Jump to content

Dossie EMBRAER - FATO RELEVANTE


Recommended Posts

Meus prezados

Dossie EMBRAER - FATO RELEVANTE

EMBRAER dá nício à segregação interna do negócio de aviação comercial e cria uma empresa de transição a Yaborã.

FATO RELEVANTE

 Dando continuidade ao Fato Relevante divulgado em 24 de janeiro de 2019, por intermédio do qual a Embraer S.A. (“Companhia” ou “Embraer”) divulgou a celebração de determinados contratos com relação à parceria estratégica entre a Companhia e The Boeing Company (“Boeing”) (“Operação”), bem como ao Fato Relevante divulgado em 3 de outubro de 2019, a Companhia informa a seus acionistas e ao mercado que, na presente data, foi implementada a segregação interna do negócio de aviação comercial da Companhia, por meio da contribuição, pela Embraer, ao capital social da Yaborã Indústria Aeronáutica S.A., do acervo líquido composto por ativos, passivos, bens, direitos e obrigações referentes à unidade de negócio de aviação comercial da Embraer.
A consumação da Operação continua sujeita:

(i) à aprovação pela Comissão Europeia e pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica - CADE; e,

(ii) à satisfação de outras condições usuais em operações desta natureza
.

Até que tais aprovações sejam obtidas e as demais condições sejam satisfeitas, não há garantias quanto à consumação da Operação ou ao prazo para sua conclusão, continuando a Embraer e a Boeing a envidar seus melhores esforços para que o fechamento da Operação ocorra no menor prazo possível.
A Companhia manterá seus acionistas e o mercado informados acerca de quaisquer desdobramentos relevantes.
 São José dos Campos, 2 de janeiro de 2020.

   Antonio Carlos Garcia
Vice-Presidente Executivo Financeiro e Relações com Investidores

Fonte: Defesanet 2 jan 2020

 

Edited by jambock
Link to post
Share on other sites

 

Pelo que eu pude ler sobre o fato, não se trata de uma parceria estratégica com a Boeing na aviação comercial. Na verdade a Boeing comprou algumas partes da Embraer, entre elas o negócio da aviação comercial, para usar na sua cadeia produtiva. Se trata de uma AQUISIÇÃO parcial da Embraer. Também foi adquirida pela norte americana a ELEB, parte da engenharia da Embraer, planta especializada em material composto em Portugal (Évora), patentes que pertenciam a Embraer entre outros. Por fim, a Embraer não terá quase nenhuma influencia na Boeing Brasil.

Muito estranho a Embraer divulgar informações na B3 incompletas e erradas. Realmente esse negócio com a Boeing, cheira coisa estranha, parece que tem coisa estranha, no final é ....

 

Francisco

Link to post
Share on other sites
9 hours ago, ChicoZé said:

 

Pelo que eu pude ler sobre o fato, não se trata de uma parceria estratégica com a Boeing na aviação comercial. Na verdade a Boeing comprou algumas partes da Embraer, entre elas o negócio da aviação comercial, para usar na sua cadeia produtiva. Se trata de uma AQUISIÇÃO parcial da Embraer. Também foi adquirida pela norte americana a ELEB, parte da engenharia da Embraer, planta especializada em material composto em Portugal (Évora), patentes que pertenciam a Embraer entre outros. Por fim, a Embraer não terá quase nenhuma influencia na Boeing Brasil.

Muito estranho a Embraer divulgar informações na B3 incompletas e erradas. Realmente esse negócio com a Boeing, cheira coisa estranha, parece que tem coisa estranha, no final é ....

 

Francisco

Exato, ingênuo é aquele que crê em parceria estratégica, aliás foi a forma que a Boeing e Embraer chamaram o acordo.

E o governo acha que fez um bom negócio, só se for para os acionistas.

 

  • Like 1
Link to post
Share on other sites

União Europeia estabelece novo prazo para decidir sobre acordo Boeing-Embraer

Uma decisão sobre a fusão das duas empresas pode ser tomada até 30 de abril. Além da aprovação dos reguladores europeus, acordo também depende do aval do Cade.

Os reguladores de mercado da União Europeia estabeleceram novo prazo para decidir sobre acordo entre as fabricantes de aviões Boeing e Embraer. A análise estava suspensa até a última segunda-feira e, agora, uma decisão sobre fusão pode ser tomada até 30 de abril.

No fim de dezembro, os reguladores europeus teriam solicitado mais de 1,5 milhão de páginas de informações e dados em mais de 20 anos de campanhas de vendas das companhias. As preocupações da Comissão Europeia se devem à redução do número de participantes importantes no mercado global de jatos.

A fabricante brasileira de aeronaves Embraer concluiu nos primeiros dias deste ano a cisão do negócio de aviação comercial, conforme previsto no cronograma do acordo com Boeing.

A negociação entre as fabricantes de aeronaves prevê a criação de uma joint venture que englobará o braço de aviação comercial da Embraer. Assim, a Boeing deterá 80% da nova empresa, enquanto a Embraer terá 20%.

Além da aprovação dos reguladores europeus, o acordo depende do aval do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

O novo prazo estabelecido pela União Europeia pode ser interpretado negativamente pelo mercado, uma vez que a transação está sob análise dos europeus desde 30 de agosto de 2019.

 

fonte: https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/01/09/ue-estabelece-novo-prazo-para-decidir-sobre-acordo-boeing-embraer.ghtml

Link to post
Share on other sites
  • 3 weeks later...

Europa adia análise de compra da Embraer pela Boeing

24/01/2020  16:55 | Marcel Buono
  
A União Europeia decidiu adiar mais uma vez sua análise em relação à aquisição da Embraer pela Boeing. De acordo com informações divulgadas pela Bloomberg, a comissão responsável pela aprovação do negócio não está satisfeita com os detalhes fornecidos até o momento e precisará de mais tempo para certificar o acordo entre as fabricantes.
 
Divulgação
Embraer E195-E2 da companhia aérea espanhola Binter
Embraer E195-E2 da companhia aérea espanhola Binter
Em novembro de 2019, o processo de revisão da transação já havia sido adiado para março de 2020, porém, agora a expectativa é de que um veredicto seja dado em maio. Outros países, como China, Japão e Estados Unidos, já deram sinais positivos para a conclusão da fusão, assim como o Brasil.

Antes de entrar na pior crise da sua história, por conta da suspensão da família 737 Max, a Boeing adquiriu 80% da área de jatos comerciais da Embraer, terceira maior fabricante do mundo, por cerca de US$ 4,2 bilhões. Já as áreas de aviação executiva e de defesa seguem com a empresa brasileira.
Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade