Jump to content
Sign in to follow this  
TheJoker

Passaredo pede slots em Congonhas (SP): “queremos o que é nosso”

Recommended Posts

14/06/2019

Por Danilo Teixeira Alves

 

 

Em requerimento enviado ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a Passaredo oficializou o pedido para que seja considerada como nova empresa apta a operar os slots vagos no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. O interesse da companhia já havia sido sinalizado por seus diretores durante uma reunião realizada no final do mês passado com representantes da Anac.

 

“Queremos apenas o que é nosso por direito. Mudar a regra para atender empresa 'A' ou 'B' criaria privilégios indevidos e insegurança jurídica. Além disso, a entrada no mais rentável aeroporto do Brasil irá permitir à empresa o fôlego necessário à consolidação de seu processo de recuperação financeira”, disse o presidente da Passaredo, José Luiz Felício Filho, se referindo a batalha travada por suas concorrentes pelos horários deixados pela Avianca Brasil.

De acordo com o executivo, a intenção é promover um aumento da concorrência com a ligação de destinos regionais ao aeroporto de Congonhas. “Somos uma empresa entrante em Congonhas por conceito. A operação da Passaredo atenderá plenamente aos anseios de aumento da concorrência, além de permitir que importantes mercados regionais, hoje atendidos de forma marginal, possam acessar o aeroporto central”, afirmou.

A empresa opera uma frota de aeronaves ATR72-500, atendendo 14 destinos nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Norte e Nordeste do Brasil. Transportou em 2018 mais de 560 mil passageiros, contando com mais de 500 colaboradores diretos.

Vale ressaltar que a Passaredo é uma empresa associada da Abear; "O ingresso em Congonhas irá gerar imediatamente novos postos de trabalho", concluiu. Felício Filho.

 

 

 

https://www.panrotas.com.br/aviacao/empresas/2019/06/passaredo-pede-slots-em-congonhas-sp-queremos-o-que-e-nosso_165286.html

Share this post


Link to post
Share on other sites

ESTADÃO CONTEÚDO

 

A Passaredo Linhas Aéreas entrou na disputa pelos pares de slots a serem disponibilizados pela Avianca, em recuperação judicial, no Aeroporto de Congonhas (SP).

 

A companhia de aviação regional já solicitou à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) assumir ao menos dez das 21 operações de pouso e decolagem no aeroporto paulistano. A demanda será reforçada em ofício protocolado na manhã desta sexta-feira, 14, no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), em Brasília (DF).

 

Ao Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), o controlador da Passaredo, José Luiz Felício Filho, justificou que, pelas regras atuais, a empresa "como entrante", ou seja, por não operar em Congonhas, "tem o direito a 50% dos pares de slots da Avianca no aeroporto quando for feita a redistribuição pela Anac". Além da Passaredo, a única empresa nacional do setor classificada como entrante seria a MAP Linhas Aéreas, companhia com operações apenas nos estados do Amazonas e Pará.

Pela regra, os slots restantes seriam distribuídos entre as companhias em operação no País - Latam, Gol e Azul. Durante o processo de recuperação a Avianca, a Azul tentou comprar as operações da concorrente para ter os slots em Congonhas, mas Latam e Gol entraram na briga e o processo, além de judicial, foi parar em instâncias do governo federal, entre eles o Cade, órgão que zela pela concorrência e agora é questionado pela Passaredo.

"A Passaredo vem em processo desgastante de sete ou oito anos (que incluiu a entrada e a saída de uma recuperação judicial) e sempre esperou oportunidade de operar em Congonhas para acessar mercado de alta rentabilidade e alta competitividade. Temos o direito e a capacidade de fazer operação", disse Felício.

Segundo o controlador da Passaredo, na reunião com representantes da Anac, em 27 de maio, foi reiterado o interesse da companhia de ser um novo operador no aeroporto paulistano. "Escutamos que as regras serão mantidas, mas o Cade, que participa do processo, está sob pressão, até pela própria Azul, que pede os slots, mas não é entrante, pois já opera no aeroporto", disse. "Vamos reforçar no Cade que somos uma aérea brasileira entrante e, dentro desse contexto, ter a segurança jurídica e concorrencial", completou o empresário, que garante ter o apoio da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) para o pedido.

Apesar da dificuldade financeira após o final da recuperação judicial, em 2017, a Passaredo estima um investimento de US$ 4,5 milhões, cerca de R$ 17,5 milhões, para ampliar em 50% suas operações caso tenha êxito e passe a operar em Congonhas.

A empresa espera incorporar três novos turboélices ATR72-500 à frota atual de seis aeronaves e elevar para 60 o número de 40 voos diários, já incluindo o retorno da linha Ribeirão Preto (SP) a Curitiba (PR), previsto para 30 de junho.

Caso a Passaredo tenha o aval para operar em Congonhas, o que deve ocorrer após o fim do processo de recuperação judicial da Avianca, as operações devem ser iniciadas em 90 dias, estima Eduardo Busch, diretor executivo da companhia. Ao contrário da Azul, que quer os slots para operar na ponte aérea Rio-São Paulo, Passaredo manterá o perfil de companhia região. "Não temos destinos ainda, mas dentro dessa característica vamos priorizar, entre outros, o interior de São Paulo, como Araçatuba e Bauru, por exemplo", completou o presidente da empresa.

Esta semana a empresa foi ameaçada pela Socicam Aeroportos, concessionária do aeroporto de Vitória da Conquista (BA), de ser proibida de operar na cidade por reter taxas de embarque. Anteontem, a concessionária informou que a negociação foi concluída e os voos da aérea regularizados. "Estranhamos a forma como a Socicam tratou essa negociação. Agiram de forma a pressionar uma situação que é nossa responsabilidade e foi resolvida", criticou Felício.

Segundo o empresário, a Passaredo pretende expandir operações da Bahia, Estado que implanta uma política de reduzir de 18% para 4% o Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre querosene de aviação. Nesta sexta-feira, a Passaredo começa a operar voos entre Salvador (BA) e Petrolina (PE), uma das rotas deixadas justamente pela Avianca.

Sem contar com as operações em Congonhas, a Passaredo, que tem sede em Ribeirão Preto (SP), prevê transportar 730 mil passageiros em 2019, alta de mais de 30% sobre os 560 mil passageiros do ano passado.

 

 

https://www.dci.com.br/economia/passaredo-linhas-aereas-entra-na-disputa-por-slots-da-avianca-em-congonhas-1.809490

 

Passaredo nunca operou em CGH? se é tão rentável assim porque eles não participaram das últimas distribuições de slots?

Share this post


Link to post
Share on other sites

A Passaredo pode agregar um ativo valioso e sem custo, pode até dar um gás na operação.

 

Queremos apenas o que é nosso por direito.

Os funcionários e credores que o digam né?

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sobram 11 = G3 4 JJ 4 e AD 3, e acabou a cobiça pelos slots da O6. :lol:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vai ter campanha da Azul com #PassaredoNaPonteAerea?

 

Ou a abertura de mercado só vale para eles?

  • Like 10

Share this post


Link to post
Share on other sites

ESTADÃO CONTEÚDO

 

A Passaredo Linhas Aéreas entrou na disputa pelos pares de slots a serem disponibilizados pela Avianca, em recuperação judicial, no Aeroporto de Congonhas (SP).

 

A companhia de aviação regional já solicitou à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) assumir ao menos dez das 21 operações de pouso e decolagem no aeroporto paulistano. A demanda será reforçada em ofício protocolado na manhã desta sexta-feira, 14, no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), em Brasília (DF).

 

Ao Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), o controlador da Passaredo, José Luiz Felício Filho, justificou que, pelas regras atuais, a empresa "como entrante", ou seja, por não operar em Congonhas, "tem o direito a 50% dos pares de slots da Avianca no aeroporto quando for feita a redistribuição pela Anac". Além da Passaredo, a única empresa nacional do setor classificada como entrante seria a MAP Linhas Aéreas, companhia com operações apenas nos estados do Amazonas e Pará.

Pela regra, os slots restantes seriam distribuídos entre as companhias em operação no País - Latam, Gol e Azul. Durante o processo de recuperação a Avianca, a Azul tentou comprar as operações da concorrente para ter os slots em Congonhas, mas Latam e Gol entraram na briga e o processo, além de judicial, foi parar em instâncias do governo federal, entre eles o Cade, órgão que zela pela concorrência e agora é questionado pela Passaredo.

"A Passaredo vem em processo desgastante de sete ou oito anos (que incluiu a entrada e a saída de uma recuperação judicial) e sempre esperou oportunidade de operar em Congonhas para acessar mercado de alta rentabilidade e alta competitividade. Temos o direito e a capacidade de fazer operação", disse Felício.

Segundo o controlador da Passaredo, na reunião com representantes da Anac, em 27 de maio, foi reiterado o interesse da companhia de ser um novo operador no aeroporto paulistano. "Escutamos que as regras serão mantidas, mas o Cade, que participa do processo, está sob pressão, até pela própria Azul, que pede os slots, mas não é entrante, pois já opera no aeroporto", disse. "Vamos reforçar no Cade que somos uma aérea brasileira entrante e, dentro desse contexto, ter a segurança jurídica e concorrencial", completou o empresário, que garante ter o apoio da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) para o pedido.

Apesar da dificuldade financeira após o final da recuperação judicial, em 2017, a Passaredo estima um investimento de US$ 4,5 milhões, cerca de R$ 17,5 milhões, para ampliar em 50% suas operações caso tenha êxito e passe a operar em Congonhas.

A empresa espera incorporar três novos turboélices ATR72-500 à frota atual de seis aeronaves e elevar para 60 o número de 40 voos diários, já incluindo o retorno da linha Ribeirão Preto (SP) a Curitiba (PR), previsto para 30 de junho.

Caso a Passaredo tenha o aval para operar em Congonhas, o que deve ocorrer após o fim do processo de recuperação judicial da Avianca, as operações devem ser iniciadas em 90 dias, estima Eduardo Busch, diretor executivo da companhia. Ao contrário da Azul, que quer os slots para operar na ponte aérea Rio-São Paulo, Passaredo manterá o perfil de companhia região. "Não temos destinos ainda, mas dentro dessa característica vamos priorizar, entre outros, o interior de São Paulo, como Araçatuba e Bauru, por exemplo", completou o presidente da empresa.

Esta semana a empresa foi ameaçada pela Socicam Aeroportos, concessionária do aeroporto de Vitória da Conquista (BA), de ser proibida de operar na cidade por reter taxas de embarque. Anteontem, a concessionária informou que a negociação foi concluída e os voos da aérea regularizados. "Estranhamos a forma como a Socicam tratou essa negociação. Agiram de forma a pressionar uma situação que é nossa responsabilidade e foi resolvida", criticou Felício.

Segundo o empresário, a Passaredo pretende expandir operações da Bahia, Estado que implanta uma política de reduzir de 18% para 4% o Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre querosene de aviação. Nesta sexta-feira, a Passaredo começa a operar voos entre Salvador (BA) e Petrolina (PE), uma das rotas deixadas justamente pela Avianca.

Sem contar com as operações em Congonhas, a Passaredo, que tem sede em Ribeirão Preto (SP), prevê transportar 730 mil passageiros em 2019, alta de mais de 30% sobre os 560 mil passageiros do ano passado.

 

 

https://www.dci.com.br/economia/passaredo-linhas-aereas-entra-na-disputa-por-slots-da-avianca-em-congonhas-1.809490

 

Passaredo nunca operou em CGH? se é tão rentável assim porque eles não participaram das últimas distribuições de slots?

A resolução anterior que versava sobre CGH, a 336, limitava a aeronaves mínima de 90 assentos, com a substituição da 336 pela 338, essa limitação caiu.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

MAP pedindo slots em 3,2,1...

Share this post


Link to post
Share on other sites

CGH é a salvação da Passaredo. A Azul pode comprar a companhia no dia seguinte.

  • Like 6

Share this post


Link to post
Share on other sites

Na última distribuição de slots a Anac determinou que o número de mínimo de assentos por aeronave era de 90 assentos. Assim os ATR ficaram de fora. Hoje essa regra não existe mais.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vai ter campanha da Azul com #PassaredoNaPonteAerea?

 

Ou a abertura de mercado só vale para eles?

Mas a Passaredo não vai operar na ponte.

 

Acalma seu hate aí

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

CGH é a salvação da Passaredo. A Azul pode comprar a companhia no dia seguinte.

Triste...mas verdadeiro

Share this post


Link to post
Share on other sites

CGH é a salvação da Passaredo. A Azul pode comprar a companhia no dia seguinte.

Mas estaria afim de assumir o passivo? Só se for aquelas comprar de R$ 1,00.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Com seus Atrs alem de RAO poderia surgir UDI e PLU.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mais cedo ou mais tarde esses slots vão cair nas mãos de umas da três grandes. Basta saber quem vai pagar mais pela Passaredo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não imagino o Felício vendendo a Passaredo em curto/médio prazo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vai ter campanha da Azul com #PassaredoNaPonteAerea?

 

Ou a abertura de mercado só vale para eles?

Que tara pela AD, num tópico sobre a Passaredo e a possibilidade dessa ampliar sua operação e dar um novo rumo a sua operação aparece alguém pra falar de quem? Da AD.

 

Deve ser muita vontade de ser funcionário da cia, hahahaha.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

CGH é a salvação da Passaredo. A Azul pode comprar a companhia no dia seguinte.

 

Eu já havia sugerido isso antes mas disseram que eu estava fantasiando quando sugeri que isso aconteceria

Share this post


Link to post
Share on other sites

Direito a Passaredo tem, portanto não vejo nada de errado. Até demorou para se tocarem disso.

Share this post


Link to post
Share on other sites

PLU continua restrito não?

Não tenho certeza, mas parece que ATR pode.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não imagino o Felício vendendo a Passaredo em curto/médio prazo.

 

Ali não larga o "osso"... ou o que sobrou dele.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Na minha opinião pode ter mais coisa atrás dessa solicitação.

 

Se por alguma motivo o leilão não se realizar, a regra atual da ANAC fala que os slots são divididos 50% entre os operadores atuais (G3, LA e AD) e os outros 50% para uma nova entrante, que nesse caso seria a Passaredo.

 

Ou a Passaredo está tentando dar um último respiro, valorizando a marca com slots e operação em CGH ou uma outra possibilidade é dela estar com um acordo com uma das três grandes...... fala que vai voar, é vendida e uma das três e a empresa da união das cias ficaria com mais de 50% dos slots da AVB

Share this post


Link to post
Share on other sites

CGH não tinha limite mínimo de assentos? A Passaredo cumpre esse requisito com os ATR?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Na minha opinião pode ter mais coisa atrás dessa solicitação.

 

Se por alguma motivo o leilão não se realizar, a regra atual da ANAC fala que os slots são divididos 50% entre os operadores atuais (G3, LA e AD) e os outros 50% para uma nova entrante, que nesse caso seria a Passaredo.

 

Ou a Passaredo está tentando dar um último respiro, valorizando a marca com slots e operação em CGH ou uma outra possibilidade é dela estar com um acordo com uma das três grandes...... fala que vai voar, é vendida e uma das três e a empresa da união das cias ficaria com mais de 50% dos slots da AVB

 

No alvo.

Quem sabe as taxas de VDC a empresa com cor de menino não já pagou...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade