Jump to content
Sign in to follow this  
VictorHugoBrando

Governo do Rio reduz ICMS do querosene de aviação para atrair turistas

Recommended Posts

2 hours ago, A340-600 said:

Oi Lipe.

Apenas por curiosidade, quais seriam esses links do Rio com interior do PR? Pergunto pois tenho familiares em MGF/LDB e região, sempre estou a bordo de voos para estas cidade e ouço pouco sotaque fluminense nos aviões. Nunca imaginei uma demanda forte entre as regiões, sempre noto muitos passageiros do centro-oeste indo para MGF/LDB, fruto da migração ainda muito forte. Penso que futuramente um voo dessa região para BSB atenderia melhor à população.


Já a economia de Goiás está bem ligada ao agro/autoindústria/fármaco e em SLZ tem uma presença massiva da Vale que deve garantir uma procura alta pelo Rio. Imaginei que faria mais sentido a GOL voltar a ligar GYN e SLZ ao Galeão.


Abraços.

Opa A340-600, sem problemas.
Os links economicos do Norte do Paraná com o Rio estão relacionados aos Shopping Centers, Financeiro (BNDES e asset management), Bebidas (Coca-Cola), Agricola (empresas como Agtal tem fazendas no estado do Parana), entretenimento (cinemas), mídia (Globo e afins), veiculos (links com os fabricantes em terras fluminenses como Peugeot, Nissan, Land Rover) alem de incorporadoras que atuam na região tambem. Além disso é o principal abastecedor do maior consumidor de feijão preto do país (o estado como um todo é o maior produtor do país) além de muitos itens de alimentação como carne de frango.

Sem duvida o link Agricola do sul com o Centro-Oeste também é muito expressivo. 

O que falta para decolar a ligação na minha visão é a baixa penetração do Rio como destino turistico, no interior do Paraná em geral. Penso que muito mais gente do Rio Grande do Sul visita o Rio do que do Paraná apesar das populações serem parecidas, mas parte disso é que ao contrário do RS onde os gauchos em geral viajam até Porto Alegre e conectam, so Paranaenses tem a sua disposição melhor cobertura aérea via Foz do Iguaçu, Maringá, Cascavel, Pato Branco, Ponta Grossa e Londrina. Nisso, o Paraná bate o Rio, bate RS, bate SC, e talvez seja dos estados Brasileiros com maior número de cidades com mais de 100 mil passageiros do país, talvez somente atrás de São Paulo. Isso sem falar que algumas cidades tem aeroportos em outros estados a menos de 150Km como Joinville (129km de Curitiba). 

 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
6 hours ago, LipeGIG said:

Opa A340-600, sem problemas.
Os links economicos do Norte do Paraná com o Rio estão relacionados aos Shopping Centers, Financeiro (BNDES e asset management), Bebidas (Coca-Cola), Agricola (empresas como Agtal tem fazendas no estado do Parana), entretenimento (cinemas), mídia (Globo e afins), veiculos (links com os fabricantes em terras fluminenses como Peugeot, Nissan, Land Rover) alem de incorporadoras que atuam na região tambem. Além disso é o principal abastecedor do maior consumidor de feijão preto do país (o estado como um todo é o maior produtor do país) além de muitos itens de alimentação como carne de frango.

Sem duvida o link Agricola do sul com o Centro-Oeste também é muito expressivo. 

O que falta para decolar a ligação na minha visão é a baixa penetração do Rio como destino turistico, no interior do Paraná em geral. Penso que muito mais gente do Rio Grande do Sul visita o Rio do que do Paraná apesar das populações serem parecidas, mas parte disso é que ao contrário do RS onde os gauchos em geral viajam até Porto Alegre e conectam, so Paranaenses tem a sua disposição melhor cobertura aérea via Foz do Iguaçu, Maringá, Cascavel, Pato Branco, Ponta Grossa e Londrina. Nisso, o Paraná bate o Rio, bate RS, bate SC, e talvez seja dos estados Brasileiros com maior número de cidades com mais de 100 mil passageiros do país, talvez somente atrás de São Paulo. Isso sem falar que algumas cidades tem aeroportos em outros estados a menos de 150Km como Joinville (129km de Curitiba). 

 

Realmente, o Paraná tem essa característica geográfica assim, com aeroportos bem distribuidos nas principais regiões do estado, tornando essas cidades citadas por você, autônomas em relação a capital, Curitiba, em termos de transpote aéreo. Ao contrário do que acontece no RS, por exemplo, onde POA concentra a maior parte dos võos de e para todo o estado. Por outro lado, concordo com o Boulos no tocante ao peso dos aeroportos do estado de SP, já que é para lá que estão concentrados a maior parte dos vôos dessas cidades do interior. No entanto, concordo com você que existe sim uma provável demanda para o GIG, principalmente nas duas maiores cidades do interior, Londrina e Maringá, seja em O&D, leisure e principalmente como centro de conexões. Essas cidades, sozinhas, são centros de regiões de influência,  que somadas ,chegam a por volta de 5 milhões de habitantes, com poder aquisitivo elevado, um belo mercado que se bem explorado, principalmente por GOL e AZUL, pode vir a ser bem significativo. Cito principalmente essas duas cias, pois a LATAM até bem pouco tempo só servia LDB, parece que agora vai ter um vôo para MGF, via GRU, graças à redução de ICMS em SP. De qualquer forma, não teria alimentação relevante no GIG, já que reduziu muito os vôos por lá.

Share this post


Link to post
Share on other sites
7 hours ago, LipeGIG said:

Opa A340-600, sem problemas.
Os links economicos do Norte do Paraná com o Rio estão relacionados aos Shopping Centers, Financeiro (BNDES e asset management), Bebidas (Coca-Cola), Agricola (empresas como Agtal tem fazendas no estado do Parana), entretenimento (cinemas), mídia (Globo e afins), veiculos (links com os fabricantes em terras fluminenses como Peugeot, Nissan, Land Rover) alem de incorporadoras que atuam na região tambem. 

Sem duvida o link Agricola do sul com o Centro-Oeste também é muito expressivo. 

O que falta para decolar a ligação na minha visão é a baixa penetração do Rio como destino turistico, no interior do Paraná em geral. 

 

Desculpe Lipe, mas ainda assim estes links não são tão relevantes. O BNDES vem financiando cada vez menos, os. Shopping centers que possuem suas sedes principais no Rio, possuem filiais em SP que acabam cobrindo outras partes do Brasil com acesso mais fácil a partir daqui e a sede da Landrover, por exemplo, fica em SP. A região norte do Paraná, além de SP, tem muita sinergia com o Sul, MG e não menos importante com o centro-oeste Brasileiro.

Quando os Paranaenses pensam em praia, SC é o destino preferido deles por razões óbvias. O estado do RJ deveria sim fazer uma divulgação maior, assim como o Nordeste Brasileiro. 

Como eu disse, vamos aguardar a decisão da Gol em onde alocar novos voos... Ela sabe exatamente de onde vêm seus passageiros e assim saberemos com precisão quais destinos são rentáveis e estão faltando na malha do GIG. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

E o AVGAS continua pagando 30% de ICMS, é para acabar com a aviação geral no Brasil

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
22 hours ago, boulosandre said:

Frequento o Rio desde criança e profissionalmente desde os 22 anos, indo 6 vezes ao ano, com familiares, amigos e clientes lá e nunca ouvi referências ao norte do Paraná. Esta região é umbilicalmente ligada à SP, inclusive pela imigração Japonesa. A Gol, para se beneficiar deste programa, terá que aumentar suas operações no GIG. Ela, mais do que ninguém, conhece a origem e destino dos seus passageiros e, caso faça sentido, criará voos diretos a Londrina e Maringá. Eu, pessoalmente, duvido. Acredito que ela aumentará ou retomará operações em capitais como FOR, POA, CWB, BEL, CGB, GYN, FLN, além de cidades como NVT ou até começar a operar para JOI. 

Importante ressaltar que SLZ mantém um voo diário ao GIG. 

O norte do PR de fato possui uma grande colônia japonesa. Depois da Grande SP, é a região com mais descendentes no Brasil. Em Londrina, próximo a 10% da população possuem origem japonesa, mas só umas 3.5% são 100% japonesas. Mais da metade já é mestiça. Apesar da mestiçagem forte nas últimas duas gerações, a colônia é muito forte onde ela atua, ela é rica e unida. Agora, no norte do PR os descendentes de espanhóis, italianos, portugueses e sírios-libaneses são mais numerosos. O consulado honorário italiano de Londrina estima 1/3 a 40% da população tenha origem italiana. Os Espanhóis não seriam menos que 1/4, 1/5. Os árabes, segundo disseram num  encontro/jantar da comunidade libanesa, são pelo menos 15% em Londrina. Não sei nas outras cidades. 3/4 dos "pé vermeios" possuem origem em SP, seja pelo seus pais, avós ou bisavós. Esses paulistas eram em sua maioria espanhóis, italianos, japoneses, portugueses e sirios-libaneses. Muitos mineiros (origem no Brasil colonia/império e italianos) também foram abundantes no norte do PR. Cornélio Procópio mesmo foi fundada por mineiros de origem italiana. Muitos paranaenses de origem alemã e eslava também foram numerosos na região, embora em menor escala quando comparados aos mineiros e, sobretudo paulistas. Portanto, a ligação do Norte paranaense é muito mais forte com SP (capital e interior) desde a época da colonização, dos trilhos de trem que vinham do estado vizinho etc. As décadas voltadas ao comércio de café também intensificaram essa ligação com São Paulo. Mesmo com toda estrutura pública sendo ligada a Curitiba, a influência é Paulista na região, basta ver, o número de ônibus e voos para Curitiba vs Campinas/SP desde Londrina e Maringá. 

Talvez rode um voo MGF-GIG, e LDB-GIG na alta temporada, similar ao LDB-FLN.

Share this post


Link to post
Share on other sites
16 hours ago, boulosandre said:

Desculpe Lipe, mas ainda assim estes links não são tão relevantes. O BNDES vem financiando cada vez menos, os. Shopping centers que possuem suas sedes principais no Rio, possuem filiais em SP que acabam cobrindo outras partes do Brasil com acesso mais fácil a partir daqui e a sede da Landrover, por exemplo, fica em SP. A região norte do Paraná, além de SP, tem muita sinergia com o Sul, MG e não menos importante com o centro-oeste Brasileiro.

Quando os Paranaenses pensam em praia, SC é o destino preferido deles por razões óbvias. O estado do RJ deveria sim fazer uma divulgação maior, assim como o Nordeste Brasileiro. 

Como eu disse, vamos aguardar a decisão da Gol em onde alocar novos voos... Ela sabe exatamente de onde vêm seus passageiros e assim saberemos com precisão quais destinos são rentáveis e estão faltando na malha do GIG. 

O tamanho da relevância transforma a conversa em IF's (SE's). 

Com todo devido respeito, não vamos entrar numa discussão que desvia o tópico. Respondi ao forista e fiz um disclosure do que enxergo. Não vou entrar em disputa de matriz, filial, quem viaja e quem não viaja. 

Pode não ser o suficiente para voos, como outros ponderaram, mas longe de inexistirem ligações. 

Esse era meu objetivo. Creio que o alcancei.

Grande abraço e boas discussões. 

 

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
17 hours ago, Paranaense said:

Realmente, o Paraná tem essa característica geográfica assim, com aeroportos bem distribuidos nas principais regiões do estado, tornando essas cidades citadas por você, autônomas em relação a capital, Curitiba, em termos de transpote aéreo. Ao contrário do que acontece no RS, por exemplo, onde POA concentra a maior parte dos võos de e para todo o estado. Por outro lado, concordo com o Boulos no tocante ao peso dos aeroportos do estado de SP, já que é para lá que estão concentrados a maior parte dos vôos dessas cidades do interior. No entanto, concordo com você que existe sim uma provável demanda para o GIG, principalmente nas duas maiores cidades do interior, Londrina e Maringá, seja em O&D, leisure e principalmente como centro de conexões. Essas cidades, sozinhas, são centros de regiões de influência,  que somadas ,chegam a por volta de 5 milhões de habitantes, com poder aquisitivo elevado, um belo mercado que se bem explorado, principalmente por GOL e AZUL, pode vir a ser bem significativo. Cito principalmente essas duas cias, pois a LATAM até bem pouco tempo só servia LDB, parece que agora vai ter um vôo para MGF, via GRU, graças à redução de ICMS em SP. De qualquer forma, não teria alimentação relevante no GIG, já que reduziu muito os vôos por lá.

 

Paranaense, concordo também que a influência de São Paulo sobre o Paraná é incontestável em vários outros campos além dos que você citou. Creio que por tudo isso sempre gravitaram no transporte aéreo na direção dos principais aeroportos de São Paulo. 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

spacer.png

Por Janaina Brito em 10/12/2019

 

Às 10h da manhã da última segunda-feira (09), aconteceu o voo inaugural ligando o Rio de Janeiro à Macaé, oficializando mais um novo destino na aviação regional no país. Com essa nova operação, que será diária, tanto a população de Macaé, quanto prestadores de serviços e profissionais que precisam ir e vir da capital do Estado para o norte fluminense têm uma opção segura, rápida e confortável para percorrer o trajeto.

Os voos entre Macaé e o Galeão serão operados pelo ATR 72-600 da Azul, com capacidade para 70 assentos. A bordo da aeronave, os clientes poderão experimentar o serviço da companhia, com snacks e bebidas à vontade e sem custo adicional. As partidas do Rio para Macaé serão diárias, com uma escala em Campos dos Goytacazes no voo da volta. Já a partir desta sexta-feira, 13, os canais de venda da Azul já terão à disposição mais uma opção de voo para a rota Galeão-Macaé-Campos-Galeão, dobrando a oferta de assentos diários nas cidades do norte fluminense.

Com a abertura da 106ª base de operações da Azul, o aeroporto do Galeão terá 13 partidas diárias para seis destinos: Campinas e Belo Horizonte – os dois principais hubs da Azul –, São José dos Campos, Ribeirão Preto, Campos dos Goytacazes e Macaé.

“Estamos muito felizes em retomar nossas operações em Macaé, servindo mais um importante destino no país com intensa atividade econômica. O mais bacana é que já a partir do começo do ano que vem, Macaé e Campos terão dois voos diários, o que nos permitirá oferecer mais assentos e opções de horários ainda mais convenientes aos nossos Clientes. Assim, quem parte de uma dessas cidades poderá ir e voltar no mesmo dia. Isso é um avanço enorme para essas rotas, pois fortalece a conectividade da nossa malha”, afirma Abhi Shah, vice-presidente de Receitas.

https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/azul-passa-a-conectar-macae-ao-rio-de-janeiro-veja-horarios/

 

AD já tentou transferir CAW/MEA pro GIG em 2014-5, mas foi só ligeiramente melhor que SDU, e não passava dos 40-50%, aliás é máximo que essas rotas já conseguiram até hoje.

10M19  CAW-SDU  44%  SDU-CAW 42,4%

out19   CAW-GIG  4 voos com 39,2%    GIG-CAW 39,4%

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

O yied desses voos de CAW e MEA são altíssimos, a Azul só abandonou a rota na época por causa do phase-out dos ATR42. Na época MEA não tinha PCN adequado para homologar operações do 72. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hour ago, VictorHugoBrando said:

O yied desses voos de CAW e MEA são altíssimos, a Azul só abandonou a rota na época por causa do phase-out dos ATR42. Na época MEA não tinha PCN adequado para homologar operações do 72. 

Realmente, pelos microdados da ANAC de mai19, a tarifa média do CAW-SDU foi de R$343/233kms = 1,47 x LF 48,6% = 0.71 

                                                                                                                         SDU-GRU            R$324/344          = 0,94  x     70,7% = 0.66

                                                                                                       

Edited by TheJoker
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...