Jump to content
Sign in to follow this  
A345_Leadership

Avianca Brasil entra com pedido de recuperação judicial [PARTE 1]

Recommended Posts

O problema não é o leasing, mas a operação da empresa.

Nesse momento de crise atual, internada na UTI, não é negócio ir atrás de introduzir no novo equipamento, custear treinamentos, peças de reposição, além não ter a resposta pro pior. Quem vai abrir crédito pra uma empresa na situação em que a Avianca está??

 

Se aparecer um pra isso pode esperar que vai cobrar mais caro e afundar a empresa mais ainda do que já está.

 

O A220 não é um Airbus com DNA europeu, é um Bombardier. Comunalidade entre equipamentos como ocorre com outros Airbus e Ejets é nula.

Edited by José Castro
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Novo equipamento? Que banco vai fazer um leasing para a O6 hoje?!

Infelizmente, é difícil ver algum futuro para a empresa. A "estratégia" desde o estouro da crise parece ter sido fazer caixa liquidando passagens para o ano inteiro, mas uma hora vão ter que transportar as pessoas - com yield negativo, provavelmente

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nesse momento de crise atual, internada na UTI, não é negócio ir atrás de introduzir no novo equipamento, custear treinamentos, peças de reposição, além não ter a resposta pro pior. Quem vai abrir crédito pra uma empresa na situação em que a Avianca está??

 

Se aparecer um pra isso pode esperar que vai cobrar mais caro e afundar a empresa mais ainda do que já está.

 

O A220 não é um Airbus com DNA europeu, é um Bombardier. Comunalidade entre equipamentos como ocorre com outros Airbus e Ejets é nula.

José, quando citei a operação, não foi relativo em trazer novo modelo, mas como a empresa está sendo gerida. O leasing é uma questão importante a ser resolvida pela ONE? Sim, mas não adianta só focar neste item e esquecer os outros itens importantes, como a precificação do produto, a vontade de concorrer com empresas de maior musculatura, operações internacionais, feudos entre os departamentos, etc

Share this post


Link to post
Share on other sites

Novo equipamento? Que banco vai fazer um leasing para a O6 hoje?!

Infelizmente, é difícil ver algum futuro para a empresa. A "estratégia" desde o estouro da crise parece ter sido fazer caixa liquidando passagens para o ano inteiro, mas uma hora vão ter que transportar as pessoas - com yield negativo, provavelmente

Com o prejuízo que os arrendadores estão amargando no caso da O6, não é só ela que vai experimentar os efeitos nefastos nos futuros contratos.

 

Os princípios protetivos do direito falimentar dificultam muito a reintegração de posse dos equipos arrendados e retarda um pouco a efetivação de acordos. Isso causa insegurança, burocratiza e encarece os arrendamentos para os operadores daqui.

 

Tá certo que não é para arrebentar com a Avianca, pelo contrário temos que proteger o negócio da cia. O fato é que do outro lado os credores (e não é só os arrendadores de aeronaves e motores), também precisam de dinheiro; seja para honrar suas obrigações - seja simplesmente para auferir lucro.

Edited by Rodrigo_A32F

Share this post


Link to post
Share on other sites

José, quando citei a operação, não foi relativo em trazer novo modelo, mas como a empresa está sendo gerida. O leasing é uma questão importante a ser resolvida pela ONE? Sim, mas não adianta só focar neste item e esquecer os outros itens importantes, como a precificação do produto, a vontade de concorrer com empresas de maior musculatura, operações internacionais, feudos entre os departamentos, etc

A345 resumindo tudo que vc falou, e colocou bem, a casa tá toda errada, da cabeça aos pés. Sorte a Avianca.

 

Não torço contra, simpatizo com ela, voei poucas vezes e é a melhor, mas não tô vendo luz no fim do túnel. A situação tá complicada, vai perecer se continuar as cabeças atuais.

Edited by José Castro

Share this post


Link to post
Share on other sites

Hoje o site não está funcionando para vender passagens, tentei comprar ponte aérea e não consigo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

A situação é a seguinte:

-Dívida alta congelada pelo processo de recuperação.

-Negociação diária com lessors e credores para manter panos quentes nas exigências

-Projetos de melhorias e eficiência congelados

-Situação crítica com distribuidores globais (GDS) por falta de pagamento no Brasil e Argentina

-Os irmãos estão virando noites da sede da companhia em contato direto com fundos para conseguir mais empréstimos

-O escritório de advogados tem uma equipe dedicada trabalhando dentro da sede e recebendo diariamente solicitações de book views (quando um possível interessado quer analisar os números e avaliar se vale a pena comprar/investir ou não); semana passada até a Southwest apareceu...isso não significa que ela vai comprar mas que em algum estudo dela a situação da Avianca pode ser uma oportunidade. REPITO: isso não significa NADA, porém grandes empresas com alto caixa sempre ficam de olho em oportunidades e ideias malucas que podem ser atraentes no longo prazo

 

-A manutenção está operando perfeitamente sem nenhum "corte" ou contingência, isso é levado muito a sério pela Avianca e pelas companhias brasileiras

-A ANAC fez uma vistoria recente nos hangares pois estava preocupada com reflexos da crise na segurança e não notificou absolutamente NADA

-O único ponto de atenção são os A318 por conta dos motores raros que eles operam, então qualquer manutenção não programada deles pode impactar a malha. Principalmente agora que a utilização diária deles está mais alta. De qualquer forma isso sempre foi crítico na Avianca mesmo nos "bons tempos"

 

Contraponto:

-Existe uma certa pressão midiática dos credores, isso faz parte do jogo. Mas esses caras não tem muitas opções para repassar os A320ceo mundo afora. A demanda por CEO está muito baixa desde o lançamento do neo e por mais que o jogo jurídico esteja tenso eles no fundo não tem tanta urgência para retomar as aeronaves. É mais interessante pra eles tentar acreditar no que a Avianca tem a oferecer no plano de recuperação do que levar essas aeronaves embora e ir atrás de possíveis arrendadores.

 

Já os NEO é outra história, provavelmente não vai sobrar nenhum na frota.

 

São essas as infos quentes livres de AFA que tenho.

  • Like 10

Share this post


Link to post
Share on other sites

-A manutenção está operando perfeitamente sem nenhum "corte" ou contingência, isso é levado muito a sério pela Avianca e pelas companhias brasileiras

 

Cortes sim na MNT. Só num dia foram demitidos 5 na Base de REC, e um transferido para SSA, porque se não aceitasse a transferência seria demitido também. 10% de CGH também na rua. Base POA também teve mecânico demitido...

Isso não é AFA, tenho muitos amigos na MNT Avianca e os próprios demitidos falaram comigo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os melhores YIELDs eram obtidos nas rotas com MENOS competição e ela RESOLVE entrar nas rotas de MAIOR competição

 

Me vem à mente o fim da base PFB, que tinha o voo exclusivo pra GRU, competindo com dois diários da Azul pra VCP. Tiraram o voo para que a aeronave usada na base fosse redirecionada para Navegantes, um mercado com uma concorrência muito maior.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Cortes sim na MNT. Só num dia foram demitidos 5 na Base de REC, e um transferido para SSA, porque se não aceitasse a transferência seria demitido também. 10% de CGH também na rua. Base POA também teve mecânico demitido...

Isso não é AFA, tenho muitos amigos na MNT Avianca e os próprios demitidos falaram comigo.

 

Desculpa quis dizer "corte" de serviços essenciais para manter a segurança.

Corte de pessoas será inevitável em todas as áreas por conta da frota reduzida.

Na própria sede da Avianca deve começar até o dia 05/03

Share this post


Link to post
Share on other sites

Hoje o site não está funcionando para vender passagens, tentei comprar ponte aérea e não consigo.

Ontem tentei ver valores de vôo para Abril pelo APP e não consegui também. O site Decolar a algum tempo não mostra opções com AVB. Espero seja algo pontual.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Perto de ter uma boa solução para todo esse processo, iniciado em dezembro passado, com a recuperação judicial. Esse é o sentimento de lideranças do trade e da própria Avianca Brasil, segundo informações obtidas pelo Portal PANROTAS, depois de uma reunião que ocorreu, esta manhã, na sede da empresa, em São Paulo, com o presidente do Grupo Sinergy, German Efromovich, o CEO da Avianca Brasil, Jorge Vianna, e o vice-presidente, Alberto Weisser, que receberam Carlos Prado, da Abracorp, Ralph Aasmann, Carlos Vazquez e Cássio Oliveira, da Air Tkt, além de representantes da CVC Corp e Decolar.com.

O conteúdo em relação ao que vem por aí (além do já anunciado, como a reestruturação de malha) ainda é sigiloso, mas os índices de operações e as palavras de Efromovich e Weisser foram bem recebidas pelos participantes da reunião. A empresa está preparada para as operações de carnaval e entra março com boas perspectivas para sair desse processo.

“Foi uma reunião informal com no máximo 15 pessoas, liderada pelo German Efromovich, Alberto Weisser e Leandro Cassio. Eles mostraram como está a situação da companhia, repercutiram algumas notícias recentes e tranquilizaram a gente ao dizer que a Avianca tem jeito. O German revelou que já existem algumas negociações em andamento, com reais possibilidades de soluções”, disse Aasmann, que representou as consolidadoras no encontro. O fato de a reunião ter tido a presença de Efromovich e Vianna, novo líder da aérea, e toda a comunicação diária da vice-presidência de Weisser com o trade foram apontados como fatores positivos que mostram transparência e trabalho em parceria com os distribuidores.

“Eles disseram que precisam do apoio do trade para que as operações sigam normalmente, inclusive com a excelente ocupação que a companhia registra desde o início do ano. No período do carnaval, por exemplo, há rotas com mais de 90% de load fator”, continuou Aasmann.

“Para o trade é muito importante que a Avianca Brasil saia dessa. Já tivemos alguns exemplos de empresas que deixaram de operar. A permanência da Avianca é saudável para o trade, para a concorrência e para o consumidor em geral”, finalizou.

 

https://www.panrotas.com.br/aviacao/empresas/2019/02/german-efromovich-e-weisser-reunem-se-com-liderancas-em-sp_162704.html?fbclid=IwAR00mDghMEo0puyW7sIGq9t6OMv98dH6hLZ8M6YqJPM93nnVIDtBs6hl5Ss

Share this post


Link to post
Share on other sites

SÃO PAULO - O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, aceitou o pedido da Avianca Brasil para suspender uma liminar favorável à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

 

 

 

https://www.valor.com.br/empresas/6139769/stj-concede-decisao-favoravel-avianca-brasil-em-disputa-com-anac

 

Com o devido respeito a posição contrária, cujos argumentos são igualmente bons, o E. Presidente do STJ fez prevalecer a medida mais sensata, de "meio termo" exarada pelo Juiz de primeiro grau.

Apesar deste decisão ter a potencialidade de causar um sobrepreço no valor do leasing, mitiga este efeito colateral, ao condicionar a não retomada ao pagamento das parcelas mensais após o deferimento do pedido de Recuperação e colocando um prazo limite de proteção (assembléia de credores).

 

Abraços.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Apesar deste decisão ter a potencialidade de causar um sobrepreço no valor do leasing, mitiga este efeito colateral, ao condicionar a não retomada ao pagamento das parcelas mensais após o deferimento do pedido de Recuperação e colocando um prazo limite de proteção (assembléia de credores).

 

 

Ao meu ver a jurisdição (com a chancela do STJ) já mandou o seu recado aos Lessors de todo o mundo. Embora devidamente ponderada a decisão, o que se colhe desta é a clara relativização daquilo que antes parecia ser uma "segurança" em caso de inadimplemento substancial: que era a célere de desburocratizada retomada dos equips. em posse do operador.

 

Nesse aspecto, a vaca já foi para o brejo e todos darão a sua falta.

 

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

(...) Perto de ter uma boa solução para todo esse processo, iniciado em dezembro passado, com a recuperação judicial. Esse é o sentimento de lideranças do trade e da própria Avianca Brasil, segundo informações obtidas pelo Portal PANROTAS (...)

(...) Eles mostraram como está a situação da companhia, repercutiram algumas notícias recentes e tranquilizaram a gente ao dizer que a Avianca tem jeito.(...)

 

Tou torcendo muito pela Avianca Brasil - tenho voos marcados com eles ainda... Mas não me surpreende a reportagem, estranho seria se na publicação viesse algo do tipo:

  • "chegamos para a reunião e encontramos os empregados encaixotando tudo, se preparando para o pior..."
  • "estão muito longe de firmar acordo com fornecedores..."
  • "o board mostrou desilusão com o futuro"
  • "diretores sairam chorando da sala de reunião"
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Ao meu ver a jurisdição (com a chancela do STJ) já mandou o seu recado aos Lessors de todo o mundo. Embora devidamente ponderada a decisão, o que se colhe desta é a clara relativização daquilo que antes parecia ser uma "segurança" em caso de inadimplemento substancial: que era a célere de desburocratizada retomada dos equips. em posse do operador.

 

Nesse aspecto, a vaca já foi para o brejo e todos darão a sua falta.

 

 

Como eu disse, este é um argumento muito bom, por isso respeito.

Mas, na minha visão, como falei em outro post, lessor, vive de fazer análise de risco para precificar os seus ganhos. Ele não tem interesse em mistificar o risco de forma que ele torne inviável a sua atividade.

 

Na pratica, qual risco foi implementado para o lessor pela "relativização" judicial?

 

O de um operador em RJ poderá ficar devendo os valores em aberto entre o inicio da inadimplência e o deferimento da RJ!

Trata-se de um risco controlável e perfeitamente administrável através de garantias colaterais (que tem custo obviamente) e de um controle mais rígido de inadimplência (atrasou um mês e um dia, já pede o cancelamento da matrícula..kkk);

.

Agora o que ficou de fato muito arriscado para os lessors é tem muitos aviões em uma empresa só, este sim um risco expotencial.

 

Abraços

Share this post


Link to post
Share on other sites

Trata-se de um risco controlável e perfeitamente administrável através de garantias colaterais (que tem custo obviamente) e de um controle mais rígido de inadimplência (atrasou um mês e um dia, já pede o cancelamento da matrícula..kkk);

 

 

No caso da Avianca, o inadimplemento de vários contratos perdurou por meses. Sabe-se, também, que os credores exauriram todas as formas de compor acordos visando recobrar a normalidade contratual - sendo que alguns desses acordos sequer foram adimplidos.

 

Até que chegasse a tal ponto, de se ter que lançar mãos desses expedientes mais críticos para recobrar a posse das aeronaves, decorreu um tempo razoável.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tá todo mundo fazendo o seu papel

 

A Oceanair querendo se salvar

Os Lessores querendo romper os contratos para realocarem seus equipamentos em clientes com potencial pagador melhor

A Concorrência de olho na potencial fatia do mercado com a saída de um player

Os passageiros preocupados

Os demais, menores, credores querendo receber

E logicamente, os funcionários e dependentes, preocupados com o ganha pão

Tudo perfeitamente normal

 

Hum, esqueci da ANAC, ela está preocupada com o Tratado do Cabo

 

Tudo perfeitamente explicável..,

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ao meu ver Avianca Brasil ainda é um ótimo ativo no mercado brasileiro. Não tem nem que comparar com outras companhias BR do passado. É outra história. No mínimo é uma empresa a ser trocada de mãos, ou talvez, depois de um grande investimento, ser bem mais estruturada. Mas muito bem estruturada. Diferente do pessoal que esta aí.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Ao meu ver a jurisdição (com a chancela do STJ) já mandou o seu recado aos Lessors de todo o mundo. Embora devidamente ponderada a decisão, o que se colhe desta é a clara relativização daquilo que antes parecia ser uma "segurança" em caso de inadimplemento substancial: que era a célere de desburocratizada retomada dos equips. em posse do operador.

 

Nesse aspecto, a vaca já foi para o brejo e todos darão a sua falta.

 

 

Proximos leasings:

 

Equação - Deposito de Garantia substancial para garantir digamos 6 a 12 meses de aluguel.

 

Custo para o pais da brincadeira dos juizes

 

US$ 800,000 x 12 = US$ 9,600,000.00 aplicados a 2,25% ao ano

12 aeronaves na frota.... US$ 100 mm .... R$ 370 mm..... com rendimento negativo de pelo menos 7% no balanço !

 

100 aeronaves.... R$ 3 bilhões em depósitos.... não tem cia aérea que entregue rentabilidade paga pagar nem essa conta !!!!!!!!!!!!

E isso pra competir com American, Delta, British, Copa.... sem tal custo financeiro.

 

Ou seja, pouco a pouco inviabilizando a aviação comercial de capital Brasileiro no longo prazo.

 

Juizes brilhantes!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Proximos leasings:

 

Equação - Deposito de Garantia substancial para garantir digamos 6 a 12 meses de aluguel.

 

Custo para o pais da brincadeira dos juizes

 

US$ 800,000 x 12 = US$ 9,600,000.00 aplicados a 2,25% ao ano

12 aeronaves na frota.... US$ 100 mm .... R$ 370 mm..... com rendimento negativo de pelo menos 7% no balanço !

 

100 aeronaves.... R$ 3 bilhões em depósitos.... não tem cia aérea que entregue rentabilidade paga pagar nem essa conta !!!!!!!!!!!!

E isso pra competir com American, Delta, British, Copa.... sem tal custo financeiro.

 

Ou seja, pouco a pouco inviabilizando a aviação comercial de capital Brasileiro no longo prazo.

 

Juizes brilhantes!!!!!!!!!!!!!!!!!

 

Já foi falado isso aqui

 

https://investors.aircastle.com/news-releases/news-release-details/aircastle-provides-update-aircraft-repossession-efforts-brazil

 

"We believe the judge's decision will negatively impact Brazil's civil airline industry with higher costs and less funding."

 

Os lessors vão aumentar os custos para as empresas Brasileiras, simples assim...

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas tá cheio de gente aqui defendendo essa palhaçada que a OceanAir Linhas Aéreas está a fazer!

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Já foi falado isso aqui

 

https://investors.aircastle.com/news-releases/news-release-details/aircastle-provides-update-aircraft-repossession-efforts-brazil

 

"We believe the judge's decision will negatively impact Brazil's civil airline industry with higher costs and less funding."

 

Os lessors vão aumentar os custos para as empresas Brasileiras, simples assim...

Eu, no lugar dos lessores, faria exatamente essa estratégia.

Na verdade, eu até inflaria um pouco mais os números.

Pra falar a verdade mesmo, eu nem financiaria mais.

Deixaria para os próprios Bancos desses países protecionistas que ainda não exploram esse nicho que não deve dar dinheiro nenhum

Simples assim

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas tá cheio de gente aqui defendendo essa palhaçada que a OceanAir Linhas Aéreas está a fazer!

Esta feio de ver

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu, no lugar dos lessores, faria exatamente essa estratégia.

Na verdade, eu até inflaria um pouco mais os números.

Pra falar a verdade mesmo, eu nem financiaria mais.

Deixaria para os próprios Bancos desses países protecionistas que ainda não exploram esse nicho que não deve dar dinheiro nenhum

Simples assim

Uma coisa você pode ter certeza: esse nicho rende grana, sim.

 

Como já foi dito aqui no tópico, a inadimplência faz parte do risco calculado antes do negócio. Prejuízo mesmo os lessors teriam se o bem se perdesse, o que não está acontecendo.

 

No mais, eles estão certos em correr atrás dos seus direitos. Assim como a justiça está certa em mediar o conflito para não deixar os lessors levarem calote, bem como não deixar o mercado sem um grande player na alta temporada, prejudicando a população que nada tem a ver com a crise da O6.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.
Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade