamento do Legacy 450 e 500? Digo isso pelos preços anunciados em um site americano 17mm e 21mm, praticamente iguais aos do 450 e 500.

 

Tava vendo recentemente que a Cessna foi muito agressiva nas negociações do Latitude, algo do tipo 20% de desconto e a Embraer não, e essa seria a razão da Cessna ter vendido praticamente 4x mais Latitudes do que a Embraer os 450.

Link to post
Share on other sites

 

 

NBAA: Embraer takes command of midsize market with Praetor launch

 

 

14 OCTOBER, 2018

SOURCE: FLIGHT DAILY NEWS

BY: KATE SARSFIELD

LONDON

Embraer has stepped up the competition in the hotly contested midsize market with the launch today of not one, but two new aircraft, which it hopes will “fascinate” its customers, set a new benchmark in this crowded category and strengthen its business jet portfolio.

The midsize Praetor 500 and super-midsize Praetor 600 were unveiled at Top Gun–themed ceremony at Orlando Executive airport where Michael Amalfitano, president and chief executive of Embraer Executive Jets, described the pair as "disruptive aircraft for the entrepreneur, for the pioneer, for the innovator.”

Named after an army commander in Ancient Rome, he says the Praetor family “leads the way in redefining the characteristics of what a midsize and super-midsize aircraft deliver to the market.”

The HTF7500E-powered models support Embraer’s vision, he continues, of “fascinating our customers and providing them with superior value, and the best experience in the industry".

The Praetors fit in the company’s eight-strong product line between the Legacy 500 and Legacy 650E.

Development of the new jets began over a year ago, based on “extensive interaction”, Embraer says, with customers of its Legacy 450 and Legacy 500, of which they are derivatives, sharing the same fuselage and wing structure. “These are not clean-sheet aircraft, but they were developed based on the proven Legacy 450 and 500 platforms – introduced in 2015 and 2014 respectively – for which there are over 100 aircraft in operation to date,” says Embraer.

Although the Praetor 600 and the Legacy 500 have the same wing-fuel capacity, the former carries two additional fuel tanks – forward and ventral. The aircraft’s HTF7500E engines also have an additional 500lb of thrust. These features, along with winglets, give the Praetor 600 a sector-leading range of 3,900nm (7,220km) – over 760nm more than the Legacy 500 and almost 300nm longer that its closest super-midsize competitor, the Gulfstream G280.

The Praetor 500 has additional fuel cells in the wings, helping to deliver the longest range in the midsize sector at 3,250nm.

“Different by design and disruptive by choice, these new aircraft will deliver the ultimate customer experience with an unparalleled combination of performance, comfort and technology,” says Luciano Froes, Embraer's senior vice-president, marketing.

The Praetors are the only midsize and super-midsize business jets with full fly-by-wire technology and active turbulence reduction, with the latter designed to “give customers the smoothest possible ride”, says Embraer. The pair have a 5,800ft (1,770m) cabin altitude “for ultimate passenger comfort”.

The cabins also feature a Honeywell Ovation Select cabin management system; Viasat’s high-capacity, Ka-band connectivity, boasting speeds of up to 16Mbps; Gogo's latest air-to-ground connectivity system, AVANCE L5; and internet protocol television. This service is described by Embraer as an “industry exclusive among midsize business jets” and allows customers to beam live TV shows directly to the aircraft via the internet. The company has also installed a unique “upper tech panel” built into the valance, which displays flight information and cabin management features.

The aircraft boast a bespoke premium interior, called Bossa Nova, which feature superior levels of craftsmanship and each customer’s personal design style reflected throughout the cabin.

In the cockpit, Embraer has selected Rockwell Collins ProLine Fusion featuring the industry-first vertical weather display; air-traffic-control-like situational awareness with ADS-B IN; and predictive wind shear radar capability. Optional extras include an enhanced vision system with a head-up display and an enhanced video system, an inertial reference system and a synthetic vision guidance system.

The $21 million Praetor 600 will be first to market. Flight testing on the first prototype began on 31 March at Embraer’s Gavião Peixoto facility. Two more aircraft – a second prototype and a production-conforming example – have since joined the flight-test campaign, and around 300h have been logged across the fleet to date. The eight-seat aircraft is slated for type certification and service entry in the second quarter of 2019.

The $17 million Praetor 500 flight test campaign began on 13 September and the production conforming aircraft has logged around 80h Embraer says. Certification and service entry of the seven-seat jet are pegged for the second half of 2019.

The Praetors will share the same manufacturing lines as the Legacy 450 and 500 in São José dos Campos, Brazil and Melbourne, Florida.

 

Link to post
Share on other sites

Prétor.

 

Interessante essa matéria da flightglobal, mesmo para leigos.

 

uma coisa interessante é sobre o marketing da Embraer, essa coisa de ter nomes pros diferentes segmentos (a concorrência mantém uma padronização); não sei se tem a ver com uma real distinção dos modelos, mas fico pensando se não seria o caso de manter o nome Legacy 450 e 500 acompanhado de um ER, por exemplo.

 

Certo é que acho meio juvenis coisa como aquelas pinturas profit hunter ou a apresentação dos Praetor com músicas do filme Top Gun, plmdds.

Link to post
Share on other sites

O "tópigan" da apresentação também achei meio fora...essa aeronave não é uma arma, é um veículo de transporte!

Quanto ao nome, quando você tem um produto que agradou ao mercado, tenta manter a associação dele com o nome. É uma regra simples. Pode até florear um pouco com "super", "novo", *-X...mas a identidade se preserva, para passar a ideia de que o produto continua bom, agora melhor ainda!

Não tenho dados das vendas desses modelos nem se esses dados os posicionam bem no mercado. Outra coisa, como funciona, então, a certificação? Deve ocorrer como um avião realmente novo? Aproveita-se a plataforma já certificada e testa-se os componentes modificados ou acrescentados?

Link to post
Share on other sites

Não, só precisaria de um novo processo de certificação (inclusive levando em conta os requisitos mais atuais) se fosse uma modificação substancial ao certificado de tipo. Por ser um derivativo dos Legacy 450 e 500, o processo de certificação deve se focar nas partes e desempenhos alterados sim.

 

O nome ser novo é, como vc falou, só enfeite. Do mesmo jeito que, nos Falcon, o F2000LXS nada mais é que um F2000EX modificado (eslates internos móveis, winglets, mais tanques, outra aviônica etc).

 

Mas pelo jeito os Legacy 450/500 tavam vendendo pouco até. De for confiar na Wikipedia (não fui ver relatórios da Embraer, mais confiáveis), foram noventa entregas mais de três anos após a certificação. Com essas modificações, principalmente no alcance, fica mais atrativo sim.

 

Quanto a pronúncia, deve ser algo como Prétor, não (deixo o povo da Embraer responder)? Et caetera tem o mesmo ae, e pronuncia et cétera. Até o jeito inglês de falar aerodynamics pronuncia o ae como e...

Link to post
Share on other sites
  • 3 weeks later...

Meus prezados

A Embraer apresenta os novos jatos executivos Praetor 500 e Praetor 600 pela primeira vez no Brasil
https://www.aereo.jor.br/2018/11/07/a-embraer-apresenta-os-novos-jatos-executivos-praetor-500-e-praetor-600-pela-primeira-vez-no-brasil/

Link to post
Share on other sites
  • 4 months later...
Embraer closes in on Praetor 600 certification
  • 19 MARCH, 2019
  • SOURCE: FLIGHT INTERNATIONAL
  • BY: KATE SARSFIELD
  • LONDON

Embraer's Praetor 600 has entered the final phase of its flight-test campaign, and remains on track to secure US type approval and enter service early in the second half of the year.

Certification testing of the super-midsize business jet was completed on 11 March, says the Brazilian airframer, with three aircraft – two prototypes and a production-conforming example – logging 440h across 372 flights at Embraer's Gaviao Peixoto test base.

 

Embraer

A maturity campaign – designed to ease the jet's entry into service – is now under way, and the production-conforming aircraft has so far accumulated around 30h of an expected 50h of flying, says Embraer.

The $21 million Praetor 600 was launched in October 2018 along with the smaller Praetor 500, which has logged 30h of flight testing in 18 sorties. Certification and service entry of the $17 million midsize aircraft are due in the third quarter.

Powered by Honeywell HTF7500E turbofans, the Praetors are derivatives of the Legacy 450 and 500 with which they share the same fuselage and wings, supplied by the company's metal and composites manufacturing facility in Evora, Portugal.

Improving on the capabilities of the Legacy 500, the Praetor 600 gains new winglets and two extra belly fuel tanks, while engine thrust has been increased by 500lb (2.2kN), taking range to 3,900nm (7,200km). That is 760nm more than the Legacy 500, and almost 300nm longer than its closest super-midsize competitor, the Gulfstream G280.

Additional fuel cells in the Praetor 500 wings help to deliver the longest range in the midsize sector at 3,250nm. The Praetors are the only midsize and super-midsize business jets with full fly-by-wire technology and active turbulence reduction, with the latter designed to give customers "the smoothest possible ride", says Embraer.

Both models will share an assembly line with the Legacy duo in Sao Jose dos Campos, and at Embraer's US business aviation manufacturing facility in Melbourne, Florida.

Embraer says its latest variants are "selling well", but the eight-passenger Praetor 600 is the top performer "with production sold out until mid-2020".

The company hopes that the success of the Praetors will help reverse several years of lacklustre output in the business aviation division. For the year ended 31 December 2018, Embraer delivered 91 Phenom, Legacy and Lineage 1000E twinjets – compared with 109 units in 2017 – missing its delivery target of 105-125 aircraft. Revenues declined by 26% during the period to $1.1 billion.

Embraer has a backlog valued at $800 million and is predicting output of 90-110 business jets in 2019.

Link to post
Share on other sites
  • 1 month later...

Meus prezados

Anac certifica outro jato comercial da Embraer

Publicada em 21/04/2019 08:34 | Atualizado em 21/04/2019 13:34

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) certificou mais uma aeronave da Embraer nesta semana. Em release oficial, a empresa informou que o jato super-médio, nomeado Praetor 600, é o único da categoria a ser certificado em cinco anos. O avião, lançado em dois mil e dezoito, é capaz de voar mais de quatro mil milhas náuticas (sete mil e quatrocentos e quarenta quilômetros). Vale lembrar ainda que na segunda-feira (15), o maior jato comercial da entidade, e195-e2, também foi certificado pelo órgão responsável no país.

Fonte: CECOMSAER 22 abr 2019

Link to post
Share on other sites

18/04/2019

Praetor 600, da Embraer, recebe certificação da ANAC

São Paulo, 18 de abril de 2019 – A Embraer recebeu nesta quinta-feira o Certificado de Tipo para o novo jato executivo Praetor 600, de categoria super médio, concedido pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). Lançado no fim do ano passado durante a NBAA-BACE (National Business Aviation Association’s Business Aviation Conference and Exhibition), o jato é o único da categoria a ser certificado desde 2014.

 

O Praetor 600 é o jato super médio com melhor performance já desenvolvido e superou todas as principais metas de design, tornando-se capaz de voar mais de 4.000 milhas náuticas em velocidade de cruzeiro de longo alcance, ou mais de 3.700 milhas náuticas a Mach .80 em pistas menores de 1.371 metros, com excelente capacidade de carga útil.

 

“Nossas equipes de engenharia e de programa se superaram novamente ao projetar, desenvolver e certificar com muita paixão o jato executivo Praetor 600, líder de sua classe, excedendo especificações e expectativas, e antes do prazo”, disse Paulo César de Souza e Silva, Presidente e CEO da Embraer. “Esta avançada aeronave reflete não apenas nossa jornada de inovação, mas também uma prévia do futuro dessa grande empresa.”

 

“O jato executivo de porte super médio mais inovador e tecnologicamente avançado chegou. O Praetor 600 vai surpreender nossos clientes com o mais alto desempenho, tecnologia e conforto de sua classe e aumentar a experiência do cliente a um nível sem precedentes”, disse Michael Amalfitano, Presidente e CEO da Embraer Aviação Executiva. “Quero agradecer e parabenizar a família Embraer por trazer ao mercado uma aeronave que criará valor real para clientes e acionistas.”

 

O Praetor 600 é agora o jato executivo de porte super médio com maior alcance, com capacidade de fazer voos sem escalas entre Londres e Nova York, São Paulo e Miami, e Dubai e Londres. Com quatro passageiros e reservas NBAA IFR, o Praetor 600 tem um alcance intercontinental de 4.018 milhas náuticas (7.441 km). O jato tem capacidade de decolagem a partir de pistas de apenas 1.352 metros (4.436 pés). A M0.80, o alcance é 3.719 milhas náuticas (6.887 km) com quatro passageiros e reservas NBAA IFR.

 

O Praetor 600 é o primeiro jato executivo de porte super médio com tecnologia Full Fly-by-Wire e redução ativa de turbulência, tornando cada voo não apenas o mais suave, mas também o mais eficiente possível.

 

O Embraer DNA Design da cabine explora cada dimensão do único jato super médio que possui uma cabine de piso plano com 1,83 metro de altura, piso de pedra e toalete a vácuo, tudo na mesma aeronave e certificado. A redução de turbulência ativa exclusiva da classe e a altitude de cabine de 5.800 pés, complementada por uma cabine silenciosa, estabeleceram o mais alto padrão de experiência do cliente na categoria super médio. Além da cozinha de serviço completo e do guarda-roupa, oito poltronas totalmente reclináveis ​​podem ser acomodadas em quatro camas, e o espaço para bagagem é o maior da classe.

 

A tecnologia avançada também é uma característica do Embraer DNA Design, começando com o Upper Tech Panel, exclusivo da indústria, que exibe informações de voo e oferece recursos de gerenciamento de cabine também disponíveis em dispositivos pessoais por meio do Honeywell Ovation Select. Conectividade de alta capacidade e de alta velocidade para todos a bordo está disponível por meio de banda Ka da Viasat, com velocidades de até 16Mbps e IPTV, outro recurso exclusivo entre os jatos executivos de médio porte.

 

O Praetor 600 apresenta o avançado painel de aviônicos Pro Line Fusion, da Collins Aerospace, com o exclusivo recurso de exibição vertical de meteorologia, alerta situacional similar ao de controle de tráfego aéreo com ADSB-IN e a capacidade preditiva do radar de identificação antecipada de cisalhamento de vento, assim como o E2VS (do inglês Embraer Enhanced Vision System) com HUD (do inglês, Head-up Display) e EVS (do inglês, Enhanced Vision System), Sistema de Referência Inercial (do inglês, Inertial Reference System) e Sistema de Orientação de Visão Sintética (do inglês, Synthetic Vision Guidance System).

 

Sobre o Praetor 600

 

O Praetor 600 é a aeronave mais inovadora e tecnologicamente avançada a entrar na categoria dos jatos super médios, oferecendo a melhor experiência ao cliente com uma combinação inigualável de desempenho, conforto e tecnologia. O Praetor 600 será o jato executivo de porte super médio mais avançado, que permite voos sem escalas entre Londres e Nova York. Com quatro passageiros e reservas NBAA IFR, o Praetor 600 terá um alcance intercontinental de 4.018 milhas náuticas (7.441 km) com a capacidade de carga útil mais alta de sua classe, oferecendo capacidade máxima de alcance.

 

Sendo o único jato executivo de porte super médio com tecnologia Full Fly-by-Wire e redução ativa de turbulência, os passageiros aproveitarão o voo mais suave possível em uma cabine de 6 pés de altura, complementada por inigualáveis 5.800 pés de altitude da cabine para maior conforto dos passageiros. O Embraer DNA Design da cabine inclui oito poltronas totalmente reclináveis que podem ser convertidas em quatro camas para descanso completo. A cabine inclui uma cozinha na entrada, um lavabo privativo traseiro com toalete a vácuo e uma área de bagagem dentro da cabine de passageiros. O espaço total para bagagem é o maior da categoria de jatos super médios.

 

A tecnologia avançada também é abundante em toda a cabine, começando com o Upper Tech Panel, exclusivo da indústria, que exibe informações de voo e oferece recursos de gerenciamento de cabine, também disponíveis em dispositivos pessoais por meio do Honeywell Ovation Select. O Gogo AVANCE L5 e a conectividade de alta capacidade e de alta velocidade para todos a bordo estão disponíveis por meio de banda Ka da Viasat, com velocidades de até 16Mbps e IPTV, outro recurso exclusivo entre os jatos executivos de médio porte. Um sistema opcional de entretenimento a bordo consiste em um sistema de vídeo de alta definição, surround sound e várias opções de entrada de áudio e vídeo.

 

O Praetor 600 apresenta o avançado painel de aviônicos Pro Line Fusion da Rockwell Collins com quatro monitores LCD de alta resolução de 15,1 polegadas e capacidade de operação sem papel, com planejamento de voo gráfico e o exclusivo recurso de exibição vertical de meteorologia, alerta situacional similar ao de controle de tráfego aéreo com ADSB-IN e a capacidade preditiva do radar de identificação antecipada de cisalhamento de vento, além de gráficos e mapas Jeppesen. As cabines de comando do Praetor também oferecem opções que incluem o E2VS (do inglês Embraer Enhanced Vision System) com HUD (do inglês, Head-up Display) e EVS (do inglês, Enhanced Vision System), Sistema de Referência Inercial (do inglês, Inertial Reference System) e Sistema de Orientação de Visão Sintética (do inglês, Synthetic Vision Guidance System). O Praetor 500 é equipado com dois motores turbofan Honeywell HTF 7500E avançados e econômicos em termos de combustível, os mais ecológicos da categoria.

 

Sobre a Embraer Aviação Executiva

A Embraer é uma das maiores fabricantes de jatos executivos do mundo, tendo entrado neste segmento de mercado a partir de 2000, com o lançamento do jato Legacy. A Embraer Aviação Executiva foi constituída em 2005. Seu portfólio, entre os mais amplos da indústria, é formado pelos jatos Phenom 100, Phenom 300E, Legacy 450, Legacy 500, Praetor 500, Praetor 600, Legacy 650E e Lineage 1000E. A frota da Embraer Aviação Executiva excede a marca de 1.200 jatos, que estão em operação em mais de 70 países. Os clientes são apoiados por uma rede global de 70 centros de serviços entre próprios e autorizados, complementados por um Contact Center 24/7.

 

Sobre a Embraer

Empresa aeroespacial global com sede no Brasil, a Embraer completa 50 anos de atuação nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança, Aviação Agrícola. A Companhia projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer Serviços & Suporte a clientes no pós-venda.

 

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

 

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

 

Fonte: www.embraer.com.br

Link to post
Share on other sites

PRAETOR 600

Brazilian authorities certify Embraer’s Praetor 600

 

19 APRIL, 2019 SOURCE: FLIGHT DASHBOARD BY: JON HEMMERDINGER BOSTON

Brazil’s civil aviation authority ANAC has granted a type certificate to the Embraer Praetor 600 super-midsize business jet, a milestone coming roughly six months after the airframer publicly launched the Praetor programme.

 

Embraer calls the Praetor 600 “the most disruptive and technologically advanced super-midsize business jet”, noting the aircraft has 4,020nm (7,445km) range with four passengers.

 

That is range enough to fly routes such as London to New York, Miami to Sao Paulo and Dubai to London.

 

The Praetor 600 can carry up to 12 passengers.

 

Asset Image

 

Embraer

 

Embraer has previously said it expects the US Federal Aviation Administration to certify the Praetor 600 early in the second half of 2019.

 

The company unveiled the Praetor 600 and its smaller sibling, the Praetor 500, at the NBAA trade show in October 2018.

 

Both aircraft are derivatives of the Legacy 450 and Legacy 500 jets, sharing the same fuselage and wings.

 

Honeywell HTF7500E turbofans power the Praetor, and the aircraft has Collins Aerospace Pro Line Fusion flight deck electronics with 15.1in displays. Cockpit systems include an enhanced vision system, synthetic vision guidance and predictive wind shear capability, Embraer says.

 

The Praetor 500 and 600 also have fly-by-wire technology.

 

Asset Image

 

The Praetor 600's cockpit, with Collins avionics

Link to post
Share on other sites
  • 4 weeks later...

Meus prezados
Praetor 600 da Embraer agora tem certificação tripla com aprovação da EASA e da FAA
Novo jato executivo da Embraer tornando-se o jato super médio mais disruptivo e mais avançado tecnologicamente a entrar na categoria super médio
43633_resize_620_380_true_false_null.jpg
A Embraer anunciou hoje que seu novo jato executivo super médio Praetor 600 recebeu o certificado de tipo da Agência Europeia para a Segurança da Aviação (European Aviation Safety Agency - EASA) e da Federal Aviation Administration (FAA).

O anúncio foi feito durante uma coletiva de imprensa na na EBACE, exposição e convenção europeia da aviação executiva (do inglês, European Business Aviation Conference and Exhibition) em Genebra, na Suiça.

“Agora certificado pelas principais agências de segurança da aviação do mundo, o Praetor 600 tem provado ser o jato super médio mais disruptivo e o mais avançado tecnologicamente a entrar no mercado, abrindo o caminho para o início das entregas já no segundo trimestre”, disse Michael Amalfitano, presidente da Embraer Aviação Executiva.

“Em pouco mais de seis meses desde seu anúncio e de sua apresentação ao mercado, o Praetor 600 já está desempenhando acima das metas de certificação, elevando as expectativas de um jato super médio ideal. Mais uma vez quero agradecer e parabenizar à toda a família Embraer por trazer ao mercado uma aeronave tão revolucionária, projetada para criar uma nova experiência de valor tanto para clientes como para acionistas”.

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) concedeu a certificação de tipo ao Praetor 600 em 18 de abril. O Praetor 600 foi lançado e apresentado em outubro do ano passado durante a NBAA-BACE (National Business Aviation Association’s Business Aviation Conference and Exhibition) e o jato é o único da sua categoria a ser certificado desde 2014.

A jornada do Praetor 600 teve início em no aeroporto internacional de São Paulo, em Guarulhos. Em 8 de maio, o Praetor 600 percorreu quase 7.000 quilômetros até Fort Lauderdale, nos Estados Unidos com uma carga paga equivalente a seios passageiros (544 kg ou 1.200 lb).

Esse foi o voo mais longo da aeronave, tendo coberto 3.904 milhas náuticas (7.230 quilômetros) sobre uma distância aérea de 3.678 milhas náuticas (6.812 quilômetros), tem enfrentado ventos de cauda de até 43 nós e descendo com antecedência para cumprir a rigorosa aproximação de Miami.

Em 16 de maio o Praetor 600 partiu dos Estados Unidos a caminho da Europa abastecido com biocombustível SAJF para se juntar à frota de demonstração da Embraer no evento “Fueling the Future” (“Abastecendo o Futuro” na sua livre tradução, um evento de biocombustível realizado no Aeroporto de Farnborough, em 18 de maio.

A aeronave chegou em Farnborough, no Reino Unido, tendo partido de Teterboro, nos Estados Unidos. Na sua primeira travessia transatlântica o Praetor 600 percorreu mais de 5 mil quilômetros (3 mil milhas náuticas), abastecido com mais de 6.800 kg de combustível, dos quais 1.361 kg (3.000 lb) eram biocombustível SAJF.

O evento “Abastecendo o Futuro” marcou o primeiro aniversário do lançamento da Coalisão da Aviação Executiva para Biocombustível Sustentável (do inglês, Business Aviation Coalition for Sustainable Alternative Jet Fuel) durante a EBACE 2018, e o 10o aniversário do Compromisso da Aviação Executiva com Mudança Climática (do inglês, Business Aviation Commitment on Climate Change), anunciada em 2009.

O evento reuniu líderes civis e da aviação executiva para discutir o caminho a seguir na adoção de biocombustível SAJF na aviação executiva a fim de alcançar os objetivos da coalisão de reduzir emissões por meio de investimentos e inovação.

O Praetor 600 é o melhor jato de porte super médio já desenvolvido, com desempenho superior, ultrapassando todas as suas metas de projeto e capaz de voar mais de 4.000 milhas náuticas em velocidade de cruzeiro ou mais que 3.700 milhas náuticas a Mach .80 de pistas mais curtas que 4.500 pés, complementado por uma excelente capacidade de carga.

O Praetor 600 é agora o jato executivo de porte super médio com maior alcance, com capacidade de fazer voos sem escalas entre Londres e Nova York, São Paulo e Miami, e Dubai e Londres. Com quatro passageiros e reservas NBAA IFR, o Praetor 600 tem um alcance intercontinental de 4.018 milhas náuticas (7.441 km).

O jato tem capacidade de decolagem a partir de pistas de apenas 1.352 metros (4.436 pés). A M0.80, o alcance é 3.719 milhas náuticas (6.887 km) com quatro passageiros e reservas NBAA IFR. O Praetor 600 é o primeiro jato executivo de porte super médio com tecnologia Full Fly-by-Wire e redução ativa de turbulência, tornando cada voo não apenas o mais suave, mas também o mais eficiente possível.

O Embraer DNA Design da cabine explora cada dimensão do único jato super médio que possui uma cabine de piso plano com 1,80 metro de altura, piso de pedra e toalete a vácuo, tudo na mesma aeronave e certificado. A redução de turbulência ativa exclusiva da classe e a altitude de cabine de 5.800 pés, complementada por uma cabine silenciosa, estabeleceram o mais alto padrão de experiência do cliente na categoria super médio.

Além da cozinha de serviço completo e do guarda-roupa, oito poltronas totalmente reclináveis podem ser transformadas em quatro camas, e o espaço para bagagem é o maior da classe. A tecnologia avançada também é uma característica do Embraer DNA Design, começando com o Upper Tech Panel, exclusivo da indústria, que exibe informações de voo e oferece recursos de gerenciamento de cabine também disponíveis em dispositivos pessoais por meio do Honeywell Ovation Select.

Conectividade de alta capacidade e de alta velocidade para todos a bordo está disponível por meio de banda Ka da Viasat, com velocidades de até 16Mbps e IPTV, outro recurso exclusivo entre os jatos executivos de médio porte.

O Praetor 600 apresenta o avançado painel de aviônicos Pro Line Fusion, da Collins Aerospace, com o exclusivo recurso de exibição vertical de meteorologia, alerta situacional similar ao de controle de tráfego aéreo com ADSB-IN e a capacidade preditiva do radar de identificação antecipada de cisalhamento de vento, assim como o E2VS (do inglês Embraer Enhanced Vision System) com HUD (do inglês, Head-up Display) e EVS (do inglês, Enhanced Vision System), Sistema de Referência Inercial (do inglês, Inertial Reference System) e Sistema de Orientação de Visão Sintética (do inglês, Synthetic Vision Guidance System).
Fonte: Defesanet 20 mai 2019

Link to post
Share on other sites

Novo jato executivo Praetor 600 da Embraer realiza sua primeira travessia transatlântica, abastecido por biocombustível

 

Melbourne, EUA, 17 de maio de 2019 – O novo jato executivo Praetor 600 da Embraer realizou ontem a sua primeira travessia transatlântica, abastecido por biocombustível SAJF (do inglês, Sustainable Alternative Jet Fuel). A aeronave chegou em Farnborough, nos arredores de Londres, no Reino Unido, tendo partido do aeroporto Teterboro, próximo de Nova York, nos Estados Unidos. Na sua primeira travessia transatlântica o Praetor 600 percorreu mais de 5 mil quilômetros (3 mil milhas náuticas), abastecido com mais de 6.800 kg de combustível, dos quais 1.361 kg (3.000 lb) eram biocombustível SAJF.

 

A Embraer apresentará os novos jatos Praetor na EBACE (do inglês, European Business Aviation Conference and Exhibition), exposição e convenção europeia da aviação executiva que acontecerá em Genebra, na Suiça, de 21 a 23 de maio. O novo jato executivo de porte médio Praetor 500 e de porte super médio Praetor 600 foram apresentados em outubro de 2018.

 

Na exposição estática na EBACE, a empresa exibirá o Phenom 100EV, Phenom 300E, Praetor 500, Praetor 600, Legacy 650E e o Lineage 1000E. Todas as aeronaves chegarão à convenção abastecidos com biocombustível SAJF.

 

Antes da chegada à EBACE, a Embraer participará de um evento sobre biocombustível no aeroporto de Farnborough no dia 18 de maio. Esse encontro marca o primeiro aniversário da Coalisão da Aviação Executiva para Combustível Alternativo Sustentável para Jatos, lançada na edição de 2018 da EBACE, além do décimo aniversário do Compromisso da Aviação Executiva sobre Mudanças Climáticas, anunciado em 2009.

 

O evento “Fueling the Future” (“Abastecendo o Futuro”, em tradução literal) reunirá líderes civis e da aviação executiva para discutir o caminho a seguir na adoção de SAJF, a fim de alcançar os objetivos da coalisão de reduzir emissões por meio de investimentos e inovação. Diversas aeronaves de fabricantes de jatos executivos partirão para a EBACE abastecidos com SAJF.

 

A jornada do Praetor 600 à EBACE teve início dia 8 de maio, quando percorreu quase 7 mil quilômetros do aeroporto internacional de São Paulo, em Guarulhos, até Fort Lauderdale, nos Estados Unidos. Esse foi o voo mais longo da aeronave até hoje, que contou com uma carga útil de 544 kg, equivalente a seis passageiros.

 

O Praetor 600 é o melhor jato executivo de porte super médio já desenvolvido. Com desempenho superior, ultrapa todas as suas metas de projeto e é capaz de voar mais de 4.000 milhas náuticas em velocidade de cruzeiro, ou mais que 3.700 milhas náuticas a Mach .80 em pistas mais curtas que 4.500 pés, complementado por uma excelente capacidade de carga.

 

É também o primeiro jato executivo com tecnologia Full Fly-by-Wire e redução ativa de turbulência, tornando cada voo não apenas o mais suave, mas também o mais eficiente possível.

 

Sobre o Praetor 600

 

O Praetor 600 é a aeronave mais inovadora e tecnologicamente avançada a entrar na categoria dos jatos super médios, oferecendo a melhor experiência ao cliente com uma combinação inigualável de desempenho, conforto e tecnologia. O Praetor 600 será o jato executivo de porte super médio mais avançado, que permite voos sem escalas entre Londres e Nova York. Com quatro passageiros e reservas NBAA IFR, o Praetor 600 terá um alcance intercontinental de 4.018 milhas náuticas (7.441 km) com a capacidade de carga útil mais alta de sua classe, oferecendo capacidade máxima de alcance.

 

Sendo o único jato executivo de porte super médio com tecnologia Full Fly-by-Wire e redução ativa de turbulência, os passageiros aproveitarão o voo mais suave possível em uma cabine de 6 pés de altura, complementada por inigualáveis 5.800 pés de altitude da cabine para maior conforto dos passageiros. O Embraer DNA Design da cabine inclui oito poltronas totalmente reclináveis que podem ser convertidas em quatro camas para descanso completo. A cabine inclui uma cozinha na entrada, um lavabo privativo traseiro com toalete a vácuo e uma área de bagagem dentro da cabine de passageiros. O espaço total para bagagem é o maior da categoria de jatos super médios.

 

A tecnologia avançada também é abundante em toda a cabine, começando com o Upper Tech Panel, exclusivo da indústria, que exibe informações de voo e oferece recursos de gerenciamento de cabine, também disponíveis em dispositivos pessoais por meio do Honeywell Ovation Select. O Gogo AVANCE L5 e a conectividade de alta capacidade e de alta velocidade para todos a bordo estão disponíveis por meio de banda Ka da Viasat, com velocidades de até 16Mbps e IPTV, outro recurso exclusivo entre os jatos executivos de médio porte. Um sistema opcional de entretenimento a bordo consiste em um sistema de vídeo de alta definição, surround sound e várias opções de entrada de áudio e vídeo.

 

O Praetor 600 apresenta o avançado painel de aviônicos Pro Line Fusion da Rockwell Collins com quatro monitores LCD de alta resolução de 15,1 polegadas e capacidade de operação sem papel, com planejamento de voo gráfico e o exclusivo recurso de exibição vertical de meteorologia, alerta situacional similar ao de controle de tráfego aéreo com ADSB-IN e a capacidade preditiva do radar de identificação antecipada de cisalhamento de vento, além de gráficos e mapas Jeppesen. As cabines de comando do Praetor também oferecem opções que incluem o E2VS (do inglês Embraer Enhanced Vision System) com HUD (do inglês, Head-up Display) e EVS (do inglês, Enhanced Vision System), Sistema de Referência Inercial (do inglês, Inertial Reference System) e Sistema de Orientação de Visão Sintética (do inglês, Synthetic Vision Guidance System). O Praetor 600 é equipado com dois motores turbofan Honeywell HTF 7500E avançados e econômicos em termos de combustível, os mais ecológicos da categoria.

Link to post
Share on other sites
  • 1 month later...

Meus prezados
Uma visita ao interior da aeronave executiva de USD$20 milhões, Embraer Praetor 600

Link to post
Share on other sites
  • 8 months later...

New and revamped models trigger surge in business jet shipments

By Kate Sarsfield2 March 2020

  • The business jet market is riding high. After four years of very modest annual delivery hikes, the sector in 2019 recorded its strongest output for a decade, and its highest year-on-year increase in shipments since the market boom of 2008.

This strong performance was largely due to the introduction across the sector of a slew of eagerly anticipated clean-sheet and reinvigorated models, resulting in a year-on-year delivery increase for all three aircraft classes - light, midsize and large-cabin.

67812_pilatus-pc-24_51249.jpg

Source: Pilatus Aircraft

Pilatus PC-24 shipments climbed by 22 units in 2019, to 40 aircraft

In its latest annual industry review, released on 20 February, the General Aviation Manufacturers Association (GAMA) records deliveries in 2019 of 809 business jets: a 106-unit, or 15%, increase from the previous year. The value of the shipments rose by $3 billion to $21 billion – a 17% rise.

GAMA singles out the light-jet sector as the strongest performer for the 12 months ended 31 December 2019, with a buoyant US market – which accounts for around 70% of the world’s inventory in this class – helping to lift output for this category from 315 aircraft in 2018 to 372 last year. This was a rise of more than 18%, and marked the highest annual shipment tally for this segment since 2009, when 400 units were handed over.

Pilatus made the strongest gains in the category, with the report showing that output for the PC-24 more than doubled from 18 units in 2018 to 40 last year. The Swiss airframer re-opened the orderbook for the short take-off and landing aircraft in May 2019, having sold the first batch of 84 aircraft within 36h of starting to take commitments in 2014. Pilatus says it will transfer the final example from this order round during the third quarter – one of 50 PC-24s planned for delivery this year.

Cirrus performed well in 2019, with an output of 81 SF50 Vision Jets – nearly 30% more than the 63 examples delivered in 2018. Last year also marked the service entry of the second generation (G2) version of the SF50, which owes much of its appeal to its unique position as the only Part 23-approved single-engined jet on the market. Cirrus – developer of the SR family of piston singles – has orders for around 500 SF50s, and is planning to ship 100 units this year. These will from the second quarter include the first G2s equipped the Garmin’s innovative new autoland safety system.

Cessna continues to dominate the light-jet sector, with four Citation-series models contributing 126 deliveries last year – more than one-third of the segment’s output. This compared with 121 shipments in 2018. While output for its entry-level M2 and CJ3+ remained flat, at 34 and 37 units respectively, gains were made by the CJ4 and XLS+, reinforcing the value of the Textron Aviation-owned top-end light jets to the global marketplace.

The Phenom 300, produced by rival Embraer, retained its title as the most delivered light-business jet for the seventh year running, although shipments of the six-passenger type slipped by two units, to 51 aircraft in 2019, GAMA’s report shows. Embraer is hoping to boost the appeal of its top-seller this year with the introduction in the second quarter of revamped version of the current enhanced E-model.

The Brazilian airframer’s decision in 2018 to boost the value proposition of its portfolio through a wave of product enhancements is starting to bear fruit. After seven years of falling output, Phenom 100 shipments remained stable in 2019 at 11 units, while shipments of the Legacy 450 nudged up by one example, to 15.

This tactic has also impacted its midsize Legacy 500, which recorded a two-unit hike last year to 11 aircraft, according to GAMA’s report. The introduction in 2019 of the midsize Praetor 500 and super-midsize 600 contributed three and 13 units respectively to Embraer’s 2019 output of 109 business jets. Described by the company as “the most disruptive and technologically advanced jets in the midsize segment”, the Praetors have already secured “healthy sales”, it says, including an undisclosed, but sizeable order from fractional ownership company FlexJet.

67813_praetor-600-embraer_77125.jpg

Source: Embraer

Embraer’s super-midsize Praetor 600 made its GAMA report debut, with 13 shipments in 2019

MIDSIZE MOVEMENT

Praetor demand contributed to a healthy overall performance for the midsize sector in 2019. GAMA records deliveries of 197 aircraft – an 18-unit increase on the previous year and the segment’s strongest output for 11 years.

Cessna’s Citation Latitude was the most delivered midsize jet for the fourth year running – thanks largely to a 2015 order from fractional ownership company NetJets for 175 examples – and the strongest performer in the seven-strong Citation family.

A one-unit increase took annual output for the eight-seat jet to 58 aircraft. The Sovereign+ recorded a modest two-unit rise to eight aircraft, as demand for the legacy Citation held firm, while the final X+ was handed over in the first quarter of 2019. The high-speed business jet programme was cancelled in 2018 after a 22-year run, with the airframer blaming persistent low delivery output for the decision.

The company has hinted at plans to revamp its legacy Citations, including the light-jet family, with Scott Donnelly, chief executive of parent company Textron, saying during an earnings call in February: “I think there’s clearly opportunity to do some upgrades and refreshes”.

Textron expects its new flagship Longitude to account for the bulk of its midsize-class deliveries going forward. The super-midsize model entered service last October, and GAMA records deliveries of 13 aircraft during the fourth quarter. This output included the first example to NetJets.

The super-midsize newcomers – Longitude and Praetor 600 – are now snapping at the heels of the sector leader, Bombardier’s Challenger 350. While the 10-seat twin was the most-delivered super-midsize jet for the sixth year running, output slid by four units last year, to 56 aircraft.

The Canadian company is widely believed to be considering a major revamp of the six-year-old model, to fend of its latest rivals.

Gulfstream has also hinted at plans to overhaul its similar-sized G280, which was introduced eight years ago. GAMA records a four-unit increase in shipments in 2019 for the airframer’s entry-level offering, to 33 aircraft.

HIGH-END HOPES

Gulfstream’s focus will continue for the time being on the top-end of the business jet market, which had a bullish 2019.

GAMA data shows deliveries climbed by 31 units during the report period, to 240 large-cabin, long-range and VIP airliner-category aircraft – the largest output for the sector since 2015.

67815_gulfstream-g600_78084.jpg

Source: Gulfstream

Gulfstream delivered seven super-wide G600s in 2019

Gulfstream led the class, recording deliveries of 114 aircraft, compared with 92 in 2018, with output up across it product line. The superwide-cabin G600, which entered service last August, contributed seven units to Gulfstream’s 2019 tally, while deliveries of its G500 clean-sheet stablemate, introduced a year earlier, accounted for 19 aircraft – up from 10 in 2018.

Shipments are predicted to climb in 2020 to 150 aircraft, as production of the G500 and G600 accelerates.

Bombardier is also set to boost its high-end business jet output this year, on the back of new aircraft programmes. The airframer had a modest year in 2019, recording shipments of 74 Challenger 650ERs and Global-series aircraft – including the first Global 6500 – against 65 units in 2018.

Global 7500 deliveries are expected to accelerate to around 40 aircraft in 2020 – up from only six for its 7,700nm (14,200km)-range flagship in 2019 – with Bombardier blaming a “lag” in aircraft completions for the six-unit shipment shortfall for the year.

Production of the Global 6500 will also accelerate in 2020, when it will be joined in service by its recently certificated and smaller stablemate, the 5500. The pair were launched in May 2018 as longer-range versions of the Global 5000 and 6000, featuring all-new Rolls-Royce Pearl 15 engines, revamped interiors and new wings designed by Mitsubishi Heavy Industries.

Dassault is hoping its in-development, superwide-cabin 6X – set for service entry in 2020 – will have a positive effect on its Falcon output, following another feeble year. Fierce competition in the large-cabin sector saw deliveries of its twin-engined 2000LXS/S and 900LX, 7X and 8X trijets fall to 40 aircraft, compared with 41 in 2018.

Airbus recorded it strongest delivery performance since 2013 thanks to the arrival of the long-awaited ACJneo family. Six examples of the re-engined narrowbody were shipped green last year – four ACJ320neos and a pair of ACJ319neos. This compares with a single baseline ACJ320 in 2018.

The first outfitted aircraft, an ACJ320neo, will be handed over to its UK owner Acropolis Aviation during the first quarter.

Despite continued fragile demand for VIP airliners from traditional markets such as the Middle East, Russia and China, sales continue to trickle through. Airbus’s ACJ orderbook totals 15 ACJ319/320neos and four widebody ACJ350s.

Boeing has increased its focus on the twin-aisle market as the crisis surrounding the troubled 737 Max programme rumbles on.

GAMA records two green deliveries for Boeing in 2019 – both BBJ 787-9s. This compared with six shipments the previous year – two BBJ 777-300ER widebodies, a pair of 737-derived BBJs, and its first two BBJ 737 Max 8s.

Boeing says interest is growing in its BBJ 777X family – launched in December 2018 – with a first order expected this year.

Source: www.flightglobal.com

Link to post
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade