Jump to content

Lufthansa Technik deve converter o Airbus A380 para versão cargueira


Woody

Recommended Posts

A Lufthansa Technik, a divisão de manutenção de aeronaves da alemã Lufthansa, está com um projeto em mãos para converter o maior avião de passageiros do mundo em cargueiro.

Normalmente, uma aeronave que recebeu uma aprovação para o transporte de passageiros não pode simplesmente ser carregada com carga na cabine, pois além dos cálculos de performance, peso e balanceamento, os critérios de aprovação para cabines de passageiros e compartimentos de carga são completamente diferentes.

Por exemplo, a carga possui uma força sob o piso diferente de um passageiro, ou seja, a capacidade de carga estrutural de uma aeronave de passageiros é menor que a de uma aeronave de carga.  Além disso, enquanto no transporte de passageiros as rotas de evacuação devem ser mantidas livres e o suprimento de oxigênio deve ser garantido para cada pessoa, medidas especiais de proteção contra incêndio devem ser tomadas a bordo de uma aeronave cargueira. Todos esses critérios, e mais alguns, devem ser levados em consideração e incorporados à documentação técnica por engenheiros devidamente qualificados e aprovados.

Essa conversão em questão não envolve nenhuma instalação de porta de cargas, ou modificações mais pesadas, apenas uma adaptação para o avião conseguir levar caixas em seu interior. 

lufthansa_technik.jpg

Até agora, os especialistas em modificação de cabine da empresa receberam consultas de mais de 40 companhias aéreas. Mais de 15 projetos para diferentes tipos de aeronaves já estão em fase de implementação. Atualmente, a Lufthansa Technik está trabalhando arduamente para obter STCs (Supplemental Type Certificate) para todos os tipos de aeronaves usuais em operação mundial, para que as companhias aéreas de todo o mundo possam converter rapidamente suas aeronaves de passageiros em cargueiros auxiliares.

“Nos últimos dias, recebemos um grande interesse de diferentes companhias aéreas em relação aos nossos serviços de conversão de passageiros para cargueiros”, explicou Henning Jochmann, diretor sênior de manutenção de base de modificação de aeronaves da Lufthansa Technik. 

“Como o escopo de trabalho compreende muito mais do que apenas ocupar assentos, você precisa de especialistas em engenharia que saibam exatamente quais são os desafios e como documentar as soluções técnicas tão corretamente para que as autoridades da aviação concordem. A nossa solução pode ser transferida para o nosso STC posteriormente, sem grandes ajustes. Isso significa que qualquer pessoa que opte pela solução excepcional da Lufthansa Technik agora pode facilmente mudar para a solução permanente STC no futuro.”
 

www.ponteaerea.net

Link to comment
Share on other sites

Pra esse momento, que é + volume do que peso (máscaras/luvas/testes) é tranquilo. O problema é depois que passar essa necessidade momentânea...

Link to comment
Share on other sites

Mas a capacidade total de carga de um A380 dificilmente seria utilizada, as empresas operam um ocupação média de 50-60%, ao menos nos balanços da Latam, que opera aeronaves cargueiras, não me recordo de ver ocupações superiores.

 Seria uma sobrevida prática e fácil para os operadores do A380 e novos 

Link to comment
Share on other sites

A questão é uma só: se convertido vai gerar receita ? E como bem colocado acima, não só agora mas sim com uma sobrevida como cargueiro após estes tempos de pandemia.

É um avião complexo e de operação cara se não bem ocupado como cargueiro.

Torço pelo sim, mas o que faz avião voar é dinheiro.

Link to comment
Share on other sites

Eu tenho certas dúvidas sobre o A380F: mercado restrito em algumas unidades, quem vai treinar trips? Apesar de ser da mesma classe o B748, ele consegue operar em lugares como CWB? (não tenho acompanhado como antes a adaptação da infra para os VLA).

Talvez seja só para a Lufthansa extrair um pouco mais de receita dos A380. 

Link to comment
Share on other sites

1 hour ago, A345_Leadership said:

Eu tenho certas dúvidas sobre o A380F: mercado restrito em algumas unidades, quem vai treinar trips? Apesar de ser da mesma classe o B748, ele consegue operar em lugares como CWB? (não tenho acompanhado como antes a adaptação da infra para os VLA).

Talvez seja só para a Lufthansa extrair um pouco mais de receita dos A380. 

Pode ser uma aeronave interessante para a Fedex, DHL e UPS. Acho que faria algum sentido para os grandes players em mercados relevantes - mais ou menos da mesma forma que o A380 comercial - China-US, mercados com pescado e frutas e também em mercados especiais - partes e peças de grande porte que não cabem nos B767F e 777F  por exemplo. 

A questão crucial é se preço x retorno vai pagar a conta, mas creio que seja melhor que deixar no deserto esperando um operador novo para uso com passageiros. 

 

Link to comment
Share on other sites

Quote

Essa conversão em questão não envolve nenhuma instalação de porta de cargas, ou modificações mais pesadas, apenas uma adaptação para o avião conseguir levar caixas em seu interior. 

 

Ou seja, somente para esses tempos de covid-19...

Link to comment
Share on other sites

11 hours ago, Luckert said:

Mas a capacidade total de carga de um A380 dificilmente seria utilizada, as empresas operam um ocupação média de 50-60%, ao menos nos balanços da Latam, que opera aeronaves cargueiras, não me recordo de ver ocupações superiores.

 Seria uma sobrevida prática e fácil para os operadores do A380 e novos 

 

Isso é baseado em peso e não volume, como o TJ citou, mascaras, testes e afins não faz tanto peso assim.

Link to comment
Share on other sites

Por exemplo, a https://www.skycargo.com/fleet/air-fleet/

A380 = 517 pax x95kg = 49.115 + 8.000 carga = 57.115kg sem tirar poltronas   ou 161 m3 porão + 775 main deck + 530 upper = 1.466 m3 (deve ser sem poltronas, wc, galleys)

77W  = 354                    = 33.630 + 21.000?       = 54.630  *lembrando que AA colocou 52.321kg num EZE-MIA, e foi record pra ela.

77F                                                                          = 107.000   ou 550m3     

 

tem + detalhes   https://www.skycargo.com/media/2021/eksc-fleet-sheet.pdf

Link to comment
Share on other sites

9 hours ago, Tintin said:

 

Ou seja, somente para esses tempos de covid-19...

Exato, não vai ser um BCF, como os outros modelos. 

Infelizmente o destino do A380 é ser matéria prima para os A32x A35x

Link to comment
Share on other sites

Tá, então só terá alguma reforços no piso, nada de uma porta de carga na lateral do avião, isso?

Link to comment
Share on other sites

1 hour ago, A345_Leadership said:

Lembrei do C Container que a Airborne Express desenvolveu para os DC-8 e DC-9 sem fazer conversão para cargo:

https://patentimages.storage.googleapis.com/02/c7/84/d9c1b51a094f91/US4747504.pdf

Hoje a patente está com a DHL.

Interessante mesmo. Pelo que entendi alem dos conteiners deslizantes há a necessidade da modificação do piso.
 

Link to comment
Share on other sites

3 hours ago, Mayday said:

Seria interessante um A380F como alternativa ao Antonov 225.

Pois é, mas o 225 quase não voa. Estava estocado ha vários anos sem voar em algum local na Russia até estes dias atrás.

Link to comment
Share on other sites

4 hours ago, Mayday said:

Seria interessante um A380F como alternativa ao Antonov 225.

Muito provavelmente um A380F conseguiria, no máximo, carregar um peso próximo ao Antonov 225, mas não chegaria nem próximo a capacidade de carregar cargas com grande volume dessa aeronave.

Tenho minhas dúvidas se é possível tirar o segundo piso de pax para aumentar o volume, porém não imagino que criariam uma porta grande o suficiente para fazer valer a pena o volume maior dentro da aeronave. Outra duvida é se, caso mantiverem os 2 pisos que hoje são usados para pax, terá um elevador para os pallets dentro da aeronave ou se irão criar uma outra porta no piso superior, mas creio que para essa segunda opção não há loaders capazes de alcançar uma altura tão grande. Será que empresas de apoio de solo investiriam em um equipamento desses para uma operação que seria tão esporádica?

Desejo boa sorte aos engenheiros!

Link to comment
Share on other sites

  • 1 month later...

Um cargueiro que precisa de uma série de requisitos para operar em em aeroporto não é exatamente versátil como normalmente é necessário no setor de cargas.

Link to comment
Share on other sites

É um nicho. Cargas de grande volume....

Qnto a tripulações e aeroportos, como foi mencionado acima, os Antonov estão aí pra dizer que nada é impossível.

 

Link to comment
Share on other sites

51 minutes ago, NEsses said:

É um nicho. Cargas de grande volume....

Qnto a tripulações e aeroportos, como foi mencionado acima, os Antonov estão aí pra dizer que nada é impossível.

 

Eles não vão colocar porta de carga pelo que consta na matéria. Logo o volume será limitado.

Link to comment
Share on other sites

Enfim, é uma versão tabajara para uso cargueiro, mas não convertido para tal.

A grande questão é que ele não poderá levar cargas de cubagem grande, o principal trunfo do Antonov 225:

84569_an-225-diagram_tcm110-4238.jpg

1200px-Airbus_A380_cross_section.svg.png

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade