Jump to content

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

jambock

Congonhas e Santos Dumont entram em nova lista de concessões

Recommended Posts

Meus prezados
Congonhas e Santos Dumont entram em nova lista de concessões

O programa brasileiro de concessões de aeroportos tomou outro rumo com a inclusão dos aeroportos de Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ), considerados valiosos pelo mercado. No entanto, estes serão os últimos a serem concedidos à iniciativa privada, de acordo com a Centre For Aviation.

O projeto inicial do governo, elaborado a pedido do presidente Jair Bolsonaro, prevê a transferência de 44 terminais, divididos em seis blocos regionais, à iniciativa privada, em duas rodadas de negócios, que acontecerão a partir de 2020. A estratégia é colocar aeroportos mais lucrativos como líderes de blocos com outros terminais mais fracos.

Em publicação no Twitter, Bolsonaro afirmou que o objetivo é atrair cerca de R$ 7 bilhões por meio da concessão de rodovias, doze aeroportos e quatro terminais portuários. “Com a confiança do investidor sob condições favoráveis à população, resgataremos o desenvolvimento inicial da infraestrutura do Brasil”, finalizou.
DESAFIOS
A principal dificuldade será atrair o interesse de investidores para os aeroportos menos movimentados em regiões de interior. No entanto, com entrada dos “aeroportos âncoras” de São Paulo e Rio de Janeiro aumentam as chances de fortalecer os blocos.

A lista de aeroportos já concedidos à iniciativa privada já inclui Porto Alegre, Florianópolis, Salvador e Fortaleza. Após a última rodada de negócios, a rede de aeroportos da Infraero deve ser extinta, segundo previsões.

Confira os seis blocos na íntegra:

 

(Primeira rodada)

BLOCO SUL
Investimento: US$ 535,2 milhões
Curitiba (PR)
Foz do Iguaçu (PR)
Londrina (PR)
Joinville (SC)
Navegantes (SC)
Pelotas (RS)
Uruguaiana (RS)
Bagé (RS)

BLOCO NORTE 1
Investimento: US$ 294,4 milhões
Manaus (AM)
Porto Velho (RO)
Boa Vista (RR)
Rio Branco (AC)
Cruzeiro do Sul (AC)
Tabatinga (AM)
Tefé (AM)

BLOCO CENTRAL
Investimento: US$ 391,5 milhões
Goiânia (GO)
Palmas (TO)
São Luís (MA)
Teresina (PI)
Petrolina (PE)
Imperatriz (MA)

 

(Segunda rodada)

BLOCO SÃO PAULO - MATO GROSSO DO SUL
Investimento: US$ 617,3 milhões
Congonhas (SP)
Campo Grande (MS)
Corumbá (MS)
Ponta Porã (MS)

BLOCO RIO-MINAS
Investimento: US$ 408,5 milhões
Santos Dumont (RJ)
Uberlândia (MG)
Uberaba (MG)
Montes Claros (MG)

BLOCO NORTE 2
Investimento: US$ 314,7 milhões
Belém (PA)
Macapá (AP)
Santarém (PA)
Altamira (PA)
Marabá (PA)
Carajás (PA)
Fonte: Marcos Marins – portal PANROTAS via CECOMSAER 9 jan 2019

Share this post


Link to post
Share on other sites

Espero que revejam este modelo de bloco, quem vai querer pegar o Norte 2? É igual a bomba que era a Tele Centro Sul, do sistema Telebrás.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tinha que mudar a composição. Joga CGH +9 aeroportos "ruins" em um pacote. CWB agrupa com um do nordeste e outro do norte e por ai vai.

Share this post


Link to post
Share on other sites

USD500 milhões vai brincando na segunda pista de CWB, e o resto vai ficar na mesma.

Share this post


Link to post
Share on other sites

JOI, NVT e LDB no com o mesmo operador, vai ter concorrência sim... 🤦🏻‍♂️

Share this post


Link to post
Share on other sites

SBSP Tem uma área gigante, mas precisa de coragem e investimentos, se passar um trator de esteiras em tudo,inclusive na torre que custou um rim, daria pra fazer um terminal novo muito bom onde hoje é as remotas.

 

A aviação executiva também teria espaço assim como a rotativa, mas infelizmente nunca vamos ver isso, Congonhas é uma “favela” cheia de puxadinhos e espaço mal usados.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Exatamente, colocar NVT-JOI num mesmo pacote é nao querer concorrência.

Acredito que o modelo nao deveria ser por regiao.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Espero que revejam este modelo de bloco, quem vai querer pegar o Norte 2? É igual a bomba que era a Tele Centro Sul, do sistema Telebrás.

 

Pois é .... ainda estou em dúvida se faz sentido concentrar regionalmente os blocos pois a dinâmica de operação de aeroportos é bem diferente de telecom. Em telecom existe o backbone e sinergia de redes que faz sentido ser regional .... quanto ao bloco Norte 2, acho que ele está mais para a Tele Norte Celular que Tele Centro Sul, que era bem atraente dado que algumas das teles possuíam redes bem novas para a época (SC, DF, GO, MS e MT) e ainda tinha mercados fortíssimos como PR e DF na rede ... já a Tele Norte Celular era osso puro dado a dispersão geográfica e mercados pequenos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

É o que já falei anteriormente: porque colocar Recife, João Pessoa e Campina Grande no mesmo bloco, aeroportos distantes 100, 200 km um do outro?

Share this post


Link to post
Share on other sites

USD500 milhões vai brincando na segunda pista de CWB, e o resto vai ficar na mesma.

 

Como o terminal atual aguenta com folga ao menos o dobro de pax atual e como a perspectiva de crescimento não é das melhores, poderiam de fato pegar todo o dinheiro e investir na terceira pista (atualmente já há duas).

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Como o terminal atual aguenta com folga ao menos o dobro de pax atual e como a perspectiva de crescimento não é das melhores, poderiam de fato pegar todo o dinheiro e investir na terceira pista (atualmente já há duas).

Foi +/- o que eu disse, CWB fica com todo o investimento previsto se fizer a nova pista paralela.

Share this post


Link to post
Share on other sites

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade