Jump to content

Plano de Recuperação Judicial de Viracopos é aprovado em Assembleia Geral de Credores com proposta de relicitação


Recommended Posts

 

Plano de Recuperação Judicial de Viracopos é aprovado em Assembleia Geral de Credores com proposta de relicitação


O Plano de Recuperação Judicial do Aeroporto Internacional de Viracopos, administrado pela Concessionária Aeroportos Brasil Viracopos S.A., foi aprovado nesta sexta-feira (14/02) durante AGC (Assembleia Geral dos Credores). 

No Plano Recuperação Judicial, a concessionária concorda em requerer, no prazo de 15 dias após a homologação do Plano pela Justiça, a relicitação do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP).

O Plano foi aprovado pelos credores por 99,9% votos, entre eles Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), em Assembleia realizada em Campinas (SP).

Após o requerimento de relicitação, o pedido precisará ser qualificado pela Anac, SAC (Secretaria de Aviação Civil) e PPI (Programa de Parcerias de Investimentos – órgão do Ministério da Economia), onde será  avaliada  a conveniência da medida. Após este enquadramento pelos órgãos do governo federal, as partes estarão aptas a assinar o Termo Aditivo que prevê a relicitação do aeroporto.

Na relicitação, a concessionária terá direito a uma indenização antes da entrega do ativo para o próximo concessionário. A companhia também permanecerá com o direito de discutir a indenização calculada de acordo com a legislação,  os pleitos de reequilíbrio econômico-financeiros por via arbitral.

Após a homologação, os credores começam a ser pagos com recursos liberados das contas reservas. Os credores financeiros (bancos) serão pagos conforme contrato original. Os créditos da ANAC serão pagos no âmbito da relicitação.

As formas detalhadas dos pagamentos constam no Plano aprovado e poderão ser conferidos integralmente no site do aeroporto (www.viracopos.com) após a homologação do Plano de Recuperação pela Justiça, o que deve ocorrer dentro de uma semana aproximadamente.

A partir da assinatura do Termo Aditivo à Relicitação, há um prazo de 60 dias para que a concessionária deixe o processo de Recuperação Judicial, que foi iniciado em 2018.

A concessionária destaca que, durante todo o processo, continua com a prioridade de manter a prestação dos serviços públicos e os níveis de excelência apresentados desde o início da concessão, em 2012. Viracopos foi eleito 13 vezes o Melhor Aeroporto do Brasil em pesquisa do próprio governo federal realizada com passageiros. Em 2018, o Terminal de Carga de Viracopos foi eleito o Melhor do Mundo na categoria até 400 mil toneladas/ano.

A concessionária reafirma que a opção pelo pedido foi a única saída diante da relutância da procuradoria da Anac em reconhecer os desequilíbrios financeiros gerados  pelo Poder Concedente desde o primeiro dia da concessão. 

 

 Concessionária Aeroportos Brasil Viracopos 

 

 

 

 

 

Edited by VCP-SBKP
Link to post
Share on other sites

Ufa...

Finalmente uma luz na escuridão, Viracopos precisa de uma injeção de dinheiro urgente, espero que a situação se defina o mais rápido possível e que uma novo concessionária assuma o aeroporto e de continuidade expansão do mesmo,  tem muita coisa para ser feito, o aeroporto tem futuro e demanda!

Link to post
Share on other sites
  • 3 weeks later...
  • 6 months later...
4 hours ago, MRN said:

Que essa negociação não se concretize, a empresa é nova criada em 07/2019, não tem nem um ano direito, não tem experiência com aeroportos e o tal francês é super sujo na França, foi preso por não pagar diárias de um hotel la que saiu na casa de 18 mil euros, fora diversas tentativas de comprar times de futebol que todas deram errado. Provavelmente quer o aeroporto pra coisa errada, é melhor esperar o novo leilão e torcer pra Zurich ganhar. 

 

Link to post
Share on other sites

O problema, Cassio, é se ele tiver realmente o "faz-me rir", "o que move o mundo", "o que as primas gostam". Aí não tem como dispensar...

Link to post
Share on other sites

"A empresa diz ter oferecido R$ 150 milhões para comprar as ações da UTC Participações no aeroporto e que pretende ainda fazer uma proposta para adquirir a parte que cabe à Infraero (49%)."

 

ABV = AB (51%) + Infraero (49%) investiram R$1.587milhões até dez19 (valores históricos sem correção).

AB R$809.4 (Triunfo 45%  UTC 45% Egis 10%)  + Infraero R$777.6

UTC R$364.2 milhões

Edited by TheJoker
Link to post
Share on other sites
  • A345_Leadership changed the title to Plano de Recuperação Judicial de Viracopos é aprovado em Assembleia Geral de Credores com proposta de relicitação

https://api.mziq.com/mzfilemanager/v2/d/c544de26-0715-4600-99da-fca65b96d961/d7bf4ddb-22e8-209f-99e3-0f063ceb9f10?origin=1

 

COMUNICADO AO MERCADO

ESCLARECIMENTO SOBRE NOTÍCIA

São Paulo, 23 de setembro de 2020 - A TPI - Triunfo Participações e Investimentos S.A. (“Companhia”) (B3: TPIS3), nos termos da Instrução CVM n.º 358/02, conforme alterada, tendo em vista matéria publicada pelo UOL com o título (“Grupo negocia a compra da concessão do aeroporto de Viracopos, em SP”) esclarece que recebeu proposta para alienação de sua participação na Aeroportos Brasil S.A., cujo aceite da proposta pela Companhia estava vinculada ao cumprimento de determinadas condições em prazo estabelecido, o que não se concretizou, tornando-a sem efeito, sem prejuízo de eventuais novas negociações com a BIA. A Companhia manterá seus acionistas e o mercado informados a respeito dos desdobramentos do assunto tratado neste Comunicado ao Mercado.

Link to post
Share on other sites
  • 2 months later...

Viracopos deve concluir recuperação judicial em breve
Fim do processo é um passo necessário para a relicitação do aeroporto, vista com interesse no mercado
Por Taís Hirata

09/12/2020

A concessionária do aeroporto de Viracopos está prestes a concluir sua recuperação judicial, iniciada em maio de 2018. Segundo a Aeroportos Brasil Viracopos (ABV), a expectativa é que hoje seja protocolado o pedido para encerrar o processo, o que ainda terá que ser aprovado pela Justiça.

O fim da recuperação judicial é um passo necessário para a devolução da concessão ao governo federal, que já trabalha em um novo leilão para o aeroporto de Campinas (SP). A ABV, controlada pela Triunfo e pela UTC, tem até o dia 14 de dezembro para concluir o processo, e tudo indica que o prazo será cumprido, avaliam tanto a companhia quanto o governo.

Fim do processo é um passo necessário para a relicitação do aeroporto, vista com expectativa no mercado

Nos últimos dias, já foram feitos os pagamentos aos credores de menor porte, diz a concessionária. A maior parte da dívida - junto ao BNDES e à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) - ainda será quitada ao longo do processo de relicitação, conforme prevê o plano de recuperação, aprovado em fevereiro deste ano.

O Ministério de Infraestrutura já se prepara para o novo leilão. Os estudos de modelagem deverão sair até a metade de março de 2021. O governo autorizou quatro consórcios a realizarem os projetos e irá escolher entre as propostas. O prazo de entrega era até janeiro, mas será prorrogado por mais 90 dias porque houve um atraso na disponibilização de 

documentos necessários para os estudos, segundo o secretário nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann.

Ele evita cravar a data para a nova concorrência, que é aguardada com ansiedade pelo mercado. Uma estimativa preliminar, porém, é que seja realizada entre o fim de 2021 e o início de 2022.

A negociação entre governo, Anac e Viracopos foi bélica e conturbada desde o início. A concessionária resistiu a abrir mão do contrato até o último momento, mas, ao fim, não teve outra opção - na visão dos acionistas, a devolução foi imposta pelo governo.

Mesmo com a aprovação do plano, a resistência do grupo se manteve. Em outubro, a ABV chegou a ameaçar não assinar o termo aditivo que formalizava o início do processo, por discordar de algumas condições. Ao fim, acabou por firmar o acordo - que só terá validade de fato uma vez que a recuperação judicial for levantada pela Justiça.

A conclusão do processo judicial também deverá dar a largada a outra etapa importante: o início de uma arbitragem, que irá dar a palavra final sobre dezenas de pendências entre os envolvidos, que hoje são travadas na Justiça. Hoje, ainda não está claro quanto o governo precisa pagar a Viracopos, e nem quanto a concessionária deve ao poder público. 

O tribunal arbitral deverá decidir esses valores e, assim, possibilitar um “encontro de contas”.

De um lado, a concessionária terá que receber uma indenização pela devolução do ativo antes do prazo - um ressarcimento pelos investimentos feitos e não amortizados - e cobra uma série de reequilíbrios contratuais. O grupo estima a conta em R$ 6 bilhões, valor que a Anac refuta.

De outro, a concessionária deixou de pagar, nos últimos anos, milhões em multas aplicadas pela agência reguladora, devido ao descumprimento de obrigações contratuais - penalidades que a ABV também questiona.

Além disso, o grupo ainda terá que pagar uma dívida de cerca de R$ 2 bilhões com o BNDES, principal credor financeiro da ABV. A ideia é que o valor seja descontado da indenização a ser recebida pela empresa pela devolução.

Caso o saldo definido na arbitragem seja a favor da ABV, o desembolso será feito com os recursos obtidos a partir da relicitação, explica Glanzmann. Como a expectativa é que o leilão seja concorrido e, portanto, renda um valor de outorga alto, o governo prevê ter recursos suficientes para o pagamento, se necessário.

Inicialmente, a ideia era que, se o saldo fosse a favor da Anac, ele seria transferido ao novo operador e não ficaria com a ABV. A opção, porém, foi descartada pelo governo - esta foi a maior divergência na hora da assinatura do termo aditivo, em outubro.

Dessa forma, o novo concessionário assumirá um contrato “limpo”, sem relação com o antigo.

Para Tiago Sousa Pereira, diretor da Anac, a relicitação é também uma oportunidade de fazer uma concessão melhor gerida e com avanços regulatórios.

https://valor.globo.com/empresas/noticia/2020/12/09/viracopos-deve-concluir-recuperacao-judicial-em-breve.ghtml

 

Preciso refazer meu estoque de pipoca, quem vai dar R$6 bi (só pra indenizar a ABV) + nova outorga pro Governo?

 

Em dez19, o saldo a amortizar do intangível era de R$5.5 e o passivo R$6.1 (BNDES R$2.4 bi), ou seja ABV (AB+Infraero) não vão ver um centavo de indenização, pelo contrário ainda vão ter que colocar dinheiro.

Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade