Jump to content
Sign in to follow this  
Luckert

Sideral receberá mais um Boeing 737 chegando a 17 aviões!

Recommended Posts

Não imaginava que já era tão grande e que está voando com aeronaves tão velhas, 727???? Não é mais produzido desde os anos 90?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Impressionante a expansão da Sideral. Torço pra que tenha sido feita de forma pensada.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não imaginava que já era tão grande e que está voando com aeronaves tão velhas, 727???? Não é mais produzido desde os anos 90?

O fetiche de um nave cheirando nova vem acompanhado de leasing salgado.

 

Devem estar pagando pouquissimo por esse aviões.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

O fetiche de um nave cheirando nova vem acompanhado de leasing salgado.

 

Devem estar pagando pouquissimo por esse aviões.

Eu até entendo que esses aeromuseus devem ter um leasing barato, mas o custo de manutenção e consumo são maiores, o querosene de avião não está barato.

 

Se fosse por isso,a Azul não teria a frota mais jovem e ainda assim não ser só lucrativa como ser a mais lucrativa ( que eu saiba de velhos são só os A330-200 retrofitados, que tem próximo de 20 anos).

 

O B727 nem pode pousar em varios aeroportos devido às restrições de barulho, sei que são só de uso cargueiro, mas podem pousar em Gru?

 

Como é uma aeronave que deixou de ser operada há anos, fiquei curioso para saber.

 

Sei que empresas como Delta sobrevivem com aviões velhos que são constantemente renovados, mas não é o caso deles, acima escreveram que o 17 não sofrerá qualquer renovação do interior ( deve ser bem confortável)

Share this post


Link to post
Share on other sites

A frota da Sideral é própria...nada de leasing.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

A frota da Sideral é própria...nada de leasing.

Própria mas pga se mês a mês as parcelas de amortização da aeronave , não estão quitadas a vista com recursos próprios, ou estão?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu até entendo que esses aeromuseus devem ter um leasing barato, mas o custo de manutenção e consumo são maiores, o querosene de avião não está barato.

 

Se fosse por isso,a Azul não teria a frota mais jovem e ainda assim não ser só lucrativa como ser a mais lucrativa ( que eu saiba de velhos são só os A330-200 retrofitados, que tem próximo de 20 anos).

 

O B727 nem pode pousar em varios aeroportos devido às restrições de barulho, sei que são só de uso cargueiro, mas podem pousar em Gru?

 

Como é uma aeronave que deixou de ser operada há anos, fiquei curioso para saber.

 

Sei que empresas como Delta sobrevivem com aviões velhos que são constantemente renovados, mas não é o caso deles, acima escreveram que o 17 não sofrerá qualquer renovação do interior ( deve ser bem confortável)

 

Tem postagem sua que me assusta com tamanho desconhecimento do que se passa na aviação Brasileira, em primeiro lugar os 727 que estão hoje no Brasil tem rushkit, logo subiram de categoria de ruído, segundo, RPN tá aí com 727 na Sideral (ex-RIO) e na TOTAL e não menos importante, todos passam em GRU, a frota da TOTAL inteira passa em GRU na madrugada.

 

Existe um equilibrio de utilização vs custo operacional vs custo de aquisição, baita vantagem da Sideral pagar uma merreca a RIO pelos 727 (unicos que não são proprios), já os 737 classic custam merreca pra empresa, aposto que só o que rolou de fretamento de time em 2018-2019 pela Sideral já pagou a conta de aquisição do SDW, SDH facilmente.

 

Agora comparar Sideral com Azul, dureza...

  • Like 11
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Tem postagem sua que me assusta com tamanho desconhecimento do que se passa na aviação Brasileira, em primeiro lugar os 727 que estão hoje no Brasil tem rushkit, logo subiram de categoria de ruído, segundo, RPN tá aí com 727 na Sideral (ex-RIO) e na TOTAL e não menos importante, todos passam em GRU, a frota da TOTAL inteira passa em GRU na madrugada.

 

Existe um equilibrio de utilização vs custo operacional vs custo de aquisição, baita vantagem da Sideral pagar uma merreca a RIO pelos 727 (unicos que não são proprios), já os 737 classic custam merreca pra empresa, aposto que só o que rolou de fretamento de time em 2018-2019 pela Sideral já pagou a conta de aquisição do SDW, SDH facilmente.

 

Agora comparar Sideral com Azul, dureza...

Embora não lhe devo sequer satisfação, informo que sou apenas apaixonado por aviação, quando não sei, pergunto e aprendo com vcs no fórum....metade da sua resposta é tão técnica que não entendi nada....o que sei é que em Cgh eles foram proibidos há anos e questionei Gru( pelo visto em Gru pode mas só na madrugada, não fostes claro).

 

Citei Azul porque o outro forista sugeriu que avião velho é um grande negócio para uma empresa aérea, tb citei Delta que o faz com mix de aviões novos e velhos, mas isso nem observaste, pelo visto.

 

De qualquer forma, a metade da sua resposta não técnica, me foi muito útil e posso presumir alguns questionamentos.

 

Muito obrigado

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

tem gente que surge no forum do nada cheio de opinao e certeza como se diretor de linha aerea fosse mas em alguns topicos se diz ser somente um apaixonado pela aviacao.

  • Like 13
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os 727 que ela tem são oriundos da RIO Linhas Aéreas. Mas nem todos estão voando, tem alguns em CWB servindo apenas de repositor de peças.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Embora não lhe devo sequer satisfação, informo que sou apenas apaixonado por aviação, quando não sei, pergunto e aprendo com vcs no fórum....metade da sua resposta é tão técnica que não entendi nada....o que sei é que em Cgh eles foram proibidos há anos e questionei Gru( pelo visto em Gru pode mas só na madrugada, não fostes claro).

 

Citei Azul porque o outro forista sugeriu que avião velho é um grande negócio para uma empresa aérea, tb citei Delta que o faz com mix de aviões novos e velhos, mas isso nem observaste, pelo visto.

 

De qualquer forma, a metade da sua resposta não técnica, me foi muito útil e posso presumir alguns questionamentos.

 

Muito obrigado

O 727 não é proibido em Congonhas, Luckert.

 

Apenas não faz sentido atualmente operá-lo por lá, por restrições operacionais que tornariam a operação pouco interessante visto que no Brasil eles voam essencialmente para carga.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu até entendo que esses aeromuseus devem ter um leasing barato, mas o custo de manutenção e consumo são maiores, o querosene de avião não está barato.

 

Se fosse por isso,a Azul não teria a frota mais jovem e ainda assim não ser só lucrativa como ser a mais lucrativa ( que eu saiba de velhos são só os A330-200 retrofitados, que tem próximo de 20 anos).

 

O B727 nem pode pousar em varios aeroportos devido às restrições de barulho, sei que são só de uso cargueiro, mas podem pousar em Gru?

 

Como é uma aeronave que deixou de ser operada há anos, fiquei curioso para saber.

 

Sei que empresas como Delta sobrevivem com aviões velhos que são constantemente renovados, mas não é o caso deles, acima escreveram que o 17 não sofrerá qualquer renovação do interior ( deve ser bem confortável)

Você mesmo cita a Delta, mas o DNA da DL em usar aeronaves velhas vem da Northwest, inclusive havia piada nos meios aeronáuticos americanos que o o piloto do último A320 da NW voltaria do deserto voando de DC-9...

 

A operação de aeronaves não é uma ciência exata.

 

Já comentei aqui, em 2002 a Varig reativou 5 B737-200 porque era mais barato mantê-los, a despeito de manutenção teoricamente mais cara e consumir mais, que os Boeing 737-700 PP-VQ*.

 

A Sideral paga pouco pelas aeronaves, tem piloto com carteira de 737 a rodo pelo país, MRO tem de monte. É só saber dosar, como o KTR disse.

 

Espero que a Sideral tenha sucesso, e que esta expansão não seja um voo de galinha.

 

O 727 não é proibido em Congonhas, Luckert.

 

Apenas não faz sentido atualmente operá-lo por lá, por restrições operacionais que tornariam a operação pouco interessante visto que no Brasil eles voam essencialmente para carga.

Fora que usar um slot valioso naquele aeroporto para carga é heresia. Além disso, carga não reclama de embarcar em VCP ou GRU.

Share this post


Link to post
Share on other sites

tem gente que surge no forum do nada cheio de opinao e certeza como se diretor de linha aerea fosse mas em alguns topicos se diz ser somente um apaixonado pela aviacao.

Exatamente isso! Uma hora é o sabichão que se fosse ao vivo daria tapa na cara de colegas como fez recentemente com o Hector Bonilla... Outra hora é um entusiasta desprovido de conhecimento.

 

Enquanto isso Paulo Adorno está ganhando muito dinheiro com os fretamentos personalizados usando bons 737-300/500 baratinhos e com total comunalidade com a frota cargueira que dizem faturar 70k BRL por trilho/dia!

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

O 727 não é proibido em Congonhas, Luckert.

 

Apenas não faz sentido atualmente operá-lo por lá, por restrições operacionais que tornariam a operação pouco interessante visto que no Brasil eles voam essencialmente para carga.

Grato pela informação

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pro amigo aí que reclama de avião velho, eu prefiro 1000x voar no 735 com interior VIP da Sideral do que nos A320 Neo novos e apertados da LATAM.

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

Exatamente isso! Uma hora é o sabichão que se fosse ao vivo daria tapa na cara de colegas como fez recentemente com o Hector Bonilla... Outra hora é um entusiasta desprovido de conhecimento.

 

Enquanto isso Paulo Adorno está ganhando muito dinheiro com os fretamentos personalizados usando bons 737-300/500 baratinhos e com total comunalidade com a frota cargueira que dizem faturar 70k BRL por trilho/dia!

 

Entre o 733 e 735, qual deixou de ser fabricado primeiro?

Os 733 e 735 do grupo Varig/Rio Sul eram muito confortáveis, bom espaço para um pax de 1,80m.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Entre o 733 e 735, qual deixou de ser fabricado primeiro?

Os 733 e 735 do grupo Varig/Rio Sul eram muito confortáveis, bom espaço para um pax de 1,80m.

bem provavel que os 2 deixaram de ser fabricados ao mesmo tempo.

 

os 737 da Rio Sul eram ainda mais confortaveis, devido ao publico alvo, a Rio Sul utilizava isso como marketing. lembro da propaganda com o Oscar do basquete e um 737 pintado com uma fita metrica.

 

http://forum.contatoradar.com.br/index.php/topic/107650-a-rio-sul-em-19971998/

 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

bem provavel que os 2 deixaram de ser fabricados ao mesmo tempo.

 

os 737 da Rio Sul eram ainda mais confortaveis, devido ao publico alvo, a Rio Sul utilizava isso como marketing. lembro da propaganda com o Oscar do basquete e um 737 pintado com uma fita metrica.

 

http://forum.contatoradar.com.br/index.php/topic/107650-a-rio-sul-em-19971998/

 

 

Bem lembrado.

Os 735/733/737 são na minha opinião excelentes aeronaves e pousam em praticamente todos os aeroportos.

No caso da Sideral pode voar no Brasil tanto como cargueiros como pax e vida longa para ela, precisamos de mais empresas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tirando esse último que a reportagem cita que não será retrofitado, os demais estão sofrendo alguma renovação, sei que os padrões antigos eram bem confortáveis na época que esses velhinhos voavam ?

 

No caso da Azul, me lembro que ela teve muitos problemas com o interior desses velhos ( não tanto mas mais velhos , 15 anos) A330 mas foi rápida e fez um incrível retrofit em curto prazo, o que a Sideral tem feito? Como estão internamente?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fugindo um pouco do tópico, mas ainda dentro do espectro do assunto, se justificaria hoje a operação de uma empresa como a Webjet, BRA voando 733, 734, 735, ou essa ideia com esses modelos so vale pra carga?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fugindo um pouco do tópico, mas ainda dentro do espectro do assunto, se justificaria hoje a operação de uma empresa como a Webjet, BRA voando 733, 734, 735, ou essa ideia com esses modelos so vale pra carga?

Creio que já temos uma quantidade significante de NG e A32x antigos que também devem ter o leasing barato. 735/733 não deve mais compensar, tem muito -700 e mesmo E-Jets disponíveis por aí. Já os -400, talvez ainda estejam com um bom custo benefício?

 

Fato é que quando o MAX voltar os leasings de NG vão despencar. Talvez venha a matar o nicho dos classics.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

... se justificaria hoje a operação de uma empresa como a Webjet, BRA voando 733, 734, 735, ou essa ideia com esses modelos so vale pra carga?

 

 

O 737, de passageiro ou carga, sempre será o "Fusca" da aviação, mas usado, se sua operação não for bem administrada, o custo para mantê-lo pode ser superior a de um "Volvo".

 

Quanto mais rodado, com menos horas disponíveis entre revisões mais caras, etc., mais em conta fica o leasing, porém, isso é somente um aspecto para montar uma empresa aérea. Mas para manter a "aviação" girando redonda, é necessário ter uma estrutura de suporte de manutenção bem dimensionada, caso contrário, a possibilidade de alguma aeronave apresentar algum tipo de problema, principalmente fora da base, acaba sendo um risco mais constante. Assim, uma considerável parte da malha pode ser afetada, por um ou mais dias. Nessas horas, o (baixo) custo x benefício (rentabilidade) pode ir por água abaixo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

Mas para manter a "aviação" girando redonda, é necessário ter uma estrutura de suporte de manutenção bem dimensionada, caso contrário, a possibilidade de alguma aeronave apresentar algum tipo de problema, principalmente fora da base, acaba sendo um risco mais constante. Assim, uma considerável parte da malha pode ser afetada, por um ou mais dias. Nessas horas, o (baixo) custo x benefício (rentabilidade) pode ir por água abaixo.

 

E nas cargueiras dizem que em caso de atraso, a multa é meio pesada... Sai muito caro pra companhia

Share this post


Link to post
Share on other sites

Dia desses estava me perguntando o porquê da operação cargueira usar aviões mais antigos do que a operação de passageiros.

Quais seriam os fatores que desquilibrariam a balança em favor dos aviões mais novos no caso da operação de passageiros?

 

Fui dar uma pesquisada e encontrei alguns fatores, que claro, são levados em conta pelo planejamento de cada empresa aérea:

 

Utilização: Pelo o que eu li, as aeronaves de passageiros têm mais utilização e malha mais apertada do que as aeronaves cargueiras.

Isso significa que a Azul está muito mais preocupada com consumo de combustível (porque a aeronave voa o dia inteiro) do que a Sideral

(que teoricamente deixa o avião mais parado).

 

Custo de manutenção não programada: Em uma malha super apertada um cancelamento não só afeta o dia inteiro, como requer re-acomodação

de muitos passageiros, e traz um custo negativo à imagem da companhia (passageiros reclamando, postando na internet, etc). Ou seja, vale

mais a pena comprar um avião novo com maior chance de poder ser despachado.

 

Imagem da empresa: Uma empresa de passageiros pode atribuir parte do custo de aquisição de uma aeronave nova ao "marketing". Quantos

passageiros não se sentem mais seguros em uma empresa que fala "a frota mais nova do Brasil", ou algo do tipo? Carga não liga pra isso.

 

Esses e outros fatores podem desquilibrar a balança em favor de um A320 Neo ou em favor de um 735, depende da missão e malha de cada empresa.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade