Jump to content
Sign in to follow this  
Carlo Fratini

Boeing 737 MAX 8 da Ethiopian Airlines cai logo após a decolagem

Recommended Posts

Segundo consta, atualmente são 371 MAX em operação em todo o mundo. A China lidera com 97 acfts, seguida pelos EUA com 72 e Canadá em seguida, com 40. A primeira acft foi entregue em maio de 2017.

Share this post


Link to post
Share on other sites

My nickelback:

 

Comecei por várias vezes a escrever o texto para postar neste tópico....mas não consigo chegar a conclusão nenhum...e tenho que aceitar isso.

Meu lado tecnólogo e piloto me faz pensar que ninguém é mais capacitado que a Boeing e a FAA par decidirem quando groundear, que aviação é um processo evolutivo de anos, que continua sendo seguro voar no MAX.

De certa forma este meu lado foi doutrinado a não especular sobre o desconhecido, como cria da aviação moderna, minha formação é de seguir protocolos, até meio que cegamente, pois o instintivo me leva ao caixão.

Uma peça da engrenagem não pode questionar as demais. É estatístico, matemático, físico, uma evolução secular, que proporciona os mais altos níveis de segurança.

Não que isso seja uma autocrítica, nem uma critica a nenhum outro piloto, pelo contrário, estar preparado para seguir protocolos exige muita dedicação, empenho e habilidade. Até e principalmente para saber quando e qual protocolo seguir, em decisões que as vezes tem que ser tomadas em segundos. É preciso ser tão competente até para saber o que fazer até quando não tiver protocolo e tiver que criar o próprio, ainda que mentalmente, com base nos outros protocolos.

Seguir o protocolo de perda de um motor no ar, já me salvou do meu instinto de procurar a pista de pouso mais próxima e curvar sobre o motor ruim. Como seguir o protocolo de falsa indicação de velocidade pode te salvar dos seus instintos sobre se o avião esta "voando" ou "caindo".

Por outro lado meu lado advogado, só consegue pensar que grandes corporações já deram inúmeros exemplos que quando se trata de $$ não são confiáveis e que vidas de pessoas as vezes não valem milhões de USD. Um jurista da muito valor para os indícios e sempre pensa nas medidas "cautelares" (ad cautelum) para se evitar um mal maior. Aviões derrapando em um aeroporto são indícios suficientes para interditar uma pista, ainda que a ANAC e as empresas digam que é seguro. Ainda que o acidente posteiro não tenha sido por causa disso mas também por causa disso. Dois Airbus despencarem por problemas de congelamento de pitot, são indícios suficientes para colocar no chão os aviões, mesmo a Airbus "recomendando" mudanças não obrigatórias (depois viraram mandatórias) que em tese ficaria tudo bem. A imagem daquela deriva azul vermelha e branca não em sai da cabeça...como um acidente evitável, fruto da ganância. De gente que mandou seus soldados (no caso tripulantes e passageiros) para uma guerra porque sabia que não era ele que iria morrer.

Ainda mais na aviação moderna em que a probabilidade de se isolar a causa de um acidente é extremamente complexo (no 787 foi "facil" eram baterias pegando fogo) pois cada vez mais os eventos são complexos e dependentes de fatores as vezes completamente imprevisíveis.

Minha intuição me diz....coloca os Max no chão. Não precisa de mais nenhuma prova, não precisa outro cair. Reproduz exaustivamente as decolagens em condições semelhantes até descobrir o que aconteceu.

Mas pera um pouco....O que aconteceu?

Não sabemos.

O impacto de groundear a frota é enorme. Quais os critérios?

Enfim....quanto mais procuro respostas, mais dúvidas tenho.

Uma parte de mim colocaria no chão. outra voaria tranquilamente.

 

Abraços

  • Like 18

Share this post


Link to post
Share on other sites

Por mais que o FAA seja um órgão sério (comparado com outras autoridades), é uma indústria de bilhões, e de interesses políticos e estratégicos. Não pensem que a decisão de groundear a frota está sendo evitada apenas pelo aspecto segurança...

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pressão do grounding dos MAX não é só das empresas e público em geral. Seguradoras estão pressionando.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se houvesse no caso do acidente do Lion Air algo relacionado ao projeto, lógica, software, etc. poderia imaginar, dado o desconhecido do acidente da Ethiopian, o ground. Mas o que se conhece do acidente da Lion Air nada tem a ver com um problema sistemico da aeronave. Não há motivo técnico para determinar o ground. Como foi exposto algumas páginas atrás, mesmo um eventual comando do estabilizador, devido a informações erroneas do angulo de ataque, a tripulação desabilita o sistema e voa manual.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aqui no México, o MAX continuam voando normalmente. Fotos minhas de hoje.

 

 

32411587357_8b14074074_b.jpg

Aeromexico B738-MAX (MEX) XA-MAK by ruifo, on Flickr

 

 

40388093043_a2856b3080_b.jpg

Aeromexico B738-MAX (MEX) XA-MAT by ruifo, on Flickr

 

 

40388094673_1b7db4fafb_b.jpg

Aeromexico B738-MAX (MEX) XA-MAO by ruifo, on Flickr

 

 

47300680002_a916e550bc_b.jpg

Aeromexico B738-MAX (MEX) XA-MAL by ruifo, on Flickr

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os que estão groundeados não foi por determinação, foi por opção de algumas cias e alguns governos.

Aliás, quem poderia determinar ground para toda a frota ? A Boeing ?

Share this post


Link to post
Share on other sites


American Airlines: Miami flights using a Boeing jet that crashed twice will continue


AA 1156: MIA to New York-LaGuardia

AA 1362: MIA to Orlando

AA 2807: MIA to Tampa

AA 2422: MIA to Cancun, Mexico

AA 935: MIA to Puerto Plata, Dominican Republic

AA 1481: MIA to Santo Domingo, Dominican Republic

AA 1293: MIA to St. Croix, U.S. Virgin Islands


The three other carriers operating the MAX 8 out of Miami are WestJet, GOL Airlines, and Cayman Airways. Representatives of Cayman and Brazil-based GOL did not immediately respond to a request for comment, but CNN reported Monday that Cayman had grounded two new MAX 8s in the wake of Sunday’s crash. GOL sees at least 12 MAX 8 departures a week according to airport data. On Monday, two flights, G3 7733 to Fortaleza, Brazil and G3 7749 to Brasilia, used the jet.

Share this post


Link to post
Share on other sites

The #FAA has issued a Continued Airworthiness Notification to the International Community (CANIC) related to the @Boeing 737-8 and @Boeing 737-9 (737 MAX) fleet. The document is available at http://bit.ly/2HsEXU1 .

 

https://twitter.com/faanews/status/1105234084454912000?s=21

Edited by PR-FHI

Share this post


Link to post
Share on other sites

American continua operando B737 Max. Emitiu um comunicado interno hoje a tarde dizendo que tá acompanhando junto ao FAA e NTSB e associação de pilotos e associação de comissários de voo, o acidente da Etiopian, e monitorando os dados de voo de suas aeronaves

Share this post


Link to post
Share on other sites

A comair da África do Sul vai suspender as operações do max tmb

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os que estão groundeados não foi por determinação, foi por opção de algumas cias e alguns governos.

Aliás, quem poderia determinar ground para toda a frota ? A Boeing ?

Nos EUA o FAA, que provavelmente seria seguido por autoridades de outros países

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Independente das causas, haverá uma grande pressão da opinião pública para o ground dos MAX.

 

Olha o que eu disse no post #65.

 

Tão logo foi divulgado o acidente no mundo inteiro começaram a pipocar nos posts e na imprensa esta possibilidade. AFAIK nunca houve isso antes. O link entre os dois acidentes foi imediato.

 

Quando é assim, ainda mais hoje em dia com a velocidade as redes sociais, não adianta racionalizar e comparar ... ah antigamente no caso do rudder do 737, do DC-10, etc. etc, isso é passado.

 

Um acidente triste, sem dúvida. Mais adiante, as lições apreendidas vão aprimorar o sistema, como sempre.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

A minha opinião é que o problema em si não está no MCAS mas numa incompatibilidade de informações desse novo sistema quando está relacionado a pane de Airspeed Unreliable. O treinamento que é passado no simulador é desativar o Trim porém, será que na real o avião está respondendo como deveria? Na pane de Airspeed Unreliable, todos avisos de stall podem ser ativados ou de alta velocidade ou os 2 ao mesmo tempo. No caso do avião entender (erroneamente) que está num stall e ativar o MCAS, será que basta desativar o Trim, na teoria sim, mas será que na prática isso está ocorrendo? Não sei se a Boeing fez teste, nem tinha informações no manual e se fez, pode ser que os sistemas novos necessitem de ajustes.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mais uma: Aeroméxico suspendeu as operações do MAX 8

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tirei uma screenshot aqui mas não sei se é possível postar através de dispositivo móvel. Mas o fato é: pelo menos uns 100 MAX 8 (o 8 apenas, não filtrei 9 ou 10) voando nos EUA, Canadá e Caribe agora 11-3-2019 21:13 Brasília. E alguns na Europa (Turkish principalmente) e Oriente Medio. Mesmo com toda comoção causada.

Mas vendo isso penso também que um groundamento geral da frota talvez seja realmente precipitado.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sim, Aeroméxico também...

 

 

*******

 

Aeroméxico dejará de usar sus Boeing 737, tras avionazo en Etiopía
Aeroméxico informó que confía plenamente en la seguridad de su flota, sin embargo, suspenderá temporalmente la operación de sus seis Boeing 737 MAX 8.
ROBERTO VALADEZ
Ciudad de México / 11.03.2019 18:07:43
Aeroméxico informó que suspenderá temporalmente la operación de sus sus seis Boeing 737 Max 8, mismo modelo del avión accidentado de Ethiopian Airlines.
En un momento más información...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tirei uma screenshot aqui mas não sei se é possível postar através de dispositivo móvel. Mas o fato é: pelo menos uns 100 MAX 8 (o 8 apenas, não filtrei 9 ou 10) voando nos EUA, Canadá e Caribe agora 11-3-2019 21:13 Brasília. E alguns na Europa (Turkish principalmente) e Oriente Medio. Mesmo com toda comoção causada.

Mas vendo isso penso também que um groundamento geral da frota talvez seja realmente precipitado.

 

Mas aí é complicado nós, simples mortais, acharmos que sabemos mais do que o setor de operações e safety de uma das maiores operadores de Boeing no mundo. E das demais também. Com todo o respeito :joinha:

 

Se todos estão parando, é porque a coisa é séria.

Edited by Dreamliner

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Mas aí é complicado nós, simples mortais, acharmos que sabemos mais do que o setor de operações e safety de uma das maiores operadores de Boeing no mundo. Com todo o respeito :joinha:

 

Se todos estão parando, é porque a coisa é séria.

Não que eu ache que seja isso, mas pode ser TB que é melhor paralisar as operações, e ter um leve prejuízo do que ir contra a opinião de massa pública e arranhar a imagem da empresa.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olha o que eu disse no post #65.

 

Tão logo foi divulgado o acidente no mundo inteiro começaram a pipocar nos posts e na imprensa esta possibilidade. AFAIK nunca houve isso antes. O link entre os dois acidentes foi imediato.

 

Quando é assim, ainda mais hoje em dia com a velocidade as redes sociais, não adianta racionalizar e comparar ... ah antigamente no caso do rudder do 737, do DC-10, etc. etc, isso é passado.

 

Um acidente triste, sem dúvida. Mais adiante, as lições apreendidas vão aprimorar o sistema, como sempre.

Não há até o momento qualquer comprovação de que os dois acidentes ocorreram por motivos que impossibilitavam o controle das aeronaves pelos pilotos. Torçamos que os gravadores de voo possam esclarecer o mais breve possível a razão do evento na Etiópia.

 

Vale observar que no caso na Indonésia, já havia um histórico de um problema mal resolvido pela manutenção da empresa, e mesmo assim mantinham o avião voando. De qualquer maneira, a investigação está em andamento.

 

Nos EUA, na Europa e em outros países não ocorreu até o momento a obrigação da suspensão da operação do 737M. Talvez essas autoridades aeronáuticas e os operadores tenham motivos suficientes para manter a frota voando, além de uma supervisão apropriada por parte da Boeing. O certo é que voando ou não, não há espaço para interesses maiores do que a segurança plena das operações aéreas.

 

Vamos observar os desdobramentos que virão.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não há até o momento qualquer comprovação de que os dois acidentes ocorreram por motivos que impossibilitavam o controle das aeronaves pelos pilotos. Torçamos que os gravadores de voo possam esclarecer o mais breve possível a razão do evento na Etiópia.

 

Vale observar que no caso na Indonésia, já havia um histórico de um problema mal resolvido pela manutenção da empresa, e mesmo assim mantinham o avião voando. De qualquer maneira, a investigação está em andamento.

 

Nos EUA, na Europa e em outros países não ocorreu até o momento a obrigação da suspensão da operação do 737M. Talvez essas autoridades aeronáuticas e os operadores tenham motivos suficientes para manter a frota voando, além de uma supervisão apropriada por parte da Boeing. O certo é que voando ou não, não há espaço para interesses maiores do que a segurança plena das operações aéreas.

 

Vamos observar os desdobramentos que virão.

 

 

Concordo, porém 179 + 157 (336) mortes em 5 meses é um número violento demais. Investigações demoram 1, 2 anos. Muito risco em jogo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Concordo, porém 179 + 157 (336) mortes em 5 meses é um número violento demais. Investigações demoram 1, 2 anos. Muito risco em jogo.

 

Foram 189 em CGK. 346 no total. Os passageiros querem essas aeronaves groundeadas. Twitter e FB de ambas UA e AA estão sendo bombardeadas de mensagens contra o uso das aeronaves em suas rotas. O passageiro não está errrado, em uma aeronave 100% já existe um certo "medo", imagina em um modelo recém lançado, com 2 acidentes fatais e quase 400 vitimas. Eu tenho certo conhecimento em aviação e não voaria. Pra piorar ainda tem a mídia sensacionalista fomentando o medo ainda mais.

 

No mais, parabéns a G3 por ouvir o pedido dos pax e cessar momentaneamente o uso desse aparelho e a DL por estar dando o suporte necessário pra que esses passageiros não fiquei desamparados + o baita upgrade de quem comprou/possui assentos Premium e até mesmo economy com um generoso pitch de 32'.

Share this post


Link to post
Share on other sites

A Associação de Pilotos de Cias. Aéreas da Argentina emitiu um comunicado mandando não voarem nos MAX 8 da Aerolíneas Argentinas, devendo as aeronaves que estiverem no ar regressarem a base imediatamente

 

https://apla.org.ar/2019/03/11/sector-arsa-mandato-de-no-realizar-actividad-de-vuelo-en-boeing-737-max/

Share this post


Link to post
Share on other sites

Concordo, porém 179 + 157 (336) mortes em 5 meses é um número violento demais. Investigações demoram 1, 2 anos. Muito risco em jogo.

A partir do momento que conseguirem obter informações confiáveis no CVR e FDR, muitas reviravoltas poderão ocorrer.

 

Até o momento há suposições e possíveis coincidências, e como comentei, no caso do voo da Lion Air a companhia estava ciente de que havia ocorrido um problema com a aeronave, mas mesmo assim despacharam o avião para outra programação. Sem olhar todos os elos da corrente de eventos, incluíndo o preparo dos tripulantes para lidar com situações operacionais que envolvem a condução da aeronave em condições anormais, fica difícil saber quem está com razão nesse processo de parar ou continuar operando o Max.

Edited by Longreach
  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aerolíneas suspende temporalmente la operación de sus Boeing 737 MAX8

11/03/2019

Aerolíneas Argentinas anuncia que a partir de la fecha suspende temporalmente las operaciones comerciales de sus aviones Boeing 737 MAX 8. La decisión está sujeta a los informes técnicos sobre el evento protagonizado por un avión de ese tipo de la empresa Ethiopian Airlines. Y fue tomada luego del análisis conjunto realizado con la ANAC, la autoridad regulatoria del sector aéreo en el país.

Para Aerolíneas Argentinas, el valor más importante es la seguridad. Ese es el objetivo que orienta toda su tarea. Desde que comenzó a operar con los Boeing 737 MAX 8, en noviembre de 2017, la empresa realizó con ellos 7.550 vuelos con total seguridad y eficiencia. En la actualidad, de los 82 aviones que componen la flota del Grupo Aerolíneas, cinco son modelo B737 MAX 8.

Aerolíneas sigue de cerca las investigaciones que se están llevando a cabo para determinar las causales del lamentable suceso con el avión de Ethiopian Airlines. Y se mantiene en contacto continuo con el fabricante de esas aeronaves, la compañía Boeing. También está atenta al análisis que está realizando la autoridad regulatoria de los Estados Unidos (Federal Aviation Administration), como certificante de los referidos aviones de origen estadounidense. Tanto Boeing como la FAA están emitiendo recomendaciones concretas que se hacen extensivas a todas las líneas aéreas que se encuentran operando dicho modelo de avión.

En virtud de lo expuesto, y hasta tanto se reciban informes técnicos de esos organismos y entidades, Aerolíneas Argentinas ha dispuesto suspender provisoriamente la operación de las referidas aeronaves, a fin de garantizar los altos parámetros de seguridad que caracterizan la operación de la compañía.

A tales fines, aquellos pasajeros con viajes previstos en aeronaves 737 MAX 8 serán reubicados en los diferentes modelos del resto de la extensa flota de nuestra compañía para seguir prestando un servicio de calidad a nuestros clientes. En el caso de algún vuelo que deba ser reprogramado por esta decisión, la empresa se comunicará en forma directa con los pasajeros afectados.

 

https://www.aerolineas.com.ar/es-ar/prensa/comunicadoprensainterno/4830_aerolineas-suspende-temporalmente-la-operacion-de-sus-boeing-737-max8

Edited by gabrielmagacho

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.
Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade