Jump to content
Sign in to follow this  
raverbashing

AIRBUS anuncia fim da produção do A380

Recommended Posts

O último 747 a ser construído será simbólico sendo antes ou depois do 380.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

No final da década de 90 a grande discussão na aviação mundial era quem daria certo, o projeto do A380 ou do Boeing 787.

 

Um conceito era levar uma grande quantidade de passageiros para grandes Hubs e distribuídos em aeronaves menores, o outro era levar quantidades menores de passageiros em mais lugares, ligando ponto a ponto.

 

Hoje vemos qual projeto deu mais "certo" e terá uma longa vida.

 

Mas lamento muito o encerramento da produção do A380.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

O último 747 a ser construído será simbólico sendo antes ou depois do 380.

 

Fato!

 

Porém mesmo ainda terem muitas encomendas do 748F, existe uma Afa forte dizendo que a UPS logo revisará o plano de expansão da frota de longo curso. Ainda falta 19 unidades para serem entregues e o mercado de aviação de carga é bastante volátil e suscetível aos acordos comerciais entre países.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Bobagem!

 

De que adianta ficar mais tempo em produção e ter vendido praticamente a metade?

 

O que conta é que enquanto o primeiro 748 foi entregue em Outubro de 2011 o primeiro 380 ocorreu 4 anos antes, se contarmos em tempo de produção vs unidades produzidas deve ficar assim (Descontando o tempo dos protótipos produzidos):

 

A380: 14 anos em produção e 254 Aeronaves produzidas/encomendadas = 18,1/ano

748: 11 Anos em produção e 154 Aeronaves produzidas/encomendadas = 14/ano

 

A vantagem que a Boeing ainda tem é que com o mercado cargueiro é muito mais volátil, poderão surgir algumas encomendas nos próximos anos, já a Airbus graças a EK conseguiu manter o A380, senão seria um mico total.

Share this post


Link to post
Share on other sites

De certa forma o 747-8 teve mais êxito que o A380, visto que é um programa de décadas atrás e com custos já amortizados.

 

Vamos ver como se comportará o 777-X.

Share this post


Link to post
Share on other sites

No final da década de 90 a grande discussão na aviação mundial era quem daria certo, o projeto do A380 ou do Boeing 787.

Um conceito era levar uma grande quantidade de passageiros para grandes Hubs e distribuídos em aeronaves menores, o outro era levar quantidades menores de passageiros em mais lugares, ligando ponto a ponto.

Hoje vemos qual projeto deu mais "certo" e terá uma longa vida.

Mas lamento muito o encerramento da produção do A380.

O 7E7 (projeto do 787) só foi anunciado em 2003.

Na decada de 90 a boeing estava perdida ofertando 747-500, 747-600, 747X, 747X Stretch por conta da "ameaça" do A380.

Isso sem contar o 767-400 (esse saiu do papel) por conta do A330.

No final o 787 foi muito mais uma resposta ao A330 e a queda das vendas do 767.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O 7E7 (projeto do 787) só foi anunciado em 2003.

Na decada de 90 a boeing estava perdida ofertando 747-500, 747-600, 747X, 747X Stretch por conta da "ameaça" do A380.

Isso sem contar o 767-400 (esse saiu do papel) por conta do A330.

No final o 787 foi muito mais uma resposta ao A330 e a queda das vendas do 767.

Muito bem observado,vale lembrar que a FEDEX chegou a encomendar 20 A380F mas com a desistência,a Airbus deixou para trás o projeto

Share this post


Link to post
Share on other sites

De certa forma o 747-8 teve mais êxito que o A380, visto que é um programa de décadas atrás e com custos já amortizados.

 

Vamos ver como se comportará o 777-X.

 

Em termos de custos sim, pois era um programa já de décadas, consolidado, mas em vendas não.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Muito bem observado,vale lembrar que a FEDEX chegou a encomendar 20 A380F mas com a desistência,a Airbus deixou para trás o projeto

Na verdade foi o contrário.

Após um lobby Fedex e UPS cancelaram 10 encomendas cada uma, e o A380F nunca foi produzido.

Para um avião que vendeu tão pouco 20 avioes era uma quantidade razoavel.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Na verdade foi o contrário.

Após um lobby Fedex e UPS cancelaram 10 encomendas cada uma, e o A380F nunca foi produzido.

Para um avião que vendeu tão pouco 20 avioes era uma quantidade razoavel.

 

Isso é relativo. A mídia aeronáutica faz acreditar que o A380 foi um retumbante fracasso e vendeu muito pouco. Mas 254 unidades não é tão pouco.

 

Alguns exemplos: dentro da Airbus, é quase igual ao A310 (255 unidades), mais que todas as versões do A340 (no total foram 377, mas a mais vendida, o -300, foram 218); dentro da Boeing, o 720 teve 154 unidades (tudo bem, uma variante do 707); dentro da Douglas o MD-95 ou Boeing 717 teve 155 unidades e o festejado MD-11 teve 200 unidades. Mas o que considero mais importante, o seu concorrente direto, o 747-8, tem 150 unidades e não deve subir mais do que isso. A única vantagem é que é a evolução de um projeto já maduro e consolidado. Por outro lado, a avançada tecnologia desenvolvida para o A380 pode ser vista nos últimos modelos da Airbus, sobretudo no A350.

 

Sendo um avião icônico, teve muito mais que o mais icônico de todos, seu antepassado, o Concorde, do qual 20 foram fabricados.

 

A não ser que voltem a fabricar aviões de passageiros supersônicos e ultra-large, a Europa manterá o título do mais rápido avião de passageiros e do maior avião de passageiros do mundo!

Edited by Caravelle
  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Isso é relativo. A mídia aeronáutica faz acreditar que o A380 foi um retumbante fracasso e vendeu muito pouco. Mas 254 unidades não é tão pouco.

 

Alguns exemplos: dentro da Airbus, é quase igual ao A310 (255 unidades), mais que todas as versões do A340 (no total foram 377, mas a mais vendida, o -300, foram 218); dentro da Boeing, o 720 teve 154 unidades (tudo bem, uma variante do 707); dentro da Douglas o MD-95 ou Boeing 717 teve 155 unidades e o festejado MD-11 teve 200 unidades. Mas o que considero mais importante, o seu concorrente direto, o 747-8, tem 150 unidades e não deve subir mais do que isso. A única vantagem é que é a evolução de um projeto já maduro e consolidado. Por outro lado, a avançada tecnologia desenvolvida para o A380 pode ser vista nos últimos modelos da Airbus, sobretudo no A350.

 

Sendo um avião icônico, teve muito mais que o mais icônico de todos, seu antepassado, o Concorde, do qual 20 foram fabricados.

 

A não ser que voltem a fabricar aviões de passageiros supersônicos e ultra-large, a Europa manterá o título do mais rápido avião de passageiros e do maior avião de passageiros do mundo!

Com tão poucas unidades vendidas por modelos, em algum momento esses aviões produzidos pela Airbus atingiram o break-even point? Na Douglas, esses fracassos contribuiram no seu colapso.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Com tão poucas unidades vendidas por modelos, em algum momento esses aviões produzidos pela Airbus atingiram o break-even point? Na Douglas, esses fracassos contribuiram no seu colapso.

Em outro post foi dito que a Airbus atingiu o breakeven do A380 ainda em 2015

Share this post


Link to post
Share on other sites

A questão é que o A380 ficou refém de uma única companhia aérea: Emirates. Mais da metade da frota mundial opera lá.

 

E a partir do momento que essa aeronave passou a não ficar interessante nos planos futuros dessa empresa o projeto não tinha mais como se sustentar.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Falando em final de produção, os últimos 77W:

 

Postado no Airliners

Aeroflot: 5 (one just out of final assembly)
ANA: 6
BOC Aviation: 6 (3 ordered in 2018)
Emirates: 6
Korean Air: 2
Novus Aviation Capital: 4 (2018 order)
PIA: 5
Swiss: 2
Unidentified: 8 (2017 order) = China Southern Airlines
Unidentified: 4 (2018 order) = United

 

Total 48, mas pelo site da Boeing são 45. Os da PIA subiram no telhado. A Boeing comunicou que a BA teria encomendado +3 em Farnbourough 2018, mas não estão listados, podem ser leasings.

 

772 entregues 422

77L 59

77W 799

77F 156 ainda tem 57 encomendados

 

Encomendas dos 778/9:

EK 150

QR 60

EY 25 reduziu pra 6

CX 21

SQ 20

LH 20

JP 20

10 não identificados

total 307 (70% ME3)

Edited by TheJoker

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois é, parece que os 787 e A350 chegaram, arrombando a porta e dominaram a p... toda.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Deve ter cancelado, ou recebeu através de alguma empresa de leasing.

 

No site da Boeing constam 120 encomendas de 77W e 114 entregas, pra EK.

 

Tem um ajuste recente de -5 77W.

http://www.boeing.com/commercial/#/orders-deliveries

Share this post


Link to post
Share on other sites

Até a entrada em serviço dos 777x aparentemente ficará um gap ai de produção de 777s. Percebi que a produção desse está bem lenta, tem saido menos de 1 por mês.

Edited by thgsr08

Share this post


Link to post
Share on other sites

O A380 já era esperado. Para mim o 77W ainda tinha vários pedidos! :0

Share this post


Link to post
Share on other sites

A380 encerrará produção com mesmo número de aeronaves entregues que antigo modelo dos anos 1970

Com 250 aviões produzidos modelo da Airbus empata com Lockheed L-1011

 

A Airbus anunciou que encerrará em 2021 a produção do A380, quando terá entregue apenas 250 unidades do modelo. Curiosamente o mesmo número de L-1011 TriStar entregues pela Lockheed, ao final do programa, em 1984.

 

O L-1011 foi o retardatário na corrida dos grandes aviões nos anos 1970, quando a Boeing colocava em operação o 747 e a McDonnell Douglas entregava o DC-10. Embora com propostas distintas, tanto o A380 quando o L-1011 sofreram grandes atrasos no desenvolvimento e a falta de interesse do mercado.

 

Fonte aeromagazine

Edited by FCRO
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Em 2018 foram entregues 32 77W e 16 77F, média de 4 por mês. Então o que tem de backlog (102) sustenta a produção até o início das entregas dos primeiros 779, em 2020.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

A380 encerrará produção com mesmo número de aeronaves entregues que antigo modelo dos anos 1970

Com 250 aviões produzidos modelo da Airbus empata com Lockheed L-1011

 

A Airbus anunciou que encerrará em 2021 a produção do A380, quando terá entregue apenas 250 unidades do modelo. Curiosamente o mesmo número de L-1011 TriStar entregues pela Lockheed, ao final do programa, em 1984.

 

O L-1011 foi o retardatário na corrida dos grandes aviões nos anos 1970, quando a Boeing colocava em operação o 747 e a McDonnell Douglas entregava o DC-10. Embora com propostas distintas, tanto o A380 quando o L-1011 sofreram grandes atrasos no desenvolvimento e a falta de interesse do mercado.

 

Fonte aeromagazine

 

Pelos meus cálculos, serão 254 A380.

 

Interessante que o Lockheed L-1011 TriStar foi o melhor avião dos anos 70, com muita tecnologia, e vendeu apenas 250 unidades.

 

Nem sempre o melhor é o que mais vende.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Pelos meus cálculos, serão 254 A380.

 

Interessante que o Lockheed L-1011 TriStar foi o melhor avião dos anos 70, com muita tecnologia, e vendeu apenas 250 unidades.

 

Nem sempre o melhor é o que mais vende.

 

o que ele tinha melhor que o DC-10?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade