Jump to content
Sign in to follow this  
A345_Leadership

Avianca Brasil entra com pedido de recuperação judicial [PARTE 1]

Recommended Posts

Sai mais barato deixar esses A330 parados, que botar pra voar numa rota tipo MAO-GRU 1x por dia?

Vamos lá, parado ou voando vc paga o leasing. Voando, sem demanda pra tanto, sobreofertando a rota, virá tripulação, combustível, manutenção, e se não ser resultado positivo só vai aumentar o rombo, que já vinha de outrora. Qual decisão vc prefere?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vamos lá, parado ou voando vc paga o leasing. Voando, sem demanda pra tanto, sobreofertando a rota, virá tripulação, combustível, manutenção, e se não ser resultado positivo só vai aumentar o rombo, que já vinha de outrora. Qual decisão vc prefere?

Pensei no caso de tirar 2 avioes menores desta mesma rota, e meter o a330.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pensei no caso de tirar 2 avioes menores desta mesma rota, e meter o a330.

Aí vc vai criar a mesma situação da discussão da rota da Azul no POA-Bagé,

Mais provável a sua demanda de 2 A32 ir pra outros concorrentes que todo seu público ir pro A33 porque vc estaria cortando as opções de horários do público.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Quais as chances dos credores com garantia real concordarem com isso?

O que a AVB propõe basicamente é o seguinte:

O Elliot empresta 75 milhoes de Usd para a AVB.

A AVB cria a Life AIr com os slots e emite debentures no valor de 75 usd + o que for convertido dos credores, tendo como garantia as ações da propria Life Air.

Vendida a LIfe Air, paga-se os 75 milhoes de USD para o Elliot, do que sobrar, se sobrar, 75% vai para o pagamento dos credores que aceitaram a conversão do seu crédito em debentures.

25% paga o resto,.

A AVB fica sem dívidas depois disso.

 

Não sei se é imaginação ou viagem na maionese, mas é uma forma interessante dos Efromovich livrar de dívidas.

 

Eles jogam a parte boa da empresa na UPI e as dívidas em outra, ou seja, ficariam com eles. O aporte da Elliott é para girar a UPI por um tempo, Efromovich se associa ou monta um fundo, dá um lance na UPI e fica com uma empresa zerada e a outra com falência decretada. Impossível eles não conseguirem arranjar USD 75 milhões para comprar a UPI.

 

Se isto ocorrer elevará o patamar de falcatrua corporativa na aviação brasileira para outro nível. WC e ACC serão moleques perto disso.

 

Só nao consigo entender aonde queriam chegar e o que deu errado no plano... alguem deu pra trás em algum momento... a empresa estava super agressiva no crescimento e de uma hora para outra simplesmente acabou o $$$?!?

A expansão internacional quebrou a fina linha que mantinha a empresa em pé. E nos bastidores todos sabiam que a ONE era gerida a toque de caixa e sua contabilidade uma caixa-preta.

 

Com a redução do imposto sobre o querosene, pode ser que a Avianca mude talvez a estratégia. Vamos torcer.

Não vai, porque terá contrapartidas como mais voos e abrir bases no interior paulista.

 

Ao meu ver estavam capengando, aí viram nos voos internacionais a chance de se recuperar. Mas para alimentar os voos internacionais resolveram crescer no doméstico e no fim o dinheiro acabou antes de conseguirem consolidar as rotas e a receita em USD.

Foi a inter que jogou a empresa no buraco, dados enviados para ANAC em 2017 a empresa obteve lucro no último trimestre do ano.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Falta malha na Avianca, a malha da companhia é uma bagunça em diversos pontos.

 

Faz pouco tempo que estava vendo um voo Brasília - Santiago, incrivelmente, entre as milhares de opções, a Avianca era a companhia com o pior tempo de conexão, beirando 13/14 horas parado em Guarulhos. Detalhe, o voo GRU-Santigo tem pouco mais de 3 horas.

 

Se a GOL monta um banco de conexões em BSB e FOR pra fazer inter e ainda demora meses pra conseguir "encher" um avião, então imagine nesse caso da Avianca, onde a conexão de um Hub da companhia com outro Hub é péssima.

 

Ela também não era a mais barata na rota, a GOL e a Latam estavam com uma oferta melhor, inclusive pra voar de wide.

 

Se não tiver uma organização interna de TODOS, nada que possa ser feito agora ajuda. Pelo que vejo a companhia só tá cancelando seus voos por falta de aeronaves na frota, não para reorganizar os mesmos.

 

Detalhe, voei 4 vezes de Avianca no último ano, e várias vezes em outras companhias, só encontrei 1 voo com ocupação significativa.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os atuais A330 da Avianca não são os mesmos que ficaram parados em 2014. Eles seguraram por um tempo e depois foram repassados a outras empresas. Aí em 2017, pegaram outros A330.

Todos estranharam a Avianca renovando a frota em 2015/2016, enquanto Azul, Gol, Latam estavam devolvendo aviões.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vamos lá, parado ou voando vc paga o leasing. Voando, sem demanda pra tanto, sobreofertando a rota, virá tripulação, combustível, manutenção, e se não ser resultado positivo só vai aumentar o rombo, que já vinha de outrora. Qual decisão vc prefere?

 

Deixar parado custa menos do que operar com prejuizo, com certeza.

 

US$ 650 mil a 800 mil mes de leasing - representariam um buraco de R$ 65 milhões anuais com 4 A330.

Opera-los nos JFK e MIA, com trip, combustivel, tarifas aeroportuarias, seguro em MIA e JFK, etc etc...custou muito mais que isso.....

 

Operar em rota doméstica de alta demanda reduziria esse problema - voce ja tem a demanda. Precisaria incentivar a demanda premium, mas isso aqui é tabu no forum.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os atuais A330 da Avianca não são os mesmos que ficaram parados em 2014. Eles seguraram por um tempo e depois foram repassados a outras empresas. Aí em 2017, pegaram outros A330.

Todos estranharam a Avianca renovando a frota em 2015/2016, enquanto Azul, Gol, Latam estavam devolvendo aviões.

Bem observado,foi a única que expandiu agressivamente num momento em que todas reduziram 20-30 aeronaves da suas respectivas frotas

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vamos ver como vai ser o pagamento do salário esse mês, para termos uma noção melhor do que estão aprontando

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os fundos de investimento Manchester Securities, Elliott Associates e Elliott International devem ficar com 49% da "nova empresa" que a Avianca Brasil propõe criar em seu plano de recuperação judicial, segundo apurou o Valor.

 

 

 

https://mobile.valor.com.br/empresas/6105935/fundos-terao-49-da-nova-avianca

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os fundos de investimento Manchester Securities, Elliott Associates e Elliott International devem ficar com 49% da "nova empresa" que a Avianca Brasil propõe criar em seu plano de recuperação judicial, segundo apurou o Valor.

 

 

 

https://mobile.valor.com.br/empresas/6105935/fundos-terao-49-da-nova-avianca

 

Teria o texto completo?

 

Abs

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os fundos de investimento Manchester Securities, Elliott Associates e Elliott International devem ficar com 49% da "nova empresa" que a Avianca Brasil propõe criar em seu plano de recuperação judicial, segundo apurou o Valor.

 

 

 

https://mobile.valor.com.br/empresas/6105935/fundos-terao-49-da-nova-avianca

 

Interessante, isso pode dar animo aos proprietários das aeronaves.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vamos ver como vai ser o pagamento do salário esse mês, para termos uma noção melhor do que estão aprontando

 

Depositado agora as 16:54

 

Ao menos todos os aeronautas receberam.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Depositado agora as 16:54

 

Ao menos todos os aeronautas receberam.

Aeroviários também.

 

Acredito que todos os outros setores na mesma situação.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom sinal.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aeroviários também.

 

Acredito que todos os outros setores na mesma situação.

 

Excelente notícia!!!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Elliott Management irá capitalizar US$75 milhões na Avianca Brasil

O fundo de investimento Elliot Management entrou em acordo com a Avianca Brasil para um financiamento de $75 milhões de dólares de acordo com documentos obtidos pela Reuters nesta quarta.

AVIANCA-BRASIL-AIRBUS-A320-5AVB.jpg

O termo assinado pela Manchester Securities Corp, Elliott Associates e Elliott International foi submetido para análise da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais na segunda.

A Avianca Brasil entrou com pedido de Recuperação Judicial no final do ano passado e desde então tem travado batalha com lessores para garantir as aeronaves na sua frota. Até o momento apenas a AirCastle não teria fechado acordo com a empresa.

A capitalização será direcionada numa nova companhia chamada Life Air, que seria criada como parte do plano de reestruturação. Além disso, parte da capitalização estará disponível para os credores e as empresas de leasing, declarou a Avianca no documento submetido à corte.

O investimento deixaria 49% das ações da Life Air com a Elliot segundo reportes do jornal Valor Econômico. Alguns jornais reportaram que a empresa Life Air seria utilizada para vender slots no Aeroporto de Congonhas, porém essa prática é proibida pela ANAC, que distribui slots de maneira proporcional com a participação da empresa no mercado.

Com informações da Reuters

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não é um valor muito baixo perto do total do montante de dívidas?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não é um valor muito baixo perto do total do montante de dívidas?

Tb imaginei , não paga nem os atrasados muito menos deixa a cia capitalizada

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois é, isso e troco de banana nesta indústria.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não pode dizer que USD 75 milhões são suficientes ou não. É um caixa-ponte dar tempo que a empresa gere caixa e resultados.

 

Este valor foi próximo do resgate da Avianca Colômbia em 2003, com dívida maior que a ONE.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não é um valor muito baixo perto do total do montante de dívidas?

50% do valor da dívida.

Com uma boa gestão, dá pra tocar a empresa e ir tentando colocar a casa em ordem. Assim penso, até pq Gol já teve débito bem maior e com boa gestão vem driblando a crise e se saindo bem. Repito com boa gestão!

Edited by SOUSA CPV

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não pode dizer que USD 75 milhões são suficientes ou não. É um caixa-ponte dar tempo que a empresa gere caixa e resultados.

 

Este valor foi próximo do resgate da Avianca Colômbia em 2003, com dívida maior que a ONE.

Bem lembrado

Share this post


Link to post
Share on other sites

Parece até piada isso, o Procon não sabe qual a situação da Avianca??? Ela tá cancelando e reembolsando integral, ou serviço a melhor dar um calote como a Varig e a TransBrasil deram

 

 

PANROTAS

EMPRESAS

Procon notifica Avianca por cancelamentos de MIA, JFK e SCL

06/02/2019 15:57:00 | Da Redação

 

 

 

 

A Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e Cidadania, notificou a Avianca Brasil para prestar esclarecimentos sobre os cancelamentos dos voos que partem de Guarulhos com destino a Santiago, no Chile, Miami e Nova York, nos Estados Unidos.

 

A empresa, que está em processo de recuperação judicial, deverá informar ao Procon quantos consumidores foram prejudicados, quais procedimentos estão sendo adotados para que eles sejam ressarcidos ou tenham seus voos remarcados com outras companhias, quais os canais disponibilizados para atendimento desses passageiros, entre outras informações.

 

A resposta apresentada será analisada e não havendo conformidade com o Código de Defesa do Consumidor, a empresa poderá ser multada pelo Procon-SP.

 

Em nota, a Avianca Brasil se defendeu dizendo que está contatando os passageiros dos voos descontinuados em ordem cronológica. Leia abaixo, o comunicado da Avianca Brasil na íntegra:

 

"A Avianca Brasil reforça que os passageiros com bilhetes comprados para Nova York, Miami e Santiago, destinos que serão descontinuados a partir de 31 de março, estão sendo contatados pela empresa em ordem cronológica. Dessa forma, a companhia vai entrar em contato com os clientes que têm passagens marcadas para abril ainda no mês de fevereiro.

 

Os passageiros podem solicitar o reembolso integral do valor pago na tarifa quem escolhe o estorno é ressarcido em até sete dias, respeitando a resolução 400 da ANAC - ou, ainda, optar por serem realocados em voos de outras empresas.

 

Para esclarecer as dúvidas dos consumidores, a empresa também disponibilizou em seu site uma página com perguntas e respostas mais frequentes sobre os voos que serão descontinuados.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.
Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade