Jump to content
Sign in to follow this  
A345_Leadership

Avianca Brasil entra com pedido de recuperação judicial [PARTE 1]

Recommended Posts

A partir do momento que a RJ foi protocolada acho não podem mais arrastar aeronaves. Será assim?

Share this post


Link to post
Share on other sites

O PR-OCJ já está apreendido em Guarulhos. Informações do próprio processo citado acima.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

A partir do momento que a RJ foi protocolada acho não podem mais arrastar aeronaves. Será assim?

 

não. Quando ela é Deferida pelo Juiz, todas as ações ficam suspensas por - ao menos - 180 dias.

 

Fluxograma.jpg

Edited by Nos-767

Share this post


Link to post
Share on other sites

767, acho, não tenho certeza que o processo relativo a devolução de aeronaves a recuperação judicial não protege, pelo menos li numa reportagem algo assim

Share this post


Link to post
Share on other sites

767, acho, não tenho certeza que o processo relativo a devolução de aeronaves a recuperação judicial não protege, pelo menos li numa reportagem algo assim

 

quaisquer trâmites que envolvam ações em fase de pagamento a RJ abrange. Também não sei se vale para essas ações do ARRESTO. O fato é que a Multa do distrato (que acredito que exista) o lessor deve demorar mais a receber.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Foi um terremoto no mercado essa notícia

 

Eu tenho 1 voo add-on GRU-CNF de um grupo de 6 pax, bilhete emitido pela LH para abril. E uma passagem pessoal CNF-GRU-CNF para julho.

 

Dei sorte...

 

Vcs falam dos funcionários e o que pode ocasionar a eles, mas esquecem dos passageiros que gastaram dinheiro e nem sabem se vão voar.

 

 

agora imagina a quantidade de bilhetes emitidos via agências?

 

eu tenho somente um voo de amigo entre poa/ssa em janeiro. Tem agencia q tem grupos pra MIA com 120 pax em 4 voos.

 

Por enquanto ta "estavel", é recuperação judicial e não falencia, já vimos várias cias q foram e voltaram no exterior e uma no brasil q foi a Passaredo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Só digo o seguinte: um pedido deste não é feito do dia pra noite. Coloque aí pelo menos uma semana, NO MINIMO, para fazer a inicial e juntar a documentação requerida. Quem divulgou aquela nota da O6 simplesmente MENTIU para todos

Não necessariamente!

 

Avianca entra com pedido de recuperação judicial

 

Pedido vem na esteira de uma corrida dos credores da empresa por falta de pagamentos

 

SÃO PAULO E RIO - Na esteira do que ocorreu com companhias aéreas brasileiras como a Varig, a Avianca entrou com pedido de recuperação judicial. O processo, que corre sob segredo de justiça na 1º Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo.

 

O pedido ocorre depois dos credores exigirem medidas para reaver dívidas atrasadas da Avianca. Desde a semana passada, quando duas empresas de arrendamento de aeronaves acionaram a Justiça para reaver 20% da frota de 60 aeronaves da companhia, outras três ações judiciais contra a empresa chegaram aos tribunais paulistas.

 

Numa delas, a empresa de leasing ACG pediu a retomada de mais nove aeronaves da empresas por causa de dívidas de R$ 3,5 milhões. Procurados, os advogados da empresa não estão disponíveis para atender ligações nesta terça-feira. Além desses pedidos, a empresa tem sido acionada por causa de dívidas outros credores de setores como a hotelaria.

 

O Hotel Excelsior Ipiranga, por exemplo, que tem um acordo para hospedar a tripulação da companhia aérea, reclama o pagamento de faturas vencidas referentes aos meses de abril a setembro deste ano no valor de mais de R$ 600 mil. O hotel solicitou o arresto de montante financeiro equivalente da Avianca, mas a Justiça não atendeu ao pedido.

 

Na visão do advogado Marcos Velloza, do escritório Velloza, especializado em recuperação judicial, o pedido da Avianca era inevitável.

 

Houve uma corrida de credores de sexta pra cá e precipitou o pedido de recuperação judicial, que vai ser bom para a empresa ganhar fôlego agora e rediscutir a dívida diz Velloza.

 

Procurada, a Avianca informou que ainda não dispõe da informação e irá se pronunciar em breve.

 

Mesmo com o pedido de recuperação judicial, não há garantia de que os entraves relativos à frota da Avianca serão sanados. É que a própria legislação para empresas sob proteção judicial, redigida no início dos anos 2000 e em vigor desde 2005, na esteira dos problemas da Varig, então a maior companhia aérea brasileira.

 

Pela lei de recuperação, a empresa endividada ganha um fôlego de 180 dias após o pedido de recuperação judicial para recuperar o fluxo de caixa. Neste período, ela deixa de pagar débitos aos credores. O artigo 199 dessa legislação, contudo, traz uma exceção dedicada exclusivamente aos credores com contratos de locação à companhias aéreas, que têm o direito de retomar turbinas e equipamentos arrendados mesmo após o pedido de recuperação feito pela aérea à Justiça.

 

A medida, feita na época sob medida para atender ao anseio dos credores da Varig, deve complicar a normalização dos negócios na Avianca, de acordo com a advogada Laura Bumachar, sócia do escritório Dias Carneiro, em São Paulo, e especializada em pedidos de recuperação judicial de companhias aéreas brasileiras desde o caso da Varig.

 

Nos Estados Unidos é comum as maiores companhias aéreas pedirem recuperação judicial e saírem logo em seguida. Mas no Brasil as condições da economia são bem diferentes. Ou entra dinheiro novo na Avianca, como um investidor novo por exemplo, ou a empresa pode continuar em dificuldades diz Laura.

 

Atendimento ao passageiro deve ser garantido

 

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) vem mantendo conversas com a Avianca sobre a situação da empresa, embora ainda não tenha sido formalmente comunicada do pedido de recuperação judicial da empresa aérea, informou a assessoria de imprensa do órgão do governo.

 

Se houver, eventualmente, necessidade de alterar ou suspender voos por ajustes na frota, diz a Anac, a Avianca deve comunicar os passageiros das linhas afetadas com antecedência, oferecendo a eles a opção de remarcarem seus bilhetes em outros voos da companhia ou ter o reembolso do valor pago pela passagem.

 

Caso o passageiro já esteja no aeroporto e pronto para embarcar, seria preciso oferecer ainda a reacomoação em voos de outras companhias, além da opção de reembolso e, caso necessário, cobertura de gastos com alimentação e hospedagem, dependendo do tempo de espera do passageiro.

 

 

 

 

https://oglobo.globo.com/economia/avianca-entra-com-pedido-de-recuperacao-judicial-23297762

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vcs falam dos funcionários e o que pode ocasionar a eles, mas esquecem dos passageiros que gastaram dinheiro e nem sabem se vão voar.

 

 

agora imagina a quantidade de bilhetes emitidos via agências?

 

eu tenho somente um voo de amigo entre poa/ssa em janeiro. Tem agencia q tem grupos pra MIA com 120 pax em 4 voos.

 

Por enquanto ta "estavel", é recuperação judicial e não falencia, já vimos várias cias q foram e voltaram no exterior e uma no brasil q foi a Passaredo.

As vezes nós comentamos mais a parte do tripulante por estar em um ambiente de tripulante. Entendemos também os outros lados, claro. Mas por ser tripulante, as vezes me ponho no lugar e vejo o quanto é doloroso isso.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Em todo o processo de reorganização, reestruturação, etc. é imprescindível a absoluta transparência e franqueza na comunicação com fornecedores, clientes, funcionários, financiadores, etc.. A empresa erra em se atrapalhar no que é vital para execução de um plano de reestruturação bem sucedido. E que plano será esse, além de ficar em reduzir malha, destinos, etc? O que terá de disruptivo para reverter essa trajetória? Multimedia e lanche de bordo não acho que seja efetivo em relação à programa de milhagem, frequência, pontualidade, etc. ou seja, a minha percepção é de um produto igual ou inferior às outras empresas, principalmente quando se coloca frequência na ponderação. Infelizmente se o produto não for reposicionado, será muito difícil competir com as 3.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nosso amigo Fábio Laranjeira deu o sangue por esta empresa

  • Like 10

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

Só digo o seguinte: um pedido deste não é feito do dia pra noite. Coloque aí pelo menos uma semana, NO MINIMO, para fazer a inicial e juntar a documentação requerida. Quem divulgou aquela nota da O6 simplesmente MENTIU para todos

 

A documentação inicial prevista no art. 95 da RJ, embora extensa, no caso de uma empresa grande como a O6, é fácil de se obter, pois a empresa costuma ter os documentos exigidos sobre controle rígido e de fácil acesso, além disso os fatos ensejadores do pedido são notórios e estão na imprensa.

No caso de faltar algum documento e este não for substancial, via de regra (há jurisprudência em contrário) os juízes dão prazo para emenda da inicial antes de extinguir o processo.

Ou seja não é impossível se pedir um RJ "da noite para o dia".

O problema é que numa empresa deste porte, até a negociação com um escritório especializado demora mais que uma semana. Pedir uma RJ é um processo que precisa ser maturado com o tempo, para se buscar o pedido um pouco antes do PNR "point of no return". Se não for assim a RJ é só o ultimo suspiro do desiludido.

As noticias recentes revelam um grau de amadorismo na condução da crise, que ou os caras são gênios da lâmpada, ou tão fazendo tudo errado e eu nem duvido que a coisa "saiu do controle" e resolveram de uma hora para outra entrar com o pedido.

 

 

Alguma empresa aérea brasileira saiu da RJ?

 

A Passaredo, mas saiu do jeito que entrou, devendo muito, só ganhou tempo com a RJ.

 

A partir do momento que a RJ foi protocolada acho não podem mais arrastar aeronaves. Será assim?

 

A tese é controvertida (O artigo 199 da RJ, exclui expressamente a proteção com relação aos lessors de aeronaves), mas no caso da VGR, prevaleceu o entendimento que as aeronaves não poderiam mais ser arrestados, uma vez que ceifava de morto o elemento produtivo da empresa!

De fato não faz muito sentido fazer uma RJ de uma empresa sem aviões.

O problema é o Internacional, que sem proteção da jurisdição brasileira, as aeronaves acabavam sendo bloqueadas no exterior.

 

Não necessariamente!

 

Avianca entra com pedido de recuperação judicial

 

Pedido vem na esteira de uma corrida dos credores da empresa por falta de pagamentos

 

SÃO PAULO E RIO - Na esteira do que ocorreu com companhias aéreas brasileiras como a Varig, a Avianca entrou com pedido de recuperação judicial. O processo, que corre sob segredo de justiça na 1º Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo.

 

O pedido ocorre depois dos credores exigirem medidas para reaver dívidas atrasadas da Avianca. Desde a semana passada, quando duas empresas de arrendamento de aeronaves acionaram a Justiça para reaver 20% da frota de 60 aeronaves da companhia, outras três ações judiciais contra a empresa chegaram aos tribunais paulistas.

 

Numa delas, a empresa de leasing ACG pediu a retomada de mais nove aeronaves da empresas por causa de dívidas de R$ 3,5 milhões. Procurados, os advogados da empresa não estão disponíveis para atender ligações nesta terça-feira. Além desses pedidos, a empresa tem sido acionada por causa de dívidas outros credores de setores como a hotelaria.

 

O Hotel Excelsior Ipiranga, por exemplo, que tem um acordo para hospedar a tripulação da companhia aérea, reclama o pagamento de faturas vencidas referentes aos meses de abril a setembro deste ano no valor de mais de R$ 600 mil. O hotel solicitou o arresto de montante financeiro equivalente da Avianca, mas a Justiça não atendeu ao pedido.

 

Na visão do advogado Marcos Velloza, do escritório Velloza, especializado em recuperação judicial, o pedido da Avianca era inevitável.

 

Houve uma corrida de credores de sexta pra cá e precipitou o pedido de recuperação judicial, que vai ser bom para a empresa ganhar fôlego agora e rediscutir a dívida diz Velloza.

 

Procurada, a Avianca informou que ainda não dispõe da informação e irá se pronunciar em breve.

 

Mesmo com o pedido de recuperação judicial, não há garantia de que os entraves relativos à frota da Avianca serão sanados. É que a própria legislação para empresas sob proteção judicial, redigida no início dos anos 2000 e em vigor desde 2005, na esteira dos problemas da Varig, então a maior companhia aérea brasileira.

 

Pela lei de recuperação, a empresa endividada ganha um fôlego de 180 dias após o pedido de recuperação judicial para recuperar o fluxo de caixa. Neste período, ela deixa de pagar débitos aos credores. O artigo 199 dessa legislação, contudo, traz uma exceção dedicada exclusivamente aos credores com contratos de locação à companhias aéreas, que têm o direito de retomar turbinas e equipamentos arrendados mesmo após o pedido de recuperação feito pela aérea à Justiça.

 

A medida, feita na época sob medida para atender ao anseio dos credores da Varig, deve complicar a normalização dos negócios na Avianca, de acordo com a advogada Laura Bumachar, sócia do escritório Dias Carneiro, em São Paulo, e especializada em pedidos de recuperação judicial de companhias aéreas brasileiras desde o caso da Varig.

 

Nos Estados Unidos é comum as maiores companhias aéreas pedirem recuperação judicial e saírem logo em seguida. Mas no Brasil as condições da economia são bem diferentes. Ou entra dinheiro novo na Avianca, como um investidor novo por exemplo, ou a empresa pode continuar em dificuldades diz Laura.

 

Atendimento ao passageiro deve ser garantido

 

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) vem mantendo conversas com a Avianca sobre a situação da empresa, embora ainda não tenha sido formalmente comunicada do pedido de recuperação judicial da empresa aérea, informou a assessoria de imprensa do órgão do governo.

 

Se houver, eventualmente, necessidade de alterar ou suspender voos por ajustes na frota, diz a Anac, a Avianca deve comunicar os passageiros das linhas afetadas com antecedência, oferecendo a eles a opção de remarcarem seus bilhetes em outros voos da companhia ou ter o reembolso do valor pago pela passagem.

 

Caso o passageiro já esteja no aeroporto e pronto para embarcar, seria preciso oferecer ainda a reacomoação em voos de outras companhias, além da opção de reembolso e, caso necessário, cobertura de gastos com alimentação e hospedagem, dependendo do tempo de espera do passageiro.

 

 

 

 

https://oglobo.globo.com/economia/avianca-entra-com-pedido-de-recuperacao-judicial-23297762

 

A questão é que a crise de reputação era absolutamente previsível, no momento em que pararam de pagar os arrendadores.

Ou tinham(ou tem) uma carta muito boa na manga e usaram uma estratégia suicida que fracassou e levou a um pedido emergencial de recuperação, ou deliberadamente criaram um fato para pedi-la e com isso ganhar folego.

Enfim, acho que os problemas da AVB, vêm de longa data (Basta ver que os sócios não aceitaram incorpora-la na irmã Colombiana) e faz tempo é cogitada um RJ, que começa prejudicada pela atitude da empresa em negar publicamente os fatos.

 

RJ, não é o fim do mundo, pelo contrário. Se a empresa é capaz de gerar caixa (lucro operacional) e o problema for um endividamento elevado por conta de situações excepcionais (tivemos inúmeras no brasil nos últimos anos), que geram prejuízo financeiro, drenando os recursos da empresa, a RJ resolve!

A questão é o timing do pedido. Depois que a vaca foi para o brejo, não resolve nada!

 

Desejo boa sorte a Avianca nestes céus turbulentos!

 

Abraços

Edited by PT-WRT
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ouvi falar que o documento foi protocolado dia 7/12!

Share this post


Link to post
Share on other sites

então os vôos para o exterior acabaram, ja que lá fora os avioes podem ser arrestados, certo?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Depende do lessor. No fim dos tempos a Varig escalou alguns B777 evitando os EUA, pois a justiça de lá poderia arrestar o -VRB, -VRC e -VRD se pousassem em solo americano.

Edited by MarceloF

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tenho 3 voos comprados pela avianca para janeiro e fevereiro

Vou gastar uma grana se for emitir por outras empresas ....

 

Um deles emiti por milhas

Edited by FCRO

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ja esta circulando no whatsapp o despacho da 1° Vara de Falências de SP.

 

Dr Tiago Limongi deferiu o pedido de Recuperação Judicial da OceanAir Linhas Aereas S/A

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ja esta circulando no whatsapp o despacho da 1° Vara de Falências de SP.

 

Dr Tiago Limongi deferiu o pedido de Recuperação Judicial da OceanAir Linhas Aereas S/A

Vixe

Situação se deteriorou de uma maneira bizarra

Muito estranha essa história

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ja esta circulando no whatsapp o despacho da 1° Vara de Falências de SP.

 

Dr Tiago Limongi deferiu o pedido de Recuperação Judicial da OceanAir Linhas Aereas S/A

Alguma fonte oficial?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Alguma fonte oficial?

O próprio Tribunal de Justiça, ué!

Share this post


Link to post
Share on other sites

CARTA ABERTA

S.O.S AVIANCA PEDE SOCORRO.

 

Nós funcionários da base de Guarulhos decidimos nos reunir e emitir esta carta aberta a todos os interessados em repúdio aos últimos acontecimentos que vem ocorrendo algum tempo e não se toma nenhum tipo de ação, nós funcionários nos sentimos cada dia mais desrespeitados e sem nenhum tipo de apoio da avianca brasil, todos os dias sofremos ameaças e tentativa de agressão por parte de alguns passageiros e não temos nenhum apoio por parte da empresa, sabemos que a falta de educação e de boas maneiras é algo presente na cultura do brasileiro, porém tudo isso é gerado por falta de organização da empresa avianca brasil, aonde se tem um números reduzidos de funcionários para atendimento das pessoas, gerando filas e desconforto em todos, a prática de sobrevendas OVERBOOKING nos voos avianca, a quantidade de POLTRONAS INOPERANTES em cada voo, o que chega a ser um ABSURDO, e pelo visto nenhum setor ou alguém responsável toma algum tipo de providência, pois isso já ocorre há anos e até hoje não se viu melhorias ou se quer algum tipo de esforço ou movimento para resolver isso, desorganização por parte do financeiro em não pagar em dia seus fornecedores, fazendo que ficamos sem hotéis e transportes para acomodação dos passageiros, as bases de fora que acomodam passageiros ou até mesmo nos enviam passageiros com conexões perdidas nos voos saindo de Guarulhos sem nenhum tipo de controle e respeito com os funcionários da base Guarulhos, o que simplesmente gera uma sobrecarga ainda maior em nosso dia a dia, já não aguentamos mais tanta falta de respeito e desorganização com nós funcionários, daí nos perguntamos? Quem será que estão olhando por nós? Será que o alto escalão da avianca brasil sabe o que realmente acontece no aeroporto de Guarulhos? que nós somos seres humanos? Que nós temos famílias? Que nós somos pais, mães e filhos? Que saímos de casa todos os dias para trabalhar porque precisamos do emprego e temos a esperança de voltar no final do dia para nosso lar de forma íntegra, e que de alguns anos para cá isto não está sendo possível, devido toda essa bandalheira que está se passando, nos recordamos do final do ano passado, em que tivemos diversos problemas com os passageiros devido falta de lugares nos voos, (exemplo o voo para Fortaleza entre outros que praticamente trabalhamos com -100 passageiros para fora quase todos os dias do fim do ano) , falta de hotéis para acomodação, falta de mão de obra entre outros problemas já citados nesta carta, quantos sonhos mais iremos destruir neste final de ano que se aproxima? Quantas pessoas se programaram para poder viajar neste final de ano para confraternizar com seus familiares e simplesmente nós teremos que informa-los que eles não viajarão por falta de organização e desrespeito da avianca brasil, nós funcionários que temos que dar esta triste notícia e nos expor cada vez mais , cada dia vemos funcionários de check in, loja, despacho e supervisão cada vez mais pilhados, alguns afastados por problemas psicológicos, depressão, insônia, estresse, fadiga física e mental, até quando isso vai acontecer? Vão esperar alguém ser agredido fisicamente novamente? Alguém terá que morrer para que se tome alguma providência? Porque agredidos psicologicamente somos todos os dias e nada é feito, a empresa continua visando apenas o lucro e esquece da parte em que somos seres humanos, o lucro é necessário? Claro que é, pois isso que sustenta uma empresa, porém será que essa é a forma correta de se lucrar? Quantos processos, indenizações, encargos sociais não estão sendo pagos para os passageiros e funcionários que entram com ações contra a empresa? Não conseguimos imaginar que não exista alguém ou algum setor que não enxerga este fatos? Se enxerga aonde estão as providências que nunca são tomadas, no mês de novembro e semana retrasada já foi uma mostra do que será este final de ano, voos com mais de 40 clientes em média para fora em quase todos os voos e sem ter aonde acomoda-los, e aí até quando vamos passar por isso? Não precisamos ser formados em economia ou administração de empresa para saber que isso pode levar uma empresa ao fundo do poço, se estamos emitindo esta carta é porque gostamos da empresa, temos preocupação com a sua saúde financeira, mas acima de tudo com a nossa saúde pessoal, pois o funcionário sadio garante a saúde financeira da empresa, não queremos ser punidos ou perseguidos por termos emitido está carta, isso é apenas um grito de socorro e uma forma de zelar por aquilo que gostamos que é a AVIANCA BRASIL.

 

NÃO QUEREMOS FESTA DE FIM DE ANO, QUEREMOS E EXIGIMOS RESPEITO POR PARTE DA AVIANCA BRASIL, RESPEITO, ATENÇÃO, RECONHECIMENTO, ESTRUTURA E APOIO, ISSO DIGNIFICA O HOMEM QUE PASSA A RESPEITAR E VALORIZAR A EMPRESA QUE ELE TRABALHA E TIRA O SEU SUSTENTO.

 

*DIGA NÃO A FESTA DE FIM DE ANO, DIGA SIM AO RESPEITO.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

O presidente da Avianca vem há algum tempo falando no LinkedIn da necessidade da aprovação do projeto para a liberação da participação de empresas estrangeiras no Brasil. Aumentando de 20% para 100% a participação de estrangeiras em aéreas brasileiras.

Seria já um desesperado movimento para se salvar?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tempo perdido... se textão salvasse empresa aérea a Varig com seus milhares de admiradores estaria voando por ai...

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

CARTA ABERTA

S.O.S AVIANCA PEDE SOCORRO.

 

Nós funcionários da base de Guarulhos decidimos nos reunir e emitir esta carta aberta a todos os interessados em repúdio aos últimos acontecimentos que vem ocorrendo algum tempo e não se toma nenhum tipo de ação, nós funcionários nos sentimos cada dia mais desrespeitados e sem nenhum tipo de apoio da avianca brasil, todos os dias sofremos ameaças e tentativa de agressão por parte de alguns passageiros e não temos nenhum apoio por parte da empresa, sabemos que a falta de educação e de boas maneiras é algo presente na cultura do brasileiro, porém tudo isso é gerado por falta de organização da empresa avianca brasil, aonde se tem um números reduzidos de funcionários para atendimento das pessoas, gerando filas e desconforto em todos, a prática de sobrevendas OVERBOOKING nos voos avianca, a quantidade de POLTRONAS INOPERANTES em cada voo, o que chega a ser um ABSURDO, e pelo visto nenhum setor ou alguém responsável toma algum tipo de providência, pois isso já ocorre há anos e até hoje não se viu melhorias ou se quer algum tipo de esforço ou movimento para resolver isso, desorganização por parte do financeiro em não pagar em dia seus fornecedores, fazendo que ficamos sem hotéis e transportes para acomodação dos passageiros, as bases de fora que acomodam passageiros ou até mesmo nos enviam passageiros com conexões perdidas nos voos saindo de Guarulhos sem nenhum tipo de controle e respeito com os funcionários da base Guarulhos, o que simplesmente gera uma sobrecarga ainda maior em nosso dia a dia, já não aguentamos mais tanta falta de respeito e desorganização com nós funcionários, daí nos perguntamos? Quem será que estão olhando por nós? Será que o alto escalão da avianca brasil sabe o que realmente acontece no aeroporto de Guarulhos? que nós somos seres humanos? Que nós temos famílias? Que nós somos pais, mães e filhos? Que saímos de casa todos os dias para trabalhar porque precisamos do emprego e temos a esperança de voltar no final do dia para nosso lar de forma íntegra, e que de alguns anos para cá isto não está sendo possível, devido toda essa bandalheira que está se passando, nos recordamos do final do ano passado, em que tivemos diversos problemas com os passageiros devido falta de lugares nos voos, (exemplo o voo para Fortaleza entre outros que praticamente trabalhamos com -100 passageiros para fora quase todos os dias do fim do ano) , falta de hotéis para acomodação, falta de mão de obra entre outros problemas já citados nesta carta, quantos sonhos mais iremos destruir neste final de ano que se aproxima? Quantas pessoas se programaram para poder viajar neste final de ano para confraternizar com seus familiares e simplesmente nós teremos que informa-los que eles não viajarão por falta de organização e desrespeito da avianca brasil, nós funcionários que temos que dar esta triste notícia e nos expor cada vez mais , cada dia vemos funcionários de check in, loja, despacho e supervisão cada vez mais pilhados, alguns afastados por problemas psicológicos, depressão, insônia, estresse, fadiga física e mental, até quando isso vai acontecer? Vão esperar alguém ser agredido fisicamente novamente? Alguém terá que morrer para que se tome alguma providência? Porque agredidos psicologicamente somos todos os dias e nada é feito, a empresa continua visando apenas o lucro e esquece da parte em que somos seres humanos, o lucro é necessário? Claro que é, pois isso que sustenta uma empresa, porém será que essa é a forma correta de se lucrar? Quantos processos, indenizações, encargos sociais não estão sendo pagos para os passageiros e funcionários que entram com ações contra a empresa? Não conseguimos imaginar que não exista alguém ou algum setor que não enxerga este fatos? Se enxerga aonde estão as providências que nunca são tomadas, no mês de novembro e semana retrasada já foi uma mostra do que será este final de ano, voos com mais de 40 clientes em média para fora em quase todos os voos e sem ter aonde acomoda-los, e aí até quando vamos passar por isso? Não precisamos ser formados em economia ou administração de empresa para saber que isso pode levar uma empresa ao fundo do poço, se estamos emitindo esta carta é porque gostamos da empresa, temos preocupação com a sua saúde financeira, mas acima de tudo com a nossa saúde pessoal, pois o funcionário sadio garante a saúde financeira da empresa, não queremos ser punidos ou perseguidos por termos emitido está carta, isso é apenas um grito de socorro e uma forma de zelar por aquilo que gostamos que é a AVIANCA BRASIL.

 

NÃO QUEREMOS FESTA DE FIM DE ANO, QUEREMOS E EXIGIMOS RESPEITO POR PARTE DA AVIANCA BRASIL, RESPEITO, ATENÇÃO, RECONHECIMENTO, ESTRUTURA E APOIO, ISSO DIGNIFICA O HOMEM QUE PASSA A RESPEITAR E VALORIZAR A EMPRESA QUE ELE TRABALHA E TIRA O SEU SUSTENTO.

 

*DIGA NÃO A FESTA DE FIM DE ANO, DIGA SIM AO RESPEITO.

É sério que isto é necessário? Empresa quase quebrando e pessoal de aeroportos fazendo carta aberta metendo o pau na empresa. Calma ai, eu sei que há necessidades de melhorias e devem ser externadas PARA QUEM POSSA RESOLVER. Roupa suja se lava em casa. Este tipo de postura só ajuda a empurrar a empresa para o buraco.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se for para conviver numa eterna recuperação judicial (não difícil vide Passaredo, entre outras), melhor que feche e permita que outras cias áereas absorvam o mercado e funcionários da Avianca. Exemplo como Varig, Transbrasil, Vasp, .....

Share this post


Link to post
Share on other sites

Em nota, a Avianca Holdings, que detém o nome da companhia aérea, afirmou que a decisão não diz respeito às contas da subsidiária internacional. Confira a nota na íntegra:

Em relação às notícias sobre a solicitação de admissão à recuperação judicial solicitada pela Oceanair Linhas Aéreas S.A. (Oceanair), comercialmente conhecida como Avianca Brasil, a Avianca Holdings aclara:

1. A Oceanair não faz parte do grupo de companhias da Avianca Holdings S.A.

2. A Oceanair é uma companhia independente da Avianca Holdings S.A. e portanto não consolida estados financeiros com a Avianca Holdings, nem com nenhuma das subsidiárias da AVH.

3. A Oceanair utiliza o nome de Avianca Brasil comercialmente, em virtude de um Contrato de Licença de Uso de Nome assinado com Aerovías del Continente Americano S.A.

4. Como é seu dever e fiel à sua responsabilidade, a Avianca Holdings S.A. e suas companhias subsidiárias velarão pela proteção de seus direitos contratuais e de sua marca.

 

 

 

Eu entendo que a avianca holding lavou as mãos....texto retirado do jornal zero hora.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.
Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade