Jump to content

Boeing 737 MAX 8 da Ethiopian Airlines cai logo após a decolagem


Recommended Posts

Sua colocação não me faz sentido, se o avião até vai ser produzido mas as entregas suspensas ,logo a Gol não vai receber a aeronave pois a mesma não sairá do chão da fábrica

E vc acha que vai ficar suspensa até o final do ano?

 

À partir do segundo semestre a empresa receberia duas aeronaves por mês.

 

Pode receber mais do que duas pra compensar o atraso.

 

É possível receber umas três/quatro aeronaves por mês?

 

Não sei. É apenas uma hipótese.

Link to post
Share on other sites

  • Replies 1.2k
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

Não acredito que seja de bom tom alguém rir da tragédias que foram a morte de mais de 300 pessoas, mas enfim.... hard times we are living in.

Não vejo avião caindo aqui no Brasil, que tem gente com 200h totais indo do C152 para o A320.   Gente competente entra em processo interno ou externo com pouca hora, estuda, absorve conhecimento e d

My nickelback:   Comecei por várias vezes a escrever o texto para postar neste tópico....mas não consigo chegar a conclusão nenhum...e tenho que aceitar isso. Meu lado tecnólogo e piloto me faz pen

E vc acha que vai ficar suspensa até o final do ano?

 

À partir do segundo semestre a empresa receberia duas aeronaves por mês.

 

Pode receber mais do que duas pra compensar o atraso.

 

É possível receber umas três/quatro aeronaves por mês?

 

Não sei. É apenas uma hipótese.

Ela não receberá então nenhuma até julho agosto e aí 2 mês? Já é oficial esse replanejamento? Vai dar tudo certo?

Software,treinamento,homologação e entregas?

Como esse planejamento não foi divulgado pós groundearem, não estava a par....a Gol vinha recebendo um por mês até março,correto? Só vai atrapalhar um pouco as entregas?

Obrigado por esclarecer

Link to post
Share on other sites

Sua colocação não me faz sentido, se o avião até vai ser produzido mas as entregas suspensas ,logo a Gol não vai receber a aeronave pois a mesma não sairá do chão da fábrica

Próximo MAX a receber pela GOL será entregue somente final de Abril, portanto caso a situação se normalize até lá, não há impacto no cronograma de entregas

Edited by -8MAX
Link to post
Share on other sites

E vc acha que vai ficar suspensa até o final do ano?

 

À partir do segundo semestre a empresa receberia duas aeronaves por mês.

 

Pode receber mais do que duas pra compensar o atraso.

 

É possível receber umas três/quatro aeronaves por mês?

 

Não sei. É apenas uma hipótese.

Possível até é, porém bem complicado. Todos os MAX ao chegarem em CNF após entrega, vão para o hangar e lá passam alguns dias. Portanto seria necessário estudos sobre slots de hangar e etc para que não impacte a malha

Link to post
Share on other sites

Quero saber onde a Boeing vai arrumar espaço para não entregar e continuar a produzir... e tem outra, quando descobrirem uma solução, que em minha opinião não será apenas de software, eles vão ter que corrigir os que já estão prontos primeiro pera liberarem espaço e poder realizar as entregas atrasadas....

4 aviões por mês para a Gol? Simplesmente dobrar o ritmo de produção e entrega, Esquecem que não existe apenas a Gol aguardando e existe a uma fila onde a Gol não é mais bonita que as outras para passar na frente.

Vai atrasar sim...

Link to post
Share on other sites

Quero saber onde a Boeing vai arrumar espaço para não entregar e continuar a produzir... e tem outra, quando descobrirem uma solução, que em minha opinião não será apenas de software, eles vão ter que corrigir os que já estão prontos primeiro pera liberarem espaço e poder realizar as entregas atrasadas....

4 aviões por mês para a Gol? Simplesmente dobrar o ritmo de produção e entrega, Esquecem que não existe apenas a Gol aguardando e existe a uma fila onde a Gol não é mais bonita que as outras para passar na frente.

Vai atrasar sim...

Com certeza, assim como a Airbus ainda sofre com as entregas dos Neos devido aos problemas com os motores dois anos depois.

Link to post
Share on other sites

Se a cadeia de suprimentos estiver íntegra, a produção não deve ter postado não. Continuam produzindo. Não é viável "parar a produção". Produz, estoca os aviões e minuta um plano de recuperação para retrabalhar as aeronaves e aumentar as entregas. Acredito que se tudo for resolvido em até dois meses, as entregas do ano não atrasam de maneira significativa.

  • Like 1
Link to post
Share on other sites

Se a cadeia de suprimentos estiver íntegra, a produção não deve ter postado não. Continuam produzindo. Não é viável "parar a produção". Produz, estoca os aviões e minuta um plano de recuperação para retrabalhar as aeronaves e aumentar as entregas. Acredito que se tudo for resolvido em até dois meses, as entregas do ano não atrasam de maneira significativa.

 

Neste caso não vai ser tão simples assim. USA é muito orientado por opinião pública. Com a investigação aberta e a possibilidade de uma CPI, audiências publicas, etc. há um risco de "descertificação" da aeronave. Todos, BA e Cias aéreas, já devem ter começada a trabalhar um plano B. Se não o fizeram, eu recomendo.

Link to post
Share on other sites

Piloto de folga salvou o Boeing 737 Max no penúltimo voo - InfoMoney
Veja mais em: https://www.infomoney.com.br/negocios/grandes-empresas/noticia/7996653/piloto-de-folga-salvou-o-737-max-no-penultimo-voo

Edited by Léo Almeida
  • Like 1
Link to post
Share on other sites

Piloto de folga salvou o Boeing 737 Max no penúltimo voo - InfoMoney

Veja mais em: https://www.infomoney.com.br/negocios/grandes-empresas/noticia/7996653/piloto-de-folga-salvou-o-737-max-no-penultimo-voo

Interessante o fato do extra na cabine ter dito para cortar energia do motor, não mencionou desligar o stab trim.

  • Like 2
Link to post
Share on other sites

Interessante o fato do extra na cabine ter dito para cortar energia do motor, não mencionou desligar o stab trim.

Acredito que tenha sido erro da reportagem/tradução.

  • Like 1
Link to post
Share on other sites

https://aviationweek.com/commercial-aviation/boeing-737-max-mcas-explained

 

The Boeing 737 MAX MCAS Explained
Mar 20, 2019 Sean Broderick, Guy Norris and Graham Warwick | Aviation Week & Space Technology
EMAIL
Share

 

COMMENTS 63

The Maneuvering Characteristics Augmentation System (MCAS) is a flight control law managed by the flight control computer (FCC) and introduced on the 737 MAX to help it handle like a 737 Next Generation (NG), particularly at slow speeds and high angles of attack (AOA).

SEE ALSO
FAA Reviews Enhanced MAX Flight-Test Data

Boeing 737 MAX Groundings Break Protocol And New Ground

Credit: Boeing

1 | Leap Engines and Pitch-up Moment
The MAX’s larger CFM Leap 1 engines create more lift at high AOA and give the aircraft a greater pitch-up moment than the CFM56-7-equipped NG. The MCAS was added as a certification requirement to minimize the handling difference between the MAX and NG.

2 | MCAS Activation
The system activates when the aircraft approaches threshold AOA, or stickshaker activation, for the aircraft’s configuration and flight profile. The MAX flight-control law changes from speed trim to the MCAS because the MCAS reacts more quickly to AOA changes.

3 | Angle of Attack Vanes

The MCAS’s primary data sources are the MAX ’s two AOA sensing vanes, one on either side of the nose. Boeing designed the MCAS to receive input from only one of the sensors during each flight. The left and right sensors alternate between flights, feeding AOA data to the FCC and the MCAS.

4 | Stabilizer Deflection

When threshold AOA is reached, the MCAS commands 0.27 deg. of aircraft nose-down stabilizer deflection per second for 9.3 sec.—a total of 2.5 units of trim. When the FCC reads the AOA as back to below threshold, the MCAS is reset, and the aircraft’s trim returns to the pre-MCAS configuration. Inaccurate AOA data will trigger the MCAS every 5 sec. until the data is corrected or the system is disabled.

5 | Disabling the System

Credit: Collins Aerospace

Pilots can interrupt the MCAS in two ways: via the yoke-mounted electric trim switches, or using the STAB TRIM CUTOUT switches on the center console. The trim switches interrupt the MCAS for 5 sec. and establish a new stabilizer trim reference point. Toggling both cutout switches de-powers the MCAS and the speed-trim system.

Link to post
Share on other sites
O SOFTWARE DO 737 MAX FALHOU? EP #416


Aviões e Músicas, by Lito

Publicado em 21 de mar de 2019


Edited by ruifo
  • Like 2
Link to post
Share on other sites

https://aviationweek.com/commercial-aviation/boeing-737-max-mcas-explained

5 | Disabling the System

Credit: Collins Aerospace

Pilots can interrupt the MCAS in two ways: via the yoke-mounted electric trim switches, or using the STAB TRIM CUTOUT switches on the center console. The trim switches interrupt the MCAS for 5 sec. and establish a new stabilizer trim reference point. Toggling both cutout switches de-powers the MCAS and the speed-trim system.

 

Grato ! Era o que havia entendido.

Link to post
Share on other sites

Aeronaves da Boeing que caíram precisavam de dois recursos de segurança considerados 'extras'

 

Os pilotos dos aviões Boeing que caíram na Etiópia e na Indonésia lutaram para controlar as aeronaves, mas elas não tinham dois equipamentos de segurança importantes em suas cabines. Um dos motivos: a Boeing cobrava mais por eles. Para a Boeing e outros fabricantes de aeronaves, a prática de cobrar para atualizar um avião padrão pode ser lucrativa. As principais companhias aéreas de todo o mundo devem pagar muito para que os jatos que eles encomendam sejam equipados com acessórios customizados. Às vezes, esses recursos opcionais envolvem estética ou conforto, como assentos premium, iluminação sofisticada ou banheiros extras. Mas outros recursos envolvem sistemas de comunicação, navegação ou de segurança e são mais fundamentais para as operações do avião.

 

Muitas companhias aéreas, especialmente as de baixo custo, como a Lion Air, da Indonésia, optaram por não comprá-las, e os órgãos reguladores não o requisitaram. Agora, na esteira dos dois acidentes fatais envolvendo o mesmo modelo de avião, a Boeing tornará um desses recursos de segurança padrão, como parte de uma correção para colocar os aviões no ar novamente.

 

Ainda não se sabe o que causou as quedas do voo 302 da Ethiopian Airlines, em 10 de março, e do voo 610 da Lion Air, cinco meses antes, ambos após decolagens erráticas. Mas os investigadores estão analisando se um novo sistema de software adicionado para evitar defeitos mecânicos na série 737 Max da Boeing pode ter sido parcialmente culpado. Dados defeituosos de sensores no avião da Lion Air podem ter causado o mau funcionamento do sistema, suspeitam as autoridades que investigam o acidente.

 

Esse sistema de software pega leituras de dois dispositivos semelhantes a um feixe, chamados de sensores de ângulo de ataque, que determinam o quanto o nariz do avião está apontando para cima ou para baixo. Quando o sistema detecta que o avião está apontando para cima em um ângulo perigoso, ele pode empurrar automaticamente o nariz do avião para evitar que a aeronave entre em stall , quando o avião se inclina demais podendo perder a sustentação.

 

Os recursos de segurança opcionais da Boeing, em parte, poderiam ter ajudado os pilotos a detectarem quaisquer leituras errôneas. Uma das atualizações opcionais, o indicador de ângulo de ataque, exibe as leituras dos dois sensores. O outro, chamado de luz discordante, é ativado se esses sensores estiverem em conflito uns com os outros.

 

A Boeing atualizará em breve o software, e também instalará a "luz de desacordo" (alerta) em todos os novos aviões 737 Max, segundo uma pessoa familiarizada com as mudanças, que falou sob condição de anonimato porque as informações não foram divulgadas ao público. O indicador do ângulo de ataque continuará sendo uma opção que as companhias aéreas podem comprar. Nenhum dos recursos foi considerado obrigatório pela Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos. Todos os jatos 737 Max foram proibidos de voar.

 

— São essenciais e não custa quase nada para as companhias instalarem — disse Bjorn Fehrm, analista da consultoria de aviação Leeham. — A Boeing cobra por eles porque pode, mas eles são cruciais para a segurança.

 

https://oglobo.globo.com/mundo/aeronaves-da-boeing-que-cairam-precisavam-de-dois-recursos-de-seguranca-considerados-extras-23540857

Link to post
Share on other sites

Garuda Indonesia irá cancelar a encomenda de 49 737 MAX. CEO põe culpa na perda de confiança do público na aeronave.

 

Parece que Lion Air e VietJet também estão nessa onda....

Link to post
Share on other sites

Garuda Indonesia irá cancelar a encomenda de 49 737 MAX. CEO põe culpa na perda de confiança do público na aeronave.

 

O CEO também falou que irão continuar com a Boeing.

Link to post
Share on other sites

 

O CEO também falou que irão continuar com a Boeing.

 

Caramba. Eu esperava por um desdobramento dramático para a Boeing, mas não imaginei que fosse chegar a esse ponto. Agora é ver se outras cias seguirão pelo mesmo caminho.

Link to post
Share on other sites
Como era de se esperar. Caiu o diretor da FAA.
Crise com o 737 força mudança na direção do FAA
Presidente Trump nomeia ex-diretor da Delta e piloto para o cargo de chefe da agência de aviação civil dos EUA

 

Após os problemas que motivaram a paralização da frota global de 737 MAX, o FAA (Federal Aviation Administration), agencia de aviação civil dos Estados Unidos, teve sua direção alterada pelo presidente Donald Trump.

Link to post
Share on other sites

 

Como era de se esperar. Caiu o diretor da FAA.
Crise com o 737 força mudança na direção do FAA
Presidente Trump nomeia ex-diretor da Delta e piloto para o cargo de chefe da agência de aviação civil dos EUA

 

Após os problemas que motivaram a paralização da frota global de 737 MAX, o FAA (Federal Aviation Administration), agencia de aviação civil dos Estados Unidos, teve sua direção alterada pelo presidente Donald Trump.

 

Fico surpreso como as coisas realmente funciona naquele pais.

Link to post
Share on other sites

Fico surpreso como as coisas realmente funciona naquele pais.

 

Nem tanto assim, né?

 

https://www.vox.com/policy-and-politics/2019/3/19/18271645/boeing-737-max-8-investigation-ethiopian-airlines-faa

 

"The Seattle Times’s investigation by Dominic Gates reveals how the FAA increasingly delegated inspections and other safety checks to the company itself and pushed inspectors to hand off even more of those tasks as the process continued, a practice that became more common because of FAA budget cuts and that has been formalized by Congress in the appropriations bills lawmakers have passed. As the New York Times reported recently, the agency created a program in 2005 that allowed manufacturers like Boeing to choose their own employees for critical work in certifying new planes were safe to fly."

  • Like 2
Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.



×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade