Jump to content

767 cargueiro caiu nos EUA


edu2703

Recommended Posts

  • Replies 73
  • Created
  • Last Reply

O NTSB disse que teve acesso a uma câmera de vigilância de um presídio que mostra os instantes finais da aeronave, mergulhando com o nariz para baixo em direção ao solo.

 

A profundidade da água onde caiu a aeronave é bem pequena e com a força do impacto, várias peças da aeronave ficaram enterradas no lodo existe no fundo da baía, incluindo o FDR e o CVR, o que dificulta sua localização. Os sinais emitidos pelos mesmos não estão sendo captados pela equipe de buscas.

Link to post
Share on other sites

Os aviões da Atlas que voam para Amazon carregam somente pacotes com um volume relativamente grande e um peso pequeno, mesmo com o avião vazio e a carga toda concentrada em um ou dois pallets, dificilmente a movimentação deles ocasionaria um desbalanceamento grande o suficiente para uma descida tão abrupta. Lembrando que o caso do 747 da National no Afeganistão, o deslocamento da carga acabou por danificar os comandos do avião e o travamento dos mesmos, sendo que caso isso não tivesse acontecido os pilotos teriam amplitude suficiente para controlar o avião.

Link to post
Share on other sites

Isso não derruba avião assim...

Tá com cara de disparo de trim ou carga solta

 

Ou suicídio, algo que, infelizmente, tem se tornado comum em acidentes recentes (Germanwings e LAM).

Link to post
Share on other sites

Li em algum lugar que, após o acidente da Lauda Air, os reversos dos 767s receberam uma trava e só podem ser acionados quando o trem de pouso toca no chão.

 

Será que não foi outro caso de reverso aberto ou flap travado?

Link to post
Share on other sites

Aqui está o endereço onde li a informação:

 

https://pt.quora.com/O-que-aconteceria-se-um-piloto-acidentalmente-acionasse-o-reverso-dos-motores-durante-o-voo

 

Li em algum lugar que, após o acidente da Lauda Air, os reversos dos 767s receberam uma trava e só podem ser acionados quando o trem de pouso toca no chão.

 

 

Link to post
Share on other sites

Sem querer sair do foco do tópico, mas vejam o que acontece com reverso atuado em voo, independente que seja turbo-hélice ou turbofan ou qualquer outro, o resultado não é bom.

Dizem as más línguas que esse "procedimento" era comum pra esse comandante, fazia a descida EMBU e matava a velocidade na final com o reverso... Matou todo mundo...

 

21/OCT/1998 - PT-WKH

 

Link to post
Share on other sites

Como assim? O 767 permite acionar o reverso em voo?

Não deveria. Pelo que sei desde aquele acidente com o Fokker 100 da TAM em CGH o sistema para impedir abertura se tornou norma.

Link to post
Share on other sites

Hoje é praticamente impossível a abertura de um reversor em voo. É necessário um sinal de que a aeronave está "on ground" (WOW), o release do sync-lock, posição das manetes, dentre outras...

 

http://www.boeing.com/commercial/aeromagazine/aero_12/lockinstallation.pdf

 

https://lessonslearned.faa.gov/ll_main.cfm?TabID=3&LLID=34&LLTypeID=10

Link to post
Share on other sites

Sem querer sair do foco do tópico, mas vejam o que acontece com reverso atuado em voo, independente que seja turbo-hélice ou turbofan ou qualquer outro, o resultado não é bom.

Dizem as más línguas que esse "procedimento" era comum pra esse comandante, fazia a descida EMBU e matava a velocidade na final com o reverso... Matou todo mundo...

Reverso aberto em voo de forma não intencional, não necessariamente derruba um avião. Vale observar que a Boeing nem considera como "memory item" uma situação como esta, independente da fase do voo.

 

Inclusive, algumas aeronaves, como o DC-8 e o Concorde, era prevista a utilização deste dispositivo em determinadas circunstâncias.

 

No caso daquele E120, foi pura imprudência, sendo assim, não há checklist que resolva.

 

Nos episódios do 767 da Lauda Air e do F100 da Tam, é interessante ler no relatório final a sequência de eventos que culminaram naqueles episódios.

Link to post
Share on other sites

Reverso aberto em voo de forma não intencional, não necessariamente derruba um avião. Vale observar que a Boeing nem considera como "memory item" uma situação como esta, independente da fase do voo.

 

Inclusive, algumas aeronaves, como o DC-8 e o Concorde, era prevista a utilização deste dispositivo em determinadas circunstâncias.

 

Hoje em dia não conheço nenhuma aeronave que permita acionar o reversor em voo. São várias redundâncias para que não seja possível. Deve ser pela situação complicada se isso acontecer...

Link to post
Share on other sites

 

Hoje em dia não conheço nenhuma aeronave que permita acionar o reversor em voo. São várias redundâncias para que não seja possível. Deve ser pela situação complicada se isso acontecer...

Também pensei isso.. ou.. Fizeram igual no PT-MRK que forçaram a manete para frente até o feedback cable romper-se.

Link to post
Share on other sites

Não deveria. Pelo que sei desde aquele acidente com o Fokker 100 da TAM em CGH o sistema para impedir abertura se tornou norma.

 

O Fokker 100 que se acidentou, já contava com um sistema contra abertura de reverso, que funcionou corretamente (mandou o motor com reverso aberto automaticamente para o Idle).

O problema é que não teve nenhum aviso/alarme no painel indicando a Abertura, e como a tripulação anterior havia reportado um problema no autothrottle, os pilotos acharam que era ele que estava mandando o motor pra IDLE. Aí no cabo de guerra entre copiloto puxando manete pra frente, e sistema automático puxando pra trás, a tensão aplicada no cabo de comando foi maior do que a projetada, o que fez ele arrebentar e selar o triste destino desse voo.

Link to post
Share on other sites

Exceto os russos :lol: :blink: :hypocrite:

 

 

 

Hoje em dia não conheço nenhuma aeronave que permita acionar o reversor em voo. São várias redundâncias para que não seja possível. Deve ser pela situação complicada se isso acontecer...

Link to post
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.




×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade