Jump to content
Sign in to follow this  
PP-CJC

Map entra na disputa por slots da Avianca Brasil em Congonhas

Recommended Posts

Mas empresa aérea no Brasil não ganha dinheiro com slot!

Sim, mas gera um jogo de interesses muito grande. Ele pode não ser "vendável" mas acaba sendo um patrimônio respeitável em uma negociação.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sendo advogado do diabo...

 

Eu, com a minha pequena Tupi Linhas Aereas, com dois C208B, eu iria entrar na disputa sim. Se vao mudar as regras do slot para beneficiar a concorrencia, entao eh valido para mim, mesmo que vou operar uma aeronave com 9 passageiros fazendo CGH-GRU, eh meu direito, foi conquistado. "Mas eh pessimo uso em um aeroporto com restricoes de pouso", concordo, mas eh meu direito e tem amparo legal, ilegal seria impedir.

 

Mas entraria nao para ter o status que opero em CGH, mas sei de uma empresa que esta sedenta por estes slots e nao pode ganhar do jeito que gostaria. Entao eu entro na disputa, consigo um par de slot, abro uma outra empresa aerea (que leve um ano), transfiro um dos Caravans para justificar a empresa, enquanto a outra eu vendo para a Azul por R$ 1 milhao. Otimo negocio, mantenho a Tupi e ainda embolso um lucro de altissimo que faz cobrir todos os custo de abrir uma empresa aerea.

 

Ps: eh apenas um exemplo, nao significa que sou a favor ou contra. Sei que nao eh simples este tipo de operacao, mas estamos no Brasil e aqui nao eh para amadores...

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites

Para acabar as comédias era bem simples

 

1. Limitar assentos, como no sentido inverso foi PLU com 50 assentos sendo o limitante, depois pulou a 70.

2. Tempo de existência ou distância.

 

A345,

 

No seu molde, nem precisava desse trabalho todo, a TUPI com um par de Caravan ganha o slot, a Azul compra a empresa e depois dela inserir ATR72 ou E195 na E.O da TUPI, "vende" os Caravans para voce e tá tudo certo. Porem uma TUPI custaria por baixo, sendo bemmmm economico 2mi USD em 2 Caravans surrados + 500k BRL para todo o processo de abertura e certificação.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Porem uma TUPI custaria por baixo, sendo bemmmm economico 2mi USD em 2 Caravans surrados + 500k BRL para todo o processo de abertura e certificação.

Mas os C208 não precisam ser próprios! Não se faz dry lease desse tipo de aeronave?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sendo advogado do diabo...

 

Eu, com a minha pequena Tupi Linhas Aereas, com dois C208B, eu iria entrar na disputa sim. Se vao mudar as regras do slot para beneficiar a concorrencia, entao eh valido para mim, mesmo que vou operar uma aeronave com 9 passageiros fazendo CGH-GRU, eh meu direito, foi conquistado. "Mas eh pessimo uso em um aeroporto com restricoes de pouso", concordo, mas eh meu direito e tem amparo legal, ilegal seria impedir.

 

Mas entraria nao para ter o status que opero em CGH, mas sei de uma empresa que esta sedenta por estes slots e nao pode ganhar do jeito que gostaria. Entao eu entro na disputa, consigo um par de slot, abro uma outra empresa aerea (que leve um ano), transfiro um dos Caravans para justificar a empresa, enquanto a outra eu vendo para a Azul por R$ 1 milhao. Otimo negocio, mantenho a Tupi e ainda embolso um lucro de altissimo que faz cobrir todos os custo de abrir uma empresa aerea.

 

Ps: eh apenas um exemplo, nao significa que sou a favor ou contra. Sei que nao eh simples este tipo de operacao, mas estamos no Brasil e aqui nao eh para amadores...

Exatamente meu post acima do seu.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Talvez a posição da MAP com relações aos slots possa ter haver com uma eventual expansão para o centro-oeste do país? Tem sul-mato-grossense nos bastidores dela; e sempre foi da vontade deles fomentar a aviação regional no estado. Quem sabe uma eventual redução de ICMS ou incentivo fiscal... Enfim, bora vê no que dá.

Share this post


Link to post
Share on other sites

A345,

 

No seu molde, nem precisava desse trabalho todo, a TUPI com um par de Caravan ganha o slot, a Azul compra a empresa e depois dela inserir ATR72 ou E195 na E.O da TUPI, "vende" os Caravans para voce e tá tudo certo. Porem uma TUPI custaria por baixo, sendo bemmmm economico 2mi USD em 2 Caravans surrados + 500k BRL para todo o processo de abertura e certificação.

KTR,

 

Neste caso, a Tupi seria uma empresa existente, funcionando anteriormente a esta p*taria que virou a guerra de slots. Ela nao precisa ter aeronaves proprias, como o GLK disse. No fundo eh para demonstrar que para uma empresa pequena, sem perspectiva, poder participar da briga de slots e ganha um so que seja, ja eh suficiente para ganhar um ativo bom sem gastar nada.

 

De fato, nao vale a pena abrir uma empresa para pegar o slot, mas para uma existente vale a pena fazer a cisao ou ate a venda.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

De fato, nao vale a pena abrir uma empresa para pegar o slot, mas para uma existente vale a pena fazer a cisao ou ate a venda.

 

Tenho minhas dúvidas se "não valeria a pena".

Acredito que não haveria tempo de criar uma empresa para participar da distribuição!

Mas se houvesse, considerando o que a TAM pagou pela Pantanal no passado e o que LATAM e GOL pagaram pelas UPI´s com slots em CGH, esta "nova empresa", sem fazer um voo sequer, sem nenhum avião e com poucos funcionários temporários, no caso de conseguir uns 14 slots, valeria uns 50 milhões de dólares por baixo.

Fazendo contas de padaria, se para autorização de funcionamento jurídico fossem gastos uns 5 milhoes de usd (considerando algo bem feito para não dar chabu na ANAC) seriam uns 900% de lucro em uma possível "venda" da empresa após conseguir os slots.

 

Claro que seria uma aposta arriscada,,,,,mas o lucro seria bem grande!

 

 

Abraços

Share this post


Link to post
Share on other sites

A MAP é "meio perdida" no planejamento. Em 2016 pediu para operar entre o interior de RO - PVH, onde se tem apenas concorrência de ônibus, mas não operou. Em 2017, planejou "descer" para o MT (AFL e SMT). Hotran aprovado e nunca operou. Pediu várias vezes hotran para Teresina, e ... nada.

Share this post


Link to post
Share on other sites

A Globália nao pode participar da redistribuição?

 

A Globália já tem cheta? Não sei mas acho que falta muita coisa ainda

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

A Globália já tem cheta? Não sei mas acho que falta muita coisa ainda

Obteve apenas a licença da ANAC para ser reconhecida como empresa área e o CNPJ. Agora falta de fato montar a estrutura e ser aprovada para receber o CHETA.

Share this post


Link to post
Share on other sites

A MAP é "meio perdida" no planejamento. Em 2016 pediu para operar entre o interior de RO - PVH, onde se tem apenas concorrência de ônibus, mas não operou. Em 2017, planejou "descer" para o MT (AFL e SMT). Hotran aprovado e nunca operou. Pediu várias vezes hotran para Teresina, e ... nada.

 

No início do ano anunciaram planos para Rio Branco, Porto Maldonado e Iquitos (Peru)...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Azul e Map pedem cada uma 41 slots em Congonhas (SP)

 

Por Danilo Teixeira Alves

30/07/2019

 

Azul, Map Linhas Aéreas, Passaredo e Two Flex. Estas são as quatros empresas que apresentaram à Anac pedidos para a distribuição dos 41 slots (horários de pousos e decolagens) que eram operados pela Avianca Brasil no Aeroporto de Congonhas.

 

De acordo com a agência, a Azul e a regional Map pediram 41 slots cada uma. A Passaredo e a Two Flex pediram 30 e 14 slots, respectivamente.

As solicitações foram encaminhadas ontem (29) à Anac. Segundo o calendário da própria agência, o resultado da distribuição sairá ainda hoje.

 

 

https://www.panrotas.com.br/aviacao/empresas/2019/07/azul-e-map-pedem-cada-uma-41-slots-em-congonhas-sp_166359.html

Edited by TheJoker

Share this post


Link to post
Share on other sites

Azul e Map pedem cada uma 41 slots em Congonhas (SP)

 

Por Danilo Teixeira Alves

30/07/2019

 

Azul, Map Linhas Aéreas, Passaredo e Two Flex. Estas são as quatros empresas que apresentaram à Anac pedidos para a distribuição dos 41 slots (horários de pousos e decolagens) que eram operados pela Avianca Brasil no Aeroporto de Congonhas.

 

De acordo com a agência, a Azul e a regional Map pediram 41 slots cada uma. A Passaredo e a Two Flex pediram 30 e 14 slots, respectivamente.

As solicitações foram encaminhadas ontem (29) à Anac. Segundo o calendário da própria agência, o resultado da distribuição sairá ainda hoje.

 

 

https://www.panrotas.com.br/aviacao/empresas/2019/07/azul-e-map-pedem-cada-uma-41-slots-em-congonhas-sp_166359.html

Ou seja, as duas pediram 100% dos slots disponíveis?

Share this post


Link to post
Share on other sites

10 slots = 5 voos ida e volta por dia pra cada uma, e encerra o assunto.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ou seja, as duas pediram 100% dos slots disponíveis?

 

Devem ser os horários, AD e 7M aceitam qualquer um, as outras devem ter pedido horários específicos. Tirando AD e 2Z, de onde as outras vão arrumar aviões tão rápido?

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Devem ser os horários, AD e 7M aceitam qualquer um, as outras devem ter pedido horários específicos. Tirando AD e 2Z, de onde as outras vão arrumar aviões tão rápido?

O que não falta é Caravan para a TWO Flex. MAP tem frota ociosa. Apenas a Passaredo é uma incógnita, visto que inclusive está devolvendo um de seus ATR.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O que não falta é Caravan para a TWO Flex. MAP tem frota ociosa. Apenas a Passaredo é uma incógnita, visto que inclusive está devolvendo um de seus ATR.

 

2Z é fácil é só transferir os voos de GRU pra CGH e alterar a malha novamente.

 

Ela opera 4-5 decolagens por dia de GRU, e a ocupação média de todos os voos é baixa 6M19 68,1% O&D GRU.

 

815 decolagens / 181 dias =4.5

Edited by TheJoker
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nem sabia que a Flex era 121. Não tinha uma obrigatoriedade de 121 oferecer mínimo de 29 assentos?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Alguma ideia de onde saem esses resultados (e se são publicados)?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Alguma ideia de onde saem esses resultados (e se são publicados)?

 

Certamente na página da ANAC, do mesmo modo que publicaram hoje mais cedo sobre quem pediu e quantos pediu.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nem sabia que a Flex era 121. Não tinha uma obrigatoriedade de 121 oferecer mínimo de 29 assentos?

Que eu saiba há um limite para 135 e não um mínimo para 121.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Que eu saiba há um limite para 135 e não um mínimo para 121.

Teria algum lugar que consigo uma explicação clara sobre as diferenças de 135 para 121?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Teria algum lugar que consigo uma explicação clara sobre as diferenças de 135 para 121?

Sim, nos próprios RBAC.

 

RBAC 121 - Transporte Aéreo Regular

RBAC 135 - Taxi Aéreo

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...

Important Information