Jump to content
Sign in to follow this  
A345_Leadership

Avianca Brasil entra com pedido de recuperação judicial [PARTE 1]

Recommended Posts

Numero difícil de se falar, por enquanto tudo afa, tinha outra a dias atrás falando que dia 15/01 teria demissão de 70 cops e 23 cmtes, acabou que não aconteceu nada.

 

A empresa nem sabe ainda quantos aviões vão ficar e pelo numero da AFA não bate muito bem, falam em 140 pilotos e somente 150 cms?, na lista divulgada de antiguidade consta 1344 cms atualmente, então é um numero difícil de chutar, se a empresa manter 38 aviões como ela informa para o mercados e eventos, diria uns 1000 cms devam permanecer no quadro pelo menos, visto que ainda tem gente de INSS.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pergunta de leigo. E como fica a manutenção das aeronaves nesta situação? Será que não esta havendo pressão para cortar custos, alem das demissões? Na finada VASP houve pelo menos 1 incidente complicado devido a falta de manutenção, um pouco antes dela quebrar. E, a pergunta que não quer calar, quem entende do assunto, compraria passagem interna da Avianca para sua mãe, ou para seus filhos?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Só se fosse para amanhã, não compraria para daqui a meses. Vou falar uma coisa a respeito de

Manutenção, segurança, la na frente tem um cara que em geral tem família e cabeça no lugar, ele não vai botar o dele na reta se sentir que o avião não pode voar. O problema da avianca não é Safety. E capacidade

Manter voos pelos próximos meses, está e a dúvida.

Edited by HudA3
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pergunta de leigo. E como fica a manutenção das aeronaves nesta situação? Será que não esta havendo pressão para cortar custos, alem das demissões? Na finada VASP houve pelo menos 1 incidente complicado devido a falta de manutenção, um pouco antes dela quebrar. E, a pergunta que não quer calar, quem entende do assunto, compraria passagem interna da Avianca para sua mãe, ou para seus filhos?

Pelo nível de maturidade em termos de Safety que chegou nossa aviação, com processos bem estabelecidos e cadeias de decisão que passam por diversos níveis de compliance, é difícil imaginar hoje em dia em qualquer uma das quatro grandes empresas uma aeronave sendo despachada para voo com algum item MEL (minimum equipment list) fora de suas condições normais. Isso mesmo em uma empresa em Recuperação Judicial. Numa situação de item MEL faltante, não se decola com passageiros de maneira alguma, não importa o tamanho do prejuízo decorrente do eventual atraso ou cancelamento de voos.

 

O que pode ocorrer em termos de deficiência de manutenção (e na Avianca vem ocorrendo) são alguns descasos em relação a itens que não são MEL, como assentos inoperantes, IFE com problema etc. A questão é que são justamente essas pequenas coisas que ficam visíveis aos passageiros. E daí para ele imaginar que há também problema com a manutenção dos motores é um pulo, criando um certo dano à reputação.

 

Mas fique tranquilo, safety sempre em primeiro lugar!

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Viajo muito e nem estou olhando o site da avianca mais

Muito difícil precisar se vão continuar operando sendo que acabaram de entrar em rj e nem plano de recuperação tem direito

Eu prefiro não arriscar

Tenho mais 3 passagens pela avianca em fevereiro que comprei ano passado antes da rj e por enquanto fico com elas apenas

Somos 2, ja pedi para os clientes. nao olharem para Avianca. infelizmente.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meus prezados
Avianca teve prejuízo de R$ 188 milhões no terceiro trimestre de 2018

Empresa havia obtido lucro de R$ 105 milhões no mesmo período de 2017, mostram os números enviados à Anac

Em recuperação judicial desde dezembro passado, a Avianca teve um prejuízo de R$ 188 milhões no terceiro trimestre de 2018, segundo informações da empresa repassadas à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). No mesmo período de 2017, a companhia havia obtido lucro de R$ 105 milhões. De acordo com as informações que constam nas demonstrações contábeis da empresa, o prejuízo foi causado por perdas em operações internacionais e alta do câmbio, impactando no preço do querosene e outras despesas atreladas ao dólar. Quarta maior companhia aérea do país, a Avianca entrou com pedido de recuperação judicial após crescentes prejuízos e atrasos em pagamentos de arrendamento de aeronaves.
A Avianca explicou na demonstração contábil que apurou resultado positivo nas operações domésticas e prejuízo nas operações internacionais decorrentes das novas rotas que se iniciaram no final de 2017, como Miami, Santiago e Nova York, além das novas rotas à Bogotá partindo de Salvador e Recife. Na semana passada, a companhia informou que vai suspender os voos para Miami, Nova York e Santiago a partir do próximo mês de março, menos de dois anos após ter iniciado esses voos.
Segundo a companhia, os novos voos internacionais impactaram a empresa principalmente pelos custos pré-operacionais e baixo load factor, que significa baixa utilização de assentos da aeronave. Já as operações domésticas da companhia se mantiveram em linha com o planejamento financeiro, informou a companhia ao final do terceiro trimestre.
"A companhia vem cumprindo a expectativa de aumento nas receitas, entretanto, ainda não foi suficiente para produzir resultados positivos em decorrência de mudanças relevantes no mercado, resultantes de aumento de custo no preço do combustível e, principalmente, variação cambial, que além de influenciar no preço do barril de petróleo, traz grandes impactos nas despesas com os arrendamentos operacionais das aeronaves".
"No quarto trimestre, os números podem ter melhorado um pouco, já que o dólar recuou depois das eleições presidenciais. Mas no geral, a situação financeira da empresa não mudou e a Avianca acabou entrando em recuperação judicial", disse um analista do setor de aviação, que prefere não se identificar.
De acordo com a Anac, o preço do combustível ficou 55% maior que no mesmo período do ano anterior. O câmbio também subiu 25% no período, na comparação com o início do ano, com forte influência nos custos de combustível, arrendamento, manutenção e seguro de aeronaves, que, em conjunto, representam cerca de 50% das despesas dos serviços aéreos, segundo informações da Anac.
Em 30 de setembro do ano passado, a Avianca possuía 59 aeronaves arrendadas. Em 30 de setembro de 2018, os custos dos contratos de arrendamento das aeronaves e motores totalizaram R$ 700,9 milhões frente aos R$ 477,637 milhões em setembro de 2017. Atualmente, a empresa opera com 50 aeronaves, já que devolveu nove desde então.
Na semana passada, as empresas que arrendam aviões para a Avianca resolveram dar mais um fôlego para a companhia aérea e solicitaram a suspensão dos pedidos de cancelamento do registro de mais dez aeronaves que estão sendo alugadas pela Avianca Brasil. O cancelamento do registro das aeronaves havia sido pedido à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) na terça-feira, dia 15 de janeiro, pela arrendatária de aeronaves GE Capital Aviation Service, que reclama a falta pagamento dos aluguéis das aeronaves desde que a companhia aérea entrou em recuperação judicial, em 6 de dezembro.
Em reunião com advogados da companhia aérea no dia 14 de janeiro, representantes das arrendatárias de 35 das 50 aeronaves da frota da Avianca se comprometeram a dar 15 dias para a companhia aérea encontrar um plano para pagar os aluguéis atrasados. A reunião está prevista para 1º de fevereiro.
Fonte: Gazetaonline via CECOMSAER 22 jan 2019

Share this post


Link to post
Share on other sites

Operação internacional é como sereia, atrai mas quando percebe a cilada já é tarde... e não é só no Brasil que há este fetiche.

 

Rolim já dizia "é melhor uma rede internacional pequena própria do que uma extensa nas mãos dos bancos".

Share this post


Link to post
Share on other sites

Saíram os dados da ABEAR de dez18.

 

 

O6 Doméstico ASK -1,14% RPK -0,83% LF 87,40% +0.27pp PAX 946.958 -5,16%

12M18 +8,95% +7,94% 84,44% -0.79PP 11.604.479 +8,99%

 

Inter +72,93% +78,48% 78,61% +2.4pp 69.316 +63,54%

12M18 +229,27% +230,69% 76,87% +0.33pp 655.994 +201,93%

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sendo simplista, a recuperação judicial me lembra recuperação escolar: o cara tira 3 na matéria o período todo, aí vai pra a recuperação 'aprender' em quinze dias o que não aprendeu num semestre? A companhia chegou à RJ porque os credores não recebiam há tempos. Em quinze dias tem que se comprometer a pagar daqui por diante os aluguéis em dia e ainda apresentar um planejamento para a quitação dos pagamentos atrasados, que quando a pleno vapor não conseguiu honrar? se muito, vai pagar a primeira parcela, sair do SPC, mas não vai honrar nos meses seguintes o acordo por motivos óbvios: se não conseguiu antes, como conseguirá agora se tudo ficou tão mais difícil? E parece que a lista de credores não se limita a aviões e motores. Tem hotéis, taxas aeroportuárias, fornecedores. Coloquem-se no lugar do investidor. A AVB é atrativa para se colocar dinheiro e salva-la quando a matriz deu de ombros?

Edited by Leto

Share this post


Link to post
Share on other sites

A AVB é atrativa para se colocar dinheiro e salva-la quando a matriz deu de ombros?

 

A ONE não é filial de ninguém para ter alguma matriz dar de ombros.

 

Sua visão simplista está igual previsão do fim do mundo. Fica só adiando porém não acerta nunca.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Numero difícil de se falar, por enquanto tudo afa, tinha outra a dias atrás falando que dia 15/01 teria demissão de 70 cops e 23 cmtes, acabou que não aconteceu nada.

 

A empresa nem sabe ainda quantos aviões vão ficar e pelo numero da AFA não bate muito bem, falam em 140 pilotos e somente 150 cms?, na lista divulgada de antiguidade consta 1344 cms atualmente, então é um numero difícil de chutar, se a empresa manter 38 aviões como ela informa para o mercados e eventos, diria uns 1000 cms devam permanecer no quadro pelo menos, visto que ainda tem gente de INSS.

 

A velha conta de padaria 4 CMT + 4 COP + 16 CMS por avião, é a conta de padaria para saber o total de tripulantes necessários para uma cia aérea, repetindo conta de padaria!

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Engraçado que depois do tópico da Avianca citando os custos de leasing mais altos pipocaram reportagens a respeito. A da Gazeta reitera inclusive o resultado que já foi anunciado ha tempos....

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

A velha conta de padaria 4 CMT + 4 COP + 16 CMS por avião, é a conta de padaria para saber o total de tripulantes necessários para uma cia aérea, repetindo conta de padaria!

6 CMT

6 COP

24 CMS

 

Éssa é a conta!

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

A velha conta de padaria 4 CMT + 4 COP + 16 CMS por avião, é a conta de padaria para saber o total de tripulantes necessários para uma cia aérea, repetindo conta de padaria!

Isso vale para uma utilização de até 8 horas por dia, o que está longe da média de 11 horas da aviação contemporânea.

Share this post


Link to post
Share on other sites

É triste demais isso. Alguns colegas saíram da empresa que trabalho em busca de condições financeiras melhores. Fizeram o que acharam certo, ninguém poderia prever o buraco que a empresa estava entrando. Mandei mensagem pra um hoje que é rabo de fila, o colega nem está dormindo direito preocupado. A sorte dele é que e solteiro, sem filhos e não tem problema em expatriar, mas tem muita gente que tem dificuldade. Vamos torcer pra que se recuperem o mais rápido possível, um player a menos seria terrível pro mercado

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Isso vale para uma utilização de até 8 horas por dia, o que está longe da média de 11 horas da aviação contemporânea.

 

A média de horas dele é baixa... 11 horas são empresas smarts como GOL, Azul... a ociosidade da Avianca é um absurdo, agora perdendo monte de avião deve ter esticado a cordinha, mas certa feita montei trilhos e estavam aviões produzindo 6h diárias.

 

Um tripulante (o verdadeiro, que voa) na conta de padaria rende 70h mes, a título de estimativa de produtividade para saber o headcount.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vários demitidos ontem no time de atendimento de solo e manutenção em várias bases.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

A média de horas dele é baixa... 11 horas são empresas smarts como GOL, Azul... a ociosidade da Avianca é um absurdo, agora perdendo monte de avião deve ter esticado a cordinha, mas certa feita montei trilhos e estavam aviões produzindo 6h diárias.

 

Um tripulante (o verdadeiro, que voa) na conta de padaria rende 70h mes, a título de estimativa de produtividade para saber o headcount.

Até onde eu sei a Avianca estava voando 11 horas por dia, excluindo os A318 não-operacionais (que já não pagavam leasing). Mas é claro, quem inclui esses aviões chega numa conclusão diferente e errada.

Share this post


Link to post
Share on other sites

É triste demais isso. Alguns colegas saíram da empresa que trabalho em busca de condições financeiras melhores. Fizeram o que acharam certo, ninguém poderia prever o buraco que a empresa estava entrando. Mandei mensagem pra um hoje que é rabo de fila, o colega nem está dormindo direito preocupado. A sorte dele é que e solteiro, sem filhos e não tem problema em expatriar, mas tem muita gente que tem dificuldade. Vamos torcer pra que se recuperem o mais rápido possível, um player a menos seria terrível pro mercado

Nem fale brother

Tmj azul

E com colegas que saíram daqui pra lá

Edited by Pilotblue

Share this post


Link to post
Share on other sites

Muitos tripulantes da ONE protestando conta a AZUL no Facebook

Tem que protestar com aquele que paga o salário deles, que falou que estava tudo bem, mas estava com pedido de RJ já encaminhado. Que não está sendo transparente na RJ, fora os problemas de chefia que os diversos colegas do Fórum relatam.

 

Não sei que a Azul está fazendo para reclamarem, mas que começou a crise foi quem assina as carteiras deles.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois é, se o problema são as aeronaves A320Neo, entendo ser fácil para a Avianca: basta pagar o leasing e seguir com elas..

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.
Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade