Jump to content

Cabo Verde Airlines está a negociar empréstimo de longo prazo


TheJoker

Recommended Posts

Cabo Verde Airlines Está A Negociar Empréstimo De Longo Prazo

12/02/2020

O grupo Icelandair, que lidera a Cabo Verde Airlines (CVA), anunciou a que a companhia aérea cabo-verdiana deverá apresentar resultados positivos em 2021, mas necessita de contrair um financiamento de longo prazo, noticiou a agência portuguesa de notícias ‘Lusa’ em despacho da Cidade da Paria, capital da República de Cabo Verde.

A informação consta do relatório com as demonstrações financeiras consolidadas do exercício de 2019 do grupo aéreo islandês, que através da sua participada Loftleidir Icelandic EHF controla, desde 1 de março, diretamente, 36% da CVA.

A Icelandair refere que de acordo com o plano de negócios da CVA, são esperados prejuízos “nos primeiros dois anos após a aquisição” e lucros em 2021. Ainda assim, e sem quantificar, o documento também aponta que os resultados operacionais da CVA no último trimestre de 2019 “ficaram abaixo das expectativas”.

“A CVA está à procura de financiamento de longo prazo. Se o financiamento de longo prazo não for garantido, isso poderá afetar negativamente a operação”, lê-se no relatório do grupo Icelandair, de 07 de Fevereiro, que identifica receitas oriundas da companhia de Cabo Verde no valor de 37,2 milhões de dólares  e despesas de 1,1 milhão de dólares, em 2019.

Aquele grupo insiste que vê a aposta na CVA como “um projeto de desenvolvimento de longo prazo” e que “acredita que há oportunidades” para transformar o país, através da companhia aérea, num hub entre os continentes africano, americano e europeu, “e ao mesmo tempo desenvolver Cabo Verde como destino turístico”.

Islandeses controlam 51% da companhia aérea cabo-verdiana desde março de 2019

Em março do ano passado, o Estado de Cabo Verde vendeu 51% da então empresa pública TACV (Transportes Aéreos de Cabo Verde) por 1,3 milhões de euros à Lofleidir Cabo Verde, uma empresa detida em 70% pela Loftleidir Icelandic EHF (que ficou com 36% da CVA) e em 30% por empresários islandeses com experiência no sector da aviação (que assumiram os restantes 15% da quota de 51% privatizada).

No seu relatório anual, o grupo Icelandair acrescenta que apesar de não apresentar “exposição material relevante” à companhia aérea cabo-verdiana, “desenvolvimentos negativos nas operações do CVA poderão impactar negativamente as operações do Loftleidir Icelandic em 2020”.

Refere ainda que o plano da frota do Loftleidir Icelandic pressupõe que quatro a cinco aeronaves serão alugadas à CVA durante 2020.

“Se esses planos mudarem, isso poderá impactar temporariamente a geração de receita do Loftleidir Icelandic, porque levaria algum tempo para colocar as aeronaves com outros operadores e esses esforços poderiam acarretar algum custo”, lê-se.

O Governo cabo-verdiano tem em curso o processo de venda de 10% das ações da CVA a trabalhadores e emigrantes e os 39% restantes por outros investidores, através da bolsa.

De acordo com o plano de negócios da companhia, noticiado anteriormente pela ‘Lusa’, a administração da CVA previa faturar mais de 9.015 milhões de escudos (81,9 milhões de euros) em 2019, valor que deverá subir para 23.473 milhões de escudos (213,2 milhões de euros) em 2020 e para mais de 46.450 milhões de escudos (422 milhões de euros) em 2023.

A Cabo Verde Airlines aumentou para quase 200.000 passageiros transportados nos primeiros oito meses após o processo de privatização.

Os números foram avançados em Dezembro à agência Lusa por fonte oficial da companhia aérea cabo-verdiana e traduzem-se num crescimento de 85,4% do total de passageiros transportados, face ao mesmo período de 2018.

Entre Março e Outubro de 2018, a então Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV) transportou 107.027 passageiros, enquanto que em igual período deste ano, a agora Cabo Verde Airlines registou 198.457 passageiros.

Para o Governo, a alternativa à privatização seria a sua liquidação, a qual custaria mais de 181 milhões de euros.

 

https://newsavia.com/cabo-verde-airlines-esta-a-negociar-emprestimo-de-longo-prazo/

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...
Cabo-Verde-Airlines-B757-200-azul_descol

Cabo Verde Arrecada Cerca De Um Milhão De Euros Na Venda Das Ações Da CVA Na Diáspora

24/02/2020
 
 

O Estado de Cabo Verde conseguiu arrecadar 108.765.050 escudos (986 mil euros) com a venda de 7,65% das ações da antiga companhia aérea estatal, Cabo Verde Airlines (CVA), junto da diáspora, informou na semana passada a Bolsa de Valores deste país africano.

Os resultados da venda direta das acções da CVA detidas pelo Estado e destinada aos emigrantes foram apresentados na cidade da Praia pelo director do Departamento de Operação de Mercado da Bolsa de Valores de Cabo Verde, Edmilson Mendonça.

De acordo com as informações reveladas, foram recebidas um total de 44 ordens, sendo que a maioria, 17, chegou dos Estados Unidos da América, seguindo-se cinco da França, quatro da Alemanha, assim como também da Holanda. Portugal teve três ordens, Suíça e Suécia duas cada.

Já de países como Angola, Bélgica, Espanha, Guiné-Bissau, Japão, Nigéria contabilizou-se uma ordem cada, assim como da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), no sul da China.

Antes dos emigrantes, 91 trabalhadores da antiga transportadora aérea pública cabo-verdiana tornaram-se acionistas da empresa, numa operação que aconteceu pela primeira vez, enquadrada no processo de reestruturação da agora privada Cabo Verde Airlines.

Sendo assim, o parceiro estratégico Lofleidir Cabo Verde detém agora 51% das acções da CVA, deixando o Estado de Cabo Verde com 39%, os emigrantes têm agora 7,65% desta fatia, enquanto os trabalhadores 2,535%.

O governo liderado por Ulisses Correia e Silva já fez saber em várias ocasiões que o objectivo é fazer com que o Estado saia por completo do capital social da Cabo Verde Airlines.

Em declarações aos jornalistas, o gestor de carteira na UASE (Unidade de Acompanhamento do Sector Empresarial do Estado), Sandeney Fernandes, afirmou que os 39% das ações que o Estado detém no capital da empresa serão colocados no mercado “em breve” para serem vendidos a instituições ligadas ao sector turístico nacional.

Fonte: www.newsavia.com

 

 

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade