Jump to content
Sign in to follow this  
ErickCF

A321 da Ural faz pouso de emergência em campo aberto em Moscou

Recommended Posts

Há pouco na Rússia, o A321 da Ural Airlines, matrícula VQ-BOZ, realizou um pouso de emergência de barriga em um milharal próximo a Moscou após sofrer flame out em ambos os motores por múltipla colisão com pássaros; todos sobreviveram.

Share this post


Link to post
Share on other sites

A Russian passenger plane made an emergency landing in a corn field near the capital Moscow shortly after take-off on Thursday after birds were sucked into both its engines, the airline and air transport agency said.


The Ural Airlines’ Airbus 321, with 233 people on board, struck a flock of gulls after take-off, disrupting its engines and forcing the pilots to land in the field about one km from Zhukovsky International Airport, south-east of Moscow, the agency Rosaviatsia said.


The plane was evacuated and four people were sent to hospital with minor injuries, the agency said. Earlier media reports had said 234 people were on board.



“There was an emergency landing in Zhukovsky. Birds got into both engines. Engines turned off, the crew carried out the landing,” Ural Airlines general director, Sergei Skuratov, was quoted as saying by the TASS news agency.


Safety concerns have plagued Russia’s airline industry, which has experienced many fatal crashes in recent years.


https://uk.reuters.com/article/uk-russia-airplane-accident/russian-plane-makes-emergency-landing-near-moscow-after-bird-strike-idUKKCN1V50DQ


Share this post


Link to post
Share on other sites

E aconteceu novamente.... a indústria vai ter que tomar medidas

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

A perícia dos pilotos no episódio veio provavelmente de uma habilidade natural que ambos tinham para o vôo mas, sobretudo, pelo treinamento periódico que com certeza ambos tinham.

Impressionante os vídeos postados no avherald.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Graças a Deus que havia esse campo aberto para o pouso de emergência. Se fosse uma região com mais povoamento e/ou construções, seria uma tragédia gigante.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

CFM-56, o mesmo do rio hudson

Edited by Pessoa 1985

Share this post


Link to post
Share on other sites

A sorte faz parte da equação tbm.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não seria um pouso forçado?

 

 

Sim, qualquer pouso fora de uma pista adequada para o tipo de aeronave e/ou realizado sem um preparo prévio enquadra-se nesse quesito.

 

Perder os motores ao mesmo tempo não dá margem para que muita coisa possa ser feita, principalmente se não for possível recuperar pelo menos um deles. Não há um item no checklist que diga isso, exceto nas entrelinhas, mas ter acordado com o "pé direito" nessas horas de emergência extrema é essencial.

 

Foi de fato um belo pouso, apesar das condições propícias para isso, mas melhor que o feito no Rio Hudson, ainda coloco os pousos do 707 da Varig em Paris e do 747 da Kalitta em Bogotá como os mais impressionantes de todos, apesar dos resultados, mas que não foram certamente consequência da habilidosa operação em si.

Share this post


Link to post
Share on other sites

E aconteceu novamente.... a indústria vai ter que tomar medidas

Mas o outro avião que pousou no campo foi o Fokker 100 da TAM em Birigui, já faz muito tempo, ou houve um terceiro avião que tenha pousado no campo?

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas o outro avião que pousou no campo foi o Fokker 100 da TAM em Birigui, já faz muito tempo, ou houve um terceiro avião que tenha pousado no campo?

Acredito que o Roadster se refere a questão de Dual Flameout por decorrência de birdstrike.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Muita perícia e uma boa dose de sorte não ter acontecido nada de mais grave neste pouso forçado.

O som do motor falhando é algo assustador.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Acredito que a sorte neste caso é de haver um campo aberto em frente, se algo do tipo acontece numa decolagem de CGH ou de qualquer outro aeroporto em meio a cidade as consequencias seriam catastróficas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas que belo programa de "milhagem" a Ural Airlines tem.

 

 

Brincadeiras à partes, excelente trabalho da tripulação.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não seria um pouso forçado?

Qualquer pouso que não esteja programado no início do voo é um pouso forçado. Forçado se refere que um motivo qualquer forçou o pouso, pode ser algum passageiro passando mal ou simplesmente porque o avião não tinha mais meios de se manter voando, como nesse caso. Agora, um avião pousando no aeroporto de destino, sem nenhuma emergência, mas que simplesmente faz um pouso brusco e quebra o trem de pouso, não é um pouso forçado.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Praticamente inteiro e sem fogo. wow.

 

Impressions from the accident site:

 

ural_a321_vz-boz_moscow_190815_1.jpg

 

 

 

ural_a321_vz-boz_moscow_190815_2.jpg

 

 

 

ural_a321_vz-boz_moscow_190815_3.jpg

 

fonte: http://avherald.com/h?article=4cb94927&opt=0

 

Impressionante mesmo não ter ocorrido incêndio.... e vendo essa foto (abaixo) que mostra que tinha região povoada nos arredores, a sorte foi grande!

 

_108321603_b1e416cf-453f-4aa8-a92c-54d3a

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

A perícia dos pilotos no episódio veio provavelmente de uma habilidade natural que ambos tinham para o vôo mas, sobretudo, pelo treinamento periódico que com certeza ambos tinham.

Impressionante os vídeos postados no avherald.

 

o bom que tinha um campo a frente para pousar..

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Esse acidente é muito assustador por um motivo:

Pode ocorrer com qualquer cia, em praticamente qualquer lugar. Imagina se dois urubus infelizes resolvem entrar nos motores de uma aeronave decolando do GIG ou GRU, por exemplo?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Qualquer pouso que não esteja programado no início do voo é um pouso forçado. Forçado se refere que um motivo qualquer forçou o pouso, pode ser algum passageiro passando mal ou simplesmente porque o avião não tinha mais meios de se manter voando, como nesse caso. Agora, um avião pousando no aeroporto de destino, sem nenhuma emergência, mas que simplesmente faz um pouso brusco e quebra o trem de pouso, não é um pouso forçado.

Não necessariamente. Pousar no aeroporto intermediário durante um voo de reclearence ou no alternado, devido a um tempo adverso no destino, não se enquadra num pouso forçado.

 

Forçado é quando a aeronave não apresenta condições de voo para prosseguir para uma pista adequada para completar um voo, isto é, é pousar onde for pela "vontade" do avião, não do piloto.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Esse acidente é muito assustador por um motivo:

Pode ocorrer com qualquer cia, em praticamente qualquer lugar. Imagina se dois urubus infelizes resolvem entrar nos motores de uma aeronave decolando do GIG ou GRU, por exemplo?

 

GIG e SDU, se der, tem a Baía de Guanabara (e não estou dizendo que é uma solução tranquila). GRU é bem mais complicado.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não necessariamente. Pousar no aeroporto intermediário durante um voo de reclearence ou no alternado, devido a um tempo adverso no destino, não se enquadra num pouso forçado.

 

Forçado é quando a aeronave não apresenta condições de voo para prosseguir para uma pista adequada para completar um voo, isto é, é pousar onde for pela "vontade" do avião, não do piloto.

 

Alternado de reclearance ou alternado de destino são pousos programados e previstos, por isso são considerados no plano de voo.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Qualquer pouso que não esteja programado no início do voo é um pouso forçado. Forçado se refere que um motivo qualquer forçou o pouso, pode ser algum passageiro passando mal ou simplesmente porque o avião não tinha mais meios de se manter voando, como nesse caso. Agora, um avião pousando no aeroporto de destino, sem nenhuma emergência, mas que simplesmente faz um pouso brusco e quebra o trem de pouso, não é um pouso forçado.

 

Existe diferença entre pouso forçado e pouso de emergência. Pouso forçado é quando a aeronave não tem mais condições de se manter em voo, como nesse caso. Passageiro passando mal é pouso de emergência, assim como panes onde o piloto ainda consegue se manter em voo e prosseguir para uma alternativa que comporte a aeronave.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Matheus,

 

Então, se um piloto decidir pousar pelo caminho, por um motivo qualquer, ele informa aos passageiros, tripulantes e o ATC que efetuará um pouso forçado numa determinada localidade? Seria isso? 7700 no transponder? Tenho certeza de que uma informação desta vai matar um monte de gente do coração ... :lol:

 

Note que como ponto de partida -- independente de ter ocorrido danos ou não e todos a bordo estão são e salvos --, pouso forçado requer um monte de papelada para ser preenchida, além de uma investigação aeronáutica.

 

Sugiro rever o conceito sobre os tipos de pousos não programados, em emergência ou não.

 

Safe flights.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade